Lista telefônica

Por Herculano Domício - Jornal Cruzeiro do Vale

Por Herculano Domício

02/01/2018

2018

Esta é a primeira coluna de 2018. Aos leitores e leitoras dela, sucesso neste ano. Obrigado pela fidelidade.

Este 2018, promete ser diferente e só o será se houver mudanças nas urnas para que não se repita (ou ao menos se diminua) o que retrata a charge do Amarildo.

O marketing terá menor influência nas eleições e as redes sociais, terão papel importante no novo cenário da transparência, apesar do risco da tal "fake news" predominar, para atender aos interesses de grupos ideológicos, do velho e do suposto novo poder.

E a imprensa tradicional, cobrindo o factual? Será secundária. A imprensa que vai se revigorar, será cada vez mais investigativa, esclarecedora e opinativa. 

Enfim , um 2018 de sucesso. Ele só virá com a sua consciência nas urnas.

Foi a maioria que  de nós escolheu a inflação e desempregos altos, a crise econômica, a morte na fila do SUS, a falta de creches, a corrupção e o roubo desenfreado dos nossos impostos.

Em outubro, haverá nova oportunidade para as nosssas escolhas. 2018 e outros anos vindouros serão feitos só da nossa consciência para nossas escolhas. Somos os donos dos nossos destinos.

Agradeço também as minhas fontes, de modo muito especial.

O OVO DA SERPENTE

Era a senha dos perdedores. E talvez tenha sido, na minha opinião, o melhor recado com conteúdo, daquela tarde de terça-feira. Depois de ouvir o líder do governo na Câmara, Francisco Hostins Júnior, PMDB, citar uma passagem bíblica sobre o não cumprimento de uma "promessa empenhada", o vice-presidente e então recém-eleito presidente da Câmara de Gaspar, Silvio Cleffi, PSC, pediu a palavra para mudar o tom das queixas que poderiam vir da base perdedora à qual ele mesmo pertencia. Inútil.

O discurso de Silvio está abaixo. Então cada um interpreta-o à sua maneira. Vou apenas aos esclarecimentos.

Quem chocou o ovo chamado Silvio na política e no poder? Ele mesmo respondeu: Kleber Edson Wan Dall e o PMDB!

Afinidade dentro da Igreja Assembleia de Deus, um médico cardiologista bem visto no Bela Vista (e cidade), um novato sem as supostas manchas dos políticos, um oportunismo do voto pelo novo poder. Os dois – Kleber e Silvio – fizeram então um pacto de um projeto renovador na política para Gaspar. Eram as faces de uma mesma moeda. Havia uma promessa a ser cumprida pelo prefeito. Então, quem traiu primeiro? Kleber não deve se queixar!

E onde está filiado o dr. Silvio? No PSC, um partido de afinidades evangélicas. Lá quase todos se tratam de irmãos (até na Câmara isso aconteceu, como registrei).

Quem toca o PSC em Gaspar? O ex-assessor parlamentar de Kleber quando era vereador e hoje é seu secretário de Assistência Social, Ernesto Hostin. É uma área completamente desconhecida para seu titular, vital nos dias de hoje, mas omissa e criadora de problemas na cidade. Quem é o tutor político de Silvio? Ernesto! Então, Kleber não deve se queixar!

Quem interferiu numa ação corporativa de médicos, com ajuda explícita da velha guarda do PMDB de Gaspar, pela saída da ex-secretária de Saúde, a técnica Dilene Jahn Mello dos Santos, a que queria priorizar o atendimento ambulatorial nos postinhos, policlínica e farmácias para os pobres em detrimento do Hospital, que ninguém sabe de quem é, que suga todos os recursos desta área no Orçamento municipal? O médico Silvio, o vereador que dava maioria à base, com afinidade religiosa com o prefeito, o irmão. A saída de Dilene não melhorou em nada a saúde pública local como se argumentava. Enquanto os pobres e doentes perdiam, ganharam os míopes, curiosos, guildas corporativas abastadas (as mesmas que manobraram no governo de Pedro Celso Zuchi, PT) e os próximos do atual poder de plantão. Então, Kleber não deve se queixar!

MELATO, NOVAMENTE, O PIVÔ

O político Silvio reclama que um dos vereadores presentes à reunião do dia sete de dezembro, cuja ata já mostrei aos meus leitores e leitoras na coluna do dia 26 de dezembro, até a manhã da sessão de eleição da mesa diretora da Câmara de Gaspar, no dia 19, NÃO havia assinado o documento. Era José Hilário Melato, PP, o mais longevo, o que manipula os jogos de poder nos bastidores para ele, PP, PMDB e PT, licenciado do Legislativo para ser presidente do Samae. Correria. Melato assinou. Kleber fez circular o documento para desmoralizar o vereador Silvio e enganar a imprensa. Já era tarde. Todos sabiam do gesto de Melato. O gesto valia mais, do que a arranjada correção de última hora. O passado não engana mais. Sempre ele! Então, Kleber não deve se queixar!

Silvio no discurso improvisado e sob pressão, mas arquitetado, garantiu que vai governar com Kleber e para Gaspar. Mais uma promessa? Como assim? Ele diz que não é oposição, mas foi eleito presidente com os votos dela. Vem aí mais uma traição? Vai atender a dois senhores? A Bíblia, tão próxima do religioso Silvio, também fala sobre isso. Ai, ai, ai. Qual é o jogo? Afinal Silvio era o Plano B, de quem? Da oposição que comemora, ou da situação que nega o jogo, apesar de quatro dias antes da eleição eu ter escrito isso aqui, com a informação de uma fonte de dentro do próprio PMDB e confirmada por outra do PMDB? Então, Kleber não deve se queixar!

Afinal a claque do poder plantão estava quase toda lá na sessão. Kleber (e estranhamente com a primeira dama, dona Leila), o vice, Luiz Carlos Spengler Filho, PP, o presidente do Samae, José Hilário Melato, PP, que gazeteou pela segunda vez neste assunto o local de trabalho na autarquia onde não permitiu que isso acontecesse ao servidor dela e vereador de oposição, Cicero Giovani Amaro, PSD, também evangélico. Estava lá a cúpula do velho PMDB, o que não aparece, mas atua nos bastidores como poucos. Estava a caravana de Franciele. Todas testemunhas de uma tarde anunciada que seria assim. Se não fizeram para ser diferente, agora só devem explicações e alguns, disfarçam distribuindo culpados. Então, Kleber não deve se queixar!

E por que Kleber não tem razão para se queixar? Porque o religioso, o vereador e amigo Silvio garantiu isso no discurso! Porque é Kleber por afinidade quem criou Silvio, antes da aproximação por necessidade com Franciele. Então deve conhece-lo muito bem. Porque se tivesse alguma dúvida disso, Kleber teria evitado esse resultado. Sinais não faltaram. Abundaram, até mesmo aqui um lugar público de debate. Só Franciele não os viu e agiu. Impôs. E em política, o que é imposto, não se conquista, não dura. Assunto para outro artigo. Acorda. Gaspar!

Confira o que Silvio disse:


BÍBLIA E OS POLÍTICOS

O católico, lareirista, advogado e vereador Francisco Hostins Júnior, PMDB, na ressaca na suposta derrota do governo, do qual era líder, na escolha do novo presidente da Câmara de Gaspar, foi o primeiro a ocupar a tribuna.

Júnior sabe que possui culpa na suposta derrota pela função que tinha no jogo para se fazer cumprir a promessa à Franciele. Ele sabe que teve um papel menor, mas não assume. E se nada da armação aconteceu como alegam insistentemente, tinha ele que manter publicamente a história da traição. E para encarreirar os discursos dos seus, foi o primeiro a subir na Tribuna.

Demostrando estar surpreendido com o resultado, Júnior atacou o vencedor, o evangélico, o médico, o vice, o eleito presidente, o até então companheiro da base, Silvio Cleffi, PSC. Fez de forma inusitada (mas apropriada às circunstâncias dos personagens, para o recado em ambiente laico, pagão até): com versículos bíblicos, que segundo Hostins, Silvio entenderia, porque a Igreja Assembleia de Deus, à qual pertence também o prefeito Kleber Edson Wan Dall, PMDB, é conhecida pelos estudos da Bíblia.

“Quando você fizer um voto, cumpra-o sem demora, pois os tolos desagradam a Deus; cumpra o seu voto. É melhor não fazer voto do que fazer e não cumprir”. Estão em Eclesiastes, capítulo cinco, versículos quatro e cinco. Hostins foi no ponto final daquela eleição que o derrubou também na pretensão dele ser o vice da mesa: perdeu numa segunda rodada para Roberto Procópio de Souza, PDT. Hostins foi educado e na linguagem comum dos dois: a bíblia que conhecem bem, pois um domina o Direito e o outro a Medicina.

Silvio retrucou. “Esta passagem bíblica se refere à promessa feita à Deus, e não aos homens”. Enrolou-se um pouco, mas não esclareceu totalmente, como você pode ver no vídeo acima. Na verdade, ele se referia ao pacto que tinham feito na reunião do dia sete de dezembro e que o mais longevo dos vereadores, licenciado para ser presidente do Samae, José Hilário Melato, PP, presente nela, não tinha honrado na assinatura e isso dava a Melato, espertamente, o salvo conduto para não cumprir a parte dele no acordo no futuro, repetindo histórias antigas.

Então, quer dizer que para o vereador Silvio, promessas feitas aos homens não devem ser cumpridas? Ai, ai, ai. Resumindo: as promessas que fez no discurso para governar com Kleber, que não é Deus, estão, pela sua tese, à perigo? Acorda, Gaspar!

QUAL ERA MESMO A PROPOSTA DE FRANCIELE?

A jornalista, panfletária, sexista – ao menos no discurso que fez na Câmara - e vereadora Franciele Daiane Back, PSDB, foi pega na sua própria falta de experiência, observação e diálogo. Foi tragada pela preguiça e na excessiva confiança que depositou nos outros para fazer o que só ela poderia ter feito: lutar pelo objetivo (e sonho) que queria e lhe prometeram, ou seja, a de ser presidente da Câmara de Gaspar.

Eu exagero? Assista abaixo o discurso dela na derrota para a presidência da Câmara. Foi o último da sessão. Tinha tempo para refletir sobre tudo o que se passou e disseram. Tinha tempo para esconder as razões da sua derrota. E mesmo assim, choveu no molhado. Preferiu errar mais uma vez.

Surpreendente o resultado para alguns; não para esta coluna que antecipou os movimentos que a solapavam e nem para isso, Franciele foi capaz de dar importância.

Confirme você mesmo no discurso da vereadora qual era mesmo a proposta de Franciele para ser presidente da Câmara: fazer história, ser a primeira mulher na função. Silvio, derrotou-a, porque percebeu melhor o ambiente e o que deveria ser feito: conversar com quem lhe pudesse dar a maioria, lhe prometer parte do “céu” até aqui desenhado para quem é da situação como ela; Silvio prometeu ainda respeito e igualdade.

Derrotada, Franciele não aprendeu a lição e chamou os políticos de Gaspar de machistas. Só os da oposição é claro e que tem entre eles, uma mulher também que votou no homem Silvio. Os vereadores da situação, obedientes à sua preguiça para buscar votos para ela na presidência, ficaram livres desta qualificação rasteira de machistas, naturalmente. Inacreditável!

Livre de ser machista na política, por exemplo, na avaliação dela, está o recém-eleito presidente da Câmara de Ilhota, Jonatas de Oliveira Jacó, PSDB, que assistiu à sua derrota. “Lá não houve traição, né, Joninha?” Lá não tem mulher, mas traição houve e dentro do próprio PMDB, tanto que noticiei isso. Aqui, quando Andreia Symone Zimmermann Nagel, PSDB, egressa do DEM, perdeu, traída no acordo, sabia que ia perder e exatamente pelos planos que tinha para não ficar de joelhos para o PT e ao dono da Câmara, José Hilário Melato, PP – o mais longevo, o jogador, o mesmo que originou a derrota de Franciele - e não por ser mulher.

Desde quando ser mulher ou homem, ou qualquer gênero que se especifique, é um salvo conduto para ocupar a presidência da Câmara de Gaspar nos dias de hoje? Há tantos desafios a serem superados na complexa política que se estabelece nos bastidores. Classificar a Câmara de machista, e só a ala que a derrotou, é muito pouco! Só Franciele não percebeu isso durante um ano como vereadora.E na tribuna arrumou desculpas esfarrapadas para justificar à sua derrota. Faltou inteligência, argumentos e trabalho.

PRESIDENTE DA SITUAÇÃO E NÃO DA CÂMARA

A verdade é esta: se eleita, Franciele seria presidente da situação, do governo Kleber Edson Wan Dall, um instrumento do PMDB, do poder de plantão e não da Câmara. A oposição seria anulada e sabia disso. Tinha uma chance de mudar o que estava escrito desde outubro do ano passado. Silvio percebeu e foi o que “melhor” destampou a chaleira. Traiu, como Franciele o acusou, fazendo coro com os perdedores? Talvez! Mas quem criou a oportunidade? A própria Franciele.

Silvio e os seus deram nos discursos que fizeram na sessão do dia 19, sinais claros dessa possível distensão.

Entre eles o construir um prédio próprio para a Câmara, anseio antigo e que contraria um senhorio do MDB histórico; o de voltar a fazer as sessões a noite e que o voto de Franciele rejeitou essa tentativa em 2017; o de abrir mais espaços com o Executivo etc e tal, com canais de negociações que estavam se fechando cada vez mais (está na ata que publiquei e pode ser relida) e que seriam interrompidos completamente com Franciele. Se isso e muito mais vão dar certo, não se sabe. Entretanto, é uma proposta, uma bandeira, uma oportunidade, uma "promessa", um alívio inclusivo e institucional.

Política é distender, compreender, dialogar, ceder no periférico para preservar o essencial. Franciele radicalizou cegamente. Personalizou o mandato. Ignorou o próprio partido dela. Não trabalhou institucionalmente os apoios e à sua própria eleição. Não poderia dar certo. E não deu!

Franciele ficou só, refém de uma base que não é sua e não a conhece bem na história e no histórico, até pela sua pouca idade. Nem no discurso da derrota, Franciele foi capaz de reconhecer a vitória do então companheiro de bancada situacionista e agora já declarado como adversário. Com todos os defeitos diante dos acordos, a eleição foi feita dentro do processo democrático que Franciele diz defender, mas que ainda não o compreendeu minimamente, nem mesmo dentro do seu próprio partido, o PSDB. O democrático para Franciele, é quando ela é o centro de tudo e todos se curvam ao seu mando.

O CHORO SEM RAZÃO

Franciele chora, mas ela não está com razão. Ela terceirizou a novos amigos à busca da prometida e sonhada presidência da Câmara. Franciele não foi de verdade, ela mesma, em busca desse objetivo e sonho. Faltou distender, compreender, dialogar, ceder no periférico e aproveitar a oportunidade oferecida por Kleber e o PMDB. Nos seus gestos, atitudes e discursos, ela disse em 2017 que não conviveria com a oposição. A sua vitória que não veio seria uma vingança, a separação e o isolamento de uma parcela importante da Câmara no jogo democrático.

A derrota é essencialmente de Franciele. Ela desafiou a lógica do jogo. E as cartas (ou os votos) não vieram. Dificilmente virão neste mandato. A fila andou. O compromisso da eleição de Silvio com a dita oposição é de no mínimo dois anos. A história está no outro lado. Kleber, supostamente, estaria de agora em diante, de mãos amarradas! O tempo será o senhor da razão. Acorda, Gaspar!

 

Comentários

Roberto Sombrio
04/01/2018 21:31
Oi, Herculano.

Quero aqui agradecer ao governo de Kleber Edson Wan dall e ao diretor do SAMAE, Hilario Melato pela incompetência por me deixar por 48hs (até agora) sem água.
Apesar de pagar as contas de água em dia, o retorno ou talvez o presente que recebo deste governo infame em 2018 é esta.
Devem estar na praia se esbaldando feito galinhas no milho sem se preocupar com o que acontece nesse circo que armaram e cujo espetáculo não lhes interessa.
Incompetentes, irresponsáveis a vender ideias de vento e surrupiar o povo.
Sujiru Fuji
04/01/2018 20:16
Ao Marcos

Eles foram à praia salgar o saco pra não feder.
Herculano
04/01/2018 19:53
AMANHÃ, SEXTA-FEIRA, É DIA DE COLUNA OLHANDO A MARÉ INÉDITA. PARA DESESPERO DOS POLÍTICOS EM FÉRIAS E DELEITE DOS QUE TRABALHAM E SUSTENTAM COM SEUS PESADOS IMPOSTOS O PODER PÚBLICO.
Herculano
04/01/2018 15:25
PREFEITO DE PORTO ALEGRE PEDE APOIO DO EXÉRCITO PARA CONTER AS TROPAS LULISTAS

Conteúdo de O Antagonista. Nelson Marchezan, prefeito de Porto Alegre, enviou um ofício ao próprio presidente Michel Temer para pedir apoio da Força Nacional e do Exército no dia 24.

O prefeito destacou, entre outros fatos alarmantes, "a menção à desobediência civil e luta propugnadas nas redes sociais por alguns políticos".
Herculano
04/01/2018 15:14
Ao Marcos.

Na nova e inédita coluna Olhando a Maré, desta sexta-feira, explico essa estranha ausência e que já registrei em anos anteriores, mas nada mudou. Acorda, Gaspar!
Paty Farias
04/01/2018 15:03
Oi, Herculano

Do Blog do Políbio:

"O ex-presidente do PT, Rui Falcão, agora está com medo.

É o que se depreende do post, desta manhã.

Rui Falcão, como toda a escumalha lulopetista
que vai a reboque do PT, não gostou do pedido de força armada encaminhado ao Planalto pelo prefeito Marchezan Júnior.

Agora, mudou o discurso da 'ocupação e invasão' de Porto Alegre, porque se sente intimidado.
E com medo."

Parabéns ao Prefeito de Porto Alegre - Marchezan Júnior.
O Lula tem que ser tratado como um ladrão porque é isso o que ele é.
Marcos
04/01/2018 13:31
O retorno das atividades na camara de vereadores de acordo com o decreto foi no dia 02/01. Desde terça, estou passando diariamente na camara e dos assessores dos vereadores só tem dois trabalhando (assessor do Vereador Ciro e a assessora do Vereador Chico Anhaia)
Perguntar não ofende: onde estão os demais?
Acorda Gaspar!!!
Acorda Gaspar!!!
Sidnei Luis Reinert
04/01/2018 13:01

quinta-feira, 4 de janeiro de 2018
Tem culpa a Petrobrás?


Edição do Alerta Total ?" www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

A paciência dos investidores tupiniquins está mais curtinha que o shortinho da Anita. Os norte-americanos vão levar R$ 9,6 bilhões de indenização da Petrobras para encerrar a ação judicial coletiva na Corte de Nova York. Tudo será pago em três parcelas até 15 de janeiro de 2019. O valor é 6,5 vezes superior à quantia de R$ 1,475 bi que a empresa recuperou até agora da Lava Jato. A petrolífera ainda espera receber R$ 41 bilhões em 59 ações movidas contra os "ladrões" e "corruptos" que lesaram a "estatal de economia mista".

Agora, a Petrobrás terá de resolver com investidores daqui um problema que não é judicial: a arbitragem liderada pelo escritório do advogado Modesto Carvalhosa e movida na Bolsa de Valores. A tendência é que a petrolífera também aceite fechar um acordo bilionário. O grande desafio será resolver uma contradição: como irá se portar o presidente da empresa, Pedro Parente, que também é membro do conselho de Administração da B3 (fórum legal, estatutário, para resolver encrencas entre a estatal e seus investidores).

Não tem conflito de interesses nessa parada? É uma dúvida gerada pelo modelo Capimunista tupiniquim... Outro questionamento de resposta nada fácil: a Petrobrás é vítima ou tem culpa ela em todos os escândalos bilionários de corrupção sistêmica desnudados pela Lava Jato? Uma certeza é que o modelo estatal brasileiro é o grande responsável direto pela sacanagem. Por isso, judicialmente falando, investidores ainda apostam que cabe uma Ação Civil Pública para obter uma resposta certa, justa e perfeita, além das indenizações cabíveis aos investidores, empregados, aposentados, pensionistas e (por que não?) cidadãos lesados pela roubalheira na Era PT/PMDB e demais comparsas.

Inocentar o desgoverno e a Petrobrás não é tarefa fácil. Como é possível perdoar uma administração federal e a direção de uma empresa que permite ter como conselheiro de administração, durante oito anos, alguém como Guido Mantega? Talvez tal distorção explique por que a Comissão de Valores Mobiliários ?" fiscal do mercado de capitais ?" não tenha agido com a devida eficiência para punir evidentes crimes societários praticados por dirigentes da petroleira. A contradição é simples: Como é que a CVM poderia punir o Ministro da Fazenda a quem está burocraticamente subordinada? Deve ter sido por isso que alguns dirigentes da Petrobrás acabavam punidos apenas com multas ?" que acabavam pagas pela seguradora da estatal (ligada ao Banco Itaú)...

Enquanto não se tira a duvida sobre a culpa ou inocência, uma coisa é certa: o otário do consumidor brasileiro paga a caríssima conta da roubalheira sistêmica. Todo mundo que para o carro para abastecer no posto se lembra disso. Pior ainda é ouvir a esfarrapada desculpinha oficial de que os combustíveis andam tão caros por culpa da alta no mercado internacional...

O depauperado Presidente Michel Temer e seus aliados próximos estão adorando o problema. Afinal, a opinião pública emputecida com a Petrobrás só ajuda o plano manjado da privataria. A União Federal ?" controladora acionária da Petrobras ?" prepara um megaprograma de venda de ativos em 2018. As "justificativas"? Privatizar para cobrir rombos e para impedir novos "roubos"... Assim, as maiores petrolíferas do planeta só esperam a hora da compra dos ativos a preços de "oportunidade e ocasião"...

Fechando-se os grandes negócios favoráveis á Oligarquia Financeira Transnacional a contrapartida será imediata: o grupo apoiado e liderado por Michel Temer conseguirá o milagre de eleger o futuro ocupante do trono do Palácio do Planalto. Como a impopularidade impede uma reeleição temerária, o "nome alternativo" é Henrique Meirelles. O poderoso Ministro da Fazenda tem toda chance de realizar seu sonho de presidir o Brasil, com todo apoio do Poder Real Globalitário.

A mídia amestrada, que tende a apoiar Meirelles facilmente, mesmo fazendo o habitual joguinho de (falsa) isenção, está feliz da vida. Por isso, está na torcida para que a Petrobrás volte a cumprir sua habitual vocação: a de lucrar muito produzindo petróleo, para que volte irrigar os cofres midiáticos com generosos patrocínios para veículos de comunicação e grandes eventos por eles pilotados.

Como a Lava Jato não focou ?" ou não teve competência técnica ?" para apurar crimes societários, torna-se inútil a resposta para a pergunta pornográfica: "Tem culpa a Petrobras"?

Os "donos do poder" não querem saber da resposta. O objetivo estratégico deles é apenas manter o Brasil na mesma "normalidade institucional" de sempre... Por isso, o melhor negócio é eleger Meirelles (ou qualquer outro fantoche do globalitarismo)...

A situação do Brasil é mais preocupante que o tamanho do botão do Donald Trump ou do Kim Jong-un ?" que faz aniversário no próximo dia 8 de janeiro... Quem tem botão nuclear, não importa o tamanho, tem soberania... Quem não tem vive com o outro botão apertadinho... É a vida...
Despetralhado
04/01/2018 12:28
Sr. Belchior, o pior é que nem peça de reposição há KKK... tem que ficar mesmo com o macaco véio.
Anônimo disse:
04/01/2018 12:25
Herculano, sobre o texto de que a Petrobras salda a roubalheira desenfreada de LuLLadrão e DilmANTA, faz parte da CARTILHA COMUNISTA:
"Acuse os outros daquilo que você faz"!!!

Petistas ladrões!
Erva Daninha
04/01/2018 12:18
Oi, Herculano

Adorei esta frase que um dirigente da Petrobras disse à Miriam Leitão: "70% do tempo de gestão da empresa é dedicado a corrigir o passado".

Esta encardida vermelha tem mesmo que engolir sem vaselina.

Tá bom pra ti, velha coroca ou "quez" mais?
Belchior do Meio
04/01/2018 12:12
Sr. Herculano:

Acredito no comentário do Olho Aberto porque hoje amanhecemos sem água nas torneiras (a água do SAMAE Inundado não abastece a caixa-d'água).
Belo presente para nós gasparenses sermos dirigido por um macaco velho que de tão velho não consegue carregar o próprio saco.
Herculano
04/01/2018 09:11
PETROBRAS AINDA PAGA PELOS DANOS DO PT, por Pedro Luiz Rodrigues, no Diário do Poder

Vamos ver como reagirão a presidente do Partido dos Trabalhadores, Gleisi Hoffmann, e sua bancada de parlapatões, diante da notícia de que a Petrobras propôs pagar três bilhões de dólares para encerrar uma ação coletiva movida na Justiça dos EUA por investidores que sofreram prejuízos em decorrência da roubalheira sistêmica praticada na estatal nos anos de ouro, muito ouro, dos governos do PT.

Os petistas - por desonestidade e/ou incompetência (situação esta que inclui a ex-presidente Dilma Rousseff, por descrição do próprio ex-presidente do PT, José Dirceu) ?" quase conseguiram destruir não apenas a Petrobras, mas o próprio Brasil, que apenas hoje dá sinais de que poderá sair do atoleiro econômico-financeiro em que foi lançado por Didi e seus trapalhões.

O valor da proposta que a Petrobras vai submeter ao juiz da Corte Federal de Nova York é, sem dúvida, elevado. Mas mesmo assim, se aceito, significará apenas uma fração da indenização reivindicada pelos litigantes estrangeiros na 'class action' referida, superior a 90 bilhões de dólares. Se não houver acordo, a indenização a ser arbitrada pelo juiz poderá facilmente bater na casa dos dez bilhões de dólares.

A Petrobrás assumiu no tribunal a condição de vítima do esquema de corrupção investigado pela Operação Lava Jato, do qual diz ter recuperado R$ 1,475 bilhão no Brasil até o momento. "O acordo não constitui reconhecimento de culpa ou de prática de atos irregulares pela Petrobrás. No acordo, a companhia expressamente nega qualquer responsabilidade. Isso reflete a sua condição de vítima dos atos revelados pela Operação Lava Jato, conforme reconhecido por autoridades brasileiras, inclusive o Supremo Tribunal Federal", afirmou a empresa em fato relevante.

Em outras palavras, vítima do esquema de corrupção que pode até ter existido no passado, mas que sem dúvida alcançou seu paroxismo com os quadrilheiros graúdos colocados na empresa por políticos igualmente graúdos, do PT e partidos associados no crime.
Herculano
04/01/2018 08:10
GENTE CARA DE PAU. O PT E SEUS SóCIOS NO PODER DEPOIS DE INTERVIR TEMERARIAMENTE E ROUBAR A PETROBRÁS COMO DEMONSTRA AMPLAMENTE INVESTIGAÇõES, AÇõES E CONDENAÇõES NA OPERAÇÃO LAVA JATO; DEPOIS DE QUASE LEVAREM A EMPRESA ESTATAL À FALÊNCIA, SÃO CONTRA O ACORDO DE COMPENSAÇÃO DOS INVESTIDORES DOS FUNDOS DE INVESTIMENTOS DOS ESTADOS UNIDOS.

COMO O PT ESTÁ ACOSTUMADO À CORRUPÇÃO E PENSA QUE TODOS SÃO IGUAIS A ELE, PEDIU À PROCURADORIA GERAL DA REPÚBLICA INVESTIGAÇÃO SOBRE O ACORDO.

QUER POLITIZAR A DISCUSSÃO PARA A MAIORIA DE ANALFABETOS, IGNORANTES E DESINFORMADOS, SEU PUBLICO QUE MANIPULA NAS URNAS.

ESTÁ INVENTANDO, COMO FAZ REITERADAMENTE O BOLIVARIANO AMIGO NICOLÁS MADURO, QUE OS "ESTADOS UNIDOS QUEREM ACABAR COM A PETROBRÁS". MAS QUEM NOMEOU OS DIRETORES LADRõES NA PETROBRÁS NÃO FOI NINGUÉM DO GOVERNO AMERICANO, MAS OS PETISTAS LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA E DILMA VANA ROUSSEFF

O CUSTO DA ORCRIM

Conteúdo de O Antagonista. Um dirigente da Petrobras disse a Miriam Leitão que "70% do tempo de gestão da empresa é dedicado a corrigir o passado".

A colunista destacou um dado que resume o efeito dessa faxina:

"Em 2013, o petróleo teve preço médio de US$ 109 o barril, e o ano terminou com um fluxo de caixa livre de R$ 41,8 bilhões negativos. Em 2016, o petróleo ficou em média de US$ 44, e houve um fluxo de caixa livre positivo de R$ 41,6 bilhões. Ou seja, a Petrobras deu uma virada de R$ 83 bilhões, mesmo em situação de preços bem piores."

E mais:

"O endividamento líquido caiu de US$ 103,5 bilhões, no segundo trimestre de 2016, para US$ 88,1 bi no terceiro trimestre de 2017. O número que é analisado no mercado - a relação da dívida com o fluxo de caixa - caiu de 4,3 para 3,16, e a meta é 2,5. Além disso, foi feito um alongamento da dívida, que reduziu, por exemplo, uma grande parte dos títulos que venceriam neste ano eleitoral. Esse foi o contexto do passo dado ontem."

A ORCRIM lulista devastou a Petrobras e o Brasil. O próximo governo terá de dedicar 70% de seu tempo para corrigir o passado.

PETROBRÁS SALDA ROUBALHEIRA DESENFREADA DE LULA E DILMA

Conteúdo de O Antagonista. Só agora a Petrobras conseguiu enterrar os esqueletos dos quadrilheiros lulistas.

Leia o comentário de Merval Pereira, em O Globo:

"É patética a tentativa de petistas e seus assemelhados de transformar o acordo que a Petrobras teve que fazer com acionistas estrangeiros na Corte de Nova York, conseqüência da roubalheira desenfreada nos governos Lula e Dilma, em uma ação prejudicial à estatal brasileira.

É a tática vulgar de o ladrão sair correndo a gritar 'pega ladrão', a prática perversa de transformar a vítima em culpada. O crime de lesa-pátria foi o esquema oficial de corrupção na Petrobras para financiar o PT e partidos políticos de sua base, e não houve uma manifestação de sindicalistas contra os escândalos revelados (?).

Simplesmente o acionista no exterior está cobrando o dinheiro que roubaram dele, e como o sistema judiciário americano funciona, o melhor foi buscar o acordo, como, aliás, acontece na grande maioria dos casos de ações coletivas com essa. Estava previsto o julgamento de um recurso da Petrobras na Suprema Corte dos Estados Unidos, com risco grande de perder, e o caso iria a júri popular.

O ACORDO DA PETROBRÁS NOS EUA MOSTRA QUE Só HÁ UM FINAL ADMISSÍVEL PARA O PETROLÃO: LULA CONDENADO

Conteúdo de O Antagonista. Como noticiado, a Petrobras deve pagar 3 bilh?es de dólares para colocar um ponto final no processo coletivo que acionistas americanos moveram contra a empresa brasileira, por causa das perdas decorrentes com o petrolão.

Se o acordo for aprovado pela Justiça americana, será o quarto maior desse tipo já fechado na história dos Estados Unidos.

Os 3 bilhões de dólares representam outra paulada no caixa da empresa, mas darão fim à possibilidade de um júri popular arbitrar por soma ainda maior. Quem pagará o custo, ao final, serão os brasileiros que não roubaram um centavo da Petrobras e desde sempre arcam com a sua existência, fruto do delírio nacionalista.

A Petrobras se livrará de um risco e, formalmente, da responsabilidade pela roubança do petrolão. Segundo o acordo, a companhia será considerada "vítima dos atos revelados pela Operação Lava-Jato, conforme reconhecido por autoridades brasileiras, inclusive o Supremo Tribunal Federal".

Se há vítima de corrupção, há culpado ou culpados. E, no caso da Petrobras, diante do tamanho do esquema, os culpados só poderiam ter chefes. E, no caso da Petrobras, gigante estatal com uma direção indicada por políticos, esses chefes só poderiam ser políticos. E, no caso da gigantesca e estratégica Petrobras, esses políticos não poderiam agir sem o consentimento do maior dos políticos.

A empresa, no seu acordo, invoca a Lava Jato. Os procuradores da Lava Jato já apontaram, com abundância de povas, quem era o chefe, o Comandante Máximo, aquele que tinha total domínio dos fatos (fatos que precisavam da sua aprovaç?o direta ou indireta para se realizarem como tais) e deles usufruiu política e materialmente.

O nome do Comandante Máximo é Luiz Inácio Lula da Silva.

A narrativa da Petrobras nos Estados Unidos e no Brasil só fará totalmente sentido quando o chefe do esquema de corrupção que quase nocauteou a maior empresa nacional ?" e jogou o país numa crise econômica sem precedentes ?" for condenado em definitivo. A condenação em definitivo dará sentido e final feliz, pois exemplar, a um crime do qual não se admite repetição.

Os processos contra Lula são muito mais coletivos do que a "class action" americana contra a Petrobras. É uma nação inteira que precisa de reparação e, repetindo, exemplo.

Que os desembargadores do TRF4 tenham essa dimensão. Não, senhores, não se trata apenas de um triplex.
Herculano
04/01/2018 07:37
MEGA DA VIRADA RETOMA SUSPEITA DE 'CAIXA PRETA', por Cláudio Humberto, na coluna que publicou hoje nos jornais brasileiros

O estranho caso da mega-sena da virada, com três apostas ganhadoras numa mesma lotérica, e várias outras em municípios remotos, fez ressurgir a desconfiança em relação às loterias da Caixa, que se transformaram em autêntica "caixa preta". A desconfiança tem a ver com a "cláusula pétrea" da Caixa: ao contrário do resto do mundo, no Brasil não é divulgada a identidade dos "novos milionários".

PARECE MÁFIA
Há casos até de ameaça de morte a parlamentares que pretenderam tornar obrigatória a divulgação da identidade dos ganhadores de loteria.

O MUNDO CAIU
Projetos para divulgar ganhadores fazem o mundo "desabar", disse certa vez o autor de um deles, o ex-senador capixaba Gerson Camata.

ALEGAÇÃO RISÍVEL
A Caixa alega "segurança" para manter em sigilo os ganhadores, como se os "novos milionários" não pudessem bancar a própria proteção.

CONTRA TRANSPARÊNCIA
Seja qual for o governo, o lobby da Caixa sempre atua para sufocar projetos de divulgação da identidade dos ganhadores de loteria.

FOI TEMER, E NÃO SARNEY, QUEM VETOU MINISTRO
O ex-presidente José Sarney nada teve com o desconvite ao deputado Pedro Fernandes (PTB-MA) para assumir o Ministério do Trabalho. Ao contrário: ao ser informado, até exclamou: "Que bom, Pedro é nosso amigo". A reação à escolha partiu de outros políticos do Estado, como o senador Edison Lobão (PMDB), que lembraram ao presidente Michel Temer da aliança entre Pedro Fernandes e o governador, Flávio Dino (PCdoB), crítico feroz do governo federal. Temer desistiu do convite.

CAVANDO A PRóPRIA 'COVA'
Fernandes tratou de se "queimar" fazendo declarações hostis a Sarney, após sua indicação para o cargo de ministro, irritando o Planalto.

TRAIÇÃO POLÍTICA
Pedro Fernandes foi secretário de Educação e de Cidades da ex-governadora Roseana Sarney, a quem é acusado de trair.

NEM PRECISOU
Lobão nem sequer tratou sobre Pedro Fernandes com Temer. Conversou com ministros como Eliseu Padilha (Casa Civil).

NEM DE GRAÇA
O livro sobre Dilma "A vida quer é coragem", do ex-assessor petista Ricardo Batista Amaral, que custava R$39,90, está oferecido a R$2,99 na Livraria Leitura. Ainda assim, continua encalhado.

TRETA NOS CONTRATOS
A delação do ex-presidente do Detran-MT e do ex-governador Silval Barbosa, segundo a imprensa local, encrencam de vez a antiga empresa FDL, atual EIG, e seu ex-diretor-geral Merison Amaro, além do ex-diretor do Detran Carlos Santana, atual sócio da Tecnobank.

NÃO PODE FICAR ASSIM
A população potiguar deve exigir das autoridades que sejam responsabilizados cível e criminalmente os policiais amotinados. Motim é crime, e mata: 101 vidas foram ceifadas durante a "greve".

ANISTIA, NÃO
A Justiça e os poderes constituídos também devem ficar vigilantes: se os amotinados do Rio Grande do Norte forem punidos, logo surgirão os políticos oportunistas propondo "anistia", para lhes garantir impunidade.

AGENDA FOLGADA
O ritmo no Itamaraty não deve estar assim tão puxado. Meio da semana, plena quarta-feira, o único compromisso do chanceler Aloysio Nunes foi almoçar com o prefeito João Dória, em São Paulo.

DESRESPEITO SELETIVO
Leitor da coluna ilustra bem a desorganização na Latam. Viajou de Brasília para Salvador com mala de mão, mas no retorno foi impedido de levar a mesma mala, enquanto outras, maiores, eram ignoradas.

EM FAMÍLIA
A indicação de Cristiane Brasil para assumir o Ministério do Trabalho pode provocar insatisfação, mas silenciosa: ninguém é besta de reclamar do fato de Roberto Jefferson haver escolhido a própria filha.

FALTOU MUITO
As receitas do governo federal fecharam o ano de 2017 em R$ 2,536 trilhões. O resultado é quase R$ 1 trilhão a menos que o previsto no início do ano e R$ 300 bilhões a menos que o registrado em 2016.

PENSANDO BEM...
... economistas orientam pagar dívidas com o 13º, mas deviam era contar o que fazer quando o salário acaba e as dívidas não.
Herculano
04/01/2018 07:33
PREÇO DOS IMóVEIS AINDA VAI CAIR? por Vinicius Torres Freire, no jornal Folha de S. Paulo

O PREÇO dos imóveis caiu pelo terceiro ano seguido em 2017. A baixa real dos preços (descontada a inflação) desde 2014 foi de mais de 16%.

Os imóveis estão baratos? Não é bem assim.

Os preços vão cair mais? No chute informado de economistas e negociantes do setor, devem ficar estagnados neste ano, na média.

Para começar, quem entende do riscado deve estar torcendo o nariz para essas perguntas. Imóveis de padrão muito parecido, mas por exemplo distantes dois quarteirões um do outro, não apenas podem ter preços diferentes, mas também se valorizar ou desvalorizar em ritmos diversos. Médias nacionais ou mesmo preços para uma cidade podem esconder tanto pechinchas quanto valores inabalavelmente altos.

Isto posto, o que se pode dizer sobre a tendência média dos preços?

Na cidade de São Paulo, os preços chegaram a cair 8% no vale da crise, em agosto de 2016; no final de 2017, caíam 1,3% ao ano. No Rio, chegaram a cair mais de 11% em meados de 2016; como qualquer crise é pior por lá, ainda baixavam 7% no final de 2017. São contas feitas com base no índice FipeZap.

Estão baratos? Em São Paulo, o preço médio chegou a subir 20% ao ano em meados de 2011, auge da valorização; no Rio, 35%. Essa gordura não foi lá muito queimada na crise, durante esta nossa grande recessão. Em São Paulo, os preços estão ainda 66% mais altos do que em dezembro do longínquo 2008; no Rio, 77% (sempre em termos reais. Isto é, descontada a inflação do período).

Essa alta resistente de ainda uns 70% é grande? Quem investiu em títulos de longo prazo do governo (Tesouro Direto), ganhou mais, por exemplo (sim, o governo dá dinheiro para quem já tem).

No entanto, considerados os encalhes e a situação das vendas, é possível pensar que o preço médio ainda está alto. Os dados de vendas de imóveis de médio e alto padrão ainda são muito ruins, segundo os dados das empresas associadas à Associação Brasileira das Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), calculados pela Fipe: queda de 13,9% das vendas, de janeiro a outubro de 2017 (ante igual período de 2016). No caso dos imóveis do Minha Casa, Minha Vida, a alta foi expressiva, de 30%.

Algumas das condições de mercado melhoraram. As taxas de juros para a compra de imóveis estão quase tão baixas quanto em 2013 e inferiores às da época do pico do boom imobiliário, em 2011. O endividamento das famílias, embora ainda alto, retrocedeu ao nível de março de 2011 (medido pelo peso das prestações, o serviço da dívida, sobre a renda, na média). O desemprego alto, a desconfiança econômica ainda grande e a retranca de bancos e consumidores devem estar segurando os negócios.

O investimento na construção civil (imóveis e infraestrutura) apenas parou de piorar, mês a mês, no terceiro trimestre de 2017. No ano, a queda deve ter sido ainda de uns depressivos 6%. Desde o terceiro trimestre do ano passado, porém, as incorporadoras parecem mais animadas.

Resumo da ópera, a baixa do preço médio dos imóveis deve estar chegando ao fim. Na média, não estão exatamente baixos, não tem casa barata em baciada, mas o mercado deve ter vários bons negócios, para quem fuçar (além de gente dona de imóvel encalhado e com dívidas a pagar)
Herculano
04/01/2018 07:28
REFORMA DA ESPLANADA É UMA TROCA DE CÚMPLICES, por Josias de Souza

Se 2017 foi o ano da tempestade, 2018 será o ano da cobrança. Depois de vender a alma para enterrar duas denúncias criminais na Câmara, um exame de consciência levaria Michel Temer a pensar numa boa faxina. Mas este é um governo guiado pela inconsciência moral. E o presidente, sem demora, já nas primeiras horas do ano, deflagrou uma nova orgia em cima dos detritos da farra anterior. Não teve tempo nem de limpar a mancha na almofada, colocar o abajur em pé e verificar se alguém ficou escondido atrás do sofá. Reabriu o balcão das barganhas à luz do dia, na frente das crianças.

Se a Lava Jato serviu para alguma coisa foi para elevar à última potência a sensação de que o caruncho do clientelismo e do fisiologismo resulta em corrupção. Mas Temer decidiu que todas as zonas da administração pública entregues a partidos com vocação para tirar lasca$ do Estado serão mantidas sob os cuidados das mesmas legendas. Os suspeitos que deixarem a Esplanada para ir às urnas darão lugar a outros suspeitos indicados pelos mesmos PTBs e PRBs. É como se o governo admitisse tacitamente que considera uma dose de perversão inevitável.

Em qualquer país do mundo, um volume de 12,5 milhões de desempregados levaria o governo a tratar com reverência uma pasta batizada de Ministério do Trabalho. No Brasil de Temer, esse pedaço vital da máquina pública pertence ao PTB. E passará a ser gerenciado pela deputada Cristiane Brasil, filha do ex-deputado Roberto Jefferson. Na saída de um encontro com o presidente, Jefferson contou como tudo se deu:

Pedro Ladeira/Folha"O nome dela surgiu, não foi uma indicação. Nós estávamos conversando, aí, falou, 'Roberto, e a Cristiane, por que não a Cristiane?'. Foi da cabeça do presidente. Ela é uma menina experimentada, foi secretária municipal em vários governos na cidade do Rio de Janeiro, por que não? Falei, 'presidente, aí o senhor me surpreende, eu vou ter que consultar'. Aí liguei para ela. Ela disse: 'pai, eu aceito'."

Súbito, as lágrimas inundaram os olhos de Jefferson diante das câmeras. Está emocionado?, indagou uma repórter. O entrevistado confirmou. Delator do mensalão, Jefferson teve o mandato de deputado passado na lâmina. Condenado pelo Supremo Tribunal Federal a 7 anos e 14 meses de cadeia, puxou 1 ano e 2 meses de cana. Contra esse pano de fundo tóxico, disse ter enxergado na conversão da filha em ministra um resgate da imagem da família.

Que beleza! Os empregos continuam sumidos. Mas o governo sujo de Temer resgatou a imagem mal lavada do clã de Jefferson. "Alvíssaras!", gritarão os desempregados nas filas, brandindo seus currículos inúteis. O nome de Cristiane soou na delação da JBS como participante de negociação que rendeu R$ 20 milhões ao PTB. O dinheiro comprou o apoio da legenda à candidatura presidencial de Aécio Neves em 2014. Cristiane foi mencionada também na delação da Odebrecht como beneficiária de mochila com R$ 200 mil.

FolhapressNada disso resultou, por ora, em investigação, apressa-se em dizer a filha de Jefferson. Preocupação tola. Num governo presidido pelo primeiro presidente da história a ser denunciado criminalmente no exercício do mandato, um par de menções em inquéritos vale como medalhas de honra ao mérito. Não bastasse tais credenciais, ao pronunciar a frase fatídica ?""Pai, eu aceito!"?" a filha de Jefferson deixou aliviado o oligarca José Sarney, que vetara o deputado maranhense Pedro Fernandes, primeira sugestão do PTB para a pasta do Trabalho.

Assumirá a vaga de Cristiane na Câmara dos Deputados um suplente do também governista PSD, partido controlado pelo ministro Gilberto Kassab (Ciência e Tecnologia). Chama-se Nelson Nahin. É irmão de um político manjado: Anthony Garotinho. Arrasta a bola de ferro de uma condenação a 12 anos de cadeia por exploração sexual de menores e adolescentes no Rio de Janeiro. Passou uma temporada de quatro meses atrás das grades. Foi libertado em outubro passado, graças a um habeas corpus do Supremo Tribunal Federal..

O condenado Nahin será recepcionado na base congressual de Temer com fogos de artifício. Se der uma declaração a favor da reforma da Previdência, verá um tapete vermelho estender-se sob seus pés na entrada do Palácio do Planalto. Não demora e estará na fila das emendas e dos cargos, pois em Brasília nada se cria, nada se transforma, tudo se corrompe.

Mal foi resolvido o impasse da pasta do Trabalho, já aportou na mesa de Temer a carta de demissão do ministro da Indústria e Comércio. Você talvez não se lembre, mas esse outro cargo estratégico era ocupado por um personagem opaco: Marcos Pereira. Trata-se de um pastor da igreja Universal, que dá as cartas no PRB. Ele responde a inquérito no Supremo. Seu nome também soou na delação da JBS. Mas Temer já bateu o martelo: a vaga permanecerá com o PRB. Amém!

Estima-se que até o início de abril, prazo limite para que os candidatos deixem seus cargos no Poder Executivo, pelo menos 17 ministros pedirão para sair. Mantido o padrão das primeiras substituições, os partidos que enxergam na Esplanada oportunidades de negócios não perdem por esperar. Ganham!

O problema não começa nas legendas. Começa no presidente, que oferece graciosamente os ministérios. Temer não é o primeiro a fazer isso. É apenas um dos mais despudorados. Se existem áreas abertas à barganha mesmo com a Lava Jato a pino é porque o cinismo tornou-se uma marca indissociável do atual governo. PTBs e PRBs apenas jogam o jogo que lhes é proposto. E Temer decidiu tratar a reforma de sua equipe de governo não como uma substituição de ministros, mas como uma troca de cúmplices.
Herculano
04/01/2018 07:26
ALIADOS DE MICHEL TEMER APOSTAM EM "TUCANOS óRFÃOS" PARA MELHORAR AVALIAÇÃO DO PRESIDENTE

Conteúdo da coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo. Texto de Daniela Lima, Thais Arbez e Júlia Chaib

O atalho
Aliados de Michel Temer querem melhorar a avaliação dele e de sua gestão atraindo o que têm chamado de "tucanos órfãos". Medições recentes apresentadas ao Planalto mostram uma pequena, mas celebrada melhora na avaliação do emedebista nas redes sociais. Segundo a equipe do presidente, ele teria hoje 7% de ótimo e bom e 25% de regular. Conquistar o eleitor que se desgarrou do PSDB seria o ponto de partida para chegar à eleição com um índice menor de rejeição.

Fala sério
Os aliados de Temer dizem que uma melhora na avaliação faria do presidente um eleitor importante no pleito de outubro. Há dúvidas, no entanto, em nomes de fora do MDB, se ele tera capacidade de transferir algo além de rejeição.

Dois cavalos
Pré-candidatos ao Planalto estudam uma forma de dizer ao MDB que, talvez, o ideal seja o partido lançar um nome solteiro para defender o presidente e apoiar, nos bastidores, um outro postulante, que se apresente como independente.

Gota d'água
Marcos Pereira (PRB) planejava deixar o Ministério da Indústria em março, próximo do período de desincompatibilização determinado pela legislação eleitoral, mas decidiu antecipar o movimento após os sinais de que o governo não bancaria o Rota 2030, nova política para o setor automotivo.


Desilusão
Na carta de demissão, Pereira deixou claro seu descontentamento. Disse não ter sido "possível entregar ao país, por fatores alheios à nossa vontade, uma política automotiva compatível com a grandeza e a importância desta cadeia produtiva".

Parcelado
Depois de perder o terceiro ministro em um mês, Temer orientou aliados a repetir o discurso de que o governo tem total controle sobre a troca das pastas. Reafirma que não há um desmonte, mas uma reforma ministerial em curso desde dezembro.

Sei não
Cristiane Brasil (PTB-RJ) assume o Ministério do Trabalho sem garantir que não vai disputar a reeleição
Herculano
04/01/2018 07:13
PT COSPE NUM PRATO QUE JÁ NÃO PODE COMER, por Josias de Souza

O PT espalha pela internet um bordão: "Eleição sem Lula é uma fraude." Esse slogan embala um movimento que se autoproclama defensor "da Justiça, da democracia e da candidatura de Lula." Na Justiça do PT, o único veredicto válido é a absolvição de Lula. Na democracia do PT, o único aceitável é a re-re-reeleição de Lula. No Brasil paralelo que o PT construiu para si mesmo, o único caminho para a felicidade é a candidatura de Lula.

No Brasil real, que o PT finge não existir, Lula é um presidenciável precário, que imprime no processo eleitoral um rastro pegajoso. Suas pegadas são feitas de mensalão, petrolão, apartamento de praia, sítio de veraneio, tráfico de influência, contas milionárias e palestras de fancaria.

Em 24 de janeiro, a segunda instância do Judiciário pode grudar em Lula um veredicto que fará dele candidato favorito à cadeia, não ao Planalto. O companheiro José Dirceu, multi-condenado no mensalão e no petrolão, antecipa a reação do PT. Chama a provável condenação de Lula de golpe do Judiciário. Se golpe houver, será contra a impunidade. Noutros tempos, o PT exigia pratos limpos. Hoje, suprema ironia, o partido cospe num prato em que já não pode comer.
Herculano
04/01/2018 07:11
COM NOVA MINISTRA, TEMER EXIBE PODER DA MÁQUINA PARA ELEIÇõES, por Bruno Boghassian

As negociações explícitas para definir o comando do Ministério do Trabalho desnudam mais uma vez o fisiologismo da política nacional, mas também dão uma pista do poder que Michel Temer pode exercer para influenciar o jogo eleitoral deste ano.

Ao decidir entregar o cargo à deputada Cristiane Brasil (RJ), o presidente fez um agrado mais do que óbvio ao cacique maior do PTB, Roberto Jefferson, pai da nova ministra.

O delator do mensalão manda no partido: lidera as articulações para que a bancada de deputados vote a favor da reforma da Previdência e, principalmente, negocia (e determina) alianças da sigla para as eleições.

Considerando o jogo político que se dará nas urnas, Temer escolheu o lado mais poderoso no embate discreto que era travado entre Jefferson e o líder do PTB na Câmara, Jovair Arantes (GO), pela indicação da chefia do ministério.

O partido já comandava a pasta, mas a escolha da nova ministra é um prêmio e tanto às vésperas de uma campanha que será marcada pela escassez de financiamento.

O Ministério do Trabalho tem um orçamento modesto, mas o espaço é cobiçado por políticos que sabem tirar proveito de sua estrutura.

A pasta tem poder de autorizar a abertura de sindicatos e distribuir cargos pelo país. Essa capilaridade tende a ser útil na hora de pedir votos para os candidatos da sigla que comanda o ministério. Jefferson e seu grupo devem estar gratos a Temer.

Considerado tóxico por chefes dos partidos aliados, o presidente corre o risco de ficar isolado nas articulações de sua própria sucessão, mas é prematuro menosprezar seu poder.

Até abril, outros 13 ministros deixarão seus cargos para entrar em campanha. Temer terá a caneta na mão para oferecer a outros seis partidos a indicação de seus substitutos. A gratidão será cobrada quando o presidente precisar negociar o apoio dessas siglas a um candidato que defenda seu legado nas urnas
Joaquim Nabuco
04/01/2018 06:38
Herculano

Ai PETEZADA de M...., e agora,falem sobre o acordo que a PETROBRAS acabou de fazer nos EUA, R$ 10 Bilhões de reais, referentes a roubalheira do P T, nos governos LULA e DILMA.Vamos lá nas redes sociais, expliquem isso, estamos esperando vocês se manifestarem. Seus montes de M...., é isso que vocês são. Coragem, vamos.
Olho aberto....
03/01/2018 22:10
O Samae ta de mal a pior mas o que o vereador mais longevo de Gaspar, Melato, andou pregando no Samae na última semana antes das férias, contradiz o acima. Gabou-se dos números de 2017. Quantidade de serviços realizados pra comunidade, economias em R$ pro Samae, bla, bla , bla.... Mas os ele não mostrou, mas que todos já sabem, foram os números que ele deixou de fazer ao Samae, aos servidores e a comunidade, tais como: AOS SERVIDORES: deixou de fornecer uniformes e equipamentos de proteção, faltou instrumentos de trabalho, como pás, enxadas, tendo-se um dos diretores ter q comprar com dinheiro de seu próprio bolso. Teve vários pedidos de progressão e licenças premio negados, sendo esses dois, direitos adquiridos pelo servidor. Ainda, foram muitos os processos administrativos abertos no decorrer do ano, alguns por pura perseguição política pra mostrar que manda. Sem mencionar a total centralização das decisões deixando os diretores sem qualquer autonomia. Isso demonstra o que? Ou é por querer ser o dono sozinho do Samae ou por que seus diretores não entendem de nada?Por fim, todos os servidores por lá andam insatisfeitos. A COMUNIDADE: falta de respeito com a gente. Muitas vezes não tivemos água em nossas torneiras e nem ao menos fomos comunicados previamente. Mas a conta sempre chega em dia. Enfim, é fácil ser um bom administrador quando so se mostra um lado da moeda. Que nos espera nos próximos 3 anos... Deus nos proteja!
Paty Farias
03/01/2018 20:34
Oi, Herculano

Do jornalista Políbio Braga:

"A Frente Brasil Popular, grupo de renegados sociais de várias tendências de esquerda que se organizou para defender o réu condenado por corrupção, Lula da Silva, conseguiu pouco dinheiro com a vaquinha para bancar a baderna durante o julgamento de Lula em Porto Alegre.

Até agora, o bando só recolheu 35 mil reais.

Sem dinheiro do imposto sindical para forrar as burras dos sindicatos filiados ao aparelho do PT, a CUT, está difícil conseguir recursos para comprar sanduíches de mortadela.

Sem sanduíche de mortadela, militantes de verdade não querem saber de ir para as ruas defender Lula."

A vaquinha do PT não é vaquinha leiteira.
Herculano
03/01/2018 18:52
MINISTRO DA INDÚSTRIA MARCOS PEREIRA PEDE DEMISSÃO

Conteúdo do jornal O Estado de S. Paulo. O ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira (PRB), pediu demissão no início da tarde desta quarta-feira. Em carta entregue ao presidente Michel Temer, Pereira afirmou estar deixando a pasta para poder se dedicar a questões pessoais e partidárias.

É a terceira baixa no ministério de Temer em um mês. No último dia 27, o deputado federal Ronaldo Nogueira (PTB) pediu demissão do cargo alegando querer se dedicar ao seu projeto eleitoral. No início de dezembro, Antonio Imbassahy (PSDB) um dia antes da convenção nacional tucano que referendando o governador Geraldo Alckmin na presidência do PSDB.

Marcos Pereira alegou a Temer que precisava se desincompatibilizar do governo para "trabalhar" sua campanha para deputado federal. Pela legislação, ele teria até o início de abril para se desligar do cargo de ministro. No pedido de demissão, segundo essas fontes, Pereira, que é bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus e um dos líderes do Partido Republicano Brasileiro (PRB), reiterou apoio ao governo, mas disse que tem que reestruturar o partido nacionalmente para as eleições e será candidato a deputado federal. Por isso, não conseguirá conciliar essas ações com a gestão do ministério.
Herculano
03/01/2018 18:43
MINISTRO, SOBRE ESPERNEIO PETISTA: "É CONFISSÃO DE CULPA"

Conteúdo de O Antagonista. O gaúcho Osmar Terra, ministro do Desenvolvimento Social, não se surpreende com as ameaças que os petistas andam fazendo para 'salvar Lula' no julgamento do dia 24, em Porto Alegre.

Disse o ministro a O Antagonista:

"Tentar arrancar do TRF-4 a absolvição do Lula desse jeito, na pressão e no grito, é confissão de culpa antecipada, além de uma gravíssima tentativa de desmoralizar a nossa Justiça."
Herculano
03/01/2018 18:40
da série: o tamanho do roubo dos pesados impostos dos brasileiros e a razão pela qual o PT, PSOL, PCdoB, PDT, PCO, PSTU, Rede, PSB entre outros da esquerda do atraso parasitas do estado defendem tanto as empresas estatais. É para elas abrigarem nos empregos e serem caixa da corrupção.

PETROBRAS PAGA US$ 2,95 BILHõES PARA COBRIR ROUBO DA ORCRIM

Conteúdo de O Antagonista. A Petrobras vai desembolsar 2,95 bilhões de dólares para encerrar seus processos em Nova York, diz o G1.

É mais uma conta de Lula que o Brasil tem de pagar.

Em nota divulgada nesta quarta-feira no site da CVM, a Petrobras diz que "o acordo, que ainda será submetido à apreciação do juízo norte-americano, objetiva encerrar todas as demandas atualmente em curso e que poderiam vir a ser propostas por investidores em ações e bônus da Petrobras adquiridos nos Estados Unidos (?).

Este acordo elimina o risco de um julgamento desfavorável que, conforme anteriormente reportado ao mercado no formulário anual arquivado na bolsa de valores brasileira e americana, poderia causar efeitos materiais adversos à companhia e a sua situação financeira."
Herculano
03/01/2018 12:29
SAMAE INUNDADO. MAIS UMA VEZ FALHA A ESCALA TÉCNICA E O óBVIO E O BELCHIOR FICOU SEM ÁGUA

Dia 31 de Dezembro, o Distrito do Belchior ficou sem água. Motivo? Dia 30, à noite não tinha operador na ETA - Estação de Tratamento de Água, do Bela Vista.

Ai, segundo relatos dos que estão no Samae, foi deslocado o operador do Belchior para o Bela Vista. Antes, ele desligou a ETA do Belchior às 17 horas do dia 30 religando somente as 7:30 do dia 31.

O que aconteceu? Secou reservatório. Consequência? Quando a água voltou, veio suja e o "berreiro" foi grande.

Ontem, dia dois, foi o dia da Rua Luiz Franzoi, na Margem Esquerda e toda sua transversais nos pontos mais altos ficarem sem água. Motivo? Problemas no booster(uma bomba de pressão na rede) da Margem Esquerda. Pior arrumaram à meia-boca, no sistema implantado pelo Gaspar Eficiente( seria, deficiente?). E por que? Porque não há bomba reserva, com o improviso ela não funciona no automático, não reconhece a pressão e trava. E ai que não recebe a água são os clientes do Samae que são cobrados mesmo sem a água em casa. Acorda, Gaspar!
Herculano
03/01/2018 12:15
LIBERDADE DE EXPRESSÃO.ADVOGADO É CONDENADO PELO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SANTA CATARINA POR DIZER QUE JORNAL É UMA "MERDA"

Conteúdo do site Jota, especializado em eventos do Judiciário. Texto de Kalleo Coura. Ao ler um editorial do jornal catarinense A Gazeta, de São Bento do Sul, que citava a fala do escritor Umberto Eco de que "as redes sociais deram voz a uma legião de imbecis", o advogado Luiz Antônio Novaski ficou indignado e publicou dois textões no Facebook.

O segundo deles dizia que o jornal servia bem para forrar o chão da lavanderia onde seus "dois cachorros dormem, para que façam seu xixi e suas fezes" e que havia "uma simbologia" "consistente em ver toda manhã a merda misturada com a merda". O texto foi acompanhado de uma imagem do jornal com fezes em cima.

A empresa que publica A Gazeta processou o advogado por danos morais "por ridicularizar a parte autora perante todos os usuários da rede social" e por macular "a imagem e a boa fama que a requerente sempre manteve perante a sociedade".

A Quinta Câmara de Direito Civil do Tribunal de Justiça de Santa Catarina concordou com o jornal e condenou o advogado a pagar R$ 10 mil por danos morais.

Segundo o relator Henry Petry Junior, o texto "excedeu o caráter dialético e alçou-se ao campo da ofensa" "em razão das afirmações incisivas e severas e, sobretudo, pelo uso de fotografia com página do periódico da autora coberta por líquido e massa assemelhados, respectivamente, a urina e fezes, com mácula à honra objetiva e à imagem da autora".

O fato de o réu, com o texto e a imagem, dizer "que o periódico da ré é uma 'merda' é uma forma incisiva e severa, em excesso ofensivo, de discordar de seu conteúdo" e, argumenta o magistrado, "representa excesso ilícito, sendo incompatíveis com os limites da liberdade de expressão e do Estado Democrático de Direito".

Ao definir ainda a quantia do dano moral, o relator afirmou que o réu "é advogado, atividade profissional que, pelas regras de experiência comum (art. 335 do Código de Processo Civil), tende a propiciar uma situação econômico-financeira, no mínimo, estável, notadamente pelo considerável importe dos honorários cobrados pelos serviços advocatícios, conforme tabelamento de valores mínimos elaborado pelo próprio órgão de classe".

Luiz Antônio Novaski diz estar indignado com a condenação. "Lamento e vejo uma infeliz tentativa de censura. Vou entrar com recurso especial e recurso extraordinário não tanto pelo valor, mas para garantir meu exercício do direito de expressão", afirmou em entrevista. O jornal, procurado, não se manifestou sobre o processo.

Na primeira instância, o juiz Romano José Enzweiler havia entendido de maneira diferente do tribunal. Numa sentença de cinco páginas, ele afirmou que ao lado da liberdade de expressão, e até para sua garantia e sobrevivência, há de se ter em conta também, como outro lado da moeda, a responsabilidade.

"Porém, da análise dos textos reproduzidos acima, apesar de possuírem eles expressões incisivas, não se pode dali inferir ofensa à honra objetiva da postulante", decidiu. O entrevero de São Bento do Sul, em breve, deverá chegar aos tribunais superiores".
Sidnei Luis Reinert
03/01/2018 11:32
Manifesto Capitalista


Artigo no Alerta Total ?" www.alertatotal.net
Por Antônio José Ribas Paiva

Os escombros do Muro de Berlim sepultaram o comunismo em todo o mundo.

A própria China passou para o capitalismo privado.

Aqui, parece que as notícias não chegaram, os comunistas continuam a mentir e infernizar o Brasil desde o início do século passado. Tiranizam, roubam e massacram as pessoas aos milhões, com a desculpa de levá-las ao paraíso na Terra.

Agora chega! Temos que afastar essa ditadura comunista demoníaca da vida pública, que só produz miséria. Quem quiser ir para o inferno, que vá sozinho, deixe em paz a Nação Brasileira!

Para desinfetar as INSTITUIÇÕES, precisamos intervir no processo político, para afastar o crime dos Três Poderes, Criminalizar o comunismo, nomear um GOVERNO DE TRANSIÇÃO PARA A DEMOCRACIA, aprimorar e fortalecer os mecanismos institucionais, adequar a constituição, colocando o Estado a serviço da Nação e convocar eleições, com regras seguras, que garantam a liberdade de escolha dos eleitores e impeçam a usurpação do crime.

Para salvar o Brasil, basta que as FORÇAS ARMADAS cumpram a sua DESTINAÇÃO CONSTITUCIONAL (Art 142) e, como mandatárias do povo, promovam, imediatamente, a INTERVENÇÃO INSTITUCIONAL!!!

Vamos varrer o satânico comunismo do nosso paraíso!

BRASIL! ACIMA DE TUDO!!!


Antônio José Ribas Paiva, Jurista, é Presidente do Nacional Club.
Herculano
03/01/2018 11:30
ENTIDADE VAI AO CONSELHO DE ÉTICA CONTRA MARUN, QUE MINIMIZA: "NÃO POSSO ME PREOCUPAR POR POUCA COISA"

Conteúdo da Rádio Jovem Pan. O Fórum Permanente de Carreiras Típicas de Estado (Fonacate) protocolou nesta quarta-feira (03) uma representação na Comissão de Ética Pública da Presidência da República contra Carlos Marun, ministro da Secretaria de Governo.

A entidade usou como base a declaração na qual Marun teria condicionado a liberação de recursos da Caixa Econômica Federal a Estados ao apoio de governadores na votação da reforma da Previdência, prevista para fevereiro.

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, Marun negou que tenha condicionado liberação de recursos e disse que mantém a posição de busca de apoio a todos os agentes públicos. Entretanto, ao falar sobre a entidade que protocolou representação contra ele, o ministro respondeu. "Fonacat, que nem sabia que existia? para proteger privilégios não falta associação, mas para trabalhar pelo Brasil são poucos. Minha resposta vai ser uma frase 'não condicionei'. E tenho certeza que essa representação, seja lá o que for, não faz parte do rol de coisas que me preocupa. Não posso me preocupar por pouca coisa, tenho coisa séria e grande para me preocupar", disse.

Sobre "coisa séria", o ministro deu a entender que ainda trabalha na busca de votos para a aprovação da reforma da Previdência. Sobre um possível adiamento da data da votação, marcada para o dia 19 de fevereiro, Marun disse que "não há a possibilidade".

"Agora sim você coloca algo que me preocupa. Sou uma pessoa transparente, não minto e ainda não temos voto necessários para a necessária reforma da Previdência. Estou sentindo clima positivo. Entendo que sociedade começa a se conscientizar na necessidade de tornar Previdência mais justa e menos desigual", admitiu.

Sobre os governadores, que chegaram a ser condicionados pelo ministro para obterem recursos a seus Estados, Marun não segurou as críticas: "tem hora que vejo alguns governadores como se fosse violinista do Titanic. A água bate no peito, mas segue a música tentando levar as pessoas uma imagem falsa da realidade".

Voltando ao condicionamento na liberação de recursos, Marun disse esperar reciprocidade e reiterou que não chantageou ninguém. "O Brasil espera reciprocidade? Esperamos. Queremos que agentes públicos sejam responsáveis. Neste momento estou focado nesta missão e entendo que o Governo se esforçar, ter foco, dialogar com todos os agentes públicos, tentando convencê-los, penso que isso não é chantagem e por isso que eu continuo conversando. Estou aqui fazendo isso".

No que diz respeito à oposição, Marun disse que não é mais possível ser contra a reforma da Previdência baseado em argumentos. "Não existem argumentos para que se estabeleça oposição à reforma. Existe oposição ao Governo, que é oposição ao Brasil, e existe preocupação para com as eleições, e é justo. É questão que devemos levar em consideração. Mas, efetivamente, um argumento que contraponha a reforma não tem sido apresentado".
Herculano
03/01/2018 10:17
da série: o Brasil que não consegue se livrar das capitanias hereditárias

SARNEY REINA SEM O INCôMODO DE SENTAR NO TRONO, por Josias de Souza.

Passadas as festividades do Natal e do Ano Novo, o governo inaugurou 2018 com os olhos voltados para a próxima festa do calendário. Michel Temer carnavalizou sua administração. Num instante em que mais de 12 milhões de brasileiros amargam os efeitos do desemprego, o presidente negocia o cargo de ministro do Trabalho numa gangorra que tem o PTB de Roberto Jefferson numa ponta e José Sarney na outra.

Quando Sarney interrompe sua aposentadoria para vetar a nomeação de um ministro indicado pelo PTB, a plateia fica autorizada a suspeitar que o Brasil é governado pelo time reserva do PMDB. Num ambiente assim, os nomes inadequados cogitados para o ministério tornam-se secundários. O que desanima é o ponto a que chegou o Brasil.

Conhecíamos a democracia condicional. Nela, qualquer um podia ser presidente, desde que usasse farda e tivesse quatro estrelas. Chegou-se à Presidência acidental de Sarney. É parecido com o rei Momo. A diferença é que o Carnaval de dura o ano inteiro e Sarney não precisa sentar no trono para reinar. Dono de um inesgotável poder presumido, Sarney mandou sob Lula e Dilma. E desmanda sob Temer. Em ritmo de skindô-skindô, o exercício formal da Presidência seria um rebaixamento para Sarney.
Herculano
03/01/2018 10:14
da série: quando candidatos, todos os políticos são iguais, apontam culpados e soluções.Quando no poder, também: apontam só culpados que não sejam eles próprios

'CAIADO BUSCA FAZER DA TRAGÉDIA UM PALANQUE ELEITORAL'

Conteúdo de O Antagonista. Mais cedo, como registramos, Ronaldo Caiado, pré-candidato ao governo de Goiás pelo DEM, culpou a gestão de Marconi Perillo pelo motim no presídio de Goiânia, com presos carbonizados e decapitados. "Tragédia anunciada e negligenciada", definiu.

José Eliton, atual vice e o candidato a sucessor do tucano, respondeu:

"Enquanto todos nós estamos consternados com os episódios ocorridos no sistema penitenciário, nos solidarizando com as famílias que foram atingidas, é triste ver a irresponsabilidade do senador Ronaldo Caiado que, de forma desumana, busca fazer da tragédia um palanque eleitoral."

Para José Eliton, a rebelião neste início de ano na capital goiana "é resultado de fatores que se repetem em todo o país, envolvendo guerra de facções criminosas".
Herculano
03/01/2018 10:09
da série: um debate antigo, mas tão atual.

REFÚGIO DOS CANALHAS, por Olavo de Carvalho,filósofo, jornalista, escritor e pensador conservador, em artigo publicado originalmente no dia 26 de maio de 2001, na revista Época.

Os apóstolos do Estado nacional, que espumam de indignação patriótica à simples idéia de privatizar alguma empresa estatal, tornam-se de repente globalistas assanhados quando um poder supranacional vem defender os interesses deles contra os interesses da pátria.

Essa conduta é tão repetida e uniforme que só um perfeito idiota não perceberia nela um padrão, e por trás do padrão uma estratégia. Desde logo, "a pátria" que eles celebram se constitui exclusivamente de estatais, onde têm sua base de operações e de onde dominam não somente uma boa fatia do Estado, mas também os sindicatos de funcionários públicos e seus monumentais fundos de pensão.

Defendendo sua toca com a ferocidade de javalis acuados, desprezam tudo o mais que compõe a noção de "pátria" e não se inibem de colocar-se a serviço de ONGs e governos estrangeiros quando atacam as instituições nacionais, desmoralizam as Forças Armadas, desmembram o território brasileiro em "nações indígenas" independentes, impõem normas à educação de nossas crianças, fomentam conflitos raciais para destruir o senso de unidade nacional e, em suma, arrebentam com tudo o que constitui e define a essência mesma da nacionalidade. Da pátria, só uma coisa lhes interessa: o dinheiro e o poder que lhes vêm das estatais.

Em segundo lugar, o nacionalismo que ostentam é de um tipo peculiar, desde o ponto de vista ideológico. É um nacionalismo seletivo e negativo, que enfatiza menos o apego aos valores nacionais do que a ojeriza ao estrangeiro - e mesmo assim não ao estrangeiro em geral, como seria próprio da xenofobia ordinária, mas a um estrangeiro em particular: o americano.

Assim, por exemplo, não sentem a menor dor na consciência quando, sob o pretexto imbecil de que toda norma gramatical é imposição ideológica das classes dominantes, demolem a língua portuguesa e acabam suprimindo do idioma duas pessoas verbais (mutilação inédita na história lingüística do Ocidente); mas, ante o simples ingresso de palavras inglesas no vocabulário ?" um processo normal de assimilação que jamais prejudicou idioma nenhum, e que aliás é mais intenso no inglês do que no português ?", saltam ao palanque, com os olhos vidrados de cólera, para denunciar o "imperialismo cultural".

Ser nacionalista, para essa gente, não é amar o que é brasileiro: é apenas odiar o americano um pouco mais do que se odeia o nacional. Mas, para cúmulo de hipocrisia, seu alegado antiamericanismo não os impede de celebrar o intervencionismo ianque quando lhes convém, por exemplo quando ajudam alegremente a desmoralizar a cultura miscigenada que constitui o cerne mesmo do estilo brasileiro de viver e lutam para impor entre nós a política americana das quotas raciais, em consonância com as campanhas milionárias subsidiadas pelas fundações Ford e Rockefeller.

Do mesmo modo, seu antiamericanismo fecha os olhos à entrada de novos códigos morais ?" feministas e abortistas, por exemplo ?" improvisados em laboratórios americanos de engenharia social com a finalidade precisa de destruir os obstáculos culturais ao advento da nova civilização globalista.

Redução do nacionalismo à defesa das estatais, substituição do antiamericanismo ao patriotismo positivo, adesão oportunista ao que é americano quando favorece a esquerda: desafio qualquer um a provar que a conduta constante e sistemática da chamada "esquerda nacionalista" não tem sido exatamente essa que aqui descrevo, definida por esses três pontos.

Nunca, na História, houve patriotas a quem se aplicasse tão exatamente, tão literalmente e com tanta justiça a observação de Samuel Johnson, de que o patriotismo é o último refúgio dos canalhas.
Herculano
03/01/2018 09:57
A QUEDA DO DESEMPREGO E A REFORMA, por Alexandre Schwartsman, economista e ex-diretor do Banco Central, no jornal Folha de S. Paulo

Segundo dados do Ministério do Trabalho referentes à criação e destruição de empregos formais (Caged), houve em novembro destruição líquida de 12,3 mil postos, dado que foi rapidamente tomado por uns como prova do efeito negativo da reforma trabalhista que entrou em vigor naquele mês. Oportunismo misturado com ignorância, com preponderância do primeiro fator.

A começar porque deixa de lado o comportamento sazonal das séries, isto é, das flutuações dentro do ano que refletem particularidades de cada período, como, por exemplo, o aumento das vendas no Natal ou a queda da produção industrial durante o Carnaval. Uma vez ajustada a série a seu padrão sazonal, estima-se criação líquida de algo como 17 mil postos em novembro, um pouco mais do que o registrado em outubro (13 mil postos), e o segundo valor positivo neste critério depois de 35 meses negativos.

Além disso, se fôssemos julgar os efeitos da reforma trabalhista pelos resultados de novembro apenas, teríamos também que reconhecer a nova queda da taxa de desemprego registrada no mês, de 12,2% para 12% de acordo com os dados do IBGE (ou de 12,6% para 12,5% em termos dessazonalizados). Seria a reforma um sucesso?

Obviamente, não se trata de uma coisa, nem de outra. Não há como avaliar, ao menos não honestamente, o efeito da reforma trabalhista com base na observação de um único mês. Não apenas serão necessárias muitas outras observações, como também a análise precisará ir além do "subiu" ou "desceu", porque o mercado de trabalho deve continuar a melhorar este ano, com base na mesma dinâmica que vigorou em boa parte de 2017.

O desemprego, por exemplo, atingiu seu pico em março de 2017, quando o dado original do IBGE apontou para uma taxa de 13,7% naquele trimestre (13,0% com ajuste sazonal) e vem em queda lenta, porém consistente, desde então. Da mesma forma, o emprego total ?"que caíra pouco abaixo de 89,5 milhões dessazonalizado?" subiu para 91,5 milhões também sazonalmente ajustado. Assim, o emprego, que havia se reduzido a 53,5% da população em idade ativa, agora corresponde a pouco mais de 54% dela, longe de seus melhores momentos, mas em clara evolução.

Posto de outra forma, já há uma recuperação em curso e, com a aceleração do crescimento agora em 2018, não é difícil concluir que a geração de emprego será ainda mais vigorosa (e de melhor qualidade do que em 2017) e que o desemprego cairá, ainda que se mantenha na casa de dois dígitos.

Será isso motivo para saudar a reforma trabalhista? Se fôssemos usar os parâmetros dos críticos de hoje, a resposta seria afirmativa. Se, porém, usarmos critérios honestos, teremos que comparar o desempenho de 2018 àquele que vigoraria na ausência da reforma, tarefa bem mais complicada, ainda que não impossível.

Isso dito, não há mais dúvidas sobre a recuperação da economia. Os que afirmavam que esta seria impossível sem o estímulo do gasto público tiveram que mudar a "narrativa", que agora foca a "lentidão da retomada", como se esta não fosse consequência do excesso de endividamento público causado por suas políticas irresponsáveis.

De qualquer forma, quando aparecer novo número negativo do Caged de dezembro, como ocorreu em todos os dezembros dos últimos 24 anos, não caiam no conto dos oportunistas.
Herculano
03/01/2018 07:25
da série: a ironia é explícita, o guerrilheiro e articulador do desastroso governo do PT depois de ser beneficiado pela Justiça, diz que vai enquadrá-la ela só lado, o dele. E os togados, ideológicos, de joelhos. Pobres brasileiros.

DIRCEU:"NÃO VAMOS PERMITIR A DITADURA DA TOGA", por Josias de Souza

Às vésperas do julgamento que pode tornar Lula inelegível, o grão-petista José Dirceu levou à internet um vídeo no qual chama de "golpistas" os desembargadores do Tribunal Federal de Recursos da 4ª Região. Acusa-os de agir com o propósito deliberado de impedir a candidatura presidencial do líder máximo do PT. A peça foi divulgada no site 'Nocaute', do escritor Fernando Morais.

Disse Dirceu, a certa altura: "Por isso o povo está de costas para eles, para os golpistas, para aqueles que querem refundar a República quando não receberam esse mandato da nação. São juízes, não foram eleitos, mas fazem algo mais grave. Querem usurpar o poder do Legislativo e do próprio Executivo, violando direitos fundamentais. Tudo em nome de impedir Lula de ser candidato. Mas nós derrotamos a ditadura militar, que governava por Atos Institucionais, e n?o vamos permitir a ditadura da toga."

Condenado por Sergio Moro a nove anos e meio de cadeia por corrupção passiva, Lula recorreu ao TFR-4. Seu recurso será julgado em 24 de janeiro pelos mesmos desembargadores que já grudaram na biografia de Dirceu uma condenação de segunda instância pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa. No caso de Dirceu, além de confirmar o veredicto de Moro, os magistrados elevaram a pena de 20 anos para 30 anos de cadeia.

Libertado por decisão da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal, Dirceu arrasta uma tornozeleira eletrônica em Brasília. Pode ser devolvido à carceragem de Curitiba a qualquer momento. Aproveita o tempo fora do xadrez para reforçar o coro da hipotética perseguição política a Lula.

Sentenciado no mensalão e no petrolão, escândalos que têm raízes nos dois mandatos de Lula, Dirceu vive no Brasil alternativo criado pelo PT. Um país onde nada aconteceu. "Vamos juntos em 2018 combater para garantir Lula candidato, fazer a campanha, elegê-lo, dar posse a Lula, e de novo governar com o povo, pelo povo", pregou 0 ex-chefão da Casa Civil de Lula.
Herculano
03/01/2018 07:19
SEGURANÇA PÚBLICA NÃO TEM UM LADO, por Ilona Zsabó de Carvalho, cientista política, é diretora-executiva do Instituto Igarapé. É mestre em Estudos de Conflito e Paz por Uppsala, no jornal Folha de S. Paulo

O direito à segurança é consagrado da Bíblia aos tratados internacionais e está presente no artigo 5º da Constituição brasileira. Porém, a julgar pela tendência dos últimos anos, tudo indica que em 2018 pelo menos 60 mil brasileiros serão assassinados. O Estado brasileiro não consegue cumprir sua obrigação mais sagrada ?"proteger seus cidadãos. Por que isso ocorre?

Boa parte de nossos líderes e da sociedade possui uma visão desatualizada e ineficiente da segurança pública, enxergando-a como um serviço a ser prestado de cima para baixo e focada em policiamento. Apesar de pouco integrado e inteligente, o sistema de segurança pública e Justiça criminal inclui instituições que atuam na prevenção ao crime, as polícias, o Ministério Público, as varas de execução penal e o sistema penitenciário.

A responsabilidade sobre o setor deve ser compartilhada e não somente limitada a polícias, promotores, juízes e autoridades penais estaduais e federais. Envolve também prefeituras, setor privado e sociedade civil atuando em parceria com especialistas em prevenção, educação, planejamento urbano e desenvolvimento social e econômico.

É verdade que a operacionalização da segurança pública, de acordo com o artigo 144 da Constituição, é atribuição das polícias. Essa definição, no entanto, diz respeito à aplicação da lei e possibilidade de uso da força. Porém, a maioria das políticas e programas de prevenção da violência não requer a aplicação da lei ou o uso da força.

O primeiro passo para garantir a proteção dos brasileiros, em especial a dos mais vulneráveis, é valorizar a segurança como direito fundamental tão essencial quanto a educação e a saúde. A segurança é um bem público por natureza e sem ela é impossível obtermos avanços socioeconômicos. Os custos sociais da violência já equivalem a 2,5% do PIB brasileiro.

O passo seguinte requer a adoção de uma agenda prioritária que discutiremos nessa coluna. A agenda precisa ter metas claras e incentivos para a criação de um modo de lidar com a segurança pública que seja inclusivo, envolvendo autoridades nacionais, estaduais e municipais. As cidades precisam participar, atuando na prevenção e redesenhando o papel das guardas para uma atuação mais conectada com a população e integrada às polícias.

Há exemplos no Brasil e em países da América Latina de governadores e prefeitos que não apenas trabalham juntos para conter o crime e punir os criminosos, mas também investem na primeira infância, na educação, em oportunidades voltadas para jovens e iniciativas de urbanização inovadoras em áreas desprivilegiadas. É o caso de Medellín, que com foco em estratégias de prevenção em áreas vulneráveis reduziu a taxa de homicídios de 381 por 100 mil habitantes nos anos 90 para 21 por 100 mil hoje.

Finalmente, para alcançar uma segurança pública permanente, necessitamos de um pacto que resista ao teste do tempo. A lição a ser tirada dos programas de redução de crimes mais bem-sucedidos, da Colômbia aos Estados Unidos, é que eles precisam de planejamento e continuidade. Embora os governantes eleitos gostem de imprimir marca em suas gestões, é indispensável que estratégias e recursos sejam mantidos para além dos ciclos eleitorais. Isto só acontecerá se a sociedade se engajar. Segurança pública não tem lado
Herculano
03/01/2018 07:05
ESPERANÇA DE LULA SÃO OS 'EMBARGOS INFRINGENTES', por Claudio Humberto, na coluna que publicou hoje nos jornais brasileiros

A defesa do ex-presidente Lula já jogou a toalha e o preveniu de sua provável condenação por 2x1 votos, no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), de Porto Alegre, responsável por julgar recursos contra sentenças do juiz federal Sérgio Moro, da 13ª Vara Criminal de Curitiba. Se o placar de condenação não for unânime, enseja à defesa do ex-presidente lançar mão dos chamados "embargos infringentes".

OLHEIRO
Petistas atribuem ao desembargador Rogério Favreto, ex-assessor de Lula e nomeado por Dilma para o TRF4, previsões sobre a sentença.

PODE AUMENTAR
O TRF4 avalia recursos da defesa e do Ministério Público Federal, que pediu o dobro da pena de 9 anos e meio de prisão para Lula.

PROVOCAÇÃO
Os desembargadores da turma terão de deliberar sobre a prisão do ex-presidente por provocação dos procuradores da Lava Jato.

PRISÃO PREVISTA
Se Lula for condenado por 3x0, a expectativa e que sua prisão seja decretada, cumprindo norma definida pelo Supremo Tribunal Federal.

B3/CETIP ACUSADA DE BURLA PARA MANTER MONOPóLIO
A empresa B3/Cetip, da BMF/Bovespa, deverá ser investigada em denúncia ao Conselho Nacional de Trânsito (Contran) por usar supostamente uma empresa "laranja" para manter monopólio no mercado de registro obrigatório de contratos de financiamento de veículos. A resolução nº 689 do Contran veda empresa que opera gravame também operando contratos. A B3/Cetip estaria usando a Tecnobank de São Paulo para mascarar sua presença no mercado.

TERCEIRIZAÇÃO, NÃO
Regras de credenciamento do Detran-SP proíbem a terceirização do serviço através meio de empresa laranja, por exemplo.

FIM DO MONOPóLIO
O delegado federal Elmer Vicenzi, ex-diretor do Denatran, pôs fim ao monopólio da poderosa B3/Cetip e acabou substituído, em dezembro.

ELES QUEREM TUDO
A B3/Cetip tem monopólio do mercado de gravame, estimado em R$1 bilhão anuais. Procuradas, as empresas não comentaram a denúncia.

IGUAIS SE ATRAEM
A ex-presidente Dilma Rousseff escolheu passar o fim de ano no Condomínio Parque Interlagos exatamente na casa vizinha à de Ricardo Pessoa, chefe do cartel de empreiteiras preso na Lava Jato.

QUE AMBIENTE...
A presença de Dilma na casa de Rui Costa (PT), governador da Bahia, provocou reações dos moradores, que fizeram até "lavagem" do local. Lá também se meteu o marqueteiro João Santana.

RESGATE DA JUSTIÇA
A magistratura deposita grande confiança no ministro Dias Toffoli, com sua posse na presidência do Supremo Tribunal Federal, em setembro. Ele tem prometido resgatar o respeito nacional à Corte e à Justiça.

OBITUÁRIO
Ex-ministro de João Goulart e homem de bem, Armando Monteiro Filho faleceu nesta terça (2) no Recife. Deixou seis bisnetos, oito netos e cinco filhos, como Eduardo Monteiro, empresário vitorioso como o pai.

ATENÇÃO, TITE
Guardiola era treinador no Barcelona quando a Espanha foi campeã do mundo. Ele treinava o Bayern quando a Alemanha foi campeã. Agora, treina o Manchester City. E a Inglaterra é uma das favoritas da Copa.

COISA DIFÍCIL CUMPRIR A LEI
O sujeito adquiriu o "nome social" de "Deborah" e não pôde viajar: sua identidade é masculina. A empresa aérea cumpriu a lei e as regras de segurança, mas virou alvo do Ministério Público do Espírito Santo.

DIA DO TEIXEIRÃO
Celebra-se nesta neste 4 de janeiro o Dia de Rondônia, porque esta foi a data da posse, em 1982, do primeiro governador militar Jorge Teixeira de Oliveira, o Teixeirão. Ele governou até 1985.

VERGONHA RUSSA
Às vésperas de receber a Copa do Mundo, a Rússia, que vergonha, está barrada nos Jogos de Inverno na Coréia do Sul, em fevereiro. Seus atletas só podem competir individualmente, se estiverem limpos.

PENSANDO BEM...
...quando entrou em 2018, o ex-presidente Lula pensou no dia 24 de janeiro como data do seu julgamento ou do juízo final?
Herculano
03/01/2018 06:54
VENEZUELA EM NOVA FASE DE DESTRUIÇÃO, por Vinicius Torres Freire, no jornal Folha de S. Paulo

A Venezuela deve ser invadida pelas tropas de uma coalizão formada por Estados Unidos, Europa e América Latina, a convite da Assembleia Nacional, de maioria oposicionista. Este "exército de liberação" daria apoio a um novo regime, que substituiria o governo de Nicolás Maduro, que teria sido impedido pelos parlamentares.

Quase lembra um roteiro do gênero Rambo escrito por um comentarista da Fox, a TV americana de birutices reacionárias. Mas é a sugestão de um professor da escola de governo da Universidade Harvard, o venezuelano Ricardo Haussmann.

Haussmann em geral não é doido. É um respeitado economista do desenvolvimento. Foi ministro do planejamento (1992-93) de seu país. Participa de conversas a respeito do que fazer da Venezuela. Mas propôs esse seu plano em artigo publicado no segundo dia de 2018, no site Project Syndicate.

É uma medida do desespero demencial no país. Dado o derretimento político e humanitário da Venezuela, tratar de economia parece quase alienação. Não é o caso.

Medidas independentes registram que a inflação de outubro foi a 50%, acumulando 1.400% em 2017, até aquele mês. Nesse ritmo, deve ter fechado o ano perto de 3.000%.

É um sintoma terminal de desgraça socioeconômica. Faz uns dois anos, o governo deixou de publicar estatísticas regularmente. A Assembleia Nacional calcula a evolução dos preços desde o início do ano passado, com resultados similares ao de pesquisas privadas.

Mesmo a variação do PIB deixou de constar oficialmente de estatísticas internacionais desde 2015 ?"há estimativas. Contas feitas com base em dados da ONU indicam que o PIB per capita caiu quase 30% desde 2013. A renda per capita teria caído a um nível 12% inferior ao de 1990 ou 18% inferior ao de 1998, ano da eleição de Hugo Chávez (1954-2013).

É uma situação de guerra, de Grande Depressão sem fim. Pode-se argumentar que a desigualdade caiu nos anos bolivarianos. É verdade, mas isso nem de longe compensa o desastre do empobrecimento e nem foi resultado tão diferente dos demais países da região.

De 2002 a 2008, o índice Gini de desigualdade caiu 1,7% ao ano, mais que no Brasil (1% ao ano), mas menos que em países como Bolívia, Paraguai, Peru ou Argentina. De 2008 em diante, a desigualdade parou de cair, ao contrário de quase todos os países da América do Sul (dados da Cepal, com base em estatísticas nacionais).

A produção de petróleo da estatal PDVSA cai pelo menos desde 2015, cada vez mais rápido (dados da Opep). O orçamento do governo e da PDVSA, quase a mesma coisa, apenas fecha com financiamento inflacionário, via Banco Central (19% do PIB em 2016, segundo o "Balanço Preliminar da Economia da América Latina" de 2017 da Cepal, o braço econômico da ONU para a região).

As exportações do país caem brutalmente e, ainda mais, as importações, o que equilibra as contas externas ao custo de arrocho de consumo e de oferta de produtos básicos. Mesmo com o arrocho, o país começou a dar calote oficial em sua dívida externa no final do ano passado.

A Venezuela quebrou em todas as frentes, mas pode piorar. A guerra sociopolítica odienta que já dura quase três décadas ainda não terminou. Deveríamos tomar nota.
Herculano
03/01/2018 06:50
TUDO TEM SEU NOME CERTO, por Carlos Brickmann

Um dia, perguntaram a Lula se era comunista. "Não", respondeu. "Sou torneiro mecânico". Lula tinha razão e não tinha: não era comunista (como não é até hoje); torneiro mecânico tinha sido quando ainda era capaz de lembrar-se dos comandos de um torno. Lula tem fascínio por Cuba e pela família Castro, mas deve achar Maduro um chato. Maduro, Evo e outros seres servem a seus objetivos e são descartáveis. Usou, gastou, lixo.
Lula não é comunista. Nem outros que são chamados de comunistas porque não seguem totalmente a religião do Estado mínimo ?" até Fernando Henrique, que privatizou a Vale e a telefonia, virou comuna, porque torce para que Lula não vá preso. E João Doria, onde achará um cashmere vermelho para enrolar na gola do macacão
Ferragamo sob medida?

Kim Kataguiri, direita? Imagine um debate sobre Economia, com Bolsonaro, Kim e o Instituto Mises. Kim teria de recorrer ao notável livro O caminho da servidão, de Friedrich Hayek: para debater à altura, só subindo no livro. E Suplicy, cuja tese da renda mínima vem da economia liberal, será direitista? Nem toda a direita é fascista, nem toda a esquerda é comunista. É preciso saber quem é quem para que o debate seja livre, sem ódios, e permita achar um caminho para o país.
Caso se mantenha a troca de insultos, como no futebol, acabaremos, como no futebol, tendo jogos de torcida única. Que, em política, se chamam ditaduras.

A GUERRA DO PERNIL

O caro leitor acompanha a briga do presidente bolivariano Nicolás Maduro com fornecedores brancos, loiros, dizóio azul, neoliberais a serviço duzianque, que não entregaram os pernis encomendados pela Venezuela só porque a encomenda não foi paga?

Pois é: a informação de cocheira (ou, em se tratando de pernis de porco, de cocho) é de que 20 mil toneladas de pernil foram embarcadas pelos exportadores portugueses, e estão guardadas na Colômbia, pertinho da Venezuela, para entrega assim que Maduro pagar o preço combinado de ? 40 milhões. Mas não sejamos inflexíveis com Maduro: essa história de ele, como Pai dos Pobres, distribuir pernis ao seu povo, e por conta de produtores de outro país, é muito engraçada.

DINHEIRO VIRA PIPOCA

No Rio de Janeiro os salários do funcionalismo estão atrasados, faltam recursos para enquadrar os narcotraficantes em guerra, não há dinheiro para despoluir seu cartão de visitas, a belíssima Baía da Guanabara, acabaram as verbas para manutenção dos carros da Polícia (que andaram enguiçando em frente à bandidagem).

Mas houve dinheiro à vontade para pagar a mais longa queima de fogos do réveillon: 17 minutos de foguetório, disparado de grandes barcaças ancoradas perto da praia. Se houvesse 15 minutos em vez dos 17, qual a diferença? E 13, ou 10? Uma das cidades mais bonitas do mundo, com aquela orla, com o Cristo Redentor, teria a festa comprometida se houvesse menos volúpia em detonar o Tesouro carioca?

AMARELINHA RECORDE

Em São Paulo, a grande atração só não foi mais ridícula porque custou menos. Mas na Avenida Paulista foi batido o recorde mundial de gente pulando num pé só. Sim, fizeram isso. E não se limitaram a isso: fizeram a maior questão de registrar a besteira e incluí-la no Livro Guiness. Tudo bem, era feriado, festa, cada um se diverte como quer, mas recorde de amarelinha em grupo (para perna direita)?

Agora, vamos à perna esquerda!

O DINHEIRO DETONADO

Mas sejamos compreensivos com os gastos de nossos dirigentes, mesmo que pareçam estranhos. Vejamos como funciona nosso país fora das festas. O Brasil paga auxílio-moradia a 88 juízes de tribunais superiores, nove ministros do Tribunal de Contas da União, 553 conselheiros de tribunais de contas de Estados e Municípios, 14.882 juízes, 2.381 desembargadores, 2.390 procuradores do Ministério Público Federal, 10.687 procuradores dos ministérios públicos estaduais. Total das despesas com auxílio-moradia a quem, em geral, ganha bem, mora em sua própria cidade e, com frequência, em casa própria, em bairros nobres: R$ 1 bilhão e 580 milhões por ano.

É NOSSO, MAS É DELES

O ano que agora começa é especial: nele ocorre a grande festa eleitoral. A campanha vai custar R$ 1,7 bilhão, todinha com dinheiro público, como o PT vinha reivindicando e os adversários se apressaram a apoiar. Os donos dos partidos distribuem as verbas de acordo com sua vontade. Imagine.

FELIZ ANO VELHO

O Rio começou 2018 com tiroteios em três favelas, São Paulo com a morte de um menino de cinco anos, atingido por bala perdida e pela incapacidade do sistema de saúde, que durante seis horas não o atendeu. Em Goiás, nove presos morreram numa rebelião (houve mais duas, essas, porém, sem vítimas) e dez ficaram feridos.
O ano muda, o Brasil continua.
Herculano
03/01/2018 06:44
UM BRASIL POLITICAMENTE INCORRETO, Elio Gaspari, nos jornais O Globo e Folha de S. Pauylo

Duas informações trazidas pelo Datafolha podem ser úteis para que se conheça melhor o país que neste ano elegerá o presidente da República, 27 governadores, a Câmara dos Deputados e dois terços do Senado.

Mais da metade dos entrevistados (57%) disseram que as mulheres que fazem aborto devem ir para a cadeia, e dois terços (66%) são contra a legalização do consumo de maconha.

Outra pesquisa, do Ibope, informa que 49% de seus entrevistados declararam-se a favor da pena de morte. (Enquanto nos dois outros itens a pesquisa indica que a oposição caiu, neste os defensores da pena de morte aumentaram, pois em 2011 estavam em 31%.)

De pouco adianta adjetivar essas opiniões. A questão é substantiva: a banda do país que ainda vive os problemas do século 20 e, em certos casos, os do 19, está blindada em relação a alguns temas da agenda do 21. Não faz o gênero politicamente correto.

A descriminalização da maconha é um tema da agenda do 21. Já o direito das mulheres ao aborto foi tema do 20, ainda divide a sociedade americana e prevaleceu em dezenas de países. E os temas do 19? Estão diante dos olhos de todos os brasileiros quando leem ou ouvem que a polícia subiu um morro e matou "dois suspeitos". Suspeitos de quê? Em 1835, o ministro da Justiça falava de "uma população sempre perigosa". Eram os negros livres.

Há um Brasil que é pouco ouvido e mal-entendido, mas que está aí, não poderá se mudar para Miami, e em outubro irá às urnas. 53% dos entrevistados com renda superior a dez salários mínimos defendem a legalização da maconha e 70% querem a descriminalização do aborto. Na turma que anda de ônibus (até dois salários mínimos), o quadro inverte-se e só 26% concordam com as duas propostas. Moralista, essa faixa da população é a mais afetada pelo que resta da agenda do 19.

Ela associa o cheiro da maconha à bandidagem e quer a sua ordem porque mal consegue viver na desordem que lhe é imposta. Veja-se o caso do teleférico do Morro do Alemão, no Rio. Foi vendido como se fosse uma obra do século 21. A doutora Christine Lagarde, do FMI, andou nele e sentiu-se no Alpes. Se o bondinho do Pão de Açúcar ficar parado um só dia, o Brasil do 21 gritará. O teleférico do Alemão está parado há mais de um ano, mas sua clientela está na agenda do 19. (Em 2012 o teleférico transportava 10 mil passageiros por dia, o bondinho transporta 2.500.)

Nos últimos meses, o Rio teve mais manifestações a favor da liberação da maconha do que pela liberação do teleférico. Uma coisa não tem nada a ver com a outra, mas as duas querem dizer alguma coisa. No mínimo, que é mais confortável batalhar pela agenda do 21 do que reconhecer que a do 19 continua aí.

Os números do Datafolha e do Ibope apontam para um país que é de bom tom fingir-se que não existe. É a síndrome da Passeata dos Cem Mil, cujo cinquentenário comemora-se em junho. Foi um momento de esplendor da vontade popular, mas deu em rigorosamente nada. Uma imagem da multidão que marchou pela avenida Rio Branco tinha uma peculiaridade. Nela só havia um negro, o petroleiro Twist. (Fora da lente do fotógrafo Evandro Teixeira, havia outros. Gilberto Gil, por exemplo, na comissão de frente.)
Erva Daninha
02/01/2018 20:43
Oi, Herculano

"O PAÍS NÃO VAI TREMER SE LULA FOR CONDENADO", AFIRMA FHC

Alguém ainda dá importância ao que este boquirroto fala?
Tchau, FHC!
Sujiru Fuji
02/01/2018 20:17
"No fim das contas ninguém distingue a diferença entre PMDB, PP, DEM, PR, PT, PTB e FDP." Josias de Souza

EXCELENTE!!! KKKK...
Herculano
02/01/2018 18:29
"A VERDADE É QUE BOLSONARO ESTÁ PROCURANDO UM MONTE DE PARTIDO E ESTÁ ENCONTRANDO PORTAS FECHADAS"

Conteúdo de O Antagonista. O Antagonista apurou que o Natal e a virada do ano não amenizaram o clima entre Jair Bolsonaro e o Patriota, ex-PEN.

Walney Rocha, deputado pelo Rio de Janeiro e presidente do conselho nacional da legenda, disse a este site que está tentando marcar uma conversa com o deputado, "com menos agressividade", para a semana que vem.

"Repito a você: o partido não é dele, aqui não é uma coisa solta. Ele não pode chegar e fazer o que quer. De nossa parte, Jair Bolsonaro continua sendo nosso candidato à Presidência da República, mas a verdade é que ele está procurando um monte de partido e está encontrando portas fechadas."

Walney voltou a criticar a postura do presidenciável, que, segundo ele, "mexeu nos diretórios" para colocar seu pessoal.

"Tomamos o partido de volta. Se ele quiser [ser o candidato ao Planalto], a vaga é dele, mas a função dele não é montar diretórios, é ir para as ruas pedir voto. O Patriota tem comando, tem presidente, tem conselho. Não funciona assim."
Mario Pera
02/01/2018 17:31
Caro Odir, vivemos outros tempos na politica, em Gaspar não é diferente. Simplesmente ao léu se dão os votos. Lembro de um votação na Câmara em 1999, um suplente do PSDB simplesmente sumiu - onde seria votada uma Comissão Processante. O titular Amadeu Mitterstein tinha se licenciado. Resultado com empate a proposta da criação processante foi arquivada. O suplente apareceu noutro dia, com um atestado de um médico ginecologista de Curitiba (isto está registrado em doctos na imprensa de Gaspar e nos arquivos das bibliotecas). No mesmo dia comunicamos que o suplente seria expulso - eu era presidente e o partido faria isso, porque houvera fechado questão sobre a matéria, que tinha o próprio PSDB como um dos signatários do pedido de abertura da investigação. Hoje os partidos são postos apenas para uso de uma legenda. Que só será resolvido com fim de coligações proporcionais que obrigará todos os partidos concorrerem sozinhos e construirem bases. Na época que Odir cita as escolhas das mesas diretoras respeitavam a proporcionalidade e partidos ou coligaçao que detinham maioria dificilmente deixavam de assumir o comando. Estes acertos (acordos), não figuravam..são mais recentes e por isso acabam criando estas situações, porque na hora de fazer acordo (geralmente no começo da legislatura), ninguém quase conhece ninguém. Como bem dissesse embora aparentemente mais religiosos nesta época não havia tanto invocação a Deus, nem leitura de trechos biblícos. Ali é espaço para discussão, apreciação e fiscalizaçao as prerrogativas do Legislativo, há muito escanteadas. Vejam o caso do aumento da COSIP, basta questionar se algum vereador, mesmo da oposição procurou saber o valor arrecadado, o custo da manutenção e novos investimentos e se os recursos são aplicados exclusivamente no âmbito do objetivo da existência da Contribuição. Então se vê em todos os legislativos excessos de títulos de condecoração, aplausos, homenagens. E há traições de todo espécie. Na maior cara de pau.
Herculano
02/01/2018 16:44
Odir!

Excelente observação, conclusão e pedido.
Odir Barni
02/01/2018 16:05
GASPAR FAZ POLÍTICA COM A BÍBLIA NAS MÃOS.

Caro Herculano:

Sou seu assíduo leitor e como gosto de me inteirar da política regional, fico atento ao Município de Gaspar onde fui servidor público por 22 anos, minha intensão como político foi um desastre; não tinha dinheiro para concorrer com os demais candidatos; meu lema: DÊ SEU VOTO CONSCIENTE! Não foi um boa escolha, fazer o bem sem cobrar não traz os resultados esperados. Agradeço aos meus fiéis e leais eleitores que me deram: 219 votos em 1982 e 267 votos em 1992. Se tivesse sido eleito talvez não estaria de volta pra Brusque onde todos me conhecem e respeitam, exercendo meu trabalho com muito carinho na prefeitura onde comecei. Se eu fosse candidato hoje em Gaspar meu votos seriam menores, sou dos tempos em que tínhamos a Igreja Católica, a Igreja Luterana , a Igreja Assembléia de Deus e a mais antiga do Brasil a Igreja Adventista de Gaspar Alto. A Influência dos padres e pastores sempre foi decisiva nas eleições, casos até cômicos existem do saudoso Frei Otokar, udenista de carteirinha. Hoje lendo sua coluna vejo uma Câmara literalmente ligada as religiões,usando frases bíblicas para justificar seus posicionamentos. Ler a Bíblia é um dever Cristão, mas mais importante, é praticar seus ensinamentos; não adianta orar se não tivermos hospitais e remédios para a população. Gaspar pela sua história religiosa, terra de muitos Arcebispos e pastores poderia pensar, coletivamente, unir todos os segmentos para salvar o Hospital Nossa Senhora do Perpétuo Socorro que salvou muitas vidas com recursos das empresas e de seu abnegado povo. Espero que não rasguem a Bíblia pois a nossa Constituição já foi rasgada. SALVE GASPAR E VIVA 2018!
Pedro do Bela Vista
02/01/2018 15:24
Parabéns pela coluna. Só o senhor para nos esclarecer. No PMDB estão todos nervosos (vi isso num grupo de zap zap), mas como escreveu o senhor, sem razão. Ainda não perceberam que o problema são eles mesmos e os amigos íntimos como o Melato, o mais esperto de todos
Sidnei Luis Reinert
02/01/2018 12:32
Globo e Santander: Braços Demoníacos do Clube de Bilderberg


Artigo no Alerta Total ?" www.alertatotal.net
Por Sérgio Alves de Oliveira

Os recentes episódios "QUEERMUSEU", do Santander Cultural, em Porto Alegre, e do espetáculo "LA BÊTE", no Museu de Arte Moderna de São Paulo, ambos com enorme cobertura da Rede Globo, somente destacando os seus "méritos", forçosamente nos leva a ligar essas duas organizações ao Grupo, ou Clube de Bilderberg, um seleto grupo de personalidades de várias nacionalidades cujo objetivo maior é a dominação da política e da economia do mundo.

Esse grupo nem se faz de "rogado" em servir-se de todas as ideologias políticas, sociais e econômicas espalhadas em todos os continentes. Vale-se dos sistemas capitalistas, socialistas, monárquicos, aristocráticos, democráticos, tirânicos, oligárquicos, demagógicos, e qualquer outro com que se deparar. Além disso, esse Clube sabe como ninguém as melhores técnicas de "encaixar" e usar em seu proveito cada tipo de povo envolvido, dos mais ao menos politizados. Para uns dá muito pão, circo, festa,futebol e carnaval. Assim ficam "mansos", não reagem e concordam com tudo.

Só para citar um exemplo dessa "versatilidade", dito clube esteve envolvido até com Ronald Reagan, eleito Presidente dos EUA em 1980,que nomeou para os cargos mais importantes do Governo uma equipe de "socialistas fabianos", indicados por essa poderosa organização. Para "eles" tanto faz compor com Deus, ou com o diabo. A única "ideologia" que lhes inspira é a compra do mundo com o dinheiro disponível dos seus ricos e poderosos associados.

São ligados ao dito clube ,fundado em 1954,com reuniões "secretas" anuais, personalidades como o financista George Soros, todas as famílias reais da Europa, os ex-Presidentes dos Estados Unidos desde Eisenhower, Tony Blair (com sua "terceira via"), Hillary Clinton, Bill Gates, Henry Kissinger e os "Rothschsild". Indiretamente, e por interesses comuns, também fazem parte dele a própria ONU,A União Europeia, a Organização Mundial da Saúde, o FMI, o Banco Mundial, todas as grandes redes de comunicação do mundo e os "bancos centrais" dos países.

Mas tudo indica que excepcionalmente o atual Presidente americano, Donald Trump, não se moldou ao "gosto" do Clube de Bilderberg, como seus antecessores, com ele "batendo de frente". Deve derivar daí a campanha mundial pela sua desmoralização.

Nesse clube são dadas as principais diretrizes da chamada NOVA ORDEM MUNDIAL, que parece crescer a cada dia. O objetivo é implantar a "Ditadura Global" ?" um Governo Mundial Único.

Das sociedade secretas que já se instalaram na marcha da civilização, certamente a mais poderosa, abrangente e nociva é a do "Clube de Bilderberg". Talvez o seu objetivo mais prejudicial esteja na tentativa de diminuir o coeficiente intelectual médio da população mundial. Manipulam escolas, empresas e a mais perigosa delas: a televisão, empurrando "goela-abaixo" do povo programas só de baixo nível, "acomodando " as mentes. E quando esse tipo de "mente" escolhe os representantes políticos nas eleições, a tragédia fica completa.

O Brasil serve de exemplo. Nele não se pratica nenhuma democracia, porém a sua negação, a OCLOCRACIA, praticada por uma maioria politicamente idiotizada em proveito da patifaria política. Nesse tipo de regime a pior escória da sociedade é levada a fazer as leis, a governar e a julgar as demandas da sociedade.

Sem dúvida os dois eventos citados no início desse texto ("Queermuseu" e "La Bête") fazem parte do planejamento necrófilo do referido "clube", contra sociedade brasileira. No caso em exame, os "tentáculos" do Clube de Bilderberg manifestaram-se com clareza solar no seu domínio sobre os grandes bancos e meios de comunicação de massa, no caso em epígrafe, do Banco Santander e da Rede Globo de Televisão.

Esse objetivo da Globo ficou escancarado no programa de 29.12.17, "Retrospectiva 2017",onde os apresentadores se limitaram a divulgar um só parecer de um determinado Procurador, no sentido de que qualquer interferência que se fizesse à livre apresentação do "homem nú" às crianças, no "La Bête", seria "censura", repelida pelas leis, e a divulgar somente opiniões de "aprovação" de vários artistas "sempre-os-mesmos", ou seja, numa aprovação " à unanimidade", sem qualquer imparcialidade na dita apresentação.

Também em Porto Alegre, a Rede Globo deu grande destaque e indiretamente aprovou o espetáculo deprimente do "Queermuseu", patrocinado pelo Santander, onde chamaram de "arte" uma apologia à "zoofilia", à "pedofilia", à "blasfêmia",ao "racismo"(um negro "servindo" de objeto pornográfico ao mesmo tempo a dois brancos), e ao próprio "sacrilégio", desrespeitando até mesmo a figura máxima do Cristandade, Jesus Cristo.

A quem se interessar pelo tema do "Clube de Bilderberg", que jamais constará na Grande Mídia (por razões óbvias), recomendo leitura das diversas publicações de Carlos I.S. Azambuja (neste Alerta Total), que me inspiraram e serviram de orientação; o livro "A Verdadeira História do Clube de Bilderberg", de Daniel Estulin; e os diversos livros sobre o tema de Cristina Martin Jiménez, Doutora em Comunicação.


Sérgio Alves de Oliveira é Advogado e Sociólogo.
Herculano
02/01/2018 10:34
LULA QUER PERDER POR 2 A 1

Conteúdo de O Antagonista. Um ministro lulista do STJ disse a uma colunista lulista da Folha de S. Paulo que uma derrota por 2 a 1 no TRF-4 "daria fôlego" a Lula.

O condenado, nesse caso, "poderia apresentar mais de um recurso para protelar a condenação definitiva".

É exatamente por isso que os ministros lulistas do STJ (com o ajuda das colunistas lulistas da Folha de S. Paulo) tentam cabalar o voto do desembargador Victor Laus, o único que ainda não se pronunciou
Herculano
02/01/2018 10:29
REL?"GIO PONTO NO PONTO

O relógio ponto do Samae de Gaspar depredado durante as férias coletivas, já foi consertado. Agora, os amigos não podem mais faltarem aos plantões. Pudera, as festas já passaram. Acorda, Gaspar!
Herculano
02/01/2018 10:24
PLACA DA MOTO DA DITRAN É ROUBADA

Um boletim de ocorrência feito pela empresa terceirizada de segurança, deu conta que a placa da moto XRE 300 Honda da Ditran - Diretoria de Trânsito de Gaspar - foi "roubada" ou retirada do veículo enquanto ela estava no patio.

Não se sabe a finalidade e o objetivo do ato.

Este não é a primeira depredação que aconteceu com motos da Ditran. Uma 250 CBX Honda teve motor e retrovisores levados.

Recentemente, a Ditran permitiu que a empresa de pardais eletrônicos interrompesse o passeio público para instalar uma lombada. Como se vê, tudo bem gerenciado. Acorda, Gaspar!
Herculano
02/01/2018 10:14
FIRMEZA DE PROPóSITO, editorial do jornal O Estado de S. Paulo

Contra as mentiras que têm sido ditas sobre a reforma da Previdência, as melhores armas são as informações corretas claramente divulgadas para a população e a firmeza de propósito do governo

A dificuldade do governo para obter os 308 votos na Câmara dos Deputados necessários à aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/2016, que trata da reforma da Previdência, deve-se, em grande medida, a uma campanha de falsidades astutamente engendrada por uma casta de privilegiados que, embora represente uma pequeníssima parcela da população, têm grande poder de mobilização e influência sobre o Congresso Nacional. Trata-se da elite do funcionalismo público.

Os argumentos falaciosos de que essa elite de servidores públicos lança mão para fazer valer os seus interesses de classe ?" muito distantes do interesse nacional ?" têm forte apelo junto à opinião pública, muito mais pela apreensão generalizada (e infundada) que causam do que pela honestidade da mensagem.

Deve-se reconhecer que, aos ouvidos do cidadão comum, ressoa com muito mais força, por exemplo, uma afirmação dizendo que "os trabalhadores irão morrer de trabalhar antes de se aposentarem", caso a reforma da Previdência seja aprovada, do que as explicações a respeito da regra de transição prevista na PEC 287/2016, que estabelece que a idade mínima para a aposentadoria ?" 65 anos para homens e 62 anos para mulheres ?" só será alcançada, de fato, em 2038, daqui a duas décadas.

Sabedores do apelo que tal tipo de mensagem alarmista tem junto à opinião pública, partidos políticos de oposição ao governo propagam as mentiras ou distorcem as informações movidos tão somente por interesses político-eleitorais, demonstrando ter nenhum desvelo quanto à responsabilidade fiscal e ao futuro do País.

Devidamente informada sobre os riscos que a não aprovação da reforma da Previdência representa para a saúde financeira do Estado e, consequentemente, para a garantia de direitos, investimentos públicos em áreas essenciais e manutenção de programas sociais ?" sem contar a sustentabilidade do próprio sistema previdenciário ?", a população, que não é boba, perceberá a natureza equitativa da proposta de reforma da Previdência, contra a qual se insurgem os mesmos grupos de pressão que há décadas lutam pela manutenção de seus privilégios sempre que o tema volta à agenda nacional.

Se abrandar a proposta de reforma da Previdência ora em discussão na Câmara dos Deputados, como vem sendo pressionado a fazer, o governo irá beneficiar 52% dos funcionários públicos federais, cerca de 380 mil servidores em atividade que ingressaram no serviço público até 2003 e contam com os benefícios de "integralidade" e "paridade", ou seja, aposentam-se recebendo o último salário da carreira e recebem reajustes iguais aos dos servidores da ativa.

São privilégios como estes que a PEC 287/2016 tem o condão de acabar, derrubando junto com eles um muro invisível que hoje divide os brasileiros em duas classes de direitos: uns que estão sujeitos ao Regime Próprio de Previdência Social (RPPS) e outros, a imensa maioria dos trabalhadores, sujeitos ao Regime Geral da Previdência Social (RGPS). Uma clara afronta ao princípio da isonomia consagrado pela Constituição. "A reforma da Previdência, na versão que está hoje, afetará 9,5% da população brasileira, justamente as pessoas de maior renda", disse Marcelo Caetano, secretário de Previdência do Ministério da Fazenda.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), já definiu que as discussões em plenário e a votação da PEC 287/2016 ficarão para fevereiro. Será benfazejo ao País se a parcela responsável dos parlamentares usar este tempo para informar suas bases quanto à imperiosa necessidade de aprovação da reforma da Previdência.

Contra as mentiras que têm sido ditas sobre a reforma da Previdência, essencial para a construção de um país mais justo e financeiramente equilibrado, as melhores armas são as informações corretas claramente divulgadas para a população e a firmeza de propósito do governo, que não deve se afastar do único conteúdo de reforma capaz de produzir os resultados que o País precisa.
Herculano
02/01/2018 10:11
"O PAÍS NÃO VAI TREMER SE LULA FOR CONDENADO", AFIRMA FHC

Conteúdo do jornal O Estado de S. Paulo. Texto e entrevista de de Alberto Bombig e Pedro Venceslau.

Estadão -Estamos a menos de um mês do julgamento do recurso de Lula no TRF-4. Do ponto de vista da sociologia e da política, qual seria o impacto para o País de uma eventual condenação de um ex-presidente da República?

FHC -Do ponto de vista do País, é sempre ruim. É ruim para o País e para a memória, mas não acredito que a população vai tremer nas suas bases por causa disso. Não acho que o País vai tremer em função disso. É claro que existe também uma estratégia política do PT: a perseguição. Se o julgamento terminar em condenação, tem que aceitar.

ESTADÃO -Como o sr. explica o fato de o Lula liderar as pesquisas?

FHC -Pega o caso do Peru, que nós citamos. O fujimorismo é a força predominante até hoje, e o Fujimori está na cadeia (estava até o dia 24, quando recebeu indulto humanitário do atual presidente Pedro Pablo Kuczynski). O próprio Perón teve um momento assim. É curioso ver que em países como os nossos, com um nível educacional relativamente pouco desenvolvido, as pessoas têm muitas carências. Aqueles que dão às pessoas a sensação de que atenderam às suas carências ganham uma certa permissão para se desviar da ética. É pavoroso, mas é assim. É populismo. É a cultura que prevalece nesses países. A nossa está em fase de mudança. Aqui a sociedade já tem mais informação. Nos regimes parlamentaristas têm menos chance de que isso aconteça. Tem mais filtros. A emoção global não leva de roldão. Pode alguém irromper, mas difícil é governar depois.

Estadão - O sr. disse que o PSDB precisa fazer autocrítica. Qual seria?

FHC - Acho que o PSDB está, à sua maneira, fazendo. Mudou a direção e, ao mudar, escolheu pessoas com responsabilidade. Não que os outros não tivessem. Aécio (Neves, senador por Minas Gerais e ex-presidente do PSDB) não é um irresponsável. Fez coisas positivas para o PSDB. Mas o partido tem que dizer que, se houve erro de algum peessedebista, problema dele. O partido não tem que se solidarizar com o erro de seus filiados. A Lava Jato foi um marco importante na vida brasileira, o que não quer dizer que não tenha excessos aqui e ali. Acho um pouco exagerada essa vontade de vingança que existe hoje.

Estadão - Além do caso da JBS, que envolve o Aécio, o partido ainda enfrenta, mais recentemente, os impactos do acordo de leniência da Camargo Corrêa e da Odebrecht, na qual ambas as empresas reconhecem cartel em obras nos governos tucanos em São Paulo. Qual o tamanho da avaria no caso do PSDB?

FHC - Esse é o ponto. A Lava Jato demonstrou ao País, e isso deixou todo mundo horrorizado, que aqui se montou um sistema de poder político baseado na propina. Não é só uma questão de fulano ou beltrano roubou. É muito mais grave do que isso. As instituições ficaram comprometidas. O PSDB não participou desse sistema nem em São Paulo. No caso de São Paulo, se houve algum malfeito no Rodoanel (uma das obras em investigação ?" teria havido cartel para linhas de metrô também), não foi o PSDB que fez ou o governador que organizou. Aqui não se organizou esquema. Não tem um tesoureiro do PSDB que pegou dinheiro. Houve um cartel, mas contra o governo.

Estadão - Há uma crítica recorrente que as denúncias de corrupção em São Paulo não recebem o mesmo tratamento do que em outros Estados ou no plano federal.

FHC - Teve processo em São Paulo. Talvez não tenha produzido o mesmo auê, ou escândalo, talvez por isso: não conseguem envolver o núcleo político e porque não tem a bênção do governo.
Herculano
02/01/2018 07:55
TEMPORADAS ATÍPICAS

Na temporada 2016/2017 em plena agudez da crise econômica, o litoral norte catarinense experimentou um esvaziamento e uma seletividade social. Natural. Poucos podiam ir as férias e desses, o comedimento nos gastos era visível, com supermercados mais visitados do que restaurantes.

Para a mídia que não investiga que come nas mesmas fontes, estava tudo igual às temporadas anteriores. Ela "ouviu" os representantes dos bares, restaurantes,hotéis e agencias, que precisam da espuma para dourar a pílula e evitar o pessimismo da realidade. Já em janeiro, a verdade apareceu diante de uma evidência tão crassa.

Desta vez, a temporada 2017/2018 mudou a olhos vistos, se comparada a temporada anterior. As duas semanas anterior ao Natal foi ocupada por jovens vindos em excursões do Brasil e dos países vizinhos. Tarifas mais baratas para ocupar os hotéis desconfiados do tapa que recebeu na mesma época do ano passado.

Entre Natal e Ano Novo o movimento aumentou, mas não tão seletivo como na temporada passada. Ontem, entretanto, houve claro esvaziamento, sem um movimento compensador de novos turistas, que era natural em outras temporadas onde a crise econômica ainda não estava instalada.

Os operadores do turismo têm que se acostumar com as atipicidades das temporadas. A mídia também.
Herculano
02/01/2018 07:41
O CAMPO AZUL

Conteúdo de O Antagonista. Os candidatos governistas atacam o "populismo", procurando atrair os eleitores que rejeitam Lula e Jair Bolsonaro.

Segundo Andreza Matais, "o grupo político de Henrique Meirelles identificou, em pesquisas, que o chamado campo azul, que reúne antipetistas e anti-Bolsonaro, considera ambos radicais e populistas".

O campo azul de Henrique Meirelles, por enquanto, tem 1%
Herculano
02/01/2018 07:13
PARTIDOS CORROMPEM ATÉ O SIGNIFICADO DAS LETRAS, por Josias de Souza

O homem trava uma luta eterna contra o tempo. Para retardar a corrosão da imagem, tenta-se enganar o relógio com maquiagens e operações plásticas. No Brasil, o hábito da reparação cosmética chegou à política. A letra 'P', de partido, vem sendo extirpada das siglas como se fosse uma dessas pelancas que se formam sob o queixo com a idade. A novidade surte efeito diferente do desejado.

O velho PMDB recuperou o nome de batismo: MDB. Mas continua sendo o partido das malas de propina. O PP, que pende da árvore genealógica da ditadura, virou Progressistas. Mas ainda é legenda sem futuro, graças ao passado de corrupção que tem pela frente. O DEM quer virar Mude, para conservar tudo como está. A lista é interminável e preocupante. Revela uma mudança de valores.

Na política, as rugas não significam experiência, sabedoria e autoridade. Significam apenas que faltou ética. E isso não é coisa que se resolva com restauração estética. Os partidos corromperam até as letras, que já não significam nada. No fim das contas ninguém distingue a diferença entre PMDB, PP, DEM, PR, PT, PTB e FDP.
Herculano
02/01/2018 07:12
da série: os governos do PT e da esquerda do atraso preferiram um SUS quebrado e matando pobres no Brasil por falta de atendimento para dar bilhões de dólares a governos amigos e que permitiam o desvio de parte deles para a corrupção dos políticos, partidos e empresas brasileira brasileiros.

BNDES CONCENTROU RECURSOS EM ANGOLA E VENEZUELA, por Mariana Carneiro, no jornal Folha de S. Paulo.

e 2002 a 2016, o BNDES aprovou cerca de US$ 14 bilhões em financiamentos para obras de construtoras brasileiras no exterior, notadamente em Angola, Venezuela, Argentina e República Dominicana.

O suporte financeiro ?"necessário para empreender em países onde o risco é elevado e a escassez de crédito, severa?" foi determinante para a expansão das empreiteiras lá fora.

Em 2012, a exportação de serviços bateu US$ 38 bilhões ?"só em engenharia, o país faturou US$ 8,9 bi.

A influência política cresceu com o avanço econômico. O país passou a se vender como potência, e os governantes (Lula e Dilma) adquiriram popularidade além das fronteiras.



O que deu errado? Excessivamente dependentes do preço das matérias-primas e acumulando erros de política econômica, alguns países quebraram antes de pagar o que devem, como Venezuela e Moçambique. Angola quer garantias de que as obras serão terminadas. Sobrou para o Tesouro Nacional o prejuízo pelo calote já consumado de Moçambique (R$ 1,5 bilhão). Outros estão na fila.

Embora a estratégia de financiar as exportações de serviços seja positiva, ainda não ficou claro por que o BNDES concentrou esforços em alguns países. Segundo pesquisa de Fernanda Lira Goes, do Ipea, dos 11 que receberam empreiteiras brasileiras, Angola e Venezuela responderam por mais da metade do crédito do BNDES liberado às construtoras.

A excessiva concentração não perturbou a análise técnica do banco? É certo que o BNDES segue comando do governo. Mas não houve avaliação crítica interna? Ainda não veio à tona nenhum relatório de alerta feito à época. Nem do banco nem de representantes dos ministérios da Fazenda, Planejamento, Indústria e Itamaraty no Cofig (Comitê de Financiamento e Garantia das Exportações).

É hora de entender como tudo aconteceu, para criar freios e contrapesos e tornar essas escolhas mais claras no futuro. Trazer à luz os pareceres técnicos é um começo.
Herculano
02/01/2018 07:07
STF: PRóXIMO PRESIDENTE PODE INDICAR 4 MINISTROS, por Claudio Humberto, na coluna que publicou hoje nos jornais brasileiros

O sucessor do presidente Michel Temer, que tomará posse em 1º de janeiro de 2019, poderá ter muito poder e influência no Supremo Tribunal Federal (STF). É que caberá ao próximo presidente nomear, até o fim do 1º mandato, os substitutos para dois ministros que atingem a idade-limite de 75 anos de idade. Caso seja reeleito como aconteceu com FHC, Lula e Dilma nomeará mais dois, sem contar possíveis casos de renúncia e aposentadoria antecipada, como a de Joaquim Barbosa.

PRIMEIRO, O DECANO
O próximo presidente fará sua primeira nomeação no STF com a aposentadoria do decano Celso de Mello, em 1º novembro de 2020.

MARCO AURÉLIO EM 2021
O ministro Marco Aurélio chegará aos 75 anos em 12 de julho de 2021, e o presidente da República escolherá o seu substituto.

MAIS DOIS EM 2023
Os ministros Ricardo Lewandowski e Rosa Weber chegarão aos 75 anos em maio e outubro de 2023, respectivamente.

NINGUÉM CONTROLA
Não se paga nomeação com a toga. O STF que julgou o mensalão do PT tinha oito dos onze ministros nomeados nos governos do PT.

TEMER REDUZ À METADE OS GASTOS COM CARTõES
Os gastos com cartões corporativos no governo Temer, entre janeiro e novembro, representam metade da farra do último ano do governo Lula, em 2010. Caíram de R$80 milhões para R$43,4 milhões. Decreto de Lula tornou as despesas secretas, alegando "segurança nacional", após a revelação de que os ministros usavam cartão corporativo até para pagar cabeleireiro ou para reformar uma mesa de sinuca.

GASTOS ESCONDIDOS
Criados em 2002 para dar maior transparência, os cartões corporativos viraram caixa preta: decreto de Lula tornou as despesas "secretas".

POR QUE ESCONDEU
Seguranças de Lurian, filha de Lula, usaram cartões corporativos para fazer compras em lojas de autopeças e material de construção.

TAPIOCA COM CARTÃO
Orlando Silva, ministro do Esporte de Lula, também abusou do cartão corporativo: pagou até conta de tapioca.

'VIÚVA PORCINA'
Na Fecomércio-RJ, Luiz Gastão Bittencourt da Silva virou alvo de chacota, sendo chamado de "interventor Viúva Porcina", aquele que foi sem nunca ter sido. Ele forçou sua entrada no prédio para assumir, mas o Tribunal de Justiça ordenou a posse de um dos vice-presidentes.

MANDOU BEM
Depois do que foi visto em Curitiba, o juiz Osório Ávila Neto proibiu que o MST monte acampamento, em Porto Alegre, em áreas próximas ao TRF-4 até três dias após julgamento do recurso do ex-presidente Lula.

ATUAÇÃO ELOGIADA
Dias Toffoli assumirá a presidência do STF em setembro em condições bem diferentes da nomeação como ministro. A elogiada atuação valeu até livro em sua homenagem organizado pelo ministro João Otávio de Noronha (STJ), um dos mais admirados magistrados do País.

GANÂNCIA IMPARÁVEL
Desde junho, a gasolina subiu 61 vezes no Brasil, País auto-suficiente em petróleo, quando a Petrobras decidiu tirar o atraso em cima do consumidor, cobrando os mesmos valores do mercado internacional.

EMPREGO 2017
A expansão do emprego informal no comércio de alimentos, bebidas e fumo e de produtos de vestuário e calçados representa 17,9% das vagas de trabalho entre o terceiro semestre de 2016 e este ano.

CRÍTICAS DE KAKAY
O criminalista Antonio Carlos de Almeida Castro tem sido duro com o ministério público, que acusa de competir com os três poderes. Até lembrou, em nota, a célebre advertência de Lord Actun, no século XIX: "Todo poder corrompe, todo poder absoluto corrompe absolutamente".

LOUZEIRO FAZ FALTA
A morte de José Louzeiro na sexta (29) deixa lacuna impreenchível no jornalismo investigativo. Foi autor de livros magníficos como Lúcio Flávio, Passageiro da Agonia e Aracelli, Meu Amor, nos anos 1980.

QUASE DESPERCEBIDOS
As graves crises de segurança no Rio Grande do Norte e no Rio de Janeiro ofuscam os problemas no Rio Grande do Sul e Sergipe, onde a presença da Força Nacional também foi estendida até junho deste ano.

PENSANDO BEM...
... 2018 mal começou e o julgamento do ano já é no 24º dia deste mês
Herculano
02/01/2018 07:03
O ALERTA QUE VEM DE NATAL, por Igor Gielou, no jornal Folha de S. Paulo

A tragédia ora estancada pelas tropas federais no Rio Grande do Norte é um prenúncio sobre desafio central a ser enfrentado neste ano eleitoral decisivo de 2018.

É de se especular se o sangue dos quase cem cadáveres produzidos durante a greve da polícia local alertou as autoridades sobre o óbvio: o colapso do sistema federativo de 1988.

A partir dali, o Brasil visou dividir o poder central com Estados e municípios, só que isso não foi seguido por um enxugamento da União ?"como atesta o deficit multibilionário que o país gira em seu Orçamento.

Uma olhada nas contas estaduais mostra que o Rio de Janeiro é apenas um laboratório extremo à espera de replicações. O que levou ao surto de, é preciso deixar claro, irresponsabilidade dos policiais potiguares não foi só vontade de pular ondinha no Réveillon: o Estado está quebrado.

É assim por toda a Federação, sendo preciso lidar com problemas que começam nas Previdências e se espraiam pela estrutura tributária.

Há bizarrices de gestão. A segurança não precisa de um ministério, ela carece de estruturas nacionalizadas que integrem polícias, forças federais e órgãos de inteligência.

O crime não respeita fronteiras, quanto mais estaduais. Enquanto cada governador for um senhor feudal, esse novo pacto não será possível.

Isso não significa repetir o padrão pós-1988 de inchaço de instâncias. O combate é na ponta, com polícias bem equipadas e pagas. À União caberia a coordenação das tarefas.

Uma agenda ampla, que inclua pacote reformista claro e exequível, deveria estar na agenda de todo candidato sério a presidente. Em linguagem de gente, algo que é até fácil nos casos da segurança e da saúde, setor no qual a recente delegação de gasto de verbas às autoridades locais é uma medida na direção correta.

Claro que é pedir demais racionalidade no ambiente e com os protagonistas que temos. Mas a tarefa, que é coisa para talvez décadas, precisa ser iniciada em algum momento
Herculano
02/01/2018 07:00
LULA SERÁ CONDENADO NOVAMENTE EM 1ª INSTÂNCIA, por Josias de Souza

Segundo a superstição petista, Lula é um presidenciável favorito alvejado por uma conspiração de delegados, procuradores, magistrados e jornalistas para impedi-lo de retornar ao Planalto. Ele já foi condenado a nove anos e meio de cadeia pelo juiz Sergio Moro. E teme amargar a confirmação da sentença em segunda instância no dia 24 de janeiro. Mas seu drama terá novos capítulos. O Ministério Público Federal estima que Lula sofrerá novas condenações na primeira instância. Dá-se de barato que pelo menos uma delas, a ser prolatada em Brasília, ganhará as manchetes antes das convenções partidárias que confirmarão os nomes dos candidatos à Presidência.

Quer dizer: além da sentença do TRF-4, que pode tornar Lula candidato favorito a uma vaga no sistema prisional de Curitiba, empurrando-o para a inelegibilidade, o pajé do PT terá os pés de barro iluminados por um novo veredicto de primeiro grau. Um membro do diretório nacional do PT disse ao blog que nada irá alterar a decisão do partido de levar a candidatura de Lula às últimas consequências. "A estratégia não será modificada por uma, duas ou três novas sentenças", disse o dirigente petista. "Já estamos roucos de tanto repetir que não existe Plano B."

Tomando-se as certezas do PT ao pé da letra, o STJ concederia uma liminar para manter Lula longe do xadrez e o debate sobre uma hipotética impugnação da candidatura só seria travado no TSE em agosto. Lula cavalga seu sentimento de invulnerabilidade sem se dar conta de que, mantido o enredo, será um candidato precário, condenado a manter uma campanha incerta, que o obrigará a cruzar um terreno minado por temas radioativos: mensalão, petrolão, apartamento de praia, sítio de veraneio, contas milionárias, tráfico de influência e palestras de fancaria. Um candidato assim, com uma pauta tão envenenada, dispensa conspirações.
Herculano
02/01/2018 06:57
FEMINISMO DE HOJE É TÃO REACIONÁRIO QUANTO O MACHISMO NEANDERTAL, por João Pereira Coutinho, sociólogo e escritor português, no jornal Folha de S. Paulo

Passei as festividades natalinas lendo Camille Paglia. Não sei se é pecado. Talvez seja. Mas que alegria - e que prazer!- ler uma feminista com atividade cerebral completa, que não se limita a defender a dignidade das mulheres - mas a dos homens também.

O título da sua coletânea de ensaios -"Free Women, Free Men: Sex, Gender, Feminism" (libertem mulheres, libertem homens: sexo, gênero e feminismo) - diz tudo: queremos uma sociedade de mulheres e homens livres - ou uma farsa infantil onde as mulheres são tratadas como espécies protegidas e os homens como selvagens inimputáveis?

O feminismo de Paglia, que provoca horrores mil nas "neofeministas", pode parecer demasiado severo para a sensibilidade histérica dos nossos dias. Mas subscrevo esse feminismo, não apenas por razões intelectuais - mas pessoais.

Cresci entre mulheres. Vivo entre elas. E quando relembro as mulheres da minha vida todas elas parecem encarnar o ideal de Paglia. Independentes. Irônicas. Corajosas. Que, sem surpresas, sempre gostaram de partilhar o espaço com homens adultos, dignos, refinados.

Para Paglia, o novo feminismo abandonou esse imperativo de exigência para que as mulheres sejam "amazonas", ou seja, senhoras da sua liberdade. Transformou as mulheres em seres débeis e vulneráveis, que devem ser constantemente protegidas de um mundo hostil e predatório.

Nota importante: Paglia não nega que o mundo é hostil e predatório. Sempre foi, sempre será. Ela apenas reafirma que as mulheres devem aprender a lidar com isso, não a retirar-se da arena como seres assustadiços.

Infelizmente, a voz de Camille Paglia foi abafada pela cultura da vitimização reinante. A Europa, nesse quesito, é terra devastada.

Leio na imprensa que a virada do ano em Berlim teve, pela primeira vez, uma "zona segura" para as mulheres. Em 2016, centenas foram abusadas por homens de "aparência árabe e norte-africana". Em 2017, houve uma espécie de "resort" para as espécies femininas que se sintam ameaçadas ?"e com a presença permanente da Cruz Vermelha.

Pode parecer piada. Ou cenário de guerra. Não é. As autoridades do país entenderam que a melhor forma de proteger as senhoras é pela segregação social (como nos países islâmicos). Será preciso elaborar sobre a aberração?

O papel de uma sociedade política civilizada não passa pela separação dos sexos. Passa pela garantia de segurança e ordem para todos. E de punição exemplar para os criminosos, independentemente da etnia, religião ou tara privada.

Será que a única coisa que o feminismo do século 21 tem para oferecer às mulheres é uma jaula? E não será essa oferta um insulto e uma degradação das próprias mulheres?

Mas a Alemanha não é caso isolado. Na Suécia, há uma nova lei a caminho para punir a violação. O premiê Stefan Löfven fala em "reforma histórica" ?"e eu tremo: relações sexuais, só com "consentimento explícito". Mas de que "consentimento" falamos? Verbal? Gestual? Só vejo uma forma de produzir uma prova de inocência irrefutável: um documento escrito.

Imagino: dois amantes, em momento de excitação. Subitamente, um deles para o andamento da dança e entrega um formulário para ser preenchido e assinado pela donzela arfante.

Dizer que isso é um dramático "turn-off" é um eufemismo. Mas não é um eufemismo declarar que uma lei dessas, mesmo na versão oral ("sim, declaro solenemente que tens a minha autorização para contatos fálico-vaginais"), é uma caricatura grotesca da intimidade entre adultos.

Será que a única coisa que o feminismo do século 21 tem para oferecer às mulheres é um papel e uma lapiseira?

Não tenho filhas. Se tivesse, Camille Paglia seria leitura obrigatória. Só para que elas aprendessem que as mulheres não são vítimas naturais de um mundo que existe para as amedrontar ou violar.

As mulheres devem ser mulheres: livres, independentes, conscientes do seu poder sexual, capazes de avaliar os riscos (e os homens) sem a mão paternalista de outras mulheres (ou de outros homens) que gostam de defender as suas "honras".

"Defender a honra?" Precisamente. O feminismo contemporâneo é tão reacionário como o machismo neandertal: ambos tratam as mulheres com a mesma condescendência. Ambos olham para as mulheres como o "sexo fraco".

É o eterno retorno.
Herculano
01/01/2018 10:47
da série: a história e fatos se repetem, lá e aqui. É sempre assim. Na maioria dos casos, os lados opostos são perseverantes, mas só um está incrustado numa estrutura de marginais, com índole e ética próprias.

LULA ROUBOU O MEU INCONSCIENTE E TALVEZ O SEU, por Mário Sabino, original de 08.05.17, em O Antagonista.

Há doze anos o meu destino está entrelaçado ao do PT. Não por vontade minha, mas porque os bucaneiros petistas me colocaram na linha de tiro como o principal responsável pela linha editorial da antiga revista Veja. Acho que, naquele momento, contribuí com essa impressão - falsa - ao editar uma reportagem que, na versão original, dizia que José Dirceu, então em queda livre por causa de Waldomiro Diniz, se recuperaria. O repórter havia ouvido principalmente amigos de Dirceu, não sei se a mando do então chefe da sucursal. Como era uma distorção da realidade, reapurei a história e saiu o contrário. Depois de Dirceu, veio o mensalão e, claro, Lula. Desde então o meu dia a dia se resume a atirar para sobreviver.

Sobreviverei? Sobreviveremos a Lula, ao PT, a essa destruição institucional que homem e partido continuam a perpetrar? Oscilo entre o sim e o não, muitas vezes no intervalo de poucos minutos. A minha única certeza é que eu gostaria que Lula e PT se tornassem logo passado, para que eu pudesse desprezá-los enquanto a minha velhice não se manifesta na sua inteireza.

As pessoas riem quando digo que, além de roubar o país e o meu cotidiano, ambos roubaram o meu inconsciente. Mas é verdade e natural que seja assim. Lula e o PT aparecem nos meus sonhos e nos meus lapsos, substituindo os conteúdos que habitam esse oceano subterrâneo do qual podem emergir significados para a minha existência e, quem sabe, algum material criativo para os livros de ficção que, infelizmente apenas para mim, passaram a ser improváveis. O meu inconsciente virou um pré-sal com sondas superfaturadas que extraem planilhas de propina, delações premiadas e golpes contra a Justiça. Cheguei a sonhar que era ministro do STF. Da Segunda Turma, mais precisamente. No meu sonho, era bem esquisito ser ministro da Segunda Turma.

Ao falar de mim, tento falar de você. Há quanto tempo você perde tempo se preocupando com Lula e o PT? E eu nem estou me referindo às aflições econômicas que causaram. Talvez eles também tenham roubado o seu inconsciente, como ocorre comigo. Na minha opinião, o roubo do dia a dia e do inconsciente é tão danoso quanto o do petrolão. Ainda vamos rir disso tudo? Oscilo entre o sim e o não, muitas vezes no intervalo de poucos minutos
Herculano
01/01/2018 10:41
SERÁ MESMO QUE OS BRASILEIROS SÃO CONTRA A PRIVATIZAÇÃO? por Adolfo Sachsida, no Instituto Liberal

Uma pesquisa recente do Datafolha ressalta que sete entre cada dez brasileiros são contra a privatização de empresas estatais.

Será mesmo? Vejamos, que tal o Datafolha fazer as seguintes perguntas:

1) Você é a favor do governo ser dono de uma fábrica de camisinhas?

2) Você concorda que dinheiro de impostos sejam usados para subsidiar empresas estatais que dão prejuízo?

3) Você concorda que o Estado deva reduzir seu gasto em saúde e educação públicas para pagar a conta de estatais que dão prejuízo?

4) Você concorda que o Estado deva manter o controle das empresas estatais que foram usadas para corromper o sistema político e resultaram no maior escândalo de corrupção de nossa história?

A doutrinação esquerdista nas escolas e universidades, aliadas a grande penetração de ideias socialistas em sindicatos, jornais, revistas, e partidos politicos, difamaram e deturparam para a população a ideia de privatização.

Perguntas genéricas do tipo da elaborada pelo Datafolha apenas capturam esse viés incutido na população em geral. Aposto com quem quiser que a esmagadora maioria dos brasileiros responderia NÃO as perguntas formuladas acima.

O mesmo vale para perguntas referentes a privatização da Petrobras. Anos de propaganda do "petróleo é nosso" geraram um forte viés em defesa da Petrobras. Aqui caberiam as seguintes perguntas:

a) Você concorda em pagar mais caro pelo combustível, e pelo transporte coletivo, para que a Petrobras continue estatal?

b) Você concorda em transferir dinheiro público da saúde e da educação para que o governo continue dono da Petrobras?

c) Você acha justo o governo fazer indicações políticas para as empresas públicas ou o melhor é privatizá-las?

Enfim, as contas públicas estão completamente deterioradas. Privatizar empresas públicas é uma maneira de tentar sanar as finanças estatais. Além disso, apresenta várias outras vantagens tais como aumentar a competição no mercado, aumentar a eficiência e a produtividade da economia, dando ao consumidor acesso a produtos de melhor qualidade a preços mais acessíveis. Por fim, privatizar empresas é um potente remédio contra a corrupção que assola o Estado brasileiro.

Vale ressaltar que é possível privatizar empresas estatais sem demitir os funcionários que lá trabalham. Isso pode ser feito facilmente no ajuste do contrato de venda.

Para finalizar, não deixa de ser irônico notar que, tal como ressaltado pelo Datafolha, entre os maiores entusiastas da privatização estejam os eleitores do Deputado Jair Bolsonaro. Isso mostra que muito dos apoiadores do deputado têm sim um forte compromisso com a economia de mercado.
Herculano
01/01/2018 10:30
VOCÊ PENSA QUE É Só NO RIO GRANDE DO NORTE? É EM TODO O BRASIL ESSES PRIVILÉGIOS COM O FUNCIONALISMO PÚBLICO FEDERAL, ESTADUAL E MUNICIPAL, QUE A REFORMA DA PREVIDÊNCIA QUER CORTAR, MAS OS POLÍTICOS - DE TODOS OS PARTIDOS - NÃO DEIXAM E OBRIGAM OS TRABALHADORES DE SALÁRIO MÍNIMO, QUE PRECISAM TER 65 ANOS PARA SE APOSENTAREM - A SUSTENTAREM ESTA INDECÊNCIA

VEJA ESTA TÃO COMUM POR AQUI MESMO. APOSENTADORIA AOS 47 ANOS, COM R$ 38 MIL

Conteúdo de O Antagonista.Em meio à greve de policiais no estado, o delegado-geral da Polícia Civil do Rio Grande do Norte, José Francisco Correia Júnior, anunciou que deixará o cargo.

Ele argumenta que exerce atividade de risco e que atingiu o tempo de contribuição previdenciária, segundo o relato do Estadão.

Correia tem 47 anos e ganha R$ 38.416,74. É o mesmo valor que receberá como inativo.
Herculano
01/01/2018 10:22
OS POLÍTICOS E GESTORES PÚBLICOS DE FÉRIAS

A prefeitura de Gaspar fechou no dia 21 de dezembro. Volta no dia 15 de janeiro.

A Câmara de Gaspar, entrou em ressaca no dia 19 de dezembro. Volta a se reunir com traídos e traidores no dia seis de fevereiro.

Você que escolheu no voto e paga essa gente toda com os seus pesados impostos, já está trabalhando hoje, dia dois de janeiro.

E dá graças a Deus que é assim, porque no ano passado era pior, a perspectiva por esta época. Os políticos "trabalhando" e em férias quase lhe quebraram no seu negócio, no seu emprego e por pouco, você não ficou, com as férias da falência, do desemprego... Acorda, Gaspar!
Herculano
01/01/2018 10:15
O HERODES DA VENEZUELA

Rafael Ramírez, ex-chefe da PDVSA ?"a estatal petroleira venezuelana?" e hoje rival do ditador Nicolás Maduro, chamou-o de "Herodes" em um artigo de jornal.

"Você está matando a revolução", escreveu Ramírez. "Sua mistura de arrogância, ignorância, incompetência, cinismo e muita irresponsabilidade conduziu nosso povo a níveis inimagináveis de sofrimento e humilhação."

Não custa lembrar que Maduro foi o herdeiro ungido pelo líder da "revolução", Hugo Chávez.
Herculano
31/12/2017 20:08
A ESPERA DE UM MILAGRE

Teve político de Gaspar depois de testemunhar traições no seu ambiente de poder, resolveu ir à Igreja, Santuários e aos santos pedir proteção, na espera de milagres.

De proteção, esse político (e outros pares seus) vai precisar mesmo. E não é contra as traições.

É para que o sobrenatural, ou o divino, ilumine quem ele deve fidelidade partidária. Quem está errando, porque é autoritário, vingativo e até incompetente, é a liderança do político que o político, por dever de ofício ou confiança excessiva, está defendendo cegamente.

Faria melhor esse político (e outros), se fosse mais crítico entre os seus próprios pares. Ninguém tem a verdade. Ela é abstrata e depende de como se olha para ela. Acorda, Gaspar!
Herculano
31/12/2017 20:01
SAMAE INUNDADO

Você sabe no Samae de Gaspar qual é a diferença da administração anterior com atual: pouca. Mas, tudo está pior e perigoso para os gasparenses, que sem água, pagam o ar que recebem na tubulação. Só os prefeitos de fato Carlos Roberto Pereira e o eleito, Kleber Edson Wan Dall, ambos PMDB, não perceberam, ou estão, mais uma vez se desafiando no perigo contra a administração. Afinal, foi uma escolha política e não técnica a ida do mais longevo dos vereadores, José Huilário Melato, PP, para ser presidente da autarquia

Não bastou o rolo que ele causou na recente eleição da mesa diretoria da Câmara e tudo o que já aconteceu neste ano no Samae neste ano.

Nestas férias coletivas, a autarquia mostrou que não possui comando, ou está irresponsavelmente à deriva. Quem está vulnerável, de verdade? A comunidade gasparense nas mãos de políticos e curiosos, que se expressam em continuada vingança ao invés de liderar e unir o grupo de técnicos subordinados; os que verdadeiramente fazem funcionar o Samae.

Nesta época do ano (entre o Natal e a primeira semana de janeiro), o planejamento, a prevenção, a segurança, devido à pouca demanda com gente viajando, apesar do calor - e que neste ano nem foi tanto até agora - recomenda que é tempo de se fazer as tais manutenç?es preventivas.

Aliás, esta é a premissa que norteia qualquer executivo naquilo que lidera e é de sua responsabilidade.

Sabe o que aconteceu neste final de ano no Samae de Gaspar? Só plantões. E à meia-boca, com brigas, desconfianças e até gente que escalada em cargo de confiança não comparecendo ao trabalho, desafiando as escalas, os colegas e com o pior dos exemplos. Até relógio ponto foi danificado para encobrir tais tipo de mazelas. Meu Deus!

O Samae de Gaspar ficou nas mãos e comando de cinco encanadores. O resto tudo passeando.

Vocês sabem, por exemplo, onde está o flutuante essencial para a captação de água para a principal estação de tratamento de Gaspar, trocado há meses com problemas? Jogado dentro Samae; nem o limparam sequer;como tiraram do Rio Itajaí Açú deixaram lá. Para sucatear? Para gerar mais custos para o povo pagar? Agora, é rezar para o que está instalado (e funcionando) não dar problemas. Reserva, não há. Acorda, Gaspar!
Herculano
31/12/2017 19:38
COMEÇOU 2018. ELE SERÁ O QUE QUEREMOS QUE ELE SEJA. É ANO DE ELEIÇÃO. É ANO QUE COLOCAR PARA FORA DA POLÍTICA E DA GESTÃO PÚBLICA LADRÕES DOS NOSSOS PESADOS IMPOSTOS; GENTE QUE ENGANA E MANIPULA UMA MAIORIA DE ELEITORES ANALFABETOS, IGNORANTES E DESINFORMADOS PARA PERMANECER DO PODER E CRIAR PRIVILÉGIOS PARA CASTAS CORPORATIVAS E ATÉ DE BANDIDOS.

OUTUBRO ESTÁ LOGO AI. É DEPOIS DA COPA MUNDIAL DE FUTEBOL. E AS MUDANÇAS NO PAÍS, COMEÇAM AQUI. É EM GASPAR E ILHOTA QUE OS POLÍTICOS ESPERTOS VÊM BUSCAR OS VOTOS COM GENTE LOCAL. WAKE UP, BRAZIL!

Deixe seu comentário


Seu e-mail não será divulgado.

Seu telefone não será divulgado.