Lista telefônica

E você? - Jornal Cruzeiro do Vale

?Já acabou, Jéssica??

23/02/2018

Jéssica Monteiro, 24 anos, foi presa no início do mês de fevereiro no Estado de São Paulo, depois de ser pega em flagrante com 90 gramas de maconha, quantidade suficiente para enquadrar a mulher no crime de tráfico de drogas (a quantidade equivale a aproximadamente 90 cigarros da droga). Um detalhe: Jéssica estava grávida de oito meses e entrou em trabalho de parto após passar alguns dias presa. Saiu da cela para dar a luz no hospital e logo retornou, acompanhada do filho recém-nascido.

Defensores dos direitos humanos protestaram nas redes sociais e na mídia, alegando que a mãe, ora traficante, estava sendo marginalizada e deveria ser posta imediatamente em liberdade. O que acabara ocorrendo – Jéssica foi solta no dia 16/02 após o seu pedido de Habeas Corpus ser aceito pelo TJSP.

Ocorre que, com a liberdade de Jéssica, a corrente de justiceiros e seguidores fiéis de Bolsonaro se sentiram ofendidos e com o Código Penal ignorado. A própria Jéssica concedeu uma entrevista após ser liberada e classificou o fato como “Humilhante” e que o trabalho de parto só foi antecipado por estar “estressada”, que não tem condições de alguém criar um filho em uma cela de 10m².

Para os adeptos da prisão, humilhante é uma pessoa grávida de oito meses portar 90 gramas de maconha. Será que esta “mãe” estava preocupada com o filho até ser presa? Não usou ou fumou nada durante a gravidez? Qual tipo de ambiente que estava frequentando? Reclamou do espaço mínimo da cela por conviver em uma residência de luxo financiada pelo tráfico? Quem era o pai, que não se apresentou durante as duas semanas de prisão da jovem? Com o tráfico em tese praticado por Jéssica, quantas mães de família ela afeta diariamente com a venda de entorpecentes?

Jéssica foi encontrada em companhia de um masculino, que portava, além de maconha, cocaína.

A jovem de apenas 24 anos, mãe de um recém-nascido, já possui outro filho de três anos. Qual o futuro dessa família? Qual a capacidade intelectual e ética de Jéssica opinar sobre o que é humilhante ou não? Há de se ressaltar que o filho de três anos não estava com a genitora no momento da prisão, por que a jovem de repente sentiu aflorar o espírito de mãe?  

Para muitos, a criança deveria ser encaminhada para um abrigo ou para adoção.

E para você, quem é a vítima do caso: Jéssica Monteiro ou a sociedade?

 

Edição 1839

Comentários

Deixe seu comentário


Seu e-mail não será divulgado.

Seu telefone não será divulgado.