Lista telefônica

OS NÚMEROS DO PRONTO ATENDIMENTO DO HOSPITAL DE GASPAR "MELHORAM" COM A TROCA DE MÉDICOS QUE ESTAVAM LÁ HÁ 15 ANOS. - Por Herculano Domício - Jornal Cruzeiro do Vale

OS NÚMEROS DO PRONTO ATENDIMENTO DO HOSPITAL DE GASPAR "MELHORAM" COM A TROCA DE MÉDICOS QUE ESTAVAM LÁ HÁ 15 ANOS. - Por Herculano Domício

02/07/2018

ISSO PODE SINALIZAR QUE O MÉDICO SILVIO CLEFFI, PSC, ESTÁ PERDENDO A BATALHA NA CÂMARA EM FAVOR DOS SEUS COLEGAS MÉDICOS.


Da esquerda para a direita: o secretário Pereira, o prefeito Kleber e o médico e presidente da Câmara, Silvio Cleffi.

ESTA SUPOSTA VANTAGEM NA TROCA DE MÉDICOS MOSTRA TAMBÉM O QUANTO É FRAGIL A COMUNICAÇÃO DE KLEBER E O TAMANHO DO ESTRAGO FEITO PELA OMISSÃO DA ADMINISTRAÇÃO DELE NA ÁREA DA SAÚDE. A POPULAÇÃO AINDA NÃO PERCEBEU QUE ALGO PODE ESTAR MELHORANDO. IMPRESSIONANTE!

Não se trata de uma efetiva melhoria. Ela precisará se repetir e se confirmar com séries históricas ao longo de um tempo mais amplo. Entretanto, são indicadores que devem ser considerados como sinalizadores, se eles não forem forjados.

A Horus Saúde, a nova empresa gestora especializada e que trouxe os novos médicos para Gaspar e motivo da polêmica corporativa com os que estavam no pronto-socorro do Hospital prestando serviço há anos, repassou ao secretário de Saúde, prefeito de fato, o advogado Carlos Roberto Pereira, MDB, os primeiros números da intervenção que ela fez no Pronto Socorro do Hospital de Gaspar e que já está dando o que falar. É uma batalha adotada por políticos da oposição na Câmara liderada por Cleffi, PT, PDT e PSD para desmoralizar as mudanças que foram aplicadas lá.

Deram a entender, inclusive, de forma propositadamente errada, de que o Corpo Clinico do Hospital estava sendo trocado para gerar comoção na comunidade. Jogo. E para confundir analfabetos, ignorantes e desinformados. A troca se restringiu à apenas ao Pronto Atendimento, onde a prefeitura compra serviços do Hospital para prestar à comunidade.

Retomando. Alguns números chamam a atenção. Em 15 dias de junho, por exemplo, a Horus mostrou no seu relatório que seus médicos atenderam 2.301 pacientes. Desses 63,23% foram atendidos em menos de uma hora depois da triagem, segundo esse levantamento. No sistema antigo, esse percentual numa série histórica de cinco meses, era de 45,47%, ou seja, claramente o doente esperava mais no pronto socorro do Hospital para ser atendido pelo sistema e médicos antigos. E no novo modelo, desses atendimentos depois da triagem, os números também são favoráveis a Horus naqueles que receberam atendimento em menos de meia hora: 56,54% contra 25,77% de antigamente. Ou seja, mais que o dobro.

A fonte desses números é da própria Horus Saúde. Eles foram extraídos do sistema que ela disponibiliza para esse controle à secretaria de Saúde de Gaspar, o Tasy num relatório chamado de “CATE 180”.

Os números são bons? Não sei! Como gestor, sei que é preciso confirmá-los com mais amplitude. É obrigatório. Indiscutível. Mas, os que já foram apresentados não são desprezíveis como perspectiva, a não ser, que a tese de vassoura nova varre melhor, mas ela também se desgasta e envelhece e ai tudo volta ser como era antes.

O que esses números sinalizam também, se continuarem melhores como se apresentaram? Que o político Silvio perdeu o discurso de médico que entende e quer botar a mão naquilo que não é da sua responsabilidade.

HÁ PROBLEMAS DE GESTÃO NA SAÚDE, MAS OS VEREADORES VIRARAM DEFENSORES DE MÉDICOS

É bom ele encontrar outro defeito na defesa da corporação médica e a favor dos seus eleitores que estão cansados de esperar atendimento médico por longo tempo no pronto socorro do Hospital. Quando ao lado do prefeito Kleber Edson Wan Dall, MDB, que o criou politicamente, Silvio botou o dedo em tudo na Saúde, onde é funcionário, e nada melhorou nesta área.

Uma dica que já passei e que o médico, o político Silvio e os vereadores de oposição fingem não entenderem: os números da secretaria, as compras, as inexigibilidades são fontes de dúvidas, segundo quem entende desse riscado. E para comprovar ou dirimir essas dúvidas, é preciso trabalhar, insistir e parece que essa não é bem a praia dessa gente. Prefere discursos para defender o antigo, os médicos, o conforto e que deixa exposto políticos e principalmente os doentes, seus eleitores. Incrível!

Volto. Foram três secretários de Saúde em 15 meses para Kleber sentir na pele e “descobrir” que precisava fazer uma experiência se não quisesse ser engolido por interesses corporativos. A primeira, uma técnica, Dilene Jahn dos Santos, foi corrida pelos políticos em suas manobras de poder. O terceiro, o doutor Pereira, que está fazendo o que Dilene planejava fazer, tem as costas largas para fazer e desfazer nesta área, com muito dinheiro – aquele que economizou erradamente -, e daí a ira dos médicos e dos políticos de oposição. Além deles não estarem no centro das decisões, elas correm o risco de darem certo.

Tudo isso, resumindo, mostra o estrago político e administrativo que o governo Kleber fez contra ele próprio e que vai lhe custar caro e tempo para reverter. Criou, gratuitamente, uma marca de questionamento para a oposição se deliciar. É que ninguém ainda percebeu que algo pode estar melhorando. É curto o tempo para se perceber, eu sei, mas será longo para se tornar uma realidade, mesmo que ela venha logo.

Vão tentar dar entrevista sem perguntas, fazer notas nas redes sociais, gastar dinheiro em propaganda imbecil (Mais Saúde!), fazer press releases inócuos....

E tudo piorará quando se sabe que a área de comunicação da prefeitura e do governo Kleber é tão ou pior do que a própria combalida área da Saúde. Como na Saúde, a comunicação de Kleber está no terceiro superintendente. Só curiosos, servis, necessitados de empregos públicos ou do esquemão partidário. Kleber e os seus não entenderam que esta é uma área estratégica para qualquer governo decente ou em perigo, como é o caso de Kleber.

Brincam com a comunicação. Pior mesmo, é a reserva de domínio que se faz na área para um gasparense na prioridade, e não para alguém realmente capacitado, com perfil para se trabalhar em crises.

Na Saúde, finalmente, Kleber entendeu que não podia mais depender de curiosos, intrometidos e “gasparenses” para reverter o estrago da bomba que ele próprio criou na área para si e sua imagem. Carlos Roberto Pereira não é um entendido na área, é advogado até, nunca tocou esse assunto. Entretanto, é até mais que o próprio prefeito. Ou seja, é a carta branca. Vai acertar ou errar de forma automática ou autônoma.

Na comunicação, Kleber continua perdendo todas. Pessoas fracas, universitárias, aplicando teses juvenis próprias desses ambientes dominados por amadores e interesses pequenos, a serviços dos poderosos que são leigos e nada entendem do riscado. A oposição está aplaudindo e torcendo para que tudo continue assim, mesmo que melhore alguma coisa, mas que não se comunique nada com estratégia, plano tático, conteúdo e objetividade para mitigar a vulnerabilidade. Acorda, Gaspar!

OS POLÍTICOS SÃO INSACIÁVEIS E SEM NOÇÃO. MESMO DIANTE DA CRISE ECONÔMIA E RAZOÁVEL, ZOMBAM DOS ELEITORES E DOS PAGADORES DE PESADOS IMPOSTOS, DINHEIRO DESPERDIÇADO E QUE NÃO RETORNA AOS CIDADÃOS EM SERVIÇOS E ASSISTÊNCIA MÍNIMA COMO SAÚDE, EDUCAÇÃO, SEGURANÇA E OBRAS

Em Gaspar, o presidente da Câmara, o médico Silvio Cleffi, PSC, evangélico, com apoio do PT, PDT e PSD, ensaiou e ainda tenta emplacar, um “procurador geral” comissionado de mais de R$9 mil por mês. No discurso que fez para tal façanha, Silvio disse que isso era só o começo. Projetou mais um “diretor geral”, mais uma penca de diretores e gerentes tudo comissionado e que se levado ao pé da letra, daria mais de R$ 1,2 milhão por mês.

Colocou em segundo plano, a concreta construção da sede própria da Câmara feita como uma das suas metas, como foi a de tantos outros presidentes da Casa, os quais usaram este fato para discursos vazios e promocionais. Apesar de patinar neste quesito por se distrair com outros, ao menos avançou na regularização do terreno e na contratação de uma empresa de projetos

No que toca ao inchamento da Câmara, entretanto, nada foi tão adiante na velocidade como queria, por enquanto.

É que esta coluna denunciou o que estava sendo tramado e esclarecido no próprio plenário; porque os vereadores Francisco Solano Anhaia, MDB e Franciele Daiane Back, PSDB, surpreendidos e derrotados na corrida pela presidência da Câmara ampliaram a denúncia e encurralaram Silvio indo, inclusive, ao Ministério Público contra essa e outra manobras ou dúvidas de Silvio; porque o próprio relator geral do projeto 20/2018, o vereador Wilson Luiz Lenfers, PSD, colocou dúvidas sobre à legalidade do inchamento no que tange à proporcionalidade entre efetivos e comissionados na Câmara; e porque o bafo das redes sociais assustou não só Silvio, mas como os próprios vereadores do PT, PDT e PSD que possuem a maioria para passar a matéria.

É que este ano é de eleições. E os vereadores, vejam só, são cabos eleitorais de deputados (estaduais e federais), senadores, governador e presidente e podem, sabem eles, serem cobrados e sofrerem prejuízos no serviço que estão fazendo em dobradinha – e paga - para seus políticos.

Resumindo: tudo isso é feito de caso pensado e contra a sociedade. E os políticos sabem o que estão fazendo e possuem a plena certeza que não há volta o que se inchar na Câmara. Eles não são representantes exatamente do povo como se apregoa por aí, mas deles próprios e seus esquemas que incluem os cabos eleitorais. É um clube. Já contei vários casos aqui. Vamos adiante. A vida está cheia de exemplos não só em Gaspar e Ilhota.

Veja o que aconteceu nas duas últimas semanas em Blumenau. Cansadas de só elas meterem a mão nos seus próprios bolsos e na defesa da cidade, dos cidadãos, dos trabalhadores e até dos desempregados que pagam a pesada conta dos políticos e seu entorno, as entidades como a Acib, Ampe, CDL, Codeic, Intersindical Patronal e OAB, depois de estudar e não apenas alimentarem discursos vazios como fazem os políticos, pediram à redução de até 133 cargos da atual estrutura, sendo 82 cargos comissionados, profissionais terceirizados e estagiários e 51 servidores efetivos da Câmara de lá. Prá que!

A economia gradativa – o pedido não era para ser aceito do dia para a noite – poderia chegar a R$11 milhões por ano. Ulala!

APAUSOS E AGORA PAGUEM A CONTA, POR FAVOR!

Pode estranhar, mas o resultado e a resposta da Câmara de lá ao pedido das entidades, prova de que na política todos são farinha do mesmo saco. E não há dúvidas.

Quem é o presidente da Câmara de lá? Um jovem, um evangélico pentecostal, Marcos Rosa, DEM, o que aparentemente poderia significar o “novo”, a “pureza” que eles sempre invocam na hora de pedir votos e ficarem livres dos velhos políticos que mamam nas tetas de tudo que é público e sustentado pelo povo.

Então! E numa ação corporativa, na defesa do empreguismo do sistema e da máquina sustenta cabos eleitorais pagos pelos contribuintes, disfarçados de assessores e necessidades, Marcos mandou bananas para as entidades e a sociedade de lá. Assim, na maior cara dura.

A Câmara aumentou em 90% o seu quadro em cinco anos, revelou o estudo das entidades que disseram baseada nele, ser esse inchaço inaceitável. E quem começou tudo isso? O experimentando e representante do povo evangélico pentecostal, Jovino Cardoso, que passou por vários partidos, foi até vice-prefeito de Blumenau e hoje está no Prós, além de estar bem ligado à administração de Gaspar por conta de diversos laços. Sintomático!

Ao colunista Francisco Fresard, do Jornal de Santa Catarina, da NSC Blumenau, o político e presidente da Câmara de lá, Marcos Rosa, disse que os vereadores “merecem aplausos pela economia que estão fazendo”. Um escárnio sem tamanho. E ficou por isso mesmo. À sociedade, cabe pagar a cara conta dos seus políticos e caladinha. A que ponto se chegou.

- Não vou mandar embora minha chefe de gabinete e nem um assessor de cada vereador para colocar no lugar servidores de carreira. Há uma questão legal que tem que ser observada - disse o presidente enaltecendo que serão anexados pareceres dos advogados da Câmara que explicam esses impedimentos legais.

Marcos da Rosa deixou claro que, na opinião dele, a Câmara já está no caminho certo, fazendo o dever de casa e abraçando a causa da “austeridade e da economia”.

- Nós merecíamos aplauso por isso - disse na tribuna durante a sessão.

Durante a fala ele apresentou diversos gráficos que demonstram a economia que a Câmara faz em alguns itens. Citou menores gastos com combustível, telefone celular, despesas com diárias, passagens e locomoção, entre outras.

Resumindo. Enrolou. Desviou a atenção com migalhas pontuais e administrativas, para esconder o empreguismo desenfreado no Legislativo de lá coberto com o dinheiro do povo de lá.

Aqui em Gaspar, as entidades estão caladas sobre abusos e absurdos assemelhados feitos e tentados. Quando acordarem, como aconteceu em Blumenau, será tarde. Para o funcionalismo, a lei não tem volta, só benefícios. Não foi isso que aconteceu para os novos concursados da Câmara recentemente? Se não foi caso pensado, foi uma demonstração de ineficiência funcional em benefício próprio. O dinheiro não é dessa gente. É dos gasparenses!

UM JOGO DE CARTAS MARCADAS

Aqui foram aprovados para trabalharem 40h por semana. Investidos nas funções, foram à luta e encontraram imediatamente a falha no próprio ambiente Legislativo: queriam trabalhar apenas 30h como os antigos e os antigos, ganharem como os de 40h, mas trabalhando apenas 30h por semana como os novos concursados. E conseguiram com Ciro André Quintino, MDB.

Agora, estão contra a possibilidade de se colocar relógio ponto para os comissionados. Um foi pego “trabalhando” a 12 mil quilômetros daqui, numa excursão de amigos na Terra Santa e Roma. Depois da denúncia, entre eles, incluindo os políticos, “está tudo está em paz”, ajeitando-se para que nada aconteça e se esqueça, inclusive no Ministério Público onde esta específica situação foi parar.

Para os políticos e até os servidores, o problema é a imprensa, a bisbilhoteira, reclamam os políticos que ameaçam enchê-la de processos como se isso fosse a melhor forma de transparência que tem a oferecer à sociedade, a que lhes paga e dizem representá-la. Só não sabe o que vão fazer com as redes sociais onde estão sendo vigiados, desmentidos e desmoralizados

O problema de verdade é o cidadão que paga, não se incomoda, não faz o seu papel sobre os seus políticos e por isso, eles lhe mandam a conta cada vez mais alta para todos. Erradamente, o cidadão ainda culpa o governo por isso (o prefeito, o governador, o presidente da República).

O verdadeiro problema está na Câmara de vereadores, nas Assembleias, Câmara Federal e Senado. É lá tudo começa, negocia-se, encobre-se com ajeitamentos legais, ou termina contra o cidadão pagador de pesados impostos para cobrir a farra dos políticos cada vez mais gulosos, espertos e audazes contra a própria sociedade.

Volto e encerro. Quer outra de como tudo funciona mal contra o cidadão e a favor do político e sua corte?

Veja esta que já relatei. O presidente Silvio Cleffi, PSC, mal armou com o relator geral da matéria, Roberto Procópio de Souza, PDT, para as sessões da Câmara serem noturnas outra vez.

Coisa malfeita – apesar da própria assessoria legislativa ter alertado o relator geral para tal. Os funcionários efetivos e comissionados da Câmara se preparam para ganhar mais. E se isso não se oficializar logo a regularização do improviso, e com vantagens, logicamente, todos irão à Justiça. Gestão e previsibilidade aos ajustes necessários, zero até agora.

É assim que funcionam os políticos, que dizem ser nossos representantes, na administração dos nossos escassos recursos diante da crise econômica grave e que tomam nos cada vez mais pesados impostos de todos nós. Eles precisam de mais dinheiro, votos e aplausos como diz Marcos Rosa lá em Blumenau.

E tem gente aplaudindo. Incrível! Acorda, Gaspar!

TRAPICHE 

Não faltava mais nada para o cidadão bancar para essa gente esperta. E tudo dentro da lei, de gente que diz nos representar nas votações dessas aberrações. Veja esta notícia.

Câmara dos Vereadores aprova reajuste do "salário-esposa" dos servidores do Tribunal de Contas do Município de São Paulo. Auxílio é benefício concedido aos servidores homens que são casados ou vivem junto com mulheres que não trabalham.

Com o título “porta voz”, Prisco Paraíso escreveu: “homem de confiança e ex-chefe de gabinete da presidência da Alesc, Jerry Comper, tem sido o porta voz do presidente Aldo Schneider. Está em todas”.

Resumindo. Aldo está sem voz, literalmente e até no aspecto político.

Não é só o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, PT, que é um ficha suja. Tem gente que se ensaia candidato a deputado estadual, condenado por colegiado, na mesma situação.

Tem político já de poucos votos em Gaspar que fala bem do SUS e do atendimento rápido no pronto-socorro do Hospital ou dos postinhos, só quando ele ou grupo dele está no poder. Quando é oposição, queixa e pau puro. É risível o discurso contraditório e gagá dele na Câmara.

 

Edição 1858

Comentários

Miguel José Teixeira
04/07/2018 08:45
Senhores,

O Deputado Rogério Peninha Mendonça, MDB/SC, apresentou ontem uma Proposta de Emenda à Constituição, a PEC 0428/2018, extremamente louvável:
Ela "Institui o sistema unicameral no Parlamento Federal."

O principal problema será: o que fazer com os "zilhões" de servidores públicos, com altíssimos salários, das duas Casas atuais.

Acesse:

http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=2180580

e participe da enquete. . .
Odegar Schwamberg
03/07/2018 18:12
Sr. Herculano

Vejam só, Melato compra caminhão de R$ 300.000,00 para Secretaria de obras, além do projeto que vai à Câmara que transforma Samae em Secretaria das Águas e assim meter a mão na grana da autarquia.
Herculano
03/07/2018 12:53
PROPOSTA DE BOLSONARO PARA O SUPREMO CORROMPE O JOGO DEMOCRÁTICO, por Bruno Boghossian, no jornal Folha de S. Paulo

Ao sugerir aumento de 11 para 21 ministros, capitão avança sobre regras vigentes

A ditadura militar se insurgiu contra o STF em 1965. Irritado com decisões que favoreciam presos políticos e frustravam a repressão, o governo aumentou de 11 para 16 o número de ministros da corte.

O ministro Juraci Magalhães (Justiça) disse, sem constrangimento, que o regime escolheria juízes "à altura [...] das necessidades da Revolução", neutralizando os votos dos ministros indicados por outros presidentes.

Prevendo entraves a seus planos de poder, Jair Bolsonaro (PSL) propõe uma diluição ainda mais intensa da corte. Na semana passada, ele disse que gostaria de ampliar a quantidade de cadeiras de 11 para 21.

"É uma maneira de botar dez isentos lá dentro. Da forma como eles têm decidido as questões nacionais, nós realmente não podemos sequer sonhar em mudar o destino do Brasil", declarou à TV Cidade, de Fortaleza.

A ideia lembra regimes autoritários que avançam sobre outros poderes e se valem de um discurso inflamado para impor suas vontades. Em 1931, Getúlio Vargas aposentou seis ministros do STF para livrar a corte da influência da antiga elite política.

Ainda que Bolsonaro precise de aval do Congresso para aparelhar o Supremo à sua maneira, a proposta representa uma investida contra instituições democráticas e indica que o capitão da reserva não está disposto a governar sob as regras vigentes. Que solução ele apresentará se o Congresso deixar de apoiá-lo?

Nesse desenho, Bolsonaro indicaria 12 ministros em quatro anos. Embora falte credibilidade ao STF atualmente, trata-se de uma concentração de poder desproporcional.

Em 1937, Franklin Roosevelt propôs elevar de 9 para 15 o número de juízes da Suprema Corte dos EUA, para reverter decisões que barravam seu programa de combate à recessão. A mudança só não ocorreu porque o tribunal ajustou suas posições.

Roosevelt não era ditador, mas nem por isso foi poupado de comparações com líderes totalitários. Rupturas e interferências sobre poderes soberanos corrompem o jogo democrático, sob qualquer circunstância.
Herculano
03/07/2018 12:45
BRASILEIROS NÃO FAZEM IDEIA DO PERIGO

Conteúdo de O Antagonista. O Bank of America projeta que, se o Brasil eleger um presidente avesso às reformas, o dólar poderá bater em 5,50 reais, publica a Folha.

Pode ser ainda mais, a depender dos fatores externos, como a taxa de juros americana.

A esmagadora maioria dos eleitores brasileiros, infelizmente, não faz ideia do perigo.
Herculano
03/07/2018 12:44
OS COMPUTADORES SECRETOS DE PALOCCI

Conteúdo de O Antagonista. Antonio Palocci vai abrir seus HDs para a Lava Jato.

Segundo O Globo, "o material reúne contratos, planilhas e outras evidências mantidos até hoje em segredo nos computadores da consultoria de Palocci que abrirão uma nova frente de investigação dentro da maior operação de combate de corrupção do Brasil com foco em empresas privadas.

Quando a PF fez buscas no escritório da Projeto, em São Paulo, em setembro de 2016, os investigadores encontraram apenas teclados, mouses e monitores, mas não acharam nenhum gabinete de computador?

Os dados dos computadores da Projeto ainda não foram entregues à PF porque estão passando por uma análise de peritos contratados por Palocci, que estão organizando o material de maior relevância para facilitar o trabalho dos investigadores de filtrar os conteúdos que envolvem crimes. A previsão é que a perícia termine nesta semana e que o material seja remetido à PF. Apesar dessa triagem, o conteúdo integral dos HDs da consultoria será compartilhado."
Miguel José Teixeira
03/07/2018 09:15
Senhores,

1) Pois é. . . "Povo rico e privilegiado é o brasileiro com Temer , PSDB e PR", como alega o Senhor Eldo Schmitt em postagem anterior.

Eu acrescento: mais rico e privilegiado ainda, são os que saqueiam o erário e com o dinheiro do roubo, provavelmente em paraísos fiscais, contratam a peso de ouro altos funcionários públicos, como advogados de defesa. . . A lei é igual para todos, exceto para estes. . .

2) Lamentavelmente, não poderei ver o pombo-correio PeTralha desfilar sua nova tornozeleira eletrônica, adquirida com o suor do contribuinte.

3) O PRI - Partido Revolucionário Institucional, que desgovernou o México por quase 8 décadas, não é de esquerda, embora pertença à Internacional Socialista.

Porém, a lambança que fez naquele país lembra-nos e muito, o tal do PT, pois além da lambança que aqui fêz, seu sonho maior era tal proeza: permanecer eternamente no "pudê". Foram atropelados pela imcomPeTente lambisgóia "mineira-gaúcha".

4) O tal Obrador, pertence a algo assim: "Morena ?" Movimiento Regeneración Nacional". Talvez, seja a "deixa" para os PeTralhas, já que o sanguinário Maduro, ícone da esquerda tupiniquim, acredita que sua eleição seja "enfim uma luz para a América Latina". Vade retro satanás!!!
Herculano
03/07/2018 08:56
Fla-Flu

O artigo "OS NÚMEROS DO PRONTO ATENDIMENTO DO HOSPITAL DE GASPAR "MELHORAM" COM A TROCA DE MÉDICOS QUE ESTAVAM LÁ HÁ 15 ANOS", que escrevi, mereceu alguns comentários no link do facebook.

Está claro:

1. Que a prefeitura falha na comunicação sobre este e quase todos os assuntos estratégicos para o governo.

2. Que há uma disputa corporativa entre o novo e o velho.

3. E que esta disputa não considera os verdadeiros afetados, a população doente, dependente da rede pública, ou necessitada de diagnósticos na área de saúde
Herculano
03/07/2018 07:41
da série: o reflexo da irresponsabilidade coletiva de gente radical de direita comandada por intervencionistas que defendem vergonhosamente à volta da ditadura dos militares ou até a eleição do ex-capitão do exército, Jair Bolsonaro, PSL. Os caminhoneiros autônomos que ganham mal e continuam a ganhar mal foram usados por poderosas empresas de transportes e políticos sem caráter. Os caminhoneiros autônomos representam apenas 30 por cento da movimentação de frete, e desse total, 70% deles, estão cativos e explorados em grandes empresas transportadoras, que os terceirizam apenas para não pagar os direitos trabalhistas.

CAMINHONEIROS E COPA PESAM SOBRE VENDAS DE SHOPPINGS NO 2º TRIMESTRE

Fluxo de visitantes caiu 2,3% em maio sobre um ano atrás, diz Abrasce

Os shoppings brasileiros devem colher resultados mais fracos no segundo trimestre deste ano sobre igual período de 2017, com uma combinação de eventos que inclui a paralisação dos caminhoneiros e a Copa do Mundo de futebol se somando ao ritmo mais lento que o esperado da recuperação econômica do país.

Dados mais recentes divulgados pela Abrasce (Associação Brasileira de Shopping Centers) mostram que o fluxo de visitantes nos mais de 570 empreendimentos do país caiu 2,3% em maio sobre um ano atrás, interrompendo uma sequência de altas desde o começo deste ano em decorrência da paralisação de 11 dias dos caminhoneiros.

"A tendência é um segundo trimestre mais negativo", disse Gustavo Cambauva, analista do BTG Pactual. Ele destacou também que, diferentemente de 2017, a Páscoa, uma das datas mais importantes para o varejo, neste ano não caiu em abril, enquanto maio foi afetado pelo movimento de caminhoneiros e junho pela Copa do Mundo.

Somente na última quarta-feira (27), a maioria das lojas em shoppings da Multiplan e do Iguatemi na região da Vila Olímpia, em São Paulo, fecharam depois do almoço para o jogo do Brasil contra a Sérvia pela Copa do Mundo, às 15h.

O faturamento do varejo brasileiro acumulou queda média de 25% nos três dias de jogos da seleção brasileira, de acordo com um levantamento divulgado na sexta-feira pela empresa de meios de pagamento Cielo.

"Somado a esses fatores, o clima também não ajudou. Esse ano, tivemos temperaturas mais altas no outono/inverno, prejudicando as vendas de vestuário de inverno que possuem um ticket [preço] mais alto", completou Cambauva.

Representantes das principais administradoras de shopping centers do país já alertavam em teleconferências dos resultados do primeiro trimestre sobre os desafios que o setor teria no decorrer de 2018.

No fim de abril, o vice-presidente financeiro da Multiplan, Armando d'Almeida Neto, destacou as distrações com a Copa do Mundo e as incertezas com o cenário eleitoral entre os obstáculos do segundo trimestre. Já o presidente-executivo da BRMalls, Ruy Kameyama, advertiu que fatores sazonais poderiam interferir no indicador de vendas em mesmas lojas do período.

A Abrasce espera que o faturamento do setor entre abril e junho cresça menos que os 4,3% apurados no primeiro trimestre. "Eu ainda não apostaria em retração apesar desses impactos no fluxo [de consumidores], e sim em um crescimento mais próximo de 3%", disse o presidente da entidade, Glauco Humai.

De acordo com dele, o aumento das vendas no Dia das Mães (+6%) em maio, e no Dia dos Namorados (+5%) em junho, deve ajudar a minimizar os efeitos negativos da paralisação dos caminhoneiros e da Copa do Mundo.

Para Cambauva, do BTG Pactual, o terceiro trimestre também deve ser difícil na comparação com 2017, quando o setor varejista se beneficiou dos saques das contas inativas do FGTS, uma medida que injetou um total de R$ 44 bilhões na economia do país.

Em antecipação ao provável desempenho aquém do inicialmente esperado, as ações de operadores de shopping centers do país amargaram queda de dois dígitos entre abril e junho. Iguatemi caiu quase 20% no segundo trimestre, enquanto Multiplan perdeu 16,2% e BRMalls teve baixa de cerca de 17%. O Ibovespa recuou neste mesmo intervalo aproximadamente 15%.

"O terceiro trimestre ainda vai ser amarrado e o quarto tende a melhorar, dependendo do candidato eleito", concordou o presidente da Abrasce.

Apesar da fraqueza no primeiro semestre, a entidade ainda não planeja revisar a projeção de alta de 6% a 6,5% no faturamento dos shoppings do país em 2018. No ano passado, o setor cresceu 6,2%, para R$ 167,75 bilhões.

O segundo semestre é normalmente melhor para os shoppings que o primeiro, mas as incertezas desencadeadas pelas eleições em outubro devem influenciar o comportamento dos lojistas e dos consumidores, explicou um analista do setor que preferiu não se identificar.

"A base do ano passado é certamente mais forte e a confiança também piorou um pouco... Lojistas podem esperar para promover maiores ações de marketing, então a aposta maior [de crescimento] será o quarto trimestre mesmo", disse Cambauva.

INDÚSTRIA
A paralisação dos caminhoneiros no final de maio afetou também a entrega de insumos à indústria brasileira e prejudicou a produção e o número de pedidos, levando o setor a registrar contração em junho pela primeira vez em 15 meses, mostrou a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) divulgada nesta segunda-feira.

O IHS Markit informou que o PMI da indústria brasileira recuou a 49,8 em junho de 50,7 em maio, na primeira vez em que vai abaixo da marca de 50 que separa crescimento de contração desde março de 2017.

A produção industrial apresentou queda e interrompeu em junho uma série de 15 meses de crescimento, com recuo na quantidade de novos trabalhos e escassez de insumos.

Os pedidos recebidos diminuíram pela primeira vez desde fevereiro de 2017, com a demanda afetada pelos protestos dos caminhoneiros, que bloquearam estradas em todo o país no final de maio, prejudicando o abastecimento de combustíveis, alimentos e outros insumos.

Por outro lado, a demanda externa melhorou, com as novas vendas para exportação crescendo no ritmo mais rápido desde novembro em sintonia com a desvalorização do real ante o dólar.

Entretanto, a escassez de alguns itens e a demanda forte por eles levaram os fornecedores a elevar os preços, e assim a inflação dos custos dos insumos atingiu em junho o segundo nível mais alto nos 12 anos da série do PMI.

A carga adicional de custos foi repassada aos clientes, e a taxa de inflação dos preços dos produtos finais foi em junho a mais forte desde fevereiro de 2016.

Os empresários da indústria voltaram a demitir funcionários no mês passado buscando reduzir custos, encerrando oito meses seguidos de crescimento de emprego no setor.

O cenário provocou recuo do grau de otimismo na indústria para um recorde de baixa de oito meses, embora os produtores ainda prevejam crescimento da produção nos próximos 12 meses, de acordo com o IHS Markit.
Herculano
03/07/2018 07:29
FIM DO IMPOSTO SINDICAL CAUSARÁ A DEMISSÃO DE ATÉ 100 MIL SINDICALISTAS, por Marcelo Faria, do Institulo Liberal de São Paulo

A extinção do imposto sindical trazida pela reforma trabalhista pode levar à demissão de até 100 mil sindicalistas de acordo com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), ligado à Central Única dos Trabalhadores (CUT).

A estrutura sindical brasileira possui cerca de 300 mil sindicalistas, sendo 115 mil funcionários diretos e 185 mil terceirizados. Os cortes devem ser diluídos nos próximos meses, mas já começaram.

O próprio Dieese espera um orçamento: no máximo R$ 30 milhões em 2018 e R$ 20 milhões em 2019 contra os R$ 45 milhões de 2017. O Sindicato dos Comerciários de São Paulo, que tinha 600 empregados, demitiu 67 por meio de PDV (Plano de Demissão Voluntária) e mais 35 diretamente. O Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil de São Paulo (Sintracon-SP) tinha 230 funcionários no início do ano e já demitiu 72.

As principais centrais também sentem o fim do dinheiro tomado a força dos trabalhadores. A Central Única dos Trabalhadores (CUT) organiza um PDV e a União Geral dos Trabalhadores (UGT) demitiu funcionários e vai para uma sede menor.
Herculano
03/07/2018 07:23
CARREIRAS DEMAIS, editorial do jornal Folha de S. Paulo

Vai na direção correta o plano oficial para rever a estrutura da máquina governamental

Tem razão o ministro do Planejamento, Esteves Colnago, quando afirma que a reforma administrativa do Estado é tão necessária quanto a da Previdência para controlar as despesas federais.

Na ausência de ambas, a União em breve se converterá em mera administradora de folhas de salários e aposentadorias, sem capacidade de investir. Gastos obrigatórios, encabeçados por aqueles com pessoal e benefícios, já absorvem cerca de 80% do Orçamento (excluídos os encargos da dívida).

Nos governos estaduais e municipais, o quadro muitas vezes se mostra ainda pior, como evidenciam os exemplos de salários atrasados e colapso dos serviços.

Se propostas genéricas de redução dos dispêndios públicos encontram apoio mais geral na sociedade, o cenário se altera quando se detalham as medidas necessárias.

Não surpreende que assim aconteça. Entre os grupos de interesse mais poderosos e vocais estão justamente as corporações do funcionalismo, cuja influência se faz notar em administrações de diferentes partidos e ideologias.

Desde a gestão petista, pródiga em contratações e reajustes salariais para agradar a sua base sindical, até o fraco governo Michel Temer (MDB), que majorou vencimentos de forma irresponsável na tentativa de comprar sua sustentação política, o fato é que os custos da alta burocracia nacional vão se tornando inviáveis.

A estabilidade no emprego, ampla em demasia, constitui obstáculo às tentativas de impor critérios de eficiência à gestão. A garantia se justifica apenas em casos de categorias típicas de Estado, como proteção contra ingerências espúrias.

Os elevados salários iniciais destoam dos adotados na iniciativa privada. Com regras de progressão desvinculadas do mérito e de avaliação de qualidade na entrega de serviços para a população, a máquina governamental fica cada vez menos administrável.

Vai na direção correta, portanto, o plano oficial para rever essa estrutura. As mudanças sugeridas, que ficarão para o próximo governo, incluem reduzir o número de carreiras ?"são mais de 300?" e facilitar a cessão de servidores entre os órgãos, além de maior alinhamento com o que se paga no mercado.

Cerca de 40% da renda nacional transita pelo setor público, que precisa entregar o seu quinhão em termos de produtividade. Não se trata de um conceito abstrato ou financista, como querem os interessados em manter o statu quo; o que está em jogo é viabilizar o avanço em áreas vitais como saúde, educação e segurança.
Herculano
03/07/2018 07:21
Do promotor federal Deltan Delanhol, no twitter

Dirceu foi preso p/ cumprir pena qd vigiam cautelares (como tornozeleira) Em seguida, 2ª Turma suspendeu pena contra decisão do STF q permite prisão em 2ª instância Naturalmente, cautelares voltavam a valer Agora, Toffoli cancela cautelares de seu ex-chefe
Herculano
03/07/2018 07:18
De Artur, do Mamãe Falei, no Twitter

No dia que o Brasil ganha do México e todo mundo se distrai com o tornozelo do @neymarjr, o Toffoli tira a tornozeleira do seu ex patrão José Dirceu.

Qual tornozelo é mais importante pro Brasil?
Herculano
03/07/2018 07:10
TOFFOLI TIRA TORNOZELEIRA DE DIRCEU

Dias Toffoli derrubou a decisão de Sergio Moro que impôs ao ex-ministro José Dirceu o uso de tornozeleira eletrônica, após ser libertado pela Segunda Turma.

Na sexta-feira, Moro determinou que Dirceu fosse a Curitiba para a colocação do mecanismo.

Mas Toffoli, ex-assessor do próprio condenado, disse que a decisão da Segundona "em nenhum momento restabeleceu a prisão provisória, tratando-se de prisão-pena, a qual foi suspensa para assegurar a liberdade plena".

O ministro do Supremo também cassou outras medidas cautelares impostas pelo juiz da 13a Vara Federal, como a proibição de deixar o país e de se comunicar com outros acusados ou testemunhas.
Herculano
03/07/2018 07:08
JORNAL AMERICANO CRITICA NEYMAR: "MERGULHADOR, FARSANTE, SIMULADOR E ATOR"

'USA Today' publicou um artigo intitulado: 'Por todo seu talento, Neymar é uma vergonha para o futebol'

Conteúdo do jornal O Estado de S. Paulo com as agências internacionais. A classificação do Brasil para as quartas de final da Copa do Mundo da Rússia não foi o suficiente para ofuscar as recentes críticas da imprensa internacional direcionadas ao craque Neymar. Nesta segunda-feira, o jornal americano USA Today publicou um artigo intitulado: "Por todo seu talento, Neymar é uma vergonha para o futebol".

O artigo assinado pelo jornalista Martin Rogers ressalta as habilidades do camisa 10 da seleção brasileira, mas condena suas ações dentro de campo. "Neymar é o jogador mais caro da história do futebol, um dos melhores jogadores do mundo, um herói nacional, um ícone cultural, um potencial campeão da Copa do Mundo e um absoluto constrangimento", diz a publicação.

"Você pode terminar cada afirmação sobre o superstar brasileiro com um gigante "MAS". Ele é apenas um farsante, um mergulhador, um simulador, um ator de teatro ou qualquer outra palavra que o futebol usa para encobrir o fato de que alguém está tentando trapacear e descaradamente trapacear ao convencer o árbitro a punir um oponente", acrescentou.

O texto ressalta as ações de Neymar durante os jogos da Copa do Mundo dando destaque para a atuação do jogador na partida contra o México. "Foi um momento cômico. Faltando 20 minutos para o final, o mexicano Miguel Layun, cansado de Neymar, moveu-se em direção ao atacante, de bruços, e colocou o pé em cima do brasileiro, logo acima do tornozelo".

"Era o tipo de toque que carregava a força de um pepino colocado na canela de alguém. O mau hálito causou mais danos. No entanto, havia Neymar, levando uma fração de segundo para perceber sua oportunidade, desencadear o grito agora famoso, em seguida, contorções dignas de Hollywood", completou.
Herculano
03/07/2018 06:57
QUASE 65% AINDA NÃO TÊM CANDIDATO A PRESIDENTE, por Cláudio Humberto, na coluna que publicou hoje nos jornais brasileiros

Levantamento da coluna junto às pesquisas realizadas no primeiro semestre, em todo o País, mostra que 64,5% dos eleitores não se sentem representados por qualquer um dos 28 pré-candidatos a presidente, até agora lançados. Isto porque 39,5% ainda esperam por um novo nome para definir seu voto e cerca de 25% dos eleitores já definiram que vão mesmo votar nulo para presidente, em outubro.

LONGE DO PERCENTUAL REAL
A intenção de voto para presidente, apurada em pesquisa, reflete apenas o percentual do candidato sobre os 35% dos votos já definidos.

CANDIDATURAS LIMITADAS
A soma dos votos em Jair Bolsonaro (PSL), Marina Silva (Rede) e Ciro Gomes (PDT), nas pesquisas, está longe do total de votos indefinidos.

PERDIDOS E DESORIENTADOS
A indefinição tem deixado os partidos atordoados. Alguns como PT, MDB e PSDB, têm mais de um nome cogitado para presidente.

CHANCE DE OURO
Com Lula ficha suja e preso, a pulverização de candidaturas pode propiciar que um candidato dispute o 2º turno com resultado baixo.

ATÉ REFINARIA QUER SE LIVRAR DOS ATRAVESSADORES
Ganhou um aliado inesperado a luta dos produtores de etanol para se livrar dos distribuidores, que atuam como atravessadores para aumentar o preço final dos combustíveis: a Refit, nova marca da Refinaria de Manguinhos, iniciou campanha em favor da concorrência, defendendo a venda direta de etanol aos postos, para reduzir o preço final, e também para defender a venda direta de gasolina aos postos.

DIFERENÇA NO BOLSO
"Imagina se os postos pudessem comprar gasolina direto da refinaria", exorta o anúncio da Refit. "A diferença você sentiria no bolso", conclui.

RESOLUÇÃO SUSPEITA
A proibição de venda direta de etanol foi obtida pelo poderoso lobby de distribuidoras junto à Agência Nacional do Petróleo (ANP).

CARTEL NÃO PODE
O Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), do Ministério da Justiça, avalia a atuação cartelizada de distribuidoras.

MEDO DA CONCORRÊNCIA
Única e Plural, entidades controlada por distribuidores de combustíveis, têm muito medo da concorrência com a venda direta de etanol ou gasolina. Pressionam o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, a não colocar em votação projetos que inauguram a concorrência no setor.

ERA FAKE NEWS
Já passou da hora daquele pedido público de desculpas dos institutos de pesquisa que "constataram", sem margem de erro, o suposto "desinteresse" da maioria dos brasileiros pela Copa do Mundo.

A VEZ DE LULA
Certa vez, Dilma disse ter torcido pelo Brasil em 1970, mesmo presa pela ditadura. Preso por corrupção em plena democracia, Lula não apenas torce, como pode assistir aos jogos da Copa de sua cela.

NINGUÉM TASCA
Dono do Partido Verde há anos, Luiz Penna ignora completamente as pré-candidaturas a presidente e a vice dos filiados Celso Nonato e Hercules Goes. Nem as submete ao diretório do PV, se é que existe.

MEDO DO HUCK
Ex-presidente do Banco Central, Armínio Fraga disse ter redigido plano de governo por medo de Luciano Huck se tornar presidente. "Eu pensei: vai que Luciano Huck se candidata e vai que ele se elege", diz.

AÉREAS ABUSIVAS
Os abusos das empresas aéreas não têm limite. Cobram até R$300 dos clientes incautos, mas, já na sala de embarque, convidam os passageiros a despachar mala de mão sem custos. Quem a despachou no check-in (e pagou), pagando caro, fica com cara de tacho.

OS INSACIÁVEIS
Com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) garantindo o abuso geral, a voadeira Gol achou uma nova forma de explorar o cliente: cobra R$10 por assento no corredor ou na janela, em qualquer fila.

MURO DE EMPREGOS
Eleito presidente, Andrés Manuel López Obrador disse ter explicado ao homólogo dos EUA, Donald Trump, que acordo para gerar empregos no México reduzirá a emigração. E a necessidade de muro, faltou dizer.

PENSANDO BEM...
...mexicanos podem mais uma vez dizer que jogaram como nunca e perderam como sempre.
Herculano
03/07/2018 06:50
da série: o crime dos políticos que dizem nos representar e principalmente das corporações de funcionários públicos privilegiados - altos vencimentos e aposentadorias precoces - fazem egoisticamente contra o futuro dos mais pobres e delas próprias. Na Câmara de Gaspar, por exemplo, políticos do PT, PDT e PSD, perturbadoramente, afirmam que é mentira que falte dinheiro para se aposentar. Eles estão distantes da realidade dos 63% dos trabalhadores que só conseguem se aposentar aos 66 anos, com apenas um salário mínimo e que por conta das milionárias aposentadorias dos seus protegidos, terão essa indecente migalha ameaçada no futuro

FUTURO INCERTO, editorial do jornal Folha de S. Paulo

Estudo aponta o Brasil como um dos países mais imprevidentes do mundo.

O Brasil é um dos países que menos poupam no mundo, mostra um novo estudo publicado pelo Banco Mundial. Um de cada três brasileiros diz ter feito alguma economia no ano passado, mas somente 11% reforçaram suas reservas pensando no longo prazo, para permitir uma velhice menos insegura.

No mundo desenvolvido, 71% dos adultos guardaram dinheiro com esse objetivo, diz o relatório. Entretanto até nações menos avançadas poupam mais do que o Brasil, cuja taxa aparece abaixo da média dos emergentes, de 16%.

Parte da explicação está na generosidade do sistema previdenciário nacional. Para muitos trabalhadores pobres, o piso equivalente a um salário mínimo representa a garantia de que manterão o padrão de consumo na aposentadoria, ou até mesmo a possibilidade de alcançar renda mais elevada.

Mesmo quem recebe acima disso na ativa consegue preservar parcela significativa dos seus ganhos ao deixar o mercado, o que desestimula a formação de reservas.

Embora a maioria dos brasileiros se comporte de forma imprevidente, a disposição dos que poupam parece ter resistido à crise econômica. Especialistas suspeitam que a recessão pode até ter levado muitos a guardar, com medo do futuro.

É possível que as transformações em curso no emprego tenham efeito semelhante. A maior parte das pessoas que encontraram ocupação nos últimos anos teve que aceitar trabalho sem registro em carteira profissional ou abrir negócio próprio para ganhar a vida.

Sem contar com a proteção garantida pelo sistema oficial de seguridade, muitos poderão se sentir encorajados a separar fatias maiores da sua renda para reduzir riscos durante a velhice.

Nesse sentido, o comportamento presente das famílias brasileiras representa uma oportunidade. O próximo governo terá a obrigação de fazer algo para equilibrar as contas da Previdência Social e poderá encontrar aí parte da solução.

Medidas de estímulo à poupança individual poderiam atenuar os efeitos mais drásticos do ajuste, reduzir pressões sobre os cofres públicos e, ao mesmo tempo, diversificar fontes de financiamento disponíveis para a atividade econômica.

As alíquotas de tributos podem ser manejadas com essa finalidade. Outra hipótese seria aperfeiçoar o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para dar aos trabalhadores maior controle sobre o dinheiro depositado.

Uma discussão séria na campanha eleitoral obrigaria os presidenciáveis a oferecer ideias consistentes sobre o tema. Alguns têm falado em criar um sistema de capitalização, com contas individuais. Mas nenhum deles esclareceu ainda como pretende financiar as aposentadorias do velho regime na transição para o novo modelo
Herculano
02/07/2018 17:47
De Luiz Felipe Pondé, filósofo, no Twitter

Uma das formas mais cínicas de ser um professor ruim é sê-lo em nome de um mundo melhor. Você pode passar a vida inteira sendo esse professor ruim e enrolar todo mundo. Para isso, basta dizer que "acredita na educação para formar cidadãos do futuro".
Herculano
02/07/2018 17:42
GILMAR DISPUTA COM LULA O PRÊMIO DE VILÃO MAIS REPULSIVO, por Augusto Nunes, de Veja

Ou Lula é vítima da mais vasta conspiração da história ou é protagonista da maior farsa de todos os tempos

Os desdobramentos do caso Lula dirão qual das duas hipóteses é a correta:

Primeira: Lula é inocente e foi engaiolado por motivos políticos. Nesse caso, está em curso uma gigantesca conspiração - articulada pela elite golpista, naturalmente, em parceria com a imprensa ultradireitista. A conjura reúne juízes de todas as instâncias, incontáveis integrantes do Ministério Público e da Polícia Federal, empreiteiros que ganharam bilhões de dólares nos governos do PT e dezenas de antigos parceiros de Lula que resolveram trai-lo com delações premiadas repletas de acusações falsas e bandalheiras que só ocorreram na cabeça dos que se dispuseram a contar a verdade.

Segunda hipótese: Lula efetivamente fez o que as investigações da Lava Jato já provaram que fez. Nesse caso, está em curso uma farsa protagonizada por um ex-presidente corrupto, que movimenta um elenco de coadjuvantes composto por ladrões fantasiados de políticos, advogados com doutorado em chicana, comparsas fantasiados de ministros do Supremo e outras ramificações da grande família dos fora-da-lei.

O Brasil decente endossa a segunda hipótese. Só não sabe quem é, neste momento, o mais repulsivo dos vilões em cena: Lula ou Gilmar Mendes?
Herculano
02/07/2018 17:40
AQUI NÃO, por José Mentor, na revista Isto é

Em qualquer lugar do planeta, você lê os jornais e as revistas e entende o que está acontecendo.

Sente-se parte de um todo.

Compreende que o país caminha de acordo com um mínimo de bom senso, mesmo que você não concorde com tudo o que é decidido nas esferas do poder.

Aqui não.

Aqui cada dia é uma surpresa.

Seja Executivo, Legislativo ou Judiciário, aqui acontecem coisas que desafiam qualquer lógica ou bom senso.

Aí tem gente que não aguenta e bate panelas, resmunga, grita e quer ir às ruas.

Quer derrubar o governo.

Quer invadir o Congresso.

Quer derrubar ministros e juízes.

Quer soltar presidente preso.

Ou ainda quer militares nas ruas - que é outra coisa que não dá para entender.

São todos uns ingênuos.

Já deveriam ter entendido que esse é o país do Aqui Não.

Porque tudo que é Assim no resto do mundo, Aqui Não.

Vou pegar um exemplo dessa semana:

Em qualquer lugar do planeta, um sujeito condenado a uma pena de 30 anos fica preso.

Aqui não.

Aqui os ministros Toffoli, Gilmar Mendes e Lewandowski decidiram soltar José Dirceu.

E olha que não é coisa pouca o que o levou em cana.

Os recursos de Dirceu no Tribunal Regional Federal da 4ª Região já haviam se esgotado.

Dirceu começou a cumprir sua pena em 18 de maio, na prisão em que deveria ficar pelas próximas três décadas.

Uma, pelo menos, com bom comportamento.

Em qualquer lugar do planeta, uma decisão tomada após tantas instâncias, que consumiu tanto dinheiro de impostos, deve ser respeitada e ?" caso seja alterada ?" precisa de muita discussão.

Aqui não.

Aqui um processo que levou anos, envolveu dezenas de profissionais, infinitos recursos, em apenas uma tarde, por decisão de três ministros do STF, virou pó.

Puf!

Toffoli alegou um problema de "dosimetria".

Para o ministro, imagino, 30 anos é muita coisa para alguém que surrupiou os cofres públicos por atacado, como ficou provado nesse caso.

Em qualquer lugar do planeta, seria lógico pensar que, se um Ministro da Suprema Corte considera 30 anos muito tempo para um canalha qualquer ficar atrás das grades, talvez imagine que o mais justo seriam 20 anos.

Ou quem sabe 15 anos?

Aqui não.

Aqui os 30 anos de Zé Dirceu se transformaram em três meses.

Pode ir para casa, Zé.

Ok!

Talvez eu esteja sendo leviano.

Não foi exatamente isso o que aconteceu.

Foi pior.

Ocorre que a Segunda Turma do STF, além do trio ternura, ainda conta com os votos de Edson Fachin e Celso de Mello. Esse último não estava presente e o penúltimo pediu vista ao processo.

Ou seja, Fachin pediu mais tempo para analisar e entender a mágica que justifica que um condenado a 30 anos saia livre depois de três meses.

Em qualquer lugar do planeta, seria razoável pensar que se um ministro pede vista num caso esquisito como esse, a situação deveria ficar como está, o presidiário condenado continuaria ali mesmo, preso, até que todos os ministros tivessem votado.

Aqui não.

Aqui o Ministro Toffoli, enquanto espera que Fachin veja lá tudo que pediu para ver, decidiu votar um habeas corpus para que Zé Dirceu pudesse sair da cadeia logo, antes do recesso do Judiciário.

Recesso do Judiciário?

Isso.

Em qualquer lugar do mundo, a Justiça precisa trabalhar ininterruptamente.

No nosso caso, com o Judiciário empilhado de processos se movendo numa lentidão comparável à Era Glacial, pareceria razoável imaginar que o trabalho fosse dobrado.

Mas aqui não.
Eldo Schmitt
02/07/2018 15:16
Sr. Michel

Povo rico e privilegiado é o brasileiro com Temer , PSDB e PR.
Miguel José Teixeira
02/07/2018 13:13
Senhores,

Pobre Povo Mexicano: entrou pelo cano!

Já começaram a colher o que plantaram ontem: decepção, frustração, derrota e o que a esquerda mais gosta: corrupção!!!
LEO
02/07/2018 12:45
hoje dia 02/07 fui até o posto de saúde do bairro,mais uma vez fui informado que a cota de exames tinha acabado.pedi para marcar uma consulta outra vez me informaram que tinha que voltar no dia 09/07 para marcar consulta,e tinha que ir cedo porque logo acabava as vagas.vou ter que ir de madrugada,ficar no frio e para conseguir uma consulta..gostaria de pedir para que os vereadores verifiquem esta situação.muda o partido ,muda o nome do secretario de saúde e nada.a saúde de Gaspar tem um slogan antigo. GASPAR MAIS ENROLAÇÃO
Herculano
02/07/2018 11:54
da série: esses parlamentares dizem representar e defender o povo, só se for os que passam a perna no povo. Outubro é logo ali. Não perca a peleja, não reeleja.

UM CONTRATO, DOIS PESOS E DUAS MEDIDAS, por Márcia Dressen, planejadora financeira, no jornal Folha de S. Paulo

A prevalecer a vontade dos deputados, aumenta o risco de comprar imóvel na planta

Comprar um imóvel na planta já era um negócio arriscado, mas o risco pode aumentar muito se for aprovado pelo Senado e sancionado pelo presidente da República o projeto de lei recém-apreciado pela Câmara dos Deputados sobre as condições de distrato da aquisição de imóveis em construção.

Simplificando bastante, vou transmitir os principais aspectos desse imbróglio, sob a ótica do comprador, parte mais fraca dessa balança desiquilibrada.

Carlos e Beth estão casados há cinco anos. Moram de aluguel em uma casa pequena, em um bairro distante do trabalho, nem de longe a casa em que gostariam de morar, mas a que é possível pagar.

Conseguiram economizar dinheiro suficiente para o passo mais importante da vida deles, comprar o sonhado apartamento, com entrada inicial de R$ 100 mil.

Decidiram comprar um imóvel na planta em um empreendimento que está sendo lançado no bairro de preferência do casal. A incorporadora, uma empresa conhecida, responsável por diversos empreendimentos bem-sucedidos no mercado imobiliário, promete construir e entregar o imóvel conforme contrato.

Se forem obrigados a desistir da compra, as regras atuais garantem ao casal uma multa entre zero e 20% do valor pago à incorporadora. Segundo o projeto de lei em tramitação, a multa passa a ser de 50% --isso mesmo, metade de toda a poupança acumulada durante anos. A incorporadora continua com a unidade e pode vendê-la para outro comprador.

Em outro contexto, o casal segue honrando o fluxo de pagamentos previsto em contrato, ansioso pela entrega do imóvel que finalmente o livrará do aluguel. Mas a incorporadora atrasa a entrega do imóvel em 180 dias, gerando despesa e frustração para o comprador. O que acontece com a incorporadora? Nada.

A empresa pode atrasar a entrega, mas o comprador não pode parar de pagar as parcelas, sob pena de perder o direito de ser indenizado se o atraso superar 180 dias. Ah, mas o que são seis meses ou mais de aluguel?...

A quem interessa as medidas que os governantes estão prestes a aprovar? Ao mercado imobiliário? Não creio. Ao consumidor? Definitivamente não. Argumentam que regras mais claras aumentam a segurança jurídica nas relações entre as partes, mas o que foi feito da equidade de direitos entre as partes? A balança pende exatamente para o lado mais forte, deixando o consumidor em situação vulnerável.

A prevalecer esse entendimento, aos consumidores recomendo evitar a aquisição de imóveis na planta. É questionável a ideia de se tratar de uma opção mais barata do que comprar um imóvel pronto. Os riscos, e os custos deles decorrentes, podem resultar em valor de aquisição superior ao estimado.

Não deixem o emocional prevalecer sobre o racional. O ato de assinar o contrato de aquisição da casa própria concretiza a realização de um sonho acalentado durante anos, e o comprador, inebriado, pode deixar a emoção turvar a percepção e a análise dos riscos envolvidos.

Avalie a possibilidade de sair mais cedo do aluguel, ou da casa dos pais, e comprar um imóvel pronto, com financiamento imobiliário concedido por uma instituição financeira.

Dúvida em relação ao recebimento do imóvel? Nenhuma, ele está disponível, você já tem a posse e a propriedade dele, receberá a chave quando assinar o contrato de financiamento. E são grandes as chances de encontrar um bom negócio.

O mercado está abarrotado de unidades prontas, esperando por uma proposta interessante, a sua.
Herculano
02/07/2018 11:49
da série: o dinheiro que está na corrupção validada pelo Judiciário deveria sair do seu próprio orçamento

O MILITANTE RICARDO LAWANDOWSKI

Conteúdo de O Antagonista, Em editorial, o Estadão definiu precisamente a decisão de Ricardo Lewandowski de conceder liminar e suspender processos de privatização: é uma atitude de militância política?

"Proferida numa ação proposta pelo governo de Alagoas contra a União, a primeira liminar retira a empresa Companhia Energética do Estado de Alagoas (Ceal) do leilão de privatização de distribuidoras da Eletrobras, previsto para o próximo dia 26 de julho. De acordo com o edital de venda, a Ceal tem patrimônio líquido negativo de R$ 573,8 milhões, endividamento de R$ 1,46 bilhão e prejuízo acumulado nos últimos cinco anos de R$ 923,6 milhões. Diante dessa situação financeira periclitante, a União decidiu licitá-la pelo valor simbólico de R$ 50 mil. O governo de Alagoas alega, no entanto, que teria direito a receber R$ 4 bilhões pela venda da Ceal.

Apesar do irrealismo do pedido, o ministro Lewandowski concedeu a liminar, numa decisão que, além de acrescentar incertezas a um processo de privatização absolutamente necessário, obriga o contribuinte a continuar custeando dívidas bilionárias de estatais mal administradas."

A liminar que mela a privatizado da Eletrobrás que abre caminho para desvarios de todos os tipos contra os interesses do país.

Como diz uma fonte deste site: "A existência dessas estatais locais, como a de Alagoas, é uma aberração. Já roubaram bilhões através delas. Mais uma vez, o Judiciário pode estar sendo usado para ressuscitar carcaças de companhias aéreas, usinas falidas, títulos podres e por aí vai. Somando tudo, é um espanto na casa de 200 bilhões de reais".
Herculano
02/07/2018 10:56
SANTIDADE COMO INVASÃO DE DEUS, por Luiz Felipe Pondé, filósofo, no jornal Folha de S. Paulo

Não há santidade (humana, não divina) sem pecado. O santo é um especialista no mal

Santos não são santinhos. A série de Paolo Sorrentino "The Young Pope" com Jude Law no papel do hipotético papa Pio 13 é uma aula sobre santidade. O tema é meio fora de moda. Ou confundido com gente que parece muito bacana, com ideias bacanas. Do tipo que funda startups pra combater a desigualdade. Ou vota no PSOL.

A série vale a pena ser vista se você está a fim de ver um tratamento da santidade para além do marketing brega do bem que assola até mesmo a Igreja algumas vezes --além, é claro, do tratamento estético maravilhoso, típico de Sorrentino, autor da obra-prima "A Grande Beleza". Mas não vou dar spoiler.

Nos meus anos de dedicação à filosofia da religião na PUC-SP, a santidade foi um dois temas que mais me encantou ?"o outro foi a mística. Ainda me encantam, nos meus melhores momentos. Santos não são santinhos. A santidade numa pessoa não está enraizada no bem que a habita, mas nas suas mais profundas misérias.

Quem não se reconhece miserável não é capaz de perceber a misericórdia quando ela passa, com a suavidade da graça, pela sua vida. E, por consequência, jamais conhecerá Deus.

Sem pecado, não se enxerga Deus. Só os pecadores (e os neuróticos) verão Deus. Que Deus tenha misericórdia dos sem pecado. Dois escritores que entenderam muito bem a psicologia da santidade foram Fiódor Dostoiévski (1821-1881) e Georges Bernanos (1888-1948).

A santidade está enraizada na mais profunda miséria que constitui a natureza humana. Não há santidade (humana, não divina) sem pecado. O santo é um especialista no mal. A sua maior proximidade de Deus é, na verdade, assentada na sua absoluta consciência da enorme distância que existe entre ele e Deus. Quem se julga perto de Deus é porque está muito longe Dele.

Entre algumas das obras teológicas de mais peso sobre a santidade, uma, em especial, sempre me pareceu bastante consistente e, ao mesmo tempo, acessível. Infelizmente, devo confessar, sem tradução em português.

Publicada na Alemanha em 1970, "Schwestern im Geist: Therese von Lisieux und Elisabeth von Dijon", da editora Joahnnes Verlag, escrita pelo teólogo católico suíço-alemão Hans Urs Von Balthasar. Seguramente há tradução para o inglês, e talvez para o espanhol, francês ou italiano. Numa tradução livre, "Irmãs no Espírito: Thereza de Lisieux e Elisabeth de Dijon". Trata-se de um estudo acerca da santidade de duas santas francesas.

Segundo Von Balthasar, existem dois tipos básicos de santidade. Dito de forma breve, seriam os santos que brotam do chão do mundo e os santos que Deus lança sobre o mundo.

Os que brotam do solo do mundo surgem a partir do esforço pessoal da mulher ou do homem que anseia pela santidade. Através de um doloroso esforço (estamos longe aqui da ideia de que uma pessoa não possa tentar enfrentar o pecado com suas próprias forças), eles acabam por conseguir iluminar o mundo, em alguma medida, com as virtudes de Deus.

Eles acabarão por ser reconhecidos pela comunidade à sua volta, e Deus, diz Von Balthasar, os aceita como reconhecimento do esforço humano para se aproximar Dele e da Sua santidade. Esse "solo do mundo" é a comunidade humana na qual ele vive.

Nas palavras do teólogo, Deus se dobra diante de tal caminhada árdua em direção às virtudes divinas. Deus se comove com o embate que a pessoa leva a cabo em sua vida. O processo mesmo de "instalação" da santidade é conscientemente percebido pela pessoa em questão.

O segundo tipo de santidade, segundo Von Balthasar, é mais radical, mais dramático, mais sofrido e mais violento, de certa forma, porque se trata de uma invasão da vida da pessoa por Deus. Dito de forma direta: nada tem a ver com a escolha da pessoa em questão de buscar a santidade, não há um processo de tomada de consciência da "instalação" da santidade em paralelo ao esforço dela, como no primeiro caso, criando uma experiência mais gradual.

Neste caso, Deus escolhe a pessoa e pronto, não a avisa "previamente". Como consequência, sua vida, sua consciência, seus atos, seu corpo, tudo que lhe pertence, é tomado de assalto por Deus. Aos poucos, às custas de enorme resistência e dor, esse santo será levado a aceitar o fato que sua vida não mais lhe pertence. Esse é o tipo que sente o peso da mão de Deus sobre sua cabeça.

A intimidade com Deus é, muitas vezes, uma experiência devastadora e intrigante, mas sempre fascinante. Esse é o tipo de santidade descrito na série "The Young Pope".
Herculano
02/07/2018 10:54
ANAC FAZ VISTA GROSSA SOBRE AVIAÇÃO EXPERIMENTAL, por Cláudio Humberto, na coluna que publicou hoje nos jornais brasileiros

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) parece só ter olhos para beneficiar empresas aéreas: não revela qualquer preocupação com os acidentes envolvendo aeronaves "experimentais". São aeronaves fabricadas pelo dono ou compradas aos pedaços, no caso de "leves esportivas". O voo é por conta e risco. A Anac exige apenas sobrevoar áreas pouco povoadas e colocar placa no avião citando o risco.

ÍNDICE PREOCUPANTE
Uma associação de vítimas, Abravagex, contabilizou mais de 2.200 ocorrências envolvendo aviões amadores entre 2009 e 2015.

PROLIFERAÇÃO AMADORA
Nesses seis anos, o número de aeronaves experimentais subiu 43,6% e correspondem a um em cada quatro aviões registrados na Anac.

MENOS MAL
A Anac informa haver criado normas técnicas para aeronaves. Já sobre aviões montados em garagens, fica tudo como está: cada um por si.

CAUSA E EFEITO
Para a Abravagex, os acidentes fatais decorrem da falta de regulamentação para "favorecer interesses econômicos privados".

ENTERRO DO IMPOSTO SINDICAL É DERROTA DO ATRASO
O sepultamento do imposto obrigatório no Supremo Tribunal Federal é vitória do trabalhador contra oportunistas que fizeram da sindicalização um lucrativo negócio, que fez surgir no País as atuais 17.289 entidades criadas para se habilitar ao "bolo" anual de R$3,5 bilhões. Dinheiro mais fácil não há, e sem qualquer obrigação de prestar contas. Com isso, o Brasil concentra hoje 91% dos sindicatos existentes no planeta.

ACORDO PAGO?
As entidades alegaram que o fim do imposto compromete a negociação dos acordos coletivos. Como se precisassem de algo além de diálogo.

VENDE-SE
Investigadores descobriram as negociatas envolvendo cartas sindicais. Cada uma era negociada no "mercado" entre R$200 mil e R$4 milhões.

CAIXA-PRETA
Foi Lula, preso por corrupção e lavagem de dinheiro, quem vetou a lei estabelecendo a obrigação de os sindicatos prestarem contas ao TCU.

DINHEIRO PELO LADRÃO
As distribuidoras de combustíveis ganham tanto dinheiro, com seus privilégios no Brasil, que a suíça Glencore, gigante mundial, maior que a Vale, comprou a ALE, principal empresa do setor. Eles mantêm os valores em segredo. Certamente para não provocar perplexidade.

VISITA ILUSTRE
O vice primeiro-ministro do Vietnã, Vuong Dinh Hue, será recebido com pompa, nesta segunda (2), com direito a audiência com o presidente Michel Temer, assinatura de atos e coquetel no Palácio Itamaraty.

VIETNÃ BOMBANDO
O comércio do Brasil com o Vietnã cresceu tanto que hoje é maior do que os negócios com o Peru, por exemplo: de US$29 milhões em 2001 pulou em 2017 para seu melhor resultado histórico: US$3,9 bilhões. O Brasil é o principal parceiro comercial do Vietnã na América Latina.

INCOERÊNCIA, PARENTE
Na BRF, dona da Sadia e Perdigão, Pedro Parente pôs à venda três operações do grupo no exterior. Ora, ora. Poderia ter elevado o preço do frango "segundo a cotação internacional" como fez com a gasolina...

UNB ESPECULA
A Universidade de Brasília choraminga falta de recursos, mas não utiliza seu rico patrimônio para financiar as próprias atividades. A UnB especula com quadras inteiras no Plano Piloto, área mais valorizada da cidade. No total, a universidade acumula 1747 imóveis em Brasília.

FLAGRANTE DE ABSURDO
Servidora do governo do Pará foi à Copa com o marido, presidente da Federação de Futebol, e deixou o ponto assinado para os dias de ausência. A última assinatura é datada de sexta passada, 29. Nesta segunda (2), de volta, ela terá um reencontro com a realidade.

COMO FOI O CASO
Falam mal do ministro Gilmar Mendes, mas ele arquivou inquérito contra Aécio Neves a pedido da Polícia Federal, depois de haver prorrogado as investigações e aguardar dois meses a análise da PGR.

POR ALTERNATIVAS
A semana de trabalho no Congresso começa nesta terça com reunião, às 09h30, da comissão de deputados e senadores que analisa medida provisória que institui um mico: a tabela do frete de cargas.

PENSANDO BEM...
...entre feijoada e taco, cachaça e tequila ou sambistas e mariachis, quem ganha é a festa.
Herculano
02/07/2018 10:50
A DIREITA DESENVERGONHADA: VERDADES PRIVADAS, MENTIRAS PÚBLICAS, por Marcus André Melo, professor de sociologia na Universidade Federal de Pernambuco, para o jornal Folha de S. Paulo

"Direita envergonhada" ("abashed right", no original) foi a expressão utilizada pelo cientista político Timothy Power, da Universidade Oxford, para referir-se ao paradoxo de os políticos brasileiros ?"que em outros países se auto definiriam como de direita?" recusarem essa qualificação.

Duas décadas após a publicação do seu livro "The Political Right in Post-Authoritarian Brazil: Elites, Institutions and Democratization", Penn State University Press, 2000, (A Direita Política no Brasil Pós-Autoritário: Elites, Instituições e Democratização), ocorre curiosa inversão: a normalização do nosso sistema partidário, pela emergência de partidos e setores autodefinidos como de direita e ultraconservadores, tem causado perplexidade descabida.

O fenômeno da direita envergonhada não é novo, muito menos brasileiro. Albert Thibaudet registrou na década de 1930 o que chamou de sinistrismo: a diferenciação do sistema partidário na França pela proliferação de novos partidos, sempre pela esquerda. O termo direita, argumentava, havia adquirido conotação pejorativa devido à associação com a monarquia e à idolatria da república.

O mesmo aconteceu no Brasil e na América Latina em que a qualificação de direita passou a ser associada aos regimes militares e ao autoritarismo (tolerado na agenda pública em sua versão à esquerda).

O sinistrismo mudou: nas últimas décadas há uma tendência de afastamento dos antigos modelos de partidos socialistas e comunistas. Brasil, África do Sul e Índia são as únicas democracias em que ainda existem partidos comunistas não reformados com presença ativa na arena pública.

Partidos de extrema direita e ultraconservadores existem em todas as democracias classificadas como plenas pelo The Economist Intelligence Unit. As democracias têm remédios constitucionais para violações da ordem constitucional. Todo cuidado é pouco porque a tentação iliberal tem sido muito forte. Mas não há nada patológico, pelo contrário, no surgimento de partidos que defendem pautas ultraconservadoras.

Preferências que permanecem latentes, como as conservadoras, explicam fenômenos que causam perplexidade, como mobilizações sociais súbitas, rebeliões, etc. Esse é o argumento da falsificação de preferências de Timur Kuran em "Private Truths, Public Lies", (Verdades Privadas, Mentiras Públicas), Harvard University Press, 1995.

Assim, não há uma nova direita conservadora que adquiriu voz com o Bolsonaro: ela sempre existiu desde o fim do regime militar, com suas verdades privadas. Mas, é claro, beneficia-se, e muito, do choque no sistema partidário produzido pela Lava Jato.
Miguel José Teixeira
02/07/2018 10:06
Senhores,

Segundo o Jornalista Ancelmo Gois, O Globo,"Com medo de avião, Zé Dirceu saiu de carro, ontem à tarde, de Brasília em direção a Curitiba (são 1.392 km). Foi vestir uma tornozeleira eletrônica.

Medo de avião ou medo dos contribuintes frustrados com sua soltura pelo STF. . .

Bom. . .o tal zédirceu deveria aproveitar e visitar seu guru, o presidiário lula-da-silva, para mostrar-lhe o seu novo par de tornozeleiras,

Não é mesmo "pombo-correio". . .

Deixe seu comentário


Seu e-mail não será divulgado.

Seu telefone não será divulgado.