Lista telefônica

Por Herculano Domício - Jornal Cruzeiro do Vale

Por Herculano Domício

05/01/2017

SAÚDE DOENTE I
Sob este título na terça-feira, fiz os meus primeiros comentários sobre o novo governo Kleber Edson Wan Dall, PMDB, em Gaspar. A Saúde Pública é atualmente uma área delicada, perigosa e de difícil solução para qualquer administrador público – seja ele no âmbito do município, do estado ou da esfera federal. Tudo devido à atual conjuntura econômica nacional. Ela foi criada pelo PT e o PMDB para Brasil. O SUS não atende apenas os mais pobres, a universalização como preconiza a Constituição, mas empurra para dentro dela, os afetados pelo desemprego, subemprego e do achatamento salarial decorrente da crise e os que não suportam mais pagar os planos de saúde. É crítico. É uma bola de neve.Desafiador.

SAÚDE DOENTE II
A turma que cerca o prefeito Kleber ficou numa saia justa com os comentários escritos. Preferia o silêncio sobre as verdades, realidades e evidências que precisam ser discutidas. Fez ensaios aqui e ali, como recados, para demonstrar a sua insatisfação. Mostrou com isso que gosta de fantasias e não é afeita às observações, ou mesmo às contestações na defesa de argumentos que acredita. Ou seja, pelo jeito e mais cedo do que se imaginava, vai repetir os erros dos governos de grotões, inclusive os do próprio PMDB e do PT daqui que já atestaram isso, de que fazem tudo entre poucos, escondido por não conseguir dialogar com a sociedade na busca de soluções partilhadas ainda mais em momentos de dificukldades. Auto-suficientes, os políticos no poder de plantão, pensam ter a poção mágica e serem capazes do milagre, que normalmente resultam em desastres para o povo, o pagador dos pesados impostos e o mais pobre, o que sofre na pele de verdade.

SAÚDE DOENTE III
Apesar da chiadeira, não conseguiram ao menos desmentir e nem disfarçar naquilo que escrevi e se contestava. Lavaram a minha alma. E qual foi o primeiro press release no site que voltou a ser atualizado depois de quatro dias da posse da nova administração? Dois dias depois de publicada a coluna, onde foi que aconteceu a primeira reunião da secretária de Saúde, Dilene Jahn dos Santos? No Hospital. Ela empossou a nova administração interventora, ratificando e dando continuidade no modelo do PT para o Hospital. O que significou isso? Que o Hospital é a prioridade; que ali, continuará a sangria do dinheiro público escasso para a área de Saúde Pública, em detrimento das dezenas de postos de saúde, da policlínica sem especialidades e das farmácias básicas sem os remédios básicos.

SAÚDE DOENTE IV
Acostumei-me à duas coisas na vida. A primeira delas no setor privado onde conheci gestores capazes de se arriscar e inverter o sentido da roda, saindo da sua zona de conforto e à imitação daquilo que parecia funcionar ou agradar. Por causa dessa ousadia, também testemunhei fracassos. Contudo quando o sucesso veio, foi estonteante, marcante, fez da equipe, da ideia ou do gestor os pontos fora da curva e do reconhecimento. A regra sempre se muda quando as coisas funcionam. Quando elas estão engripadas, tudo é mais difícil, mais demorado e mais exposto ao fracasso. A segunda, foi a de perder a paciência no serviço público – a que sempre precisei - movido por políticos sem experiência, sem capacidade e o menor senso de inovação. Repetem o óbvio, o velho, o que não funciona até mesmo para encontrar a desculpa para a sua própria inércia ou para atender os velhos esquemas que levam vantagem com a roda emperrada e o fingimento que se tenta desengripá-la. E quem sofre com esta inércia? Os fracos, os que precisam e os que pagam caro para resultados, inovação e produtividade.

A PRIMEIRA LICITAÇÃO
A primeira grande licitação para a tomada de preços do governo de Kleber Edson Wan Dall, PMDB, já tem data: dia 20 de janeiro e foi iniciada pelo governo de Pedro Celso Zuchi, PT. É para a contratação de empresas para a prestação dos serviços de manutenção preventiva e corretiva, com fornecimentos de peças em geral e acessórios, para veículos da frota do município. O valor estimado do pregão 254/2016? R$2.962.743,00.

ASSISTÊNCIA SOCIAL? I
Quer mais uma amostra de que o “novo” governo de Gaspar é antigo e pode mais prejudicar do que ajudar como prometeu aos mais vulneráveis, ainda mais marginalizados em tempos de aguda crise econômica? Quem frequenta na Comarca as varas criminais, a vara que cuida da família, da criança e adolescência, quem anda por algumas regiões da cidade e com até restrições para se entrar nelas – como afirma a própria polícia -; quem anda por alguns corredores do Gascig, quem anda pelo Centro diante de pedintes e andarilhos, sabe que os problemas sociais em Gaspar são graves e por vários aspectos. Entre eles estão a deterioração dos laços familiares, a migração, a cidade dormitório que somos, a violência decorrente dos desajustes comunitários, o desemprego, o estabelecimento de gangues que sobrevivem da receptação e do tráfico de drogas na região do Vale e principalmente o litoral. E tudo agravado por oito anos de inépcia na política e ação de verdade nessa área, diante da omissão completa do governo no PT com empreguismo político no comando da área de Assistência Social.

ASSISTÊNCIA SOCIAL? II
Quem vai tocar a área de Assistência Social para o governo do PMDB/PP e tentar mitigar os problemas sociais e de segurança do município? Um especialista? Nada. Um amigo, um sombra de políticos e uma pessoa que se diz por aí, que é o guru do prefeito Kleber Edson Wan Dall: Ernesto Hostins. Qual o currículo dele nesta área? No Linkdin, diz que ele é formado Ciências Econômicas, na Furb, e muito recentemente se tornou especialista em Informática em Educação, pela Universidade de Lavras, em Minas Gerais (curso à distância). Ligado à Igreja Quadrangular, Ernesto foi o assessor de Kleber quando ele era vereador. No jogo de ocupação lateral de interesses do PMDB, esteve no comando do PTB local, foi ao DEM e hoje está no PSC, tudo para acompanhar o deputado evangélico Narciso Parizotto. E no tempo em que Kleber ficou no emprego da Agência de Desenvolvimento Regional, Ernesto se equilibrou como coordenador de escolas.

ASSISTÊNCIA SOCIAL? III
Se o currículo não mostra intimidade, habilidade e conhecimento com um assunto tão sério, o próprio Plano de Governo que Kleber e Luiz Carlos registroram na Justiça Eleitoral, não possui nenhuma preocupação diferencial nesta área. Você leitor e leitora sabem quais as propostas deles para a Assistência Social? Vou relembrá-las. “Criar Plano Municipal de capacitação profissional de adolescentes e jovens e contribuir com a sua inserção no mercado de trabalho”, bonito, mas como se dará isso, quais os recursos e onde eles estão para tal iniciativa? Quantos pretende incluir nesta iniciativa e em que tempo? Outra proposta: “elaborar diagnóstico socioterritorial”. Calma, mas isso já não deveria se ter? Como alguém pode estar trabalhando nessa área sem conhecer a realidade das demandas e das fragilidades? Supondo que se não tenha esse levantamento, o que por si só é um absurdo, em quanto tempo pretende ter esse diagnóstico? Outra proposta: “estimular e valorizar os profissionais do SUAS (Sistema Único da Assistência Social) como promotores do acesso da população mais vulnerável às políticas sociais”; ótimo, até porque não dá para fugir da SUAS, mas se não há um diagnóstico, se não se fixou metas, se não há orçamento rubricado para ações excepcionais, como vai se estimular algo que não possui parâmetros?

ASSISTÊNCIA SOCIAL? IV
E para encerrar o rol de poucas propostas feitas no Plano de Governo: “promover a articulação dos Conselhos de Assistência Social com os Conselhos de Direitos da Criança e do Adolescente, Saúde e de Educação visando a integração de esforços e a qualificação do atendimento às demandas sociais”. Bom essa proposta nem mereceria comentário diante do básico do óbvio ululante, ou da falta do que escrever e encher a linguiça numa proposta de governo. Isso mostra claramente que se trata de um cabide de emprego e não à busca de uma solução para algo tão grave em Gaspar, que deveria estar não na “assistência”, mas na efetiva proteção mínima aos vulneráveis e desassistidos. Então é preciso orar e esperar o milagre. A Assistência Social, que por aqui já se chamou pomposamente de Desenvolvimento Social e regrediu, é algo elementar na vida de jovens, lares desestruturados, desassistidos e idosos. Suas ações são interligadas aos programas de Saúde, empregos e rendas, educação, esporte, cultura e lazer. É algo muito dinâmico bem além do assistir (do sentido da esmola e achar que se fez a parte que lhe cabia) como do assistir (as coisas acontecerem) sem a intervenção para o mitigar, diminuir as diferenças e incluir. Acorda, Gaspar!

TRAPICHE

O PMDB de Gaspar está sem criatividade e pelo jeito, sem planos próprios. Então imita o PT. O ex-assessor do vereador Ciro André Quintino, PMDB, que não acompanhou o chefe na presidência da Casa por falta de um diploma universitário, Roni Jean Muller, foi nomeado superintendente do Orçamento Participativo, a marca nacional do PT. Ria macaco.

Gente atrapalhada. Sedenta por uma vaguinha. A coluna vinha perguntando a cada publicação das nomeações: cadê as desnomeações de Gaspar? E o novo pessoal no poder me chamando de intrometido, desocupado, invejoso...

Pois, o decreto 7.290, de três de janeiro de 2017, publicado só ontem dia cinco de janeiro no Diário Oficial dos Municípios – aquele que se esconde na internet e não tem hora para sair - e assinado pelo prefeito Kleber Edson Wan Dall, PMDB, responde e lava a minha alma [outra vez].

O decreto exonera os servidores comissionados do Samae de Gaspar, Elcio Carlos de Oliveira, diretor Presidente e José Carlos Schramm, assessor Jurídico. E tudo isso nas barbas do mais longevo dos vereadores, várias vezes presidente da Câmara, o que se diz mais conhecedor das leis, o vereador licenciado e hoje presidente da autarquia, José Hilário Melato, PP.

Já o artigo 2º desse decreto é uma gracinha e de efeito prático duvidoso: “este Decreto entra em vigor na data de sua publicação [que foi ontem], retroagindo seus efeitos para 01º de janeiro de 2017”. Há gente que entende do assunto, diz não ser bem assim. Para efeitos de remuneração, havia dois presidentes. Então...

Gente atrapalhada. Deu zebra. O motorista de campanha de Kleber Edson Wan Dall, PMDB, Ezequiel Hintz, foi nomeado assessor administrativo na Secretaria de Planejamento, Meio Ambiente e Defesa Civil na primeira leva de nomeados no dia três de janeiro e para ocupar o cargo desde o dia primeiro de janeiro.

Ontem o prefeito Kleber Edson Wan Dall gastou tinta, tempo e dinheiro para dizer que Ezequiel está nomeado sim, para o mesmo cargo, na mesma Secretaria, mas para começar só no dia nove de janeiro. Ah, bom...

Ontem ainda a secretaria de Planejamento, Meio Ambiente e Defesa Civil nomeou para a tal diretoria de Capitação de Recursos Jonelde Bianchi Damo e para a superintendência de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da secretaria, Rafael Weber.

Aliás, as publicações dos nomeados na área de comentários da coluna na internet, tem dado além da audiência, a dimensão do cabideiro de empregos e como os adversários, principalmente o PSDB e DEM foram traídos.

Aliás sobre esta publicação, obrigatória pela legislação no Diário Oficial dos Municípios – aquele que se esconde na internet e não tem hora para sair -, também é motivo de queixas em Gaspar e Ilhota. É um desespero. Tontos.

Tem gente na administração de Kleber Edson Wan Dall, PMDB, em Gaspar, e de Érico de Oliveira, PMDB, em Ilhota, que teima na defesa de que não sejam publicadas estas nomeações e outros atos, onde há audiência. Cada uma!

Ora, se os novos governantes – que juraram transparência e culparam os antecessores por não tê-las, estão envergonhados daquilo ou daqueles que nomeiam para serem seus auxiliares ou se existem alguma coisa errada, há de se supor também que existem nas nomeações, ou atos controversos.

Antes de reclamar, pressionar e chantagear com quem as publica, a primeira coisa era não ter assinado os decretos e portarias. Agora fazê-los e tentar escondê-las é algo que precisa ser investigado desde já. Começou muito cedo. Serão quatro anos de fortes emoções.

Uma definição óbvia que li no twitter entre muitos comentários derivados do massacre de Manaus: bandido é bandido em qualquer lugar. Gostam de mordomias sejam nas casas, nas celas, nos hotéis, nos palácios...

Irresponsabilidade dos governantes com os cidadãos. O ex-prefeito Pedro Celso Zuchi, PT, inaugurou a ponte do Vale no dia 23. Todos viram ou perceberam à razão do improviso. Eu aqui desnudei o que toda a imprensa daqui e da região camuflou.

Mas, a colocação da sinalização vertical, ao mínimo e improvisada, aconteceu só no quarta-feira. Ao todo foram instaladas sete placas, de advertência e de avisos que indicam a velocidade máxima permitida.

“De acordo com o secretário de Planejamento e Desenvolvimento, Alexandre Gevaerd [que já foi secretário dos petistas Décio Neri de Lima e o cassado Paulo Roberto Eccel] a medida foi necessária para assegurar o mínimo de segurança para quem transita sobre o elevado”, estampou um press release do governo de Kleber Edson Wan Dall, PMDB. Não foi invenção da coluna. Novamente, de alma lavada. Acorda, Gaspar!

O portal Governança Brasil traz que o salário base mensal do ex-prefeito de Ilhota, Daniel Christian Bosi, PSD, era de R$10.944,39. Mas, no mês de dezembro de 2016, o total de proventos foi de R$68.220,57.

O site do município de Ilhota ainda não consegue informar quem é o atual prefeito e vice de lá. Ao menos tiraram a informação do ex-prefeito Daniel Christian Bosi, que aqui em Gaspar levou-se três dias para retirar sobre Pedro Celso Zuchi e Mariluci Deschamps Rosa, ambos do PT.

Os que esperavam ser nomeados e ouviram do próprio prefeito de Ilhota, Érico de Oliveira, PMDB, que a situação seria resolvida após as eleições, estão preocupados. Sem o aval expresso do ex-prefeito Ademar Felisky, PMDB, nada avançará.

O senador Dalírio Beber, PSDB, comunicou a ex-vereadora Andreia Symone Zimmermann Nagel, que liberou uma emenda de R$250 mil para educação de Gaspar e que ela havia pleiteado durante a campanha a prefeito. Andreia ajusta com a prefeitura o uso desses recursos.

A primeira mudança anunciada na rádio como secretário de Finanças e Administração de Gaspar e presidente do PMDB, Carlos Roberto Pereira, o que foi coordenador de campanha de Kleber Edson Wan Dall, foi a de local das suas secretarias.

Elas saem do prédio da prefeitura na praça Getúlio Vargas e vão para um prédio que alugaram no governo do PT, mas vejam só, ainda não se ocupou ele totalmente. É da Igreja Católica e fica ali na subida da Igreja Matriz. Ou seja, mais despesas e conforto em época de recessão.

Nada foi contestado até agora. E diante do tempo que já passou, nem poderá. Na entrega das chaves, o prefeito Pedro Celso Zuchi, PT, disse a Kleber Edson Wan Dall, PMDB, que deixava nos cofres R$ 21.317.542,00. Então...

“Cortar regalias de parte do alto funcionalismo talvez ajudasse a acabar com a ideia de que, em vez de entrar no serviço público, essa gente ganhou um título de nobreza jeca, meio caminho andado para se comportar como casta, se dar salários acima do teto e coisas piores”.

Este parágrafo é da coluna que Vinicius Torres Freire escreveu no dia 29 de dezembro do ano passado, no jornal Folha de S. Paulo e eu a publiquei na área de comentários da coluna.

Em família. Ana Caroline Morello é a assessora de comunicação do Samae de Gaspar.

Ontem foi a posse do suplente de vereador José Ademir Moura, PSC, em solenidade reservada na Câmara. Ele ocupou a vaga de José Hilário Melato, PP, nomeado para a presidência do Samae.

Na posse, além dos religiosos evangélicos e alguns vereadores, estiveram ainda no ato simbólico, pois a Câmara está nas suas extensas férias, o vice Luiz Carlos Spenlger Filho, PP, os deputados Rogério Peninha Mendonça (Federal) e Aldo Schneider (estadual), ambos do PMDB.

Comentários

Sidnei Luis Reinert
09/01/2017 15:26
Donald Trump Chama Meryl Streep "Hillary Lover" Após Seu Discurso dos Globos de Ouro


O presidente eleito disparou de volta ao discurso bem recebido do vencedor do Prêmio Cecil B. DeMille.
Donald Trump respondeu rapidamente domingo depois Meryl Streep criticou o presidente eleito, quando ela recebeu o prêmio Cecil B. DeMille no Globo de Ouro.

A icônica atriz criticou Trump em várias questões, incluindo a imigração e supostamente tirando sarro de um jornalista incapacitado enquanto ele estava fazendo campanha no outono passado.

Em uma breve entrevista por telefone com o The New York Times , Trump descrito Streep como um "amante de Hillary" e disse que ele não tinha visto o discurso e não tinha visto a premiação. Ele acrescentou que não estava "surpreso" que o "povo filme liberal" bateu-lo durante a transmissão.

Streep fez ondas através das mídias sociais quando ela ecoou comentários de Hugh Laurie sobre a Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood sendo uma parte de "os segmentos mais vilipendidos na sociedade americana agora" - Hollywood, estrangeiros e imprensa.

"Hollywood está rastejando com estranhos e estrangeiros, e se você chutar todos nós fora, você não terá nada para assistir, exceto para o futebol e artes marciais misturadas, que não são artes", disse Streep. "Mas quem somos nós, e o que é Hollywood de qualquer maneira? É apenas um monte de gente de outros lugares."

Nas primeiras horas da segunda-feira, Trump continuou a atacar, desta vez levando para o Twitter. Em três de tweets , ele descreveu o vencedor do Oscar múltipla como "um dos mais over-rated atrizes de Hollywood", dizendo que ela era uma "Hillary reprovado que perdeu grande" e que ela tinha "atacado"-lo sem mérito sobre os créditos que tinha ridicularizado Um repórter incapacitado.

http://www.hollywoodreporter.com/news/donald-trump-fires-back-at-meryl-streep-her-critical-golden-globes-speech-962426?facebook_20170108
Ana Amélia que não é Lemos
09/01/2017 14:00
Sr. Herculano:

Veja o que li no site Verde e Amarelo:
"Quem defende político ou é parente, trabalha para alguém ou é ladrão igual a ele."

Resolvi colar porque serve para Gaspar também.
Digite 13, delete
09/01/2017 13:50
Genziscan e José Antônio, realmente 4 anos passam depressa. Até a indesejada foi facim, facim de tirar, não vai ser agora que essa gangue(junto com o PT) que explodiu a economia do Brasil, desempregou milhões de pessoas que vai se aboletar no poder.
Erva Daninha
09/01/2017 13:12
Quem é Leonardo Boff?
Herculano
09/01/2017 07:52
SIGA O DINHEIRO, por Vera Magalhães, no jornal O Estado de S. Paulo

Problema nos presídios do País deixou de ser de segurança pública para se transformar, em uma semana, numa ameaça à segurança nacional.

O problema dos presídios deixou de ser de segurança pública para se transformar, em uma semana, numa ameaça à segurança nacional. Esta foi a conclusão que dois ministros envolvidos com a crise enunciaram à coluna ao longo dos últimos dias.

O combate à guerra de facções não é simples nem imediato, por vários fatores: depende de uma atuação conjunta com os Estados, esbarra na falta de recursos, necessita de colaboração dos países vizinhos produtores de drogas.

Além disso, as investigações sobre facções criminosas como o PCC e o Comando Vermelho não podem se valer do instituto da delação premiada, como se vê na Lava Jato - pelo simples fato de que colaborações judiciais no crime organizado são pagas com a vida do delator e da família.

O governo teme que a guerra de facções passe da matança em presídios para ataques a alvos civis.

Para combater os grupos, uma das principais ações do Plano Nacional de Segurança, que passou meio despercebida na divulgação, é o uso da rede LAB, de laboratórios interligados da PF e do Ministério Público Federal, para rastrear o financiamento e a lavagem de dinheiro das facções criminosas que comandam tráfico de drogas e armas no País. É o mesmo esquema que vem sendo usado, com sucesso, no combate à corrupção.

Além disso, serão assinados novos acordos de cooperação com os países vizinhos, nos moldes do que foi feito com a Bolívia. O próximo será a ampliação do escopo do tratado com o Paraguai.
Herculano
09/01/2017 07:38
SUPREMO PODE MUDAR O CONCEITO DE CORRUPÇÃO

Conteúdo do jornal Valor Econômico. Texto do 247.O STF (Supremo Tribunal Federal) voltará a definir os conceitos de crimes como corrupção e lavagem de dinheiro, estipulando parâmetros que se aplicarão em todo o país daí em diante. Uma das principais questões é se a doação oficial a campanhas políticas, em troca de alguma vantagem, pode ou não ser considerada lavagem de dinheiro, além de corrupção. Os partidos políticos alegarão que a doação registrada não pode sequer ser chamada de corrupção. Já o Ministério Público considera que as doações legais, se feitas em troca de alguma vantagem indevida, envolvem não só corrupção, mas também lavagem de dinheiro.

As informações são de reportagem de Maíra Magro no Valor.

"É sem dúvida uma forma de lavagem, porque o político pede à empresa para pagar propina e recebe o dinheiro de forma aparentemente legal", diz José Robalinho Cavalcanti, presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR). Ele compara o ato ao recebimento de recursos em uma conta no exterior. "Ambos têm a intenção de ocultar o recebimento da vantagem indevida."

Já o advogado Pierpaolo Cruz Bottini, que defende executivos e políticos na Lava-Jato, sustenta que a doação oficial em troca de vantagem indevida pode ser uma forma de corrupção, mas não de lavagem de dinheiro. "Se a vantagem indevida que se pede é a doação oficial, não há ocultação e dissimulação, pois a própria doação é a vantagem", afirma. A diferença pode ser sutil, mas a classificação da conduta como um ou mais crimes tem resultado direto na pena aplicada.

Para o criminalista Pedro Ivo Velloso, o STF deverá se debruçar na Lava-Jato sobre os limites que diferenciam a corrupção e a lavagem. Ele lembra que, no julgamento do mensalão, a corte chegou a mudar de posição sobre esse ponto ao julgar os embargos infringentes, recursos usados para questionar decisões que geraram divergência entre os ministros. "Nos embargos infringentes, o Supremo voltou atrás e entendeu que a conduta de receber uma vantagem indevida, ainda que de forma oculta, não é lavagem, mas apenas corrupção. Afinal, ninguém recebe dinheiro dando recibo", diz Velloso. De acordo com ele, nos procedimentos da Lava-Jato, o Ministério Público não faz essa diferenciação, considerando uma mesma conduta tanto corrupção como lavagem de dinheiro. Portanto, a questão voltará ao STF.

Outra discussão importante envolverá os critérios necessários para identificar a ocorrência da corrupção."
Herculano
09/01/2017 07:31
ALGUMA DÚVIDA DO ROUBO INSTITUCIONALIZADO E DE QUE POLÍTICOS E PARTIDOS SÃO TÍPICOS CRIMINOSOS? EX-ESPOSA DE DEPUTADO DO MENSALÃO PEDE ASILO NOS EUA E DIZ TER DOSSIÊ CONTRA LULA E CUNHA

Conteúdo do jornal Folha de S. Paulo. A ex-esposa do ex-deputado federal (e um dos condenados do Mensalão) Valdemar Costa Neto (PR) pediu asilo político nos Estados Unidos. Conforme informa o jornal Folha de S. Paulo, Maria Christina Mendes Caldeira fugiu para o país levando apenas algumas roupas e uma cachorrinha vira-latas de cinco anos treinada para acompanhar pessoas com síndrome do pânico chamada Fé. A advogada e professora de Direito Internacional da Universidade de São Paulo (USP), Maristela Basso, afirmou que a mulher trocou sua identidade e está atualmente sob proteção do governo americano.

A advogada afirma que a mudança ocorreu porque Maria Christina contou a autoridades do país que sofre ameaças no Brasil por ter em mãos um dossiê que atinge o ex-marido e outros políticos como ex-presidente Lula e o ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha. Segundo Maristela, ela chegou a oferecer as provas ao MPF (Ministério Público Federal), mas como não obteve garantia de proteção, decidiu procurar autoridades estrangeiras, diz o jornal.

Maria Christina entregará ao Departamento de Justiça dos EUA documentos que descrevem operações financeiras em contas e offshores (empresas sediadas em paraíso fiscal) do ex-marido e de seus aliados políticos, diz Maristela. Os papéis também trariam revelações sobre a existência de dois cofres alugados em bancos no Uruguai e em Portugal, onde políticos brasileiros guardariam diamantes de operações feitas na África. Maristela disse que ainda não viu os documentos que sua cliente diz possuir, mas garantiu que a denúncia não é uma fantasia.

Segundo o jornal, os dados do dossiê foram obtidos por uma empresa americana especializada em rastrear atos de lavagem de dinheiro e corrupção, contratada por Maria Christina assim que o casamento com o ex-deputado começou a degringolar. Por medida de segurança cópias do dossiê foram espalhadas em cofres em cinco países
Herculano
09/01/2017 07:17
O SANGUE DOS CIDADÃOS

Conteúdo de O Antagonista. O promotor César Dario Mariano da Silva, no Estadão, demoliu os argumentos dos farsantes que defendem a soltura dos presos:

"Tenho lido e ouvido 'especialistas' discutindo sobre o ocorrido nos presídios em Manaus e Roraima. O problema seria a superpopulação carcerária e a solução a diminuição das prisões, provisórias e definitivas. Quem conhece um pouco de execução penal sabe que dificilmente há presos que lá não deveriam estar. São homicidas, latrocidas, traficantes, estupradores, dentre outros criminosos violentos.

O problema não é a quantidade de presos, mas o número enorme de criminosos".

Em seguida:

"Imaginemos apenas que não houvesse mais as prisões necessárias e inúmeros criminosos fossem colocados nas ruas apenas para esvaziar o sistema prisional, o que vêm defendendo alguns 'especialistas' no assunto.

Se já temos uma das maiores taxas mundial de crimes violentos, a situação iria se agravar sobremaneira de modo a ficar insuportável viver nas cidades mais populosas e violentas".

E ele conclui:

"Não é a população que deve ser penalizada pela ausência de vagas no sistema penitenciário. A solução de soltar criminosos levará necessariamente ao aumento da criminalidade e o sangue a correr será agora de inocentes cidadãos cumpridores de seus deveres".
Herculano
09/01/2017 06:52
MENOS CARGOS, editorial do jornal Folha de S. Paulo

O governo Michel Temer (PMDB) anunciou a conclusão de sua reforma administrativa, cuja inovação mais relevante é restringir o uso de cargos de livre nomeação do Executivo como moeda de troca nas negociações políticas.

Até o final do ano passado, a administração federal dispunha de algo em torno de 24 mil postos dessa modalidade. De acordo com um decreto presidencial recém-editado, 3.000 deles serão extintos de janeiro a julho deste ano.

Além disso, uma lei sancionada em outubro estabeleceu que 10,5 mil cargos se transformem gradualmente em funções comissionadas preenchidas exclusivamente por servidores de carreira.

Calcula-se que as medidas proporcionarão uma economia modesta, de pouco mais de R$ 200 milhões anuais. Seu propósito, de todo modo, não é o ganho orçamentário. Trata-se antes de combater os efeitos deletérios que a nomeações de quadros partidários sem a necessária qualificação tem sobre a gestão governamental.

Ademais, deve-se buscar a profissionalização da burocracia, de forma a preservar a continuidade dos serviços de Estado nos momentos de alternância de poder.

O Planalto, por isso, não deveria dar a reforma por encerrada ?"até porque a quantidade de cargos à mercê do varejo político permanece despropositada, como demonstra a comparação internacional.

Ao assumir a Presidência dos Estados Unidos no próximo dia 20, Donald Trump terá cerca de 9.000 nomeações a sua disposição, mais da metade delas destinadas a funcionários de carreira. Em boa parte dos países desenvolvidos, os números não chegam ao milhar.

A mera reserva de vagas a servidores, diga-se, não basta para impedir o fisiologismo na distribuição de postos de chefia e assessoria. Os partidos, afinal, podem encontrar aliados em toda a administração pública, aí incluídos os três Poderes, os Estados, os municípios e as estatais.

É fundamental que se definam requisitos mínimos de experiência e qualificação, divulgados de forma transparente, para os ocupantes dos cargos ?"como a legislação de outubro prevê de maneira genérica, sem prazo definido.

Para todo o funcionalismo, devem-se promover mecanismos de premiação da eficiência, com o objetivo de ao menos atenuar o impacto negativo da estabilidade no emprego sobre a produtividade.

O governo Temer, infelizmente, mostra-se tímido no enfrentamento das pressões corporativas dos servidores. No encerrar de 2016, medida provisória garantiu reajustes salariais para as carreiras que ainda não haviam sido contempladas ?"um privilégio inimaginável em tempos de desemprego em alta e deficit orçamentário.
Herculano
09/01/2017 06:49
MILITÂNCIA

A Globo News transmitia o caos decorrente dos massacres de presidiários em Manaus e Boa Vista, bem como a omissão Federal no suporte para a mitigação.

Ai ela interrompeu a transmissão para ouvir um especialista sobre o assunto: a antropóloga professora da Universidade Federal Fluminense, Jacqueline Muniz.

E ela tascou o pau com teorias e teorias. Jacqueline é notória militante do PSOL. E como toda militante da esquerda do atraso é contra polícia, contra presídios e há implícita uma relação muito próxima de sobrevivência econômica e histórica com os narcotraficantes.

Durante 13 anos o PT foi omisso neste assunto exatamente por fazer parte desse ideal e necessidade que se disfarça de amparo aos pobres, discriminados, perseguidos sob o manto da defesa dos Direitos Humanos.
Herculano
09/01/2017 06:37
da série: uma lista incompleta. Falta os partidos e suas múltiplas facções.

MUITO ALÉM DO PCC

Conteúdo de O Antagonista. Nada menos que 27 facções disputam o controle do crime organizado no Brasil, segundo o Estadão, entre alianças, escaramuças e declarações de neutralidade.

Os criminosos estão agrupados da seguinte forma nos Estados:

Acre: Bonde dos 13; PCC;

Amazonas: Família do Norte; PCC;

Alagoas: Alkaida (ou Okaida); PCC;

Bahia: Mercado do Povo Atitude; Ajeira; Katiara; Comando Vermelho; Bonde do Maluco; Comando da Paz; PCC;

Ceará: PCC; Comando Vermelho; Família do Norte; Guardiões do Estado;

Maranhão: Primeiro Comando do Maranhão; Bonde dos 40; PCC;

Mato Grosso: Comando Vermelho e PCC;

Mato Grosso do Sul: Comando Vermelho e PCC;

Minas Gerais: Comando Vermelho e PCC;

Pará: PCC; Primeiro Comando do Norte; Equipe Rex;

Paraíba: Alkaida (ou Okaida); Estados Unidos; PCC;

Paraná: PCC e Comando Vermelho;

Pernambuco: PCC, Comando Vermelho; Alkaida;

Rio de Janeiro: PCC, Comando Vermelho; Terceiro Comando; Amigo dos Amigos;

Rio Grande do Norte: Sindicato do Crime RN; Família do Norte; PCC; Comando Vermelho;

Rio Grande do Sul: Bala na Cara; Antibala; Manos; Abertos; PCC;

Roraima: PCC, Comando Vermelho, Família do Norte;

São Paulo: PCC, Terceiro Comando, Seita Satânica, Comando Revolucionário Brasileiro da Criminalidade, Cerol Fino, Comissão Democrática da Liberdade;

Santa Catarina: PCC, Primeiro Grupo Catarinense.
Herculano
09/01/2017 06:34
AMANHÃ É DIA DE COLUNA INÉDITA OLHANDO A MARÉ AOS QUE ACESSAM O CRUZEIRO DO VALE
Herculano
09/01/2017 06:32
PROFISSÕES EM RISCO, por Ruy Castro, no jornal Folha de S. Paulo

Um estudo da Universidade Oxford prevê que, em uma ou duas décadas, metade das ocupações atualmente em curso nos EUA será exercida por robôs. Quase ninguém mais discorda dessa afirmação, e a única dúvida é quanto ao tempo que isto levará. Por que uma ou duas décadas? Por que não um ou dois anos? Afinal, há não muito tempo, quem diria que segmentos tão tradicionais e queridos como os laboratórios de revelação fotográfica, as lojas de discos e as locadoras de vídeo seriam evaporados da economia?

Outro exemplo. A maior frota de táxis do mundo, o Uber, não tem um único táxi na garagem e, em breve, dispensará também os motoristas ?"porque os carros serão autônomos, rodarão sozinhos e pegarão os passageiros que os terão chamado por um aplicativo. É uma cadeia. Quando isso acontecer, ninguém mais precisará ter carro. Em consequência, os fabricantes reduzirão de tal forma sua produção que será melhor entregá-la de vez aos robôs.

O fim da mão de obra passa também pela impressão em 3D, a qual, pelo que ouço dizer, já produz de sapatos, móveis e casas inteiras a crânios, dentes e orelhas humanos. E isso é só o começo ?"espera-se para logo o lanche completo do McDonald's, incluindo o milk shake de Ovomaltine, cruelmente tomado ao Bob's. Tudo impresso em 3D. A grande pergunta, na verdade, é: o que caberá ao ser humano fazer no futuro próximo?

Neste momento, parece já não haver função humana que, um dia, não possa ser desempenhada por uma máquina. Nesse dia, talvez só nos restem aquelas que não interessarem aos robôs, como vender mate na praia, trabalhar como gandula em estádios de futebol, levar o cachorro para fazer pipi na rua, catar piolhos nos filhos ou ser lutador de MMA.

Outra profissão em risco é a de colunista de jornal. Não por falta de assunto, mas por falta de jornal
Herculano
09/01/2017 06:23
CONGRESSO GASTA R$ 230 MILHÕES COM COTÃO, por Cláudio Humberto, na coluna que publicou hoje nos jornais brasileiros

O Congresso Nacional gastou, em 2016, R$ 230 milhões com a Cota Para o Exercício da Atividade Parlamentar (Ceap), a chamada verba indenizatória. Na Câmara, foram torrados R$ 209,38 milhões para bancar as atividades dos 513 deputados federais, como consultoria, assessoria, aluguel de escritório, passagem aérea, segurança, entre outros. No Senado, suas excelências gastaram R$ 21,21 milhões.

SACO SEM FUNDO
A dinheirama seria suficiente para comprar 2.875 casas do programa Minha Casa, Minha Vida ou 7.700 carros populares.

CAMPEÕES EM GASTOS
Os deputados mais gastões: Rocha (PSDB-AC), R$ 561 mil; Hiran Gonçalves (PP-RR), R$ 544 mil; Silas Câmara (PRB-AM), R$ 518 mil.

ENDINHEIRADOS
No Senado, Randolfe Rodrigues (RD-AP) gastou R$ 456 mil, Telmário Mota (PDT-RR), R$ 447 mil, e Paulo Rocha (PT-PA), R$ 446 mil.

NA NOSSA CONTA
O valor milionário é custeado com dinheiro público. O parlamentar apresenta nota fiscal dos serviços e é ressarcido pelo Congresso.

CUNHA SONHA COM LIBERDADE A PARTIR DE FEVEREIRO
O ex-deputado cassado Eduardo Cunha começou 2017 ainda preso em Curitiba, mas deposita enorme esperança em conseguir liberdade com o pedido de habeas corpus em análise no Supremo Tribunal Federal (STF). Cunha sonha em deixar o Complexo Penitenciário de São José dos Pinhais já no próximo dia 8 de fevereiro, quando a presidente da Corte, ministra Cármen Lúcia, colocará o caso para análise do plenário.

FESTAS NA CADEIA
Cunha esperava pela decisão do ministro-relator da Lava Jato, Teori Zavascki, antes do recesso, mas passou Natal e Réveillon em cana.

DIREITOS IGUAIS
Outra tentativa no STF é anular a cassação. Cunha alega que houve a possibilidade de emendas na cassação de Dilma, o que lhe foi negado.

FICHA SUJA
Caso não tenha êxito nos pedidos junto ao STF, Cunha continuará preso e inelegível até 2027 pelo enquadramento na Lei da Ficha Suja.

#BA$TA
Na campanha à reeleição para presidente da Câmara, Rodrigo Maia se encontrará no domingo (8) com o deputado Arthur Lira (PP-AL) na paradisíaca Barra de São Miguel (AL). Tudo pago com dinheiro público.

SEU DINHEIRO
Membro da CPI da Lei Rouanet, o deputado Izalci (PSDB-DF) aponta desvios da ordem de R$ 180 milhões, pulverizados em mais de 250 projetos financiados por várias empresas com incentivos do governo.

TUCANO NOVO
O senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) afirmou que a bancada tucana discutirá, na segunda quinzena de janeiro, a definição do novo líder do partido no Senado. Ricardo Ferraço (PSDB-ES) é o favorito.

PRIORIDADE ABSOLUTA
No retorno da atividade do Congresso, em fevereiro, o Planalto decidiu manter a economia como prioridade. "O foco é o ajuste econômico", afirma o líder do governo na Câmara, André Moura (PSC-SE).

CRESCE A INTOLERÂNCIA
Em meio ao discurso de ódio disseminado pelo PT, o deputado Marcus Pestana (PSDB-MG) faz um alerta: "Nota-se um crescimento enorme da intolerância e do sectarismo". Segundo ele, é preciso unir o povo.

MUDANÇA NO SETOR PORTUÁRIO
O Grupo CR Almeida, que atua fortemente em infraestrutura, decidiu desembarcar dos negócios na área portuária, e já tem candidato forte à compra. A Marimex, que cresce sem recorrer a práticas heterodoxas, quer o Ecoporto, de Santos, e Elog, empresa de planejamento logístico.

PROBLEMA DE GESTÃO
Em meio à discussão sobre a barbárie em presídios em Manaus e Boa Vista, o Fundo Penitenciário Nacional (Funpen) recebeu R$ 385 milhões de arrecadação com as loterias, em 2016.

PROGRAMA HABITACIONAL
As regalias no Congresso dão inveja a países ricos. De 81 senadores, apenas 15 não recebem auxílio-moradia ou imóvel funcional. Três são do Distrito Federal. Quem recebe auxílio ganha R$ 4.300 por mês.

PERGUNTA NA AREIA
O prefeito do Rio, Marcelo Crivella, recorreu à estratégia de Lula ao dizer que não soube dos arrastões nas praias cariocas?
Herculano
09/01/2017 06:13
GOVERNO ERRA MUITO NA COMUNICAÇÃO, por Juliana Sofia, no jornal Folha de S. Paulo

A Secom (Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República) lançou neste início de ano edital para contratar as agências de propaganda que administrarão a maior conta de publicidade da Esplanada dos Ministérios.

O cobiçado contrato de R$ 208 milhões, por 12 meses, desperta futricas. No submundo da capital federal, teses sobre um possível jogo de cartas marcadas.

No Ministério da Saúde, segunda maior verba de publicidade do governo federal (R$ 205 milhões), levaram a disputa agências de origem questionável ou com DNA de velhos conhecidos - como os do marqueteiro baiano Duda Mendonça e de Antonio Lavareda, cientista político e conselheiro de Michel Temer.

Teorias conspiratórias de lado, milhões de reais em dinheiro público são gastos com propaganda e comunicação oficial. E o resultado?

O governo comunica-se mal, vende-se com meias verdades, bate cabeça internamente e expõe-se publicamente. Erra muito ?"mais do que o aceitável.

A propaganda sobre os 120 dias do governo Temer exibe exageros e chega a celebrar medida assinada pela pena alheia ?"no caso a de Dilma Rousseff, que sancionou a Lei da Repatriação. Os louros foram colhidos pela gestão peemedebista.

Na semana passada, peças publicitárias sobre violência no trânsito, avalizadas pela Secom, causaram furor nas redes sociais. Com a polêmica, a campanha "Gente boa também mata" acabou sendo parcialmente suspensa.

O Leão de Ouro teria ido para a fala atrasada e desastrada de Temer (sugerida por algum marqueteiro?) sobre o massacre no presídio em Manaus, que classificou de "acidente pavoroso".

Só não o foi porque o secretário Nacional de Juventude, Bruno Júlio (PMDB-MG), agora demissionário, superou a gafe presidencial com o slogan: "Tinha que matar mais. Uma chacina por semana"
Sidnei Luis Reinert
08/01/2017 21:29
Caio Blinder deixa escapar que narrativa da associação de Trump com Russia é sandice
8 de janeiro de 2017
Caio Blinder deixa escapar que narrativa da associação de Trump com Russia é sandice
Algumas vezes os esquerdistas se precipitam e entregam suas estratégias. Momentos assim são divertidíssimos e tornam a guerra política uma verdadeira terapia.

É o caso do jornalista de esquerda Caio Blinder, verdadeira cheerleader de Hillary durante as eleições. Sua expressão de frustração ao ver que o projeto de poder tirânico do Partido Democrata foi interrompido se tornou viral no dia da vitória de Trump.

Este tuíte mais recente é impagável:

_caioblinder

A mim não interessa a questão de "Obama ser um queniano com agenda sinistra". O que importava é que a política de Obama era desastrosa, autoritária e prejudicial à nossa civilização. Ou seja, a queda da narrativa de que "Obama é queniano" não fede nem cheira pra mim. Ele já está fora.

Mas para gente como Caio Blinder a narrativa de que "Trump é espião a serviço de Moscou" ainda possui validade política. Eles estão batendo nessa tecla feito doidinhos de feira.

Pena que Blinder acabou com o truque ao dizer que ele é tanto uma "sandice" quanto pregar que Obama é queniano. Sim, de fato dizer que Trump é um espião a serviço de Moscou é uma sandice. Obrigado por confessar, Caio!

Em tempo: a narrativa mentirosa usada pela esquerda é mais do que sandice. É uma mentira deliberada. Mas já que Caio confessou ser uma sandice, já temos o suficiente para qualificá-la como (mais uma) narrativa falsa.
http://www.ceticismopolitico.com/caio-blinder-deixa-escapar-que-associacao-de-trump-com-russia-e-apenas-sandice/
José Antonio
08/01/2017 21:25
Herculano!

Já começou o arrependimento em uma semana, vamos ver daqui a 6 meses. Todos sabiam aqui em Gaspar que votar no PMDB ia dar nisso. A melhor candidata era a Andreia, mas 4 anos passam rápido. Retiraram uma M...(PT), colocaram outra M...(PMDB) pior ainda. Agora aguentem e não reclamem, sabiam que ia ser essa mediocridade toda.
Faça o que eu digo, mas não.....
08/01/2017 21:18
Herculano, interessante a sua nota sobre a verba do senador
Para a educação.
Reveladora.
Revela quem é mais importante para a ex-vereadora:quem
A bajula sempre.
E vc critica a propaganda
Do PT, mas apoia que nosso dinheiro tenha padrinho?
Cobrar coerência é fácil.
Se a verba e para a educação, que
"Ajustes" são esses? Sem ajustes a
Verba não será liberada? E isso? Que
Bela forma de fazer
Política diferente. É fácil cobrar, difícil e ajudar e cooperar.
Depois não sabem pq cabem em
Uma carroça. Pelo menos padrinho e afilhado tem algo em comum.
São campeões de urna.


Sidnei Luis Reinert
08/01/2017 21:05
O DESGOVERNO TEMERÁRIO QUER TRAZER 5 MIL DESTAS PESTES ATÉ O FINAL DO ANO.

A Arábia Saudita Realizou Uma Conferência De Direitos Da Mulher Sem Uma Mulher Única

08 DE JANEIRO DE 2017por ADMINISTRADOR em MIDDLE EAST & WORLD


A Universidade de Qassim da Arábia Saudita foi anfitriã de uma das maiores conferências de direitos das mulheres no mundo árabe. Entretanto, a universidade não pensou sábio assegurar a freqüência fêmea. Surpreendentemente, a instituição conseguiu realizar o evento sem o conselho ou atendimento de uma única mulher.

Em 2012, a Universidade de Qassim - um dos maiores institutos educacionais da Arábia Saudita - decidiu organizar uma Conferência dos Direitos da Mulher. O evento deveria ser um evento anual. Como esperado de tais conferências, o evento foi concebido para servir como uma plataforma para discutir os direitos das mulheres.

Inteligentemente temática em torno do tema de "Mulheres na Sociedade", a conferência deveria definir uma referência para a tolerância e progresso na região. A universidade saudita até convidou delegados de outras nações para fazer parte deste evento histórico. Interessados ??e ansiosos, delegados e palestrantes de mais de 15 países apareceram.

No entanto, como é esperado da Arábia Saudita - um país firmemente governado por sua própria interpretação da Lei Sharia - não houve mulheres presentes para uma conferência destinada a discutir seus direitos. Ainda assim, alguns "acadêmicos" enfatizam que, embora a conferência possa parecer desprovida de qualquer mulher, ela poderia estar "participando" da conferência de um prédio adjacente.

O facto de não existirem mulheres até mesmo no pódio para uma conferência de direitos das mulheres meramente corrobora o compromisso do país de manter a segregação de género viva e chutando. No entanto, de acordo com o jornal "oficial" árabe Okaz, que dirigiu a história no ano passado, duas mulheres participaram da conferência. Mas o jornal não confirmou onde eles estavam sentados para este evento histórico que discutiu o tópico de direitos das mulheres.

Embora existam vários profetas que interpretam a lei da Sharia de acordo com sua própria compreensão, de acordo com a compreensão da Arábia Saudita, as mulheres nunca devem sentar-se

http://www.jewsnews.co.il/2017/01/08/saudi-arabia-held-a-womens-rights-conference-without-a-single-woman-attendee.html
Herculano
08/01/2017 17:15
"ESTADOS NÃO CONSEGUIRÃO CULPAR TEMER POR MUITO TEMPO"

É possível que o governo federal escape sem muitas sequelas das chacinas em Manaus e Roraima, por Márcio Juliboni, de O Antagonista

Temer demorou para reagir à chacina de Manaus e, quando o fez, foi um desastre, segundo o cientista político Jairo Pimentel, da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo. Mas, apesar de tudo, é possível que Temer saia desses episódios sem muitos arranhões.

O motivo, segundo Pimentel, é que a população tende a responsabilizar os governos estaduais pela segurança pública, e a não enxergar muito o vínculo do assunto com o governo federal, responsável pelo repasse de recursos, coordenação de políticas públicas e controle de fronteiras.

Com tudo isso, o povo tende a esquecer ou a desconsiderar o papel de Temer e sua equipe no caso. Veja os principais trechos da conversa com O Antagonista:

O Antagonista: Quanto as chacinas nos presídios do Amazonas e de Roraima podem afetar politicamente Temer?

Jairo Pimentel: O governo federal demorou para responder à situação e, quando o fez, foi de modo desastroso. É o caso, sobretudo, do plano de segurança apresentado pelo Ministério da Justiça. É uma resposta paliativa, que mostra pouco interesse do governo federal para tratar disso de modo mais firme. Além disso, a relação com os Estados não tem sido muito diplomática e pode gerar rusgas políticas.

O Antagonista: O governo diz que as chacinas são um problema de gestão de presídios e, portanto, a culpa é dos Estados. É um modo de se eximir de responsabilidade?

Pimentel: A questão vai muito além da segurança interna dos presídios. É fundamental que o governo federal intervenha, porque há fatores exógenos: a guerra de facções pelo controle de territórios e rotas de drogas.

O Antagonista: Quem será mais cobrado pela população por esses episódios?

Pimentel: As pessoas tendem a cobrar mais dos governadores, porque sabem que a segurança pública é uma responsabilidade dos Estados. O governo federal tem um papel mais de fornecer inteligência, controlar fronteiras...

O Antagonista: Mas os Estados rebatem, dizendo que o governo federal não envia os recursos de que precisam. No fim, tudo isso não volta para Temer?

Pimentel: Essas informações levam tempo para se disseminar pela população. Sem um fluxo grande de notícias mostrando a responsabilidade do governo federal nesses casos, o povo tenderá a se esquecer rapidamente disso. O argumento dos Estados de que Temer não liberou recursos não vai colar por muito tempo.
Mariazinha Beata
08/01/2017 16:49
Sidnei Luis Reinart, até o Papa?
Será que ele foi cooptado pela cumpanheirada e assemelhados que gosta de ficar de joelhos para a quadrilha?
Se for, estamos carente de representação.
Genziscan
08/01/2017 15:33
Herculano

Votei em Kleber e Lu pela mudança, mas me arrependo, nada mudou, o ódio e a incompetência permanecem.

Primeira grande obra dessa dupla, mesmo sem a mão de obra, prefeitura parara a pedido, dão jeito de retirar placas de divulgação da administração anterior.
Ai arrependimento, o melhor seria a Andreia. Fazer o quê, vamos esperar 1450 dias de atraso.

Herculano
08/01/2017 09:22
NÃO À BARBARIE, por Eliane Cantanhede, no jornal O Estado de S. Paulo

É melhor defender o plano de segurança do que massacres e linchamentos

Não há como monitorar fronteiras e penitenciárias só com gente e sem tecnologia, tanto como é impossível combater o crime organizado só com tecnologia e sem gente (leia-se: inteligência). Ambos, recursos humanos e tecnológicos, custam dinheiro e exigem tempo até entrarem em ação e adquirirem o mínimo de eficiência num País onde a segurança chegou aonde chegou e faz fronteira com três dos maiores fornecedores de drogas do universo: Bolívia, Colômbia e Peru.

O Plano Nacional de Segurança tem boas bases, mas não se pode esperar que tenha resultados imediatos, e o mais provável é que, depois de Manaus e Boa Vista, mais rebeliões e massacres virão. É justo cobrar providências, mas não culpar o governo Michel Temer. O governo tem culpas, algumas de um primarismo espantoso, como o presidente levar três dias para se manifestar sobre uma matança que abriu o ano no Brasil e ganhou manchetes mundo afora e, tendo perfeito domínio da língua portuguesa, chamar chacina de "acidente pavoroso".

Erro pior ainda é não só a relação abstrata entre o Ministério da Justiça e o governo de Roraima, mas a relação real entre o próprio ministro Alexandre de Moraes e a governadora Suely Campos (PP). Depois de negar em público que a governadora tenha pedido socorro federal para controlar os presídios, o ministro recebeu de volta na cara cópias de ofícios, agendas de encontros e uma justa indignação comprovando o contrário. Ou ele é mentiroso, ou esquecido ou mais uma das autoridades do "Sul maravilha" que não dá bola para os pequenos Estados do longínquo Norte, ainda mais um ex-território.

O fato, porém, é que seria (ou é) uma injustiça jogar no atual governo a culpa por um descalabro na segurança pública, na violência e no sistema prisional que não vem de hoje, mas de décadas, dos sucessivos governos. Temer, ao contrário, se preocupa com essas questões desde o início e o plano para a segurança já vinha sendo gestado havia meses.

Primeiro, porque ele assumiu a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo no rastro do Massacre do Carandiru e leva a questão a sério. Segundo, porque foi convocado a dar prioridade a ela pela presidente do STF, Cármen Lúcia, num encontro de várias horas, num domingo de setembro, no Palácio do Jaburu. Foi daí que surgiu a reunião entre Executivo, Judiciário e Legislativo para tocar o plano conjunto.

Escaldada pela cultura brasileira de anunciar e não fazer, de anunciar sem metas e viabilidade, de anunciar só para fingir que faz alguma coisa, a opinião pública torceu o nariz para o plano, mas se sugere ler as propostas e checar se há a correspondente previsão orçamentária para depois criticar, não pela exaustão com o estado de coisas, mas por de fato querer que elas mudem.

Para mudar, é preciso que a sociedade também mude. Se as redes sociais e o já defenestrado secretário de Juventude do governo, Bruno Júlio, incitam os cidadãos a crer que presos não são pessoas, aí tudo fica muito mais difícil, porque não se trata apenas de não acreditar no Estado e nos governos, mas na própria humanidade. É partir para massacres nas prisões e linchamentos nas ruas. É nivelar trabalhador a criminosos sanguinários. É combater a barbárie com barbárie.

O melhor é agir legal e civilizadamente e analisar com realismo o que fazer, como o general da reserva Augusto Heleno, que pôs a mão na massa como comandante militar da Amazônia e da Força Militar no Haiti: "O formato do plano é bom, isso é indiscutível, mas exige um trabalho muito difícil nas cidades, nas penitenciárias e nas fronteiras. Um trabalho insano e até inédito no País". A primeira providência é acreditar que é possível.
Herculano
08/01/2017 09:15
2016: GOVERNO TORROU R$ 750 MILHÕES EM DIÁRIAS, por Claudio Humberto, na coluna que publicou hoje nos jornais brasileiros

Apesar da crise econômica e de mais de 12 milhões de trabalhadores desempregados, o governo federal distribuiu mais de R$ 747 milhões em diárias a servidores, autoridades e "colaboradores eventuais" em 2016. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) lidera a lista com os dez maiores "diaristas" do ano passado. Cada um recebeu, em média, R$ 145,4 mil, além dos salários e de outros benefícios.

BOLADA DIÁRIA
Os cerca de R$60 milhões pagos por mês em diárias seriam suficientes para contratar 64.171 desempregados pagando um salário mínimo.

CAMPEÃO
Jangley Bahia Costa, da Anvisa, foi o grande campeão no quesito com R$ 177.286,90 recebidos no ano, ou R$ 14.773,90 por mês em diárias.

PRÁTICA PETISTA
No primeiro governo Dilma (2011-2014) foram mais de R$ 3,5 bilhões distribuídos a "cumpanhêros". Em 2015, foram outros R$ 700 milhões.

RECORDE ABSOLUTO
Em 2010, último do ex-presidente réu Lula, o governo federal pagou R$1,08 bilhão em diárias. Recorde absoluto que já completa seis anos.

CÂMARA GASTA R$7,49 MILHÕES EM COMPUTADORES
Tão logo começou a discussão sobre a criação de um limite de gastos públicos, a Câmara se antecipou e torrou R$ 7,49 milhões na aquisição de "computadores desktops" por meio de licitação antes da aprovação da PEC dos Gastos. A prática de acelerar gastos no fim de ano é praxe no Congresso, justamente para não devolver recursos à União ou ter o orçamento reduzido no ano seguinte. Cada máquina sairá por R$4.390.

VALE DO SILÍCIO
A Câmara comprou 1.708 computadores no pregão eletrônico número 72.381.189/0006-25, de fazer inveja a cientistas do Vale do Silício.

VENCEDORA DA LICITAÇÃO
As unidades adquiridas para servir suas excelências e servidores são da Dell Computadores do Brasil, empresa vencedora do certame.

NOVA DIREÇÃO
A compra foi realizada já durante a administração no atual presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

CAMINHO PACIFICADO
Favorito na disputa para presidente do Senado, em fevereiro, Eunício Oliveira (PMDB-CE) conseguiu apaziguar os ânimos no PMDB. "Tudo pacificado", disse. Renan Calheiros tentava melar sua candidatura.

ATROPELAMENTO
O deputado André Figueiredo (PDT-CE), aquele que virou ministro de Dilma depois de fingir ida para oposição, considera que a candidatura à reeleição do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), é "um atropelamento da Constituição". Figueiredo também é candidato.

MUITO A DIVULGAR
Candidato à presidência da Câmara, Jovair Arantes (PTB-GO) encontrou motivo de sobra para divulgar a atividade parlamentar. Gastou R$ 47 mil no ano passado, R$ 30 mil em um único mês.

CALOTE...
O governador de Pernambuco, Paulo Câmara, não repassou verba do pagamento, em dezembro, do adicional de produtividade a servidores do Hospital da Restauração, na região metropolitana do Recife.

... OU APROPRIAÇÃO
O dinheiro é repassado mensalmente por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). O Estado não deveria embolsá-lo ou usá-lo para outro fim. "É o que salva a pátria", diz uma servidora que ficou sem receber.

ROMBO CONFIRMADO
As receitas do governo federal totalizaram R$ 2,8 trilhões em 2016. O valor foi R$ 152 bilhões menor que o previsto e, coincidência ou não, é próximo ao déficit de R$ 170 bilhões nas contas públicas escondido durante o governo Dilma e revelado após a posse de Michel Temer.

RECORDAR É VIVER
O PT tenta responsabilizar o presidente Michel Temer pela barbárie em presídios em Manaus e Boa Vista. No entanto, o partido, em 13 anos, pouco fez para evitar os 60 mil assassinatos por ano.

NUNCA MAIS
Há exatos 50 anos, em 08 de janeiro de 1967, jornalistas e artistas se uniram e foram ao Teatro Paramount, em São Paulo, para denunciar os planos de censura da Lei de Imprensa criada pela ditadura militar.

PENSANDO BEM...
... há algo errado num país onde faltam investimentos em hospitais e basta uma rebelião para aparecer dinheiro para construir presídios.
Herculano
08/01/2017 07:22
PROFESSORES OU IMBECIS?

Segundo o colunista Ancelmo Góis, hoje em O Globo, um grupo, formado por professores universitários, criou uma nova página no Facebook chamada "Volta, Dilma" (facebook.com/voltadilmarj). O lançamento do comitê será dia 25.

Em tempo: há na rede social uns dez grupos pedindo a volta da petista.
Herculano
08/01/2017 07:19
VAI SOBRAR PARA OS BONS ADMINISTRADORES E PAGADORES. TEMER DISCUTE BLOQUEIOS DE CONTAS DOS ESTADOS COM PRESIDENTE DO STF. SE A DECISÃO VALER, NÃO SO OS ESTADOS, MAS NENHUM AVALISTA TERÁ PROTEÇÃO CONTRA PREJUÍZOS

Conteúdo do jornal Folha de S. Paulo. Texto e apuração de Bela Megale, Gustavo Uribe, Laís Alegretti, Marina Dias e Letícia Casado, da sucursal de Brasília. O presidente da República, Michel Temer, reuniu-se com a presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministra Cármen Lúcia, na manhã deste sábado (7), não apenas para tratar da crise penitenciária do país, mas também para aparar arestas na relação entre os dois Poderes.

Segundo integrantes do primeiro escalão do governo federal e do STF ouvidos pela Folha, o presidente ficou bastante irritado com o que considerou uma interferência da Suprema Corte na polêmica envolvendo a dívida dos Estados.

Na semana passada, Cármen Lúcia concedeu duas liminares que evitaram bloqueios -de R$ 181 milhões e de R$ 192 milhões- das contas do Estado do Rio em função de dívidas com a União.

O mais incomodado com a resolução da presidente do Supremo foi o ministro Henrique Meirelles (Fazenda), de acordo com um de seus colegas de Esplanada que considera a decisão um golpe no aperto fiscal do governo.

Para a Fazenda, agora é o momento de convencer o STF de que os bloqueios são obrigatórios e que o Tesouro não tem como não fazê-los.

Para evitar novas iniciativas nesse sentido, o presidente decidiu encontrar-se com a ministra e fez questão de se deslocar até a casa dela como uma tentativa de passar imagem pública de "deferência".

Cármen Lúcia deve realizar audiência com o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, e com Meirelles nesta quarta-feira (11). Pezão e o ministro também se encontram nesta segunda (9), no Rio.

A assessoria da ministra não atendeu à reportagem neste sábado para informar se a agenda está mantida após a conversa com Temer.

Até o final da semana passada, o STF não tinha registros de novos pedidos para evitar bloqueios de contas dos Estados.

A Secretaria de Fazenda de Minas Gerais, por exemplo, informou não ter intenção de recorrer ao Supremo, "até porque o Estado não teve nenhum recurso bloqueado, nem vislumbra a possibilidade de isso ocorrer".

Segundo o STF, a Advocacia-Geral da União ainda não recorreu da decisão sobre o Rio, que alega calamidade financeira e argumenta que precisa da verba para pagar servidores e manter serviços.

Para auxiliares de Temer, se as liminares forem mantidas, o sistema de garantias contratuais fica em situação frágil e isso dificulta o aval a empréstimos estaduais. O governo tentará derrubar a liminar no plenário.

Após as decisões de Cármen Lúcia, o governo passou a cogitar a suspensão temporária da autorização para que Estados tomem empréstimos com aval da União.

O Planalto pretende esperar que o plenário do STF analise as liminares para, só depois disso, tomar decisão sobre a suspensão do aval a novos empréstimos.

O Judiciário está em recesso e só deve retomar a normalidade dos trabalhos em fevereiro.
Herculano
08/01/2017 07:13
da série: esses jornalistas daltônicos

PM DE POMERODE É VÍTIMA DE RACISMO NO LITORAL

Conteúdo do Informe Blumenau. Texto de Alexandre Gonçalves. O comandante do 10º BPM de Blumenau, Jefferson Schmid, está de férias por alguns dias no litoral, na região de Bombinhas. Nesta semana vazou um vídeo dele, de um grupo de whatsapp, onde ele se manifesta sobre uma situação de trânsito entre um policial militar de Pomerode, da região do 10º BPM, trabalhando na Operação Veraneio e um jornalista de Itapema.

Conversei com ele nesta sexta-feira pela manhã. A ocorrência foi a seguinte. Durante uma abordagem de trânsito, constatou que este jornalista ( que não o conheço e nem sei se realmente é jornalista) dirigia um carro com documentação atrasada, fato reconhecido inclusive pelo motorista.

O tal jornalista, com o nome de Escobar, publicou em redes sociais um texto, com vários erros de português, que dizia, entre outras coisas:

"Os PM que vem do Interior pra trabalhar nas cidades do litoral ! Não tem a mínima educação hj passei por uma situação eu estava errado até porque a PM hj só serve pra multar os brasileiros pacatos os bandidoes ficam de boa!"

"O PM não queria nem saber de argumento, só "falava" o código de trânsito ! Era de Pomerode. E escurinho ! Sofre pressão lá e vem se vingar aqui na praia!"

Ou seja, preconceito de toda parte por quem está errado. Lamentável. Tomara que, caso esta pessoas seja realmente jornalista ou atue na imprensa, não tenha esta mesma postura no seu trabalho.

PS: depois da ocorrência e logo em seguida a publicação do Informe, constatou-se que o PM é lotado em Blumenau e não em Pomerode.

Abaixo você confere o texto dele nas redes sociais ( insisto, com muitos erros) e os dois vídeos gravados pelo comandante Jefferson Schmidt nesta semana:

Os PM que vem do Interior pra trabalhar nas cidades do litoral ! Não tem a mínima educação hj passei por uma situação eu estava errado até porque a PM hj só serve pra multar os brasileiros pacatos os bandidoes ficam de boa! Mas uma família provou que havia pago suas multas( eu não Paguei pq estou recorrendo na justiça pq é um absurdo vc se multado por andar a 48 ou 69 por hora. Num pardal que é sonora dar dinheiro a PM e ao estado! Mas uma família de veranistas. Mostrou que tinha Pago as multas só Que o sistema não Baixou eles guincharam i carro da família com duas crianças de colo?

O comandante da polícia disse que nada poderia fazer pq iria perde o Comando da corporação ! Acho que as promoções deles agora advém das multas ênfase guinchadas que eles obtém! O PM não Queria nem saber de argumento só flava o código de trânsito ! Era de Pomerode. E escurinho ! Sofre pressão lá e vem se vingar aqui na praia ! Polícia e pra ajudar a população e não Pra fazer o papel da justiça.

Que aqui Já é uma merda! São Pagos com o dinheiro do nosso salário! Infelizmente. Ouvi que se fizesse alguma atitude perderia i comando da tropa! Dos caras que vem de fora. O Sr não tem nenhum Comando , sorry. Já passei por isso há 15 anos atras e todos Pm que Me perseguiam pq Denunciava suas falcatruas foram expulsos. Ou estão
Presos !

Vou sentir na pele isso de novo mas não vou me calar por esses PM que vem safar o verão aqui é não tem nenhum preparo Pra lidar com gente.
Herculano
08/01/2017 06:41
COM MEDIDAS INEPTAS, POLÍTICOS MASSACRAM CONTRIBUINTES SOLTOS, por Elio Gaspari, para os jornais O Globo e Folha de S. Paulo

No último domingo (1º), houve o primeiro massacre de presos. Já na segunda-feira (2), começou o massacre dos soltos. O processo de empulhação foi disparado quando o Ministério da Justiça soltou uma nota oficial referindo-se aos "R$ 44,7 milhões de repasse" do Fundo Penitenciário Nacional, recebidos pelo governo do Amazonas no dia 29 de dezembro.

Não juntaram lé com cré. O dinheiro que chegou no dia 29 nada tem a ver com um massacre ocorrido no dia 1º de janeiro. Ademais, o descontingenciamento desses recursos cumpria uma ordem de agosto, do Supremo Tribunal Federal.

Dada a senha, o massacre prosseguiu. O governador do Amazonas disse que entre os 56 mortos "não tinha santo". Santo, por lá, só ele. Na quinta-feira (5), numa entrevista, três ministros anunciaram satélites artificiais, sensores, radares, tornozeleiras, mais um milagroso e ainda inacabado Plano Nacional de Segurança. Os ministros têm idade suficiente para saber que só neste século, FHC, Lula e Dilma Rousseff coreografaram o lançamento de três Planos Nacionais de Segurança, todos com esse nome. O truque é velho e beneficia sobretudo quem vende equipamentos. A fantasia de "Star Wars" foi colocada no lugar no dia seguinte, com a matança de Roraima, a quem o governo negara 180 pistolas.

Os dois massacres chocaram pela proporção, mas neles houve muito de rotina. Roraima já tivera 18 mortos, quatro deles decapitados. Aconteceram degolas nos presídios dos governadores Sérgio Cabral (Rio), Ivo Cassol (Rondônia), Roseana Sarney (Maranhão) e Paulo Hartung (Espírito Santo), onde se guardavam presos em contêineres.

O doutor Alexandre de Moraes, um ministro encantado com a própria voz, teve dois momentos de fama e remeteu a origem dos males das prisões brasileiras ao período colonial, como se a privataria do Compaj viesse das ordenações manuelinas.

O contribuinte foi massacrado três vezes. Na primeira, quando um bandido assaltou-o, na segunda quando usaram o dinheiro dos seus impostos para sustentar máquinas privadas e públicas ineptas e na terceira quando ministros foram ao palco para empulhá-lo.
Herculano
08/01/2017 06:24
A LANCHA DE R$5 MILHÕES É DE CABRAL, SIM, DIZ NOVO DELATOR DA LAVA JATO

Conteúdo de O Globo. Texto de Guilherme Amado. Paulo Fernando Magalhães Pinto, ex-assessor de Sérgio Cabral que a Lava-Jato descobriu ser laranja do ex-governador, está fazendo uma delação premiada. Seu processo está em vias de ser homologado pelo Justiça.

Magalhães Pinto, ou Paulinho, como é conhecido, está delatando um conjunto de malfeitos de Cabral. Alguns desconhecidos e outros que já estavam no horizonte dos procuradores.

Admitiu, por exemplo, que Cabral era, sim, dono de metade da lancha Manhattan Rio, que foi apreendida em novembro, em Angra dos Reis. No papel, a lancha de R$ 5 milhões estava registrada no nome da empresa MPG Participações, controlada por Paulinho.

A admissão é um tremendo recuo. A versão inicial - repetida diversas vezes pelo seu próprio advogado - era que a lancha era emprestada em "raras ocasiões e de forma absolutamente esporádica" para Cabral.

Esqueceram só de combinar com o barqueiro, que afirmou à PF que o atual hóspede de Bangu 8 era o único usuário desde 2014.
Sidnei Luis Reinert
08/01/2017 06:21
Leonardo Boff estraga jogo de dissimulação e confessa: "Papa Francisco é um dos nossos"

O teólogo ultrapetista Leonardo Boff cometeu um gravíssimo erro estratégico ao fazer uma confissão que só complica a propaganda totalitária.

Ocorre que o Papa Francisco sempre fez propaganda do totalitarismo socialista, mas jamais deixou de fazê-la de modo dissimulado, para que ainda algumas pessoas focadas no centro comprassem as narrativas. A tática de Papa Francisco sempre foi sofisticada, dependendo da mais extrema dissimulação.

Pois Boff estragou tudo ao dizer: "O Papa Francisco é um dos nossos". O teólogo chegou inclusive a dizer que um encontro com o Papa está próximo de acontecer.

7 DE JANEIRO DE 2017
GUERRA POLÍTICA, JOGOS DE DISSIMULAÇÃO, LEONARDO BOFF, PAPA FRANCISCO, TEOLOGIA DA LIBERTAÇÃO

https://jornalivre.com/2017/01/07/leonardo-boff-estraga-jogo-de-dissimulacao-e-confessa-papa-francisco-e-um-dos-nossos/
Herculano
08/01/2017 06:11
NUNCA FOI CITADA? POIS AI VÃO 10 CITAÇÕES COMPROMETEDORAS A DILMA ROUSSEFF SO NA LAVA JATO

Conteúdo de o Implicante. Os petistas têm adotado uma tática a um só tempo arriscada e mocoronga, que consiste em dizer que Dilma NUNCA foi citada na Lava Jato. Arriscada porque basta checar os fatos divulgados por toda a imprensa; mocoronga porque a informação verdadeira depois volta com mais força ainda.

E agora acharam que seria uma boa ideia voltar à carga, já que o conteúdo de uma das delações de executivos da Odebrecht chegou à mídia. Naquele, ao menos pelo que foi vazado, não falam o nome da ex-presidente. Aí, fizeram a festa. Mas também não falaram o nome de Lula, Palocci, Dirceu nem qualquer outro petista enroscado.

Por quê? Porque são MAIS DE SETENTA delações só da Odebrecht e, por óbvio, cada executivo lidava com um grupo político, um partido etc. Há ainda algumas dezenas de delatores e é claro que todo mundo aparecerá. Aliás, Dilma já aparece no adiantamento do que o próprio Marcelo Odebrecht disse.

De todo modo, aos fatos. Segue uma lista com 10 (preferimos parar no número cabalístico, mas há mais) citações comprometedoras a Dilma Rousseff APENAS NA LAVA JATO.

NESTOR CERVERO
Segundo um dos mais "célebres" delatores da Lava Jato, Dilma SABIA SIM do negócio de Pasadena, a refinaria micada pela qual a Petrobras pagou uma fortuna imensurável, em negócio que causou extremo prejuízo e, segundo acusações, não foi meramente barbeiragem administrativa. E a petista, na época, era nada menos que PRESIDENTE DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO da estatal. Ou sabia, e compactuou, ou não soube de nada e era incompetente. Não há terceira hipótese. E Cerveró insiste na primeira.

PAULO ROBERTO COSTA
Este outro "clássico" das delações lavajatísticas já foi mais além. Mencionou Palocci em dois momentos, ambos referentes a doações ilegais para a campanha de quem? Sim, Dilma Rousseff. Está aqui e aqui. Também afirmou que Dilma teve ciência da compra da Petroquímica Suzano por preço altíssimo.

ALBERTO YOUSSEFF
Fechando a tríade que deu origem à série dos delatores, vem o doleiro dizer que tanto Dilma quanto Lula SABIAM SIM DE TODO O ESQUEMA DA PETROBRÁS. Não só disse como reafirmou em acareação com Paulo Roberto Costa.

RICARDO PESSOA (UTC)
O empreiteiro revelou que doações à campanha de Dilma Rousseff, embora aparentemente figurassem como "caixa 1", eram na verdade resultado de propina. Em suma: para conseguir bons contratos, precisariam doar ("legalmente") à campanha. Seria uma chantagem criminosa, portanto. E mais: isso teria continuado mesmo no segundo mandato de Dilma.

OTÁVIO AZEVEDO (ANDRADE GUTIERREZ)
Houve polêmica sobre uma alegada propina paga diretamente à campanha de Dilma. Ele disse e depois "desdisse". Mas o principal ?" e de maior valor ?" não foi exatamente desdito. Vamos lá: para além da propina (se houve ou não, enfim), ele também disse que pagou pesquisas eleitorais, PARA DILMA, sem declará-las. Foi por meio de um contrato feito diretamente com o Vox Populi no valor de R$ 10 milhões.

ZWI SKORNICKI
O engenheiro, acusado de intermediar contratos e relações não muito ortodoxas, confessou ter participado do pagamento de US$ 5 milhões (mais de R$ 15 milhões) a João Santana pela campanha de Dilma. Ainda disse que valor foi "descontado" de uma propina que deveria ir ao PT.

JOÃO SANTANA E MONICA MOURA
Vão no mesmo sentido as informações decorrentes da prisão do marqueteiro do PT e sua esposa. Monica Moura, em depoimento a Sergio Moro, entregou o ouro da campanha de 2014 de Dilma Rousseff.

PEDRO CORREA
Aí a coisa vai ficando mais tensa. Ele entregou vários nomes, e disse que Dilma prometeu já em 2003 a ajudar na nomeação de Paulo Roberto Costa. Entre tantos relatos, chega a dar detalhes de um encontro entre o (ainda não) delator da Lava Jato, a cúpula do PP e ninguém menos que a ex-presidente. Seu depoimento é considerado um dos mais certeiros contra a petista.

DELCÍDIO DO AMARAL
O senador ex-petista foi apenas LÍDER do Governo Dilma no Senado. Como todos sabemos, ele foi preso e fez um acordo com delação premiada. Sobra para Lula, sobra para Mercadante, sobra para Aécio e claro que também para Dilma Rousseff. Diogo Ferreira, ex-chefe de gabinete de Delcídio do Amaral e também delator, afirmou que o então chefe tratou com Dilma sobre a liberação de Marcelo Odebrecht, no que seria uma ação contra a operação Lava Jato.

MARCELO ODEBRECHT
E por fim, mas não menos importante, o dono da maior construtora do país também cita a petista. E mais de uma vez. Uma rapaziada bateu bumbo alegando que ele teria dito algo como "Dilma não pediu vantagem indevida", não destacando o resto do depoimento: "ela sabia de tudo". E a revista Isto É foi além: Marcelo Odebrecht teria dito que pagou R$ 4 milhões à campanha de Gleisi Hoffmann a pedido de Dilma.

BONUS: DANIELLE FONTELES
Como diriam aqueles infomerciais: "e não é só isso!"; pois não é, mesmo. Vamos a um 11º item, de outra operação: a dona da Agência Pepper, em seu depoimento à Acrônimo, colocou Giles Azevedo no meio do furacão, dizendo que ele orientava na montagem da estrutura de abastecimento financeiro de campanhas. Quem é esse? O então auxiliar mais próximo de Dilma Rousseff. Que campanhas eram essas? As duas (2010/2014) da petista. Mais bônus: um outro auxiliar próximo de Dilma também está enroscado.

Enfim, há outras citações, é claro. Esta lista é até simplória. Mas serve para COMPROVAR que é MENTIRA esse negócio de Dilma não ser citada na Lava Jato, não aparecer em delação e assim por diante. Mentira. A boa e velha tática esquerdista de falar uma mentira várias vezes para ver se virará verdade.

Não virará.

E sugerimos que não apenas divulguem como também guardem este post, cheio de links comprovando a falácia. Quando alguém vier com o papinho, manda bala.
Herculano
08/01/2017 06:03
O BRASIL PRECISA DE UM TRUMP? por Clóvis Rossi, no jornal Folha de S. Paulo

Donald Trump é um horror. Mesmo assim, há um lado dele que talvez pudesse ser útil ao Brasil.

Refiro-me às ameaças do presidente eleito às montadoras General Motors, Ford e Toyota para tentar forçá-las a trazer fábricas instaladas no México de volta para os EUA.

É verdade que muito do que Trump tuíta é pura bravata, como demonstra extensa reportagem do "Washington Post", que remonta às primeiras ameaças, feitas ainda durante a campanha eleitoral.

De todo modo, até o "WP", crítico feroz do candidato, aceita que Trump salvou 700 empregos que a Ford transferiria para o México, uma contabilidade que estou restringindo apenas aos tuítes desta semana.

É uma ninharia para um país que, só em dezembro, ainda sob a presidência de Barack Obama, somou 156 mil empregos aos já existentes.

Um eventual Donald Trump brasileiro, no entanto, se agisse da mesma maneira ?"e não apenas tuitasse?", poderia ajudar com um número potencialmente maior de empregos a serem salvos.

Afinal, conforme relata minuciosa reportagem do jornal paranaense "Gazeta do Povo", o Paraguai, nosso vizinho mais pobre, atraiu 124 indústrias desde que, em 1997, editou a chamada "lei da maquila" (o próprio nome indica uma cópia do sistema mexicano na fronteira com os Estados Unidos).

A maior parte dessas empresas (78) instalou-se a partir de 2014, não por acaso o ano em que a crise brasileira ganhou cores trágicas.

O que as atrai? Imposto de apenas 1% para quem exporta 100% da produção.

Para comparação com os 700 empregos que a Ford deixou de levar para o México: as 124 indústrias que se transferiram ao Paraguai geram 11,3 mil empregos ?"e, de novo, a maioria (6.700) a partir de 2014.

A primeira pergunta inevitável é simples: valeria a pena adotar o protecionismo que Donald Trump vem alardeando?

Confesso que já fui favorável a esse tipo de política, mas o mundo e o modo de produção mudaram tanto e tão velozmente que, agora, não parece mais fazer sentido.

Afinal, é como diz a "Economist" desta semana: "Um smartphone pode ser desenhado e ter sua engenharia na Califórnia e ser montado no China, usando componentes feitos ou desenhados em meia dúzia de países da Ásia e da Europa, usando metais da África".

Você vai proteger quem contra quem? No caso específico Trump x México, a revista lembra que cada dólar de exportação mexicana contém cerca de 40 centavos de produção norte-americana embutida.

Cabe ainda uma segunda pergunta: há alguma chance de que o governo brasileiro ?"o atual ou o próximo, seja qual for?" adote políticas protecionistas, que estão fora do chamado "mainstream"?

A vantagem de Trump é não ter ideologia, e seu país tem poder descomunal. Logo, pode chutar o pau da barraca, com baixo risco. No Brasil, não está à vista um só político (ou mesmo "outsider") capaz de fugir da corrente majoritária.

Sempre há o risco de, ao fazê-lo, cair numa Venezuela, o mais fracassado país da região. Mas o tamanho da crise brasileira pede ousadia e pensar fora da caixa
Herculano
08/01/2017 05:53
OS QUE VÃO MORRER TE SAÚDAM,por Coluna Carlos Brickmann

Falou-se bobagem, jogou-se conversa fora. O governador do Amazonas, José Melo, do PROS, garantiu que entre os mortos no massacre da Penitenciária não havia nenhum santo. Deve ter razão; mas haverá santos em seu partido, em seu Governo? Qual de seus aliados colocará a auréola?

Falou-se o óbvio: que, entre mortos e matadores, havia estupradores, assassinos, gente malvada. E, isto é importante, gente do crime organizado.

Quem se rebelou e matou foi a FDN, Família do Norte, aliada ao Comando Vermelho, do Rio. Suas vítimas favoritas foram do PCC, do crime organizado com base em São Paulo. Como conter a futura vingança? E, a menos que a vingança seja contida, novos massacres ocorrerão: do PCC contra CV/FDN, do CV/FDN contra o PCC. Pelo noticiário sobre o crescimento de assassínios nas ruas, as vinganças já começaram, enquanto novos massacres se organizam em penitenciárias de todo o país.

De certa forma, Suas Excelências até entendem a sangueira. Os mortos, disse o governador José Melo, eram "(...) pessoas ligadas a outra facção, que é minoria no Estado do Amazonas". São de fora, não são santos, são estupradores, matadores. É claro que, como presos, cabe ao Estado garantir sua segurança. É o que diz a lei. É o que diz a lei, também, sobre quem será morto como vingança. E a Segurança Pública? Todos já ouvimos falar nela.

SURPRESA TOTAL

A rebelião no Complexo Penitenciário Anísio Jobim pode não ter surpreendido as autoridades, que sabiam que o controle do presídio era dos detentos, que sabiam (e as gravaram em áudio e vídeo) das grandes festas cheias de poeira, que jamais ignoraram que os celulares da cadeia eram de alta qualidade. Mas houve pelo menos uma surpresa: o secretário da Segurança do Amazonas, Sérgio Fontes, garantiu que as autoridades não perderam o controle do sistema prisional. "O sistema prisional continua sob controle", disse o secretário. "O que aconteceu, aconteceu nos primeiros minutos da rebelião, e por isso nada poderia ser feito".

A surpresa é que Fortes continua no cargo e não foi demitido na hora.

PROMESSAS, PROMESSAS

Temer prometeu R$ 800 milhões para construir um presídio por Estado. É difícil que o dinheiro seja suficiente. Aliás, o dinheiro nem novo é: faz parte daquele pacote de R$ 1,2 bilhão do fim do ano passado, para presídios e instalação de bloqueadores de celulares em 30% dos presídios de cada Estado. Depois, um dia desses virão mais R$ 200 milhões e outros nacos de verba para completar R$ 1,8 bilhão no primeiro semestre.

A VIDA COMO ELA É

O colunista James Akel (http://jamesakel.blog.uol.com.br/) comenta o custo dos presos: "Custa 5.800,00 por mês cada preso do Amazonas. Em São Paulo um flat de luxo em Moema custa R$ 2.500,00.

Ao lado pode-se comer bem com 1.000,00 ao mês. Sobra grana".

O QUE IMPORTA

E a vida continua. Os políticos costumam fazer aquilo de que gostam: política. Amazonas já era: os erros, sejam quais forem, serão encobertos por uma pedra em cima e esquecidos pelo passar dos anos. O que se discute hoje é a presidência da Câmara e do Senado. Na Câmara, a discussão é entre dois grupos, ambos aliados ao presidente Michel Temer. No Senado, o PT busca retomar sua tradicional ligação com o atual presidente da Casa, Renan Calheiros, para evitar a vitória do candidato de Temer, Eunício Oliveira, do PMDB do Ceará. A ideia é que Renan escolha o nome para que o PT o lance e solidifique, e que ele só o apoie na hora em que tiver certeza da vitória.

Se não der para ganhar, Renan fecha com Temer e sai como um dos vitoriosos, como sempre cacique do PMDB.

TUDO BEM

Há pontos que vão bem na economia brasileira - por exemplo, com a crise, o setor da recuperação judicial. Hoje se desenrola o maior pedido de recuperação judicial da nossa História, os R$ 64 bilhões da Oi. Ainda não havia experiência no país de recuperação judicial deste porte. "mas já está claro que a providência pode levar a sucesso na manutenção das funções sociais das empresas", diz o advogado Fernando de Luizi, de São Paulo, especialista no tema. "A Lava Jato criou uma modalidade de recuperação judicial atípica", explica de Luizi. "Empresas saudáveis e superavitárias se tornaram insolventes pelas circunstâncias originadas pela Lava Jato, ou seja, em face do congelamento de seus recebíveis, pela perda de contratos, e acabaram tendo de buscar a recuperação para equacionar suas contas".

VOA, GOVERNADOR, VOA

O governador mineiro Fernando Pimentel, PT, viajou no helicóptero do Governo para buscar o filho no réveillon.

Ele não entendeu as manifestações de rua: é para voar do cargo e nem pensar em voltar mais.
Herculano
08/01/2017 05:41
TÁTICA DA NEGAÇÃO AJUDOU A ALIMENTAR PCC HÁ 20 ANOS, Fábio Zanini, para o jornal Folha de S. Paulo

"Esse PCC não existe. É uma ficção absoluta", disse o então secretário de Administração Penitenciária de São Paulo, João Benedicto de Azevedo Marques, em maio de 1997. Existia, sim. Havia sido criado dois anos antes por presos na Casa de Custódia de Taubaté (SP) e já tinha até estatuto.

Quatro anos depois, o PCC promoveu a primeira grande onda de rebeliões em presídios paulistas. Na época, o ocupante da secretaria, Nagashi Furukawa, admitiu o despreparo do governo. "Sabíamos que algo viria. Não esperávamos que fosse nestas proporções", disse. Pelo menos, aceitava a existência da facção.

Em maio de 2006, a organização criminosa antes "inexistente" materializou-se de forma incontestável para os paulistanos. Além de mais uma onda de rebeliões em presídios, o PCC promoveu ataques nas ruas que levaram a uma reação de pânico e, em alguns casos, a um toque de recolher não-declarado. Nada que impressionasse o mesmo Furukawa, ainda secretário. "Não são rebeliões graves, na grande maioria", afirmou.

É difícil dizer qual a melhor estratégia para combater facções criminosas, mas é fácil definir a pior: negar a ameaça delas, ou minimizar seu poderio. Alexandre de Moraes (Justiça) tem trilhado esse perigoso caminho.

Em outubro de 2016, disse que informações sobre a atuação dessas organizações em presídios eram muitas vezes "mera bravata". No mês seguinte, negou pedido de socorro do governo de Roraima quando o conflito entre o PCC e o Comando Vermelho começava a sair de controle. Para o ministro, não parecia ser nada grave a ponto de exigir a presença da Força Nacional de Segurança.

Com duas matanças escancarando o domínio dessas facções sobre partes expressivas do sistema prisional, Moraes deveria refletir sobre as consequências passadas de adotar a tática da negação. Talvez não estivéssemos na atual situação se há 20 anos o PCC tivesse sido encarado como algo mais que apenas ficção.
Belchior do Meio
07/01/2017 20:12
Sr. Herculano:

Se o cara é macaco velho, deixa o macaco no galho dele!
Mel
07/01/2017 16:00
Ao Belchior do Meio,

O cara que não tem o capricho de comprar uma caixa de água, tem que passar sede mesmo. Vergonha, é lei.
O Melato tá certo, ele veio para economizar, cortar custos.
Tocale pau Zé Hilário, não dá bola para estas criticas infundadas, você sabe como lidar com isso é macaco velho.
Herculano
07/01/2017 15:41
TEMER ANTECIPA E SE REUNIU COM CARMEM LÚCIA NO ENCONTRO PREVISTO PARA DOMINGO. DE OFICIAL, NADA ATÉ AGORA.ENQUANTO ISSO, OS BANDIDOS AGEM E OS ADVERSÁRIOS CORROEM O GOVERNO E QUE JÁ ESTÁ PRESSIONADO PELA CRISE ECON?"MICA, AMBOS INSTALADOS POR 13 ANOS DE ADMINISTRAÇÃO DO PT E PMDB

Conteúdo do jornal O Estado de S. Paulo e Uol (Folha de S. Paulo).O presidente Michel Temer se reuniu na manhã deste sábado, por cerca de duas horas e meia, com a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministra Cármen Lúcia, para tratar da crise nos presídios, agravada com os assassinatos de presos em Roraima e Amazonas.

O encontro, que ocorreu na casa da ministra, no Lago Sul, em Brasília, não estava registrado na agenda oficial de nenhum dos dois.

Temer deixou o Palácio do Jaburu, residência oficial da Vice-Presidência, por volta das 10h e seguiu para a reunião. Para não chamar a atenção, usou um carro prata, sem identificação, e não os tradicionais veículos oficiais pretos da Presidência da República. Ao sair, acenou para jornalistas, mas não deu declarações.

Em conversas reservadas, auxiliares do presidente comparam a guerra entre facções criminosas a um "barril de pólvora" prestes a explodir e dizem que é necessário o Judiciário ajudar a encontrar soluções para o problema da superlotação carcerária.

Temer conversou nesta sexta por telefone com Cármen Lúcia. O encontro entre os dois estava marcado para domingo, mas o presidente solicitou que fosse antecipado, diante da gravidade da situação.

O jornal "O Estado de S. Paulo", apurou que Temer está muito preocupado com o "efeito dominó" das rebeliões, que podem pipocar em várias regiões do país.

Até agora, o Palácio do Planalto não conseguiu acertar o passo na estratégia de comunicação ao indicar que a segurança pública é, em primeiro lugar, uma questão a ser tratada pelos Estados. Nos bastidores, até mesmo ministros admitem que o governo federal passou uma imagem de "omissão" logo na virada do ano.

Na tentativa de não levar a crise para o Planalto, Temer demorou a se posicionar sobre a matança no presídio de Manaus. Depois, falou em "acidente pavoroso" e a expressão usada ganhou mais destaque do que as medidas anunciadas, como a construção de cinco presídios federais, consideradas um "factoide" até por aliados.

Ainda nesta sexta-feira, horas depois de o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, anunciar as diretrizes do novo Plano Nacional de Segurança, uma polêmica envolvendo a recusa do governo federal em enviar tropas da Força Nacional para reforçar a segurança nos presídios de Roraima, meses antes da rebelião, provocou mal-estar no Planalto.

Interlocutores de Temer atribuem a Moraes boa parte dos problemas de comunicação em relação à crise nos presídios. Na quinta-feira, minutos antes da reunião do Núcleo Institucional do governo, um ministro que participaria do encontro perguntou onde estava Temer. "Alexandre de Moraes já privatizou o presidente", respondeu outro colega, irônico, ao lembrar que o titular da Justiça é pré-candidato do PSDB ao governo de São Paulo.
Herculano
07/01/2017 15:23
O JUDICIÁRIO TEM PARTE DE CULPA NO CAOS. INVENTA DECISÕES FORA DAS LEIS E PROTELA NAQUILO QUE É URGENTE. SEUS MEMBROS SE EXPÕEM E SE COMPORTAM COMO MOLEQUES DE RUA DESMORALIZANDO A INSTITUIÇÃO QUE DEVERIA SER REFERÊNCIA DO EQUILÍBRIO. PIOR. PARA QUEM JÁ MUDOU AD DOC A CONSTITUIÇÃO FEDERAL NAQUILO QUE ELA EXPRESSA PARA ASSIM FAVORECER O PODER DE PLANTÃO, O STF É O QUE GERA MAIS DÚVIDAS INSTITUCIONAIS AOS CIDADÃOS E AO MESMO TEMPO, DÁ PROTEÇÃO ÀS GANGUES QUE ASSALTAM O ESTADO E O ESFOLADO CONTRIBUINTE

POPULISMO JUDICIÁRIO, por Fernando Dantas, no jornal O Estado de S. Paulo

Decisões como a de Carmén Lúcia criam forte insegurança jurídica

De boas intenções está cheio o inferno. No Brasil, o conhecido ditado aplica-se como em poucas partes do mundo, dada a tentação populista que se espraia por todos os Poderes públicos e chega ao Judiciário.

Um exemplo recente, muito preocupante, veio da presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, que concedeu duas liminares impedindo que a União bloqueasse um total de R$ 374 milhões de recursos do Estado do Rio. O bloqueio seria a execução de contragarantias em contratos que tiveram cláusulas descumpridas pelo Rio.

A ministra Cármen provavelmente seria aplaudida na Cinelândia ou no Largo da Carioca, onde funcionários públicos enfurecidos fizeram manifestações contra o pacote de austeridade do governo fluminense. Ela justificou sua decisão pela impossibilidade de o Estado cumprir deveres constitucionais, entre os quais o de pagar servidores e aposentados que, de fato, estão recebendo a conta-gotas o que lhes é devido, quando recebem. A ministra também mencionou a continuidade da execução de políticas públicas e a prestação de serviços essenciais à coletividade.

O fato, porém, é que a decisão abre um precedente perigoso, que é o de Estados e municípios não arcarem com as consequências da sua irresponsabilidade fiscal, e simplesmente deixarem de pagar o que devem, alegando que não podem atrasar salários e benefícios previdenciários e deixar de prestar serviços essenciais.

Do ponto de vista legal, evidentemente, as contragarantias estão inscritas em contratos firmados dentro da lei, e decisões como a de Cármen Lúcia criam forte insegurança jurídica, aquele ingrediente venenoso que paralisa decisões de investimento e prejudica o desenvolvimento econômico.

No governo, aliás, a preocupação com as liminares da presidente do Supremo é maior, por exemplo, do que com a retirada pela Câmara das contrapartidas estaduais do Regime de Recuperação Fiscal dos Estados. A "bondade" irresponsável dos deputados já era esperada, mas a decisão de Cármen Lúcia pegou a equipe econômica desprevenida.

Dois malefícios principais podem advir das liminares da presidente do Supremo, caso sua posição seja confirmada pelo plenário do STF. O primeiro é o risco de que o mesmo princípio que impediu o bloqueio de recursos do Estado do Rio agora seja aplicado para a dívida renegociada dos Estados com a União, destruindo a mais importante peça da restauração fiscal do País a partir do final da década de 90.

A partir de agora, e gradativamente até julho de 2018, os Estados retomam os pagamentos da dívida, de acordo com a carência estendida na negociação do ano passado. E se os governos estaduais decidirem não pagar, para que não faltem recursos para funcionários e aposentados? O Supremo vai impedir o bloqueio de recursos?

No governo, não se crê que o STF chegue a esse extremo, já que nos últimos tempos o tribunal tem se mostrado sensível à questão fiscal. Ainda assim, as liminares de Cármen Lúcia criam insegurança em relação ao bloqueio pela União de recursos dos Estados, um mecanismo crucial da frágil arquitetura fiscal brasileira. É pouco provável que ocorra, mas os mais paranoicos ganharam uma razão para temer que vá tudo pelos ares.

O segundo potencial malefício da decisão da presidente do Supremo é criar um efeito colateral extremamente danoso para os próprios Estados que pretende defender.

Estes hoje praticamente só têm acesso a crédito de bancos públicos e instituições multilaterais, e mesmo assim com aval da União. Se, a depender da decisão do colegiado do Supremo, o governo federal perceber que as garantias são apenas para inglês ver, naturalmente o precioso aval será dado com muito mais parcimônia, reduzindo o volume de empréstimos que os Estados poderão tomar, e também o número de Estados que terão acesso a qualquer crédito. Populismo não é a solução.
Paty Farias
07/01/2017 13:47
Oi, Herculano;

"O blog O Antagonista foi atacado por hackers ontem a noite. Sua caixa de comentários continua fechada.

Na quinta-feira, UOL e Folha tivberam seus sites atacados.
Postado por Polibio Braga".

Pelo que se vê, temos bandidos para todos os lados. Brasil... um país de otários pagadores de impostos sem direitos individuais e sem serviços decentes, sejam públicos, sejam privados.

Despetralhado
07/01/2017 13:30
Oi, Herculano

Com as 90 vagas nos presídios (57 no estado do Amazonas e 33 no de Roraima) o Moro que se coce pois tem vaga para o Lula , a Dilma e derivados.
Belchior do Meio
07/01/2017 13:25
Sr. Herculano

"SAÚDE DOENTE" é um quadro pavoroso.
É o velho PMDB imitando o incompetente PT.
E o SAMAE-PP irá na mesma toada do PMDB e PT?
Um exemplo:
A rua que necessita de bomba para abastecer as casas com água potável adotou no governo passado método de província (que os jornalista agora usam a expressão grotão).
Início do bombeamento - 09:00HS.
Término do bombeamento - 18:30HS.
Quem tem caixa, tudo bem! Quem não tem? Ri macaco!
Sidnei Luis Reinert
07/01/2017 12:28
Artigo no Alerta Total ?" www.alertatotal.net
Por Laércio Laurelli

Primeira verdade: este governo federal comunista do senhor Michel Temer, substituto de Dilma Rousseff, diante da farsa ocorrida por impeachment de mentirinha com a conivência de um magistrado que denegriu o poder judiciário deste nosso país, continua na senda da mentira; mente descaradamente, afirmando que a previdência social está falida; mentira; não está não; todos os brasileiros que exercem sua atividade laboral contribuem, ou seja, pagam o percentual exigido por lei; aos que trabalham e aos inativos (aposentados) o governo desconta verbas reais, em folha de pagamento de valores (cash, portanto) em benefício do instituto nacional da previdência social;

Segunda verdade: a manipulação das eleições de 2.014 teve ajuda externa, propriamente da russia orquestrada pelo comunista senhor Vladimir Putin; faz parte de sua estratégia o movimento em torno da proliferação geopolítica em obter resultados quanto ao incentivo de criar uma espécie de autonomia de várias nacionalidades para fortalecer a manutenção das bases ofensivas da ideologia comunista; na prática, essa implantação dá-se na medida em que as forças ideológicas russas espalham-se na América latina e, os governos, passam a ser exercidos por " títeres", ou seja, figuras controladas ou impostas pelos russos.

Terceira verdade: a midia forte tem a mania de defender os direitos humanos dos criminosos de altíssima periculosidade, tais como: estupradores, traficantes, assaltantes à mão armada etecetera; as telinhas de t.v. Colocam jornalistas com a fisionomia de paisagem do bem, tentando lavar o cérebro da sociedade brasileira no sentido de exaltar proselitismo em torno deste problema cruciante que o Brasil sustenta; é o crime organizado por bandidos que dominam o poder e os estados constituídos por suas instituições indistintamente e, é difícil, quase impossível mudar o eixo do mal que tem como referência os corruptos do sistema governamental, parlamento e outras personalidades do mal e, o apoio das culturas alinhadas aos sistemas comunistas implantados neste país.

Todas estas verdades são verdadeiras e, estão aí, para alimentar e conservar sempre viva a evidência para quem ainda não foi contaminado pelo vírus do embuste, da maledicência e da hipocrisia ostentada por este continuísmo de governo comunista, que gira em direção ao caos desesperador; brasileiros acordem; não aceitem a mesmice patrocinada pela matéria paga com o conversor da moeda real em "rublo russo"!

Pensem nisto!


Laercio Laurelli ?" Desembargador aposentado do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo ( art. 59 do RITJESP) ?" Professor de Direito Penal e Processo Penal ?" Jurista ?" Articulista ?" Idealizador, diretor e apresentador do programa de T.V. "Direito e Justiça em Foco" Patriota.
Herculano
07/01/2017 11:39
LUPI EMPENHADO POR ANDRÉ FIGUEIREDO, PEDRA NO SAPATO DE MAIA, por Lauro Jardim, no jornal O Globo

Carlos Lupi está empenhado na candidatura de André Figueiredo à Presidência da Câmara.

Figueiredo, ex-ministro de Dilma, pode ser uma tremenda pedra no sapato de Rodrigo Maia, ao constranger a esquerda e tirar apoio que Maia teria de parte do PT e do PCdoB.

Diz Lupi, projetando um cenário que gostaria que existisse, mas que, no fundo, sabe que não é real:
?" É legítimo que partidos de oposição ofereçam um nome. Ele terá o apoio do PDT, PT, PSOL, Rede e PC do B.
Herculano
07/01/2017 11:36
SEM VOTOS QUEREM O CAOS, editorial do jornal O Estado de S. Paulo

A depender das lideranças carbonárias que comandam alguns dos chamados movimentos sociais, 2017 é um ano que promete em termos de manifestações de protesto violentas contra o governo e suas propostas para recuperar o equilíbrio das contas públicas e criar condições para a retomada do crescimento econômico. É o que revela levantamento feito pelo Estado e publicado na terça-feira passada. Guilherme Boulos, o notório agitador que lidera o Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), faz, mais do que um prognóstico, uma ameaça: "Haverá um agravamento da situação e vamos nos aproximar de um estado de convulsão social". Essa clara manifestação de propósito traduz, em resumo, o pensamento de várias lideranças das entidades e organizações sociais historicamente engajadas no chamado movimento de esquerda no País.

Desalojados da órbita governamental com o impeachment de Dilma Rousseff, movimentos e entidades dessa tendência, principalmente aqueles tradicionalmente patrocinados por verbas públicas, dão-se conta de que só lhes resta o confronto político com o poder central como meio de se manterem ativos no cenário político. É uma opção radical que decorre da natureza autoritária desses movimentos, que não lhes permite sequer cogitar da negociação de propostas com o governo ?" aliás, com qualquer governo, enquanto eles próprios não se instalarem no poder ?", restando-lhes assim apenas o recurso da violência para contestar a legitimidade de aparatos estatais que são apenas "instrumentos de opressão das classes dominantes".

Agarrados a essa política do "nós" contra "eles", que sempre foi a marca registrada de Lula et caterva, essas entidades e movimentos sociais sabem que já não podem contar com a via eleitoral para voltar ao poder. Isso ficou dramaticamente demonstrado nas eleições municipais do ano passado, em que PT & Cia. foram massacrados nas urnas. Por exemplo, a atual presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), Carina Vitral, disputou pelo PCdoB a prefeitura de Santos. Teve menos de 15 mil votos, o equivalente a 6,6% do eleitorado santista.

A jovem Carina dispõe-se então a obter nas manifestações o sucesso que não conseguiu nas urnas: "Nós vamos para as ruas contra a reforma da Previdência e, principalmente, contra a PEC dos gastos públicos, que acaba com os investimentos em educação e condena o futuro do País". Pretende incendiar as cidades com a versão mentirosa ?" mas capaz de sensibilizar corações sensíveis porém mal informados ?" de que nos próximos 20 anos não haverá investimentos em educação.

Numa linha politicamente mais ambiciosa pretende atuar o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), braço sindical do PT, Vagner Freitas: "A pauta que vai puxar protestos contra o governo é o combate à reforma da Previdência. Vamos partir dessa proposta absurda de reforma e, no fim, chegaremos ao grito de 'Diretas Já'".

A completa irresponsabilidade política desses movimentos que planejam incendiar o País em nome, para começar, do revanchismo consubstanciado na palavra de ordem "Fora Temer", escancara-se quando essas lideranças "populares" admitem, com todas as letras, que antes de qualquer outro objetivo a intenção é lutar "contra o governo". Quer dizer: não importa quais sejam as propostas apresentadas pelo presidente Temer e sua equipe. O que importa no momento é ser "contra o governo", se possível derrubá-lo. Depois que esse objetivo for atingido, mais cedo ou mais tarde, o País poderá começar a pensar na solução da grave crise econômica, política e social em que está mergulhado.

Até lá, prometem os incansáveis salvadores da Pátria, os movimentos "populares" continuarão nas ruas agitando bandeiras "progressistas", com o apoio dos vibrantes black blocs, responsáveis pelos melhores momentos da coreografia de horrores que traduz o sentimento de indignação dos brasileiros contra tudo e contra todos, segundo cândida interpretação sociológica de Guilherme Boulos, amplamente disponível nas mídias sociais.
Herculano
07/01/2017 10:00
A EROSÃO DA AUTORIDADE, por Oscar Vilhena Vieira, pós doutorado em Direito por Oxford, no jornal Folha de S.Paulo

O massacre de Manaus e agora o de Boa Vista não constituem um mero acidente. Decorrem de décadas de negligência das autoridades brasileiras com o crescimento do crime organizado e com a degradação de seu sistema prisional.

O Brasil ocupa o lugar de quarto país com a maior população carcerária do mundo. Entre 2000 e 2014, a taxa de aprisionamento aumentou 119%, ultrapassando a marca de 622 mil pessoas privadas de liberdade, sendo que 41% delas correspondem a prisões provisórias.

Essa política indiscriminada de encarceramento, além de ineficaz como mecanismo de dissuasão do crime, tem contribuído de forma significativa para o agravamento da criminalidade. Nas últimas duas décadas foram cerca de 1 milhão de homicídios. Conforme dados do Fórum Nacional de Segurança Pública, apenas em 2015, 58.492 pessoas foram vítimas de homicídio; 54% das vítimas eram jovens e 73%, negros e pardos. Para citar apenas mais um dado desta tragédia, estima-se que 45.460 mulheres foram vítimas de estupros no último ano. O perfil da população prisional é o mesmo das vítimas de violência letal: 56% são jovens de 18 a 29 anos e 67%, negros.

A superlotação carcerária, as sádicas condições de aprisionamento, a falta de acesso à defesa e a bens de higiene e saúde básicos, além do arbítrio e a violência dos agentes do Estado, criaram um ambiente propício à expansão do crime organizado dentro e fora do sistema prisional. Esse sistema pariu o PCC, o Comando Vermelho, Terceiro Comando e, no Amazonas, como aprendemos, a Família do Norte. Estima-se que mais de 70% das penitenciárias brasileiras estejam dominadas por facções criminosas. O sistema prisional transformou-se numa enorme parceria público-privada, onde o Estado é sócio minoritário. Sua frágil estabilidade, rompida esta semana, está baseada num espúrio conluio entre o crime e autoridades.

Ao chegar ao cárcere, os jovens que ainda não se encontravam comprometidos com o crime organizado se veem obrigados a se vincularem às facções, como medida de sobrevivência. Após serem colocados em liberdade, a fatura é cobrada. Dificilmente surge outra alternativa, senão voltar ao crime, ainda mais violentos.

O Brasil precisa adotar uma política criminal e de segurança pública pautadas num profundo compromisso com a legalidade, na modernização de suas polícias, no emprego intensivo da inteligência, na racionalização do uso da prisão e numa verdadeira supervisão judicial do sistema. Atenção especial deve ser dada à revisão da política de drogas, dado que seu irracional enfrentamento apenas amplia a corrupção, os homicídios, os roubos e o tráfico de armas.

No plano emergencial, conforme representação que está sendo apresentada ao Conselho Nacional de Justiça por um conjunto de organizações de direitos humanos, é necessário tomar medidas para assegurar a integridade dos que que se encontram sob a custódia do Estado, responsabilizar os envolvidos na barbárie, rever a situação de milhares de presos provisórios e neutralizar a influência do crime organizado sobre sistema carcerário.

Em 2017, além de tirar a economia e a política da mediocridade onde se meteram, o grande desafio será interromper o forte processo de erosão da autoridade do Estado brasileiro.
Herculano
07/01/2017 09:57
OS TEMPOS DE VACAS MAGRAS

Nunca vi nesta época do ano, ou entre o Natal e o Ano Novo, praias tão vazias (e poluídas, apesar disso), cidades como Blumenau e Gaspar tão sem ritmo, estradas lotadas, rodoviárias cheias e aeroportos, comparativamente, normais.

E a esperada "invasão" de gringos, para desespero de quem apostava nisso na substituição dos bolsos vazios dos brasileiros, ainda não aconteceu.

Afinal de quem é a culpa? Do PT e de seus sócios, como o PMDB? Talvez.

A culpa, verdadeiramente, é toda a única, dos eleitores com suas escolhas ou com o seu silêncio para não enfrentar a mentira, a demagogia, a catequese, o constrangimento intencional, o aparelhamento, a incompetência, a ladroagem desmedida dos políticos, gestores e agentes públicos, todos pagos e na mordomia desmedida com os nossos pesados impostos.

Em outubro do ano que vem há eleições. E não será a de presidente e governadores que mudará o Brasil, mas a de deputados (federais e estaduais) e senadores. Eles trabalham contra os brasileiros, contra o governo de plantão na chantagem permanente, usando os votos dados pelos eleitores. Wake up, Brazil!
Herculano
07/01/2017 09:32
CONSELHOS SÁBIOS AOS NOVOS VEREADORES, por Carlos Tonet

1) Não saia cantando pneus. Tem gente que se afoba e quer mostrar serviço logo de saída.

Vá com calma.

Não se afobe.

Você tem quatro anos para mostrar um bom serviço e isso não significa que você precisa inventar uma bobagem toda a semana com a apresentação de 400 projetos por mês.

2) Não se apegue a factóides popularescos.

Jogar pra galera com propostas estrambólicas populistóides rende os aplausos daquela meia dúzia de sempre, mas cansa o eleitor de forma geral.

Sua carreira ficará estacionada sobre essa meia dúzia de abilolados.

3) Monte uma boa estrutura de comunicação.

Em vez de convidar amigos e partidários para ocupar todos os cargos, reserve alguma coisa para contratar um profissional de comunicação.

Procure um bom assessor de imprensa.

Mas cuidado: esse profissional precisa ter "timing" para assessoria política, precisa estar atento a oportunidades e ser proativo.

A maioria dos jornalistas é gente passiva, que precisa receber tarefas toda a hora.

Além disso muitos não entendem e não se adaptam ao dinamismo peculiar da atividade política.

Os cursos de jornalismo mal e porcamente conseguem ensinar alguma coisinha básica pros coitados dos alunos em termos de jornalismo tradicional, quanto mais sobre comunicação política, que os professores simplesmente não sabem que existe, como funciona e seus requisitos básicos.

Sempre que apresentar algum projeto, prepare um paper para a imprensa, reunindo dados. gráficos e tabelas.
Coloque essas informações nas redes sociais e blog.

4) Tenha um bom blog. Mesmo com menor acesso do que o Facebook, um blog serve de suporte para manter um arquivamento de seus projetos e atividades.

Reserve o blog para registrar coisas mais importantes, artigos, pronunciamentos, projetos, pois é possível fazer pesquisas e ter uma noção do conjunto de sua atuação.

5) E finalmente o mais importante: cerque-se de pelo menos uma ou duas pessoas capacitadas e decentemente alfabetizadas, que saibam usar Word e montar planilhas em Excel apresentações tipo Power Point ou algo que o valha.

A regra no Brasil é o político nomear arigós semi analfabetos para cargos de assessoria com bons salários.

Muitos fazem isso e depois se apropria de quase todo o salário do sujeito, que fica feliz se lhe sobrarem R$ 1.500 de um salário de R$ 4.000.

Você ouvirá histórias a respeito disso na Câmara.

Você pode ser mais um a nomear gente para se apropriar de salários, enchendo gananciosamente os bolsos.

Ou pode tentar fazer diferente, usando pessoas que recebem salários bons e integrais para trabalhar de verdade para você, seus projetos e para a sociedade, ajudando-o a produzir pesquisas e relatórios para uma boa fundamentação de ideias e propostas.

A escolha é sua.
Herculano
07/01/2017 08:12
da série: o PT ficou 13 anos no poder, relegou a zero a segurança e o sistema prisional brasileiro,tratou as forças de segurança como inimigas, e sempre achou que lugar de bandido é solto entre eles. Consequências: masmorras, aumento da criminalidade e massacres. Mas, agora o PT acha que a culpa é dos outros e faz mais uma vez politicagem barata com as mortes e o caos que preparou para os brasileiros.

NOTÍCIAS DA CASA DOS MORTOS NÃO OBTÉM RESPOSTAS ADEQUADAS, por André Singer, ex-assessor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no jornal Folha de S. Paulo

Em janeiro de 2014, período em que os acontecimentos escasseiam, detentos do Maranhão gravaram vídeo com decapitações. Elas circularam o país todo. Horrorizado, o Brasil passou algumas semanas discutindo o que fazer a respeito. Em seguida, outros temas se superpuseram (corrupção, Copa, eleições) e a vida seguiu.

No primeiro dia deste ano, a nação foi confrontada de novo com a trágica realidade dos presídios. Presos de Manaus (AM) ligados a uma facção criminosa massacraram, decapitaram e esquartejaram 56 colegas. Deixaram que a ação fosse filmada pelas câmaras do circuito interno.

Nesta sexta (6), 31 foram degolados e filmados numa colônia prisional em Roraima. Nos três casos havia, portanto, intenção de avisar ?"numa mistura de ameaça e pedido de socorro?" o que ocorre no subsolo da sociedade.

Outra vez, é claro, o assunto toma conta do noticiário. Indignação, análises, estatísticas, cálculo político, debates. Em breve acontecimentos mais palatáveis ?"porque menos crus?" irão se apresentar, e os habitantes da superfície, este colunista incluído, irão esquecer o tema, até que o próximo reality show penitenciário nos chacoalhe.

Entre um e outro choque, nada efetivo será feito. Por quê? Porque o país se encontra em absoluto desacordo sobre como proceder em relação ao problema da criminalidade.

Dois exemplos. Antes mesmo da plena redemocratização, lá se vão 35 anos, o governo estadual liderado por Franco Montoro em São Paulo tentou implementar uma política de direitos humanos na área de segurança. Teve que recuar diante do desgaste que sofreu. As pesquisas mostram que há vasto apoio à pena de morte entre os cidadãos, e a preservação dos direitos daqueles que se encontram detidos não é nada popular.

Até onde tenho conhecimento, as Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) foram a mais importante iniciativa no plano nacional para enfrentar a violência. Embora, na prática, muitas contradições tenham acompanhado a implantação do projeto, sua concepção era simples: o Estado só retomaria o controle dos territórios tomados pelo crime organizado se, junto com a polícia, houvesse forte investimento social.

Moradia, mobilidade, saúde, educação e lazer precisariam vir junto com a presença de uma força armada de controle. Agora, diante dos vinte anos de limitação do gasto público, tal visão se torna, outra vez, utopia.

Enquanto não formar amplo consenso civilizatório, a casa dos mortos continuará a enviar sinais, intermitentes e nítidos, da barbárie brasileira profunda. Sem respostas vindas de cima. Não é casual o presidente da República ter chamado a chacina amazônica de acidente.
Herculano
07/01/2017 08:03
O GOLPE DOS CARGOS COMISSIONADOS. O PT NÃO RESISTE A UM CARGO COMISSIONADO [não só ele]

Conteúdo de O Antagonista. Segundo a Folha de S. Paulo, o partido decidiu apoiar os candidatos do governo golpista à presidência da Câmara e do Senado em troca de 88 cargos para seus apaniguados.

Leia aqui:

"Após perder milhares de cargos comissionados em todo o país com o impeachment de Dilma Rousseff e com a saída de cerca de 350 prefeitos, o PT pretende passar por cima do discurso de golpe e apoiar candidatos da base de Michel Temer à presidência da Câmara e do Senado.

A ideia é ter aliados em cargos ligados às vagas que devem ser ocupadas pelo partido nas Mesas Diretoras das duas Casas. O número pode chegar a 88"
Herculano
07/01/2017 08:00
CURRÍCULO PARA SER IMITADO OU INVEJADO. LÍDER DE MASSACRE NO AMAZONAS COMEÇOU ROUBANDO 600 REAIS DE MERCADINHO

Conteúdo da revista Veja. Texto de Leslie Leitão.Aos 21 anos, Marcio Ramalho Diogo pegou sete anos e oito meses de prisão por assalto; aos 34, se tornou o 'xerife' da 2ª maior matança de presos do país


Marcio Ramalho Diogo tinha 21 anos quando foi condenado a sete anos e oito meses de prisão por ter roubado 600 reais de um mercadinho em Manaus. Sem ensino fundamental, filho de uma empacotadora e um pai sem profissão, morador de favela, iniciou ali uma carreira no crime que incluiu assalto, formação de quadrilha, tráfico de drogas e homicídio. No início da semana, foi apresentado ao Brasil em uma foto na qual aparecia ladeado por comparsas armados de pistolas e facões após ter ordenado a matança de 56 rivais no Compaj, presídio do Amazonas. Agora como Garrote, o jovem que assaltava mercadinho é, aos 34 anos, um dos homens da cúpula da Família do Norte, facção que briga com o Primeiro Comando da Capital pelo controle do tráfico de drogas no país. E foi o "xerife" da segunda maior barbárie da história do sistema carcerário do país.
Herculano
07/01/2017 07:53
A L?"GICA

No Brasil a Saúde Pública é ruim, a assistência social é ruim, a educação pública é ruim, o sistema político e de governo é ruim, os políticos e partidos são ruins então por que a segurança e o sistema prisional seriam bons?

Tudo torto. Wake up, Brazil!
Herculano
07/01/2017 07:43
EM 2016, FLUXO DE VISITANTES EM SHOPPING RECUOU 3,48%

Conteúdo de Veja. Texto de Pedro Carvalho, na coluna Radar. Por causa das festas de fim de ano, dezembro registrou um aumento de 25,6% em comparação a novembro

Dado o cenário econômico do país, menos pessoas foram ao shopping no ano que passou. O fluxo de visitantes nos centros de compras apresentou recuo de -3,48% nos 12 meses de 2016 quando comparado com o mesmo período de 2015. Pelo menos é o que indica o índice IVSC, realizado pela ABRASCE, em parceria com a FX Retail Analytics.

Na comparação com o dezembro de 2015, o volume de pessoas que circularam os shopping centers no último mês do ano sofreu uma queda de -1,52%. O maior recuo ocorreu na região Sudeste, com -3,71%. As regiões Sul e Nordeste, por sua vez, registraram aumento no fluxo de 0,37% e 1,15%, respectivamente.
Herculano
07/01/2017 07:38
da série: algo para os administradores de Gaspar que tomaram o poder, mas nada de novo produziram como juraram que fariam, ler e compreender. Aqui nem manchetes geram diante da mesmice e velharia

DORIA FAZ POLÍTICA COM "P" MINÚSCULO, por Demétrio Magnoli, geógrafo e sociólogo, no jornal Folha de S. Paulo
*
João Doria esmera-se na arte de emplacar manchetes. Fantasia-se de gari, junto com seus secretários, e varre uma praça; proíbe o uso de gravata no secretariado; promete multar auxiliares retardatários (a condição para ser secretário municipal em São Paulo é suportar ordens arbitrárias, destinadas a gerar efeitos publicitários). É política em ritmo frenético, mas com "p" minúsculo.

Na campanha, Doria vestiu o figurino do gestor, surfando a onda da rejeição aos políticos. Gestão é, obviamente, uma necessidade. Precisamos de serviços eficientemente administrados, bueiros desentupidos, conservação do asfalto, limpeza dos locais públicos.

Depois de Haddad, com sua incompetência militante, eloquente, o cumprimento de deveres básicos adquiriu uma aura de excepcionalidade. Mas o elogio desmedido da gestão veicula uma mensagem política: o prefeito está dizendo que seu mandato exclui a ideia de mudança.

A longa história dos termos "gerir" e "administrar" preencheu-os de significados militares (comandar, coordenar e controlar) ou empresariais (manipular a alocação de fatores de produção). Nos dois casos, trata-se de reproduzir aquilo que já existe, não de provocar rupturas estruturais. O político que se declara gestor é um gerente da velha ordem.

Adicionalmente, é um político de inclinações autoritárias, pois a missão que se atribui não requer o exercício da persuasão mas, apenas, a transmissão de ordens e a distribuição de tarefas. São Paulo, porém, precisa de algo mais.

Barracas de lona, dormitórios improvisados com caixotes, sofás esburacados, pilhas de lixo. Nas praças, sob os viadutos, a paisagem ubíqua das invasões assinala um limite.

A pulsão segregadora da metrópole, tão antiga quanto ela mesma, atingiu seu ponto extremo, tornando-se disfuncional. A periferização da pobreza, nas suas modalidades legais ou ilegais, esgotou suas possibilidades. O MTST, que se amansa na margem esquerda do córrego do lulismo, pode viver (e prosperar) com um Minha Casa Minha Vida ou guetos clientelistas de "habitação social". A cidade, ao contrário, necessita uma reinvenção.

Um século atrás, Arthur Pigou, o sucessor de Alfred Marshall em Cambridge, apontou instâncias de ineficiência da economia de mercado e identificou motivos para a intervenção do poder público, lições hoje esquecidas pelos fanáticos ultraliberais. As cidades ilustram, exemplarmente, tais ineficiências.

Nelas, a propriedade da terra confere acesso a rendas derivadas, exclusivamente, da localização, e o uso desregulado dos terrenos impõe custos externos que recaem sobre a coletividade. Deixada ao sabor do mercado, a cidade tende à expansão horizontal, à suburbanização e à produção de sucessivos anéis periféricos, enquanto submete as áreas centrais à degradação. São Paulo move-se por essas linhas perversas desde os tempos de Pigou, apesar (ou por causa?) de seus planos diretores.

A depressão econômica em curso evidencia que se fecharam, em definitivo, as válvulas de escape.

Haddad emergiu, há quatro anos, sinalizando uma reinvenção. Seu Arco Tietê indicava o rumo para macro-operações de renovação do centro expandido, com a valorização de "ruínas urbanas" constituídas por galpões desativados e edificações diversas mais ou menos abandonadas.

A ideia de projetos imobiliários de uso misto, integrando comércio, serviços e habitações para diferentes faixas de renda, estava vagamente inscrita nas propostas originais. Logo, contudo, o impulso da reforma urbana esmoreceu, substituído por ações pontuais incoerentes, cracolândias estatizadas e ciclovias aleatórias.

Doria teria um ponto de partida, se optasse pela política com maiúsculas.

Tudo indica que escolherá o caminho da "gestão": a política com minúsculas. Daqui a quatro anos, precisaremos ainda mais de garis -e de milícias de vigilantes de bairro.
Herculano
07/01/2017 07:22
SEM CUNHA, GASTOS COM PASSAGENS CAEM 10%, por Cláudio Humberto, na coluna que publicou hoje nos jornais brasileiros

A Câmara torrou R$ 24,4 milhões com a "emissão de bilhetes aéreos" apenas no segundo semestre de 2016, já com Rodrigo Maia (DEM-RJ) na presidência da Casa. O valor é 10% menor que os R$ 27,1 milhões distribuídos às empresas aéreas no mesmo período de 2015, enquanto o ex-deputado cassado e preso Eduardo Cunha (PMDB-RJ) estava no comando dos trabalhos. Tudo foi reembolsado pela cota parlamentar.

MANDATO TAMPÃO
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, assumiu mandato tampão em julho, após Eduardo Cunha ser enxotado do cargo direto para a prisão.

NÃO FOI MAIA
A redução não significa preocupação de Rodrigo Maia com dinheiro público. Está atrelada a uma série de eventos alheios à Câmara.

FÉRIAS COLETIVAS
No ano passado, houve eleição municipal e as Olimpíadas do Rio, que reduziram o número de sessões e viagens dos deputados federais.

FORA SALÁRIOS
Além dos reembolsos de passagens aéreas, os deputados receberam, em cada período de 6 meses, mais de R$ 121 milhões em salários.

CARTÕES: FATURA DE 2016 SUPERA OS R$52 MILHÕES
Os gastos com os cartões corporativos do governo federal superaram os R$ 52 milhões no ano passado, segundo o Portal da Transparência, que ainda não contabiliza a fatura de dezembro a ser paga este mês. Seja pela crise nas contas públicas ou pela redução do uso, o valor é o menor desde 2006 quando ainda no governo Lula foram gastos pouco mais de R$ 33,3 milhões ao bel-prazer do portador, sem licitação.

PODIO DA FARRA
Presidência (R$ 13,7 milhões) e Ministério da Justiça (R$ 12,8 milhões) rivalizam na liderança. Planejamento é o terceiro com R$ 6,3 milhões.

NA RABEIRA
Ministério dos Esportes usou míseros R$ 584,05. Orlando Silva, então ministro, ficou famoso em 2008 ao pagar tapioca de R$ 8,30 no cartão.

SIGILO CONVENIENTE
Dos R$ 26,5 milhões gastos pela Presidência e pela Justiça, R$ 25,9 milhões são sigilosos e quem paga a conta, você, não pode saber.

DEMOCRACIA DO POVO
O deputado Marcos Rogério (DEM-RO) pretende apresentar proposta proibindo que outro texto seja anexado a um projeto de iniciativa popular. Segundo ele, proposta da população não deve ser alterada.

INFLAMÁVEL
O Ministério Público acredita em alto potencial da Operação Zelotes, que investiga compras de sentenças do Carf. No entanto, ela recebe menos atenção por causa do número de políticos envolvidos.

MUITO MAIS
Favorito na disputa para presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE) considera maior o número de processos contra o boquirroto e ex-ministro Ciro Gomes. "Mais de 200 processos", garante.

CORRUPÇÃO NO EXÉRCITO
Um coronel do Exército foi condenado pela Justiça Militar a 5 anos de reclusão por peculato. O ex-comandante do 3º Batalhão de Engenharia de Construção faturou R$ 119 mil ao usar suas equipes para perfurar 38 poços artesianos em áreas particulares no Piauí e em Pernambuco.

CORTES SEM CRITÉRIOS
Servidores federais ativos e inativos receberam os vencimentos de dezembro com cortes que chegaram a dois terços do total, a pretexto de suprimir "penduricalhos". Acabaram cortando o que não deviam.

EFEITO CASCATA
O governador de Alagoas, Renan Filho (PMDB), enfrenta dificuldades para fechar a reforma administrativa da segunda metade do mandato por efeito cascata da perda de poder do pai, senador Renan Calheiros.

PERDEU A MAJESTADE
Na composição do novo secretariado, o governador de Alagoas, Renan Filho, ouviu não do ex-governador Ronaldo Lessa (PDT). Agora, luta para convencer o senador Fernando Collor a manter apoio ao governo.

SEM EXPLICAÇÃO
Os contribuintes que frequentam unidades do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) reclamam que faltam até panfletos explicativos sobre direitos e deveres dos segurados nos 1500 postos do órgão pelo Brasil.

PERGUNTA NA ZONA FRANCA
Quantos santos o governador do Amazonas, José Melo, acredita que a Polícia Federal já prendeu com a operação Lava Jato?
Herculano
07/01/2017 07:19
DEGOLAR PODE PARA GERAR INDIGNAÇÃO, CONSTRANGIMENTOS ÀS AUTORIDADES E MANCHETES MUNDIAIS. DISPARAR TIROS DE BORRACHA PARA CONTER REBELIÃO E DEGOLAS EM CURSO, NÃO PODE. UMA ESTRANHA UNIÃO NA DEFESA DOS DIREITOS HUMANOS, PRESOS SANGUINÁRIOS COM SEUS INTERESSES E NEGOCIOS, FAMÍLIAS DESSES PRESOS E A MÍDIA DA ESQUERDA DO ATRASO CONTRA OS POLICIAIS E O ESTADO FRAGILIZADO PELA REITERADA OMISSÃO NA CUSTODIA DE CIDADÃOS DETIDOS

Conteúdo do jornal Folha de S. Paulo. Texto de Rubens Valente e Marlene Bérgamo, enviados especiais a Boa Vista, em Roraima. Um vídeo que circula entre familiares de detentos da penitenciária de Boa Vista (RR), na qual 31 foram chacinados na madrugada desta sexta-feira (6), mostra policiais militares atirando a curta distância balas de borracha nas costas de presidiários aparentemente desarmados e já dominados. As imagens teriam sido feitas, segundo familiares, após a chacina ter ocorrido no presídio.

Familiares que pediram para não ter o nome publicado disseram à Folha, na estrada de acesso à entrada principal da Pamc (Penitenciária Agrícola de Monte Cristo), que há feridos por balas de borracha no presídio e que um detento teria recebido um disparo na boca. O governo disse que não teria como confirmar as afirmações.

O vídeo também mostra que os policiais não miravam nas pernas dos presos, e sim na altura do tórax. O disparo de balas de borracha à queima-roupa e acima da cintura pode provocar mortes e traumas. Estudos recomendam uma distância segura para uso do armamento, que já deixou pessoas cegas durante protestos em São Paulo.

O vídeo mostra os policiais militares, encapuzados, gritando para vários presidiários começarem a correr por um corredor. "'Bora, caralho, 'bora". "Vai, vai, filho da puta!", dizem os policiais militares, que em seguida atiram balas de borracha com espingardas.

A Folha exibiu as imagens para o secretário de Justiça e Cidadania de Roraima, Uziel Castro, responsável pelo sistema penitenciário, na sede do Plácio do Governo de Roraima por volta das 16h desta sexta-feira (6). Ele respondeu à Folha: "O que você acha que tinha que fazer? Esses caras estão fazendo o quê, estavam na missa, rezando?"

A reportagem pediu que o secretário falasse sobre a distância dos tiros, mas ele disse que não faria comentários. Demonstrando irritação com as perguntas, ele deixou a sala em que ocorria a entrevista.

Logo depois, a assessoria de comunicação do governo de Roraima disse que o secretário preferiu não se manifestar sobre o assunto. A Folha indagou se alguma providência será tomada para investigar o uso do armamento, mas não houve resposta até o fechamento deste texto.
Herculano
07/01/2017 07:06
DEPOIS DESSA, SO FALTAVA ELE PERMANECER.SECRETÁRIO DE TEMER CAI APOS DIZER QUE MASSACRE "TINHA QUE MATAR MAIS"

Conteúdo do jornal Folha de S. Paulo. Texto de Gustavo Uribe e Daniel Carvalho. da sucursal de Brasília.O secretário nacional de Juventude, Bruno Júlio (PMDB-MG), vai deixar o cargo depois de criticar a repercussão do massacre nos presídios do país, que deixaram 93 mortos na primeira semana do ano.

A informação foi confirmada pela assessoria da Presidência da República. A demissão deve ser publicada no "Diário Oficial" nos próximos dias.

A polêmica começou após ele declarar ao jornal "O Globo" que "tinha que matar mais" ao comentar ao a morte dos presos. "Tinha que fazer uma chacina por semana", afirmou, segundo o jornal.

Em entrevista à Folha pouco depois, Júlio negou a frase e disse que sua opinião havia sido "deturpada".

Porém, o site Huffpost Brasil, que também esteve na mesma conversa do secretário com o "O Globo", publicou áudio da declaração, em que ele realmente afirma que "tinha que matar mais".

À Folha, criticou o destaque dado aos massacres nos presídios e disse que é um "acerto de contas de bandidos". "Eu fico triste porque não estão dando tanta importância para as pessoas de bem que morrem todo dia", afirmou à nesta sexta.

A Secretaria de Juventude é vinculada à Secretaria de Governo, da Presidência da República.

O presidente Michel Temer pretendia conversar neste sábado (7) com o secretário nacional sobre a polêmica declaração. Segundo assessores e auxiliares presidenciais, no entanto, a permanência dele no cargo tornou-se "insustentável" e o mais correto era que o presidente o demitiria.

Em nota, Bruno Júlio disse que "está havendo uma valorização muito grande, pela morte entre condenados, muito maior do que quando um bandido mata um pai de família que sai do trabalho ou a ele se dirige".

"Sou filho de policial e sei o dilema diário da família. Quando esses saem de casa sem a certeza de quer irão voltar; em razão do crescimento da violência", afirmou.

Bruno Júlio é filho do deputado estadual e ex-deputado federal Cabo Júlio (PMDB-MG). Foi nomeado pelo presidente Michel Temer ao cargo no Planalto por meio de indicação da bancada mineira do PMDB.
Zé Gotinha
07/01/2017 01:10
Sr. Herculano..

Parabéns por sua postura frente a estes governos medíocres entre eles Kleber,Zuchi, spenglar, td farinhas di diferentes sacus.
Herculano
06/01/2017 19:12
TÁ TUDO DOMINADO, É, PARÇA? por José Nêumanne

Temer tem duas tarefas urgentes: contar os presos e controlar os presídios

O que resta a Temer fazer agora para evitar novos massacres sangrentos em presídios é um recenseamento para conhecer a realidade dos encarcerados que cumprem pena. Enquanto isso, o governo tem a obrigação de ocupar as áreas do território nacional ocupadas pelas prisões. Os facínoras de Monte Cristo, em Roraima, gravaram vídeos em que afirmam que "tá tudo dominado"? por eles. Mas, como o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, garante que o Estado detém o poder e exerce a gestão sobre os complexos presidiários, podendo, então, garantir a integridade física dos condenados sob sua tutela, só nos cabe é pedir-lhe que interrompa a matança iniciada no Norte.
Herculano
06/01/2017 18:24
PRESSÃO DA ESPOSA DE PALOCCI A UM FIO DA DELAÇÃO, por Amanda Costa, para o jornal da Cidade, de Campo Grande MS

Desde a sua prisão, o ex-ministro Antonio Palocci sofre uma enorme pressão de sua família, especialmente de dona Margareth Pallocci, sua esposa, para que efetue um acordo com a força tarefa da Operação Lava Jato no sentido da efetivação de uma delação premiada.
O potencial de uma eventual delação de Palocci é imprevisível.

Nesse sentido , dona Margareth exerce um papel semelhante ao adotado por Maika do Amaral, quando da prisão do ex-senador Delcídio.

Margareth, assim como Maika naquela época, que vivenciou inúmeros episódios grotescos dos governos petistas, não admite mais qualquer tipo de proteção ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Aliás, dona Margareth atribui tudo o que ora está acontecendo a Lula.

Por outro lado, o ex-ministro também está inconformado. Ele teria obtido a garantia dos advogados de que seria solto no final do mês de setembro de 2016.

Passados três meses, ainda preso, uma nova cartada foi tentada no STJ, mas a ministra Laurita Vaz indeferiu o habeas corpus.

A bomba está a caminho.

Vamos aguardar.
Herculano
06/01/2017 17:57
O PAI DA FDN, PCC e CV, porr Mario Sabino, de O Antagonista

Depois da carnificina no presídio do Amazonas, eis que ocorre o banho de sangue na prisão de Roraima, com trinta presos decapitados e alguns deles com o coração arrancado. A barbaridade não deve parar por aí, uma vez que a guerra entre a Família do Norte (FDN) e Primeiro Comando da Capital (PCC) foi declarada.

Eu não fazia ideia da existência de uma facção chamada Família do Norte. Comando Vermelho, do Rio, e Primeiro Comando da Capital, de São Paulo, são sobejamente conhecidos. Como sou paulistano, o PCC faz, de certo modo, parte da minha vida cotidiana. Eles conseguiram parar São Paulo em 2006, por meio de uma série de atentados simultâneos, e dominam os presídios do estado. Conheço uma senhora cujo enteado foi preso por traficar drogas leves. Ela foi extorquida pelo PCC para que o rapaz não fosse surrado e estuprado na prisão. A periferia de São Paulo e até bairros centrais da cidade são o mercado do PCC; as penitenciárias do estado são os seus spas. Num desses spas de segurança máxima (para os bandidos), está hospedado Marcola, o Duce dessa gente. A administração estadual finge que não vê; o PCC finge que a administração estadual existe.

As facções prosperam num país governado, até pouco tempo atrás, por uma organização criminosa, segundo a definição do Ministério Público Federal. Ainda há criminosos dessa organização encastelados em Brasília. Depois da carnificina no Amazonas, O Antagonista descobriu que presídios ocupados (esse é o termo mais apropriado) por FDN, PCC e CV foram "concedidos a empresas privadas - que, em troca de dinheiro público destinado ao sistema prisional, financiam campanhas de políticos. Como se vê, há ainda o PCCF, Primeiro Comando da Capital Federal.

Diante das carnificinas nos presídios, há quem ache que é melhor que esses monstros se matem uns aos outros. Trata-se de uma sequela da política de direitos humanos de viés esquerdista, muito em voga nos anos 80 e 90, que dava mais atenção aos bandidos do que aos cidadãos de bem. A sequela é ainda explorada por populistas que querem o voto dos cidadãos de bem. Eu acho um horror qualquer carnificina. Não penso que se deva ser leniente com bandidos, mas sei que o Estado incapaz de garantir segurança, saúde e educação a todos é o mesmo que entrega presídios a facções criminosas (e os "concede a empresas privadas" que financiam políticos). É o mesmo que subverte a noção primeira de Estado como detentor do monopólio da força.

A Família do Norte, o Primeiro Comando da Capital e o Comando Vermelho nasceram de um Estado que, para além de corrupto, é incompetente, frouxo, desproporcional e comandado por gente desqualificada. A nossa tragédia tem expressões múltiplas, que podem ser mais ou menos sangrentas, mas ela é uma só.
Herculano
06/01/2017 17:48
SE A MODA PEGA, HAVERIA UMA "LIMPEZA" DE POLÍTICOS? DE PRESÍDIOS FEDERAIS, LÍDERES DA FDN MANDAM MATAR QUE FEZ DELAÇÃO PREMIADA

Conteúdo do Uol. Texto de Flávio Costa. Apesar de estarem presos na penitenciária federal de Campo Grande (MS), chefes da FDN (Família do Norte) deram ordens para matar integrantes da facção que fizeram delação premiada, apontam decisões da Justiça Federal.

Ao menos um assassinato em Manaus está sob suspeita de ter sido ordenado por líderes da facção presos na capital sul-mato-grossense.

O Uol teve acesso a decisões do desembargador federal Maurício Kato, do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, sobre pedidos de habeas corpus de membros da facção. Os documentos citam informações da Seap (Secretaria de Administração Penitenciária do Estado do Amazonas) de que os líderes da FDN passavam ordens de assassinato por meio de advogados e parentes que os visitavam no presídio federal.

"Conforme informado pelo secretário-executivo-adjunto da Seap, de acordo com informações coletadas pelo Dipen (Departamento de Inteligência Penitenciária), 'CD' (Erik Leal Simões) estaria em contato com parentes e advogados dos presos da Operação La Muralla, aguardando a autorização dos mesmos para a execução de ordem para assassinar internos que aderiram a acordo de delação premiada em detrimento dos membros de referida organização delitiva", lê-se nos documentos judiciais.
Herculano
06/01/2017 17:36
REGISTRO E UMA PERGUNTA

Os deputados Rogério Peninha Mendonça (Federal)e Aldo Schneider (estadual), ambos do PMDB, estiveram no gabinete do prefeito Kleber Edson Wan-Dall, de Gaspar. Foram se colocar à disposição para ajudá-los nos seus pleitos.Excelente. E não poderia ser diferente.

Aldo Schneider, por exemplo, distribuiu recentemente ambulâncias da sua cota e Gaspar ficou de fora, apesar do presidente da Câmara Ciro Quintino, PMDB, ser o seu cabo eleitoral aqui.

Já Peninha, durante a campanha eleitoral votou contra a cassação de Eduardo Cunha, PMDB RJ, segundo ele, porque não há provas de que ele tenha mentido sobre dinheiro dele escondido na Suíça.As autoridades suíças não concordam com Peninha... Mas, mesmo assim, para não prejudicar Kleber com aquele voto naqueles dias, desapareceu da campanha.

E perguntar não ofende aos dois deputados: quando vão terminar a enrolação da retificação, alargamento e asfaltamento da Rua Leonardo Pedro Schmitt, no Macucos? No dia três de abril de 2014, o PMDB daqui e que está no poder, com os seus deputados, fez festa, dizendo que em 16 meses as obras estariam prontas e entregues aos gasparenses. Já são o dobro da data prometida: 32 meses. Acorda, Gaspar!
Herculano
06/01/2017 16:50
FILHO DE PEIXÃO, É PEIXÃO...

O decreto 7294, publicado hoje pelo Diário Oficial dos Municípios - aquele que se esconde na internet e não tem horário para sair - diz que "fica nomeado, a partir de 02 de janeiro de 2017, o servidor VALMOR BEDUSCHI NETO, para o exercício de cargo em comissão de Assessor Jurídico do Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto ?" SAMAE [de Gaspar], Nível SEC., com 40 horas semanais.

COCHILO

Começou. Em outra publicação, a portaria 5.104, de 5 de janeiro de 2017 diz que prorroga "por mais 60 dias, a partir de 06 de janeiro de 2017, o prazo para conclusão do Processo Administrativo de Revisão de Pensão por morte percebida por Corina da Costa Reinert, instaurado através da Portaria nº 5.058, de 03 de novembro de 2017".

Como é que é? Vão prorrogar por mais 60 dias a partir de hoje seis de janeiro algo que só vai começar em três de novembro de 2017?

Quem está precisando de um revisor daquilo que ele assina é o prefeito Kleber Edson Wan Dall, PMDB. Vão republicar. Mais tempo, mais dinheiro, mais desgaste por pouco. Acorda, Gaspar!
Herculano
06/01/2017 16:41
ILHOTA EM CHAMAS

O prefeito Érico de Oliveira, PMDB, demonstrou claramente que não vai se importar com as dúvidas (ou pressões) que cercam os seus. Paulo Roberto Drum, PSDB, ex-vereador, e homem forte do governo de Ademar Felisky, PMDB, quando cuidou da Defesa Civil, na catástrofe ambiental severa de novembro 2008, não só foi nomeado secretário de Indústria e Comércio de seu governo, como acaba de ser nomeado pela portaria 13/2017 Gestor de Convênios, e com um detalhe, neste caso específico, segundo a mesma portaria, sem remuneração.

Em outra portaria, a 12, JEFFERSON RODRIGO KALINOUSKI, foi nomeado por Érico em cargo comissionado e remunerado para ser diretor de departamento.

Em outros protocolo, dois candidatos que se classificaram em concursos públicos foram chamados. KEILA FRANCINARA TILL para ser professora de educação infantil e DIEGO DE SOUZA, para ser Fiscal de Obras
Sidnei Luis Reinert
06/01/2017 15:52
Maldito empresário capitalista que foi eleito para governar apenas para os ricos...


Dória quer parceria para empregar 20 mil moradores de rua no setor privado
By Camilo Caetano -06/01/2017


Sem usar dinheiro público, o prefeito de São Paulo, João Doria, vai lançar, no próximo dia 21, o programa Trabalho Novo para empregar pessoas que estão hoje na condição de moradores de rua. Doria acertou parceria com os sindicatos de conservação e limpeza da cidade para que reservem vagas de varredores nas empresas privadas do setor para atender o programa. A meta é conseguir empregar 20 mil pessoas até 31 de dezembro. As empresas pagarão salário mínimo mensal (R$ 937), além de vantagens, como plano de saúde.

Para conseguir a vaga, os candidatos terão de se comprometer a deixar as ruas em até 90 dias. Uma opção será morar nos antigos albergues, que passarão a se chamar Espaço Vida.

O governo estadual também será parceiro no programa, cedendo serviços do Poupatempo para que os moradores de rua consigam obter documentos necessários para sua contratação.

Doria acha que a iniciativa é o começo da "conquista de dignidade" para os moradores de rua.

http://www.ilisp.org/noticias/doria-quer-parceria-para-empregar-20-mil-moradores-de-rua-no-setor-privado/
Herculano
06/01/2017 12:55
COMO FUNCIONA NOS GROTÕES ONDE BANDIDOS E POLÍTICOS SE ASSEMELHAM. APRESENTADOR É DEMITIDO DE AFILIADA DA TV GLOBO AP?"S CRITICAR O GOVERNADOR DO AMAZONAS

Conteúdo do blog Glauber Carlos. "Desse governo nada mais me assusta". Um dia depois de fazer esse comentário direcionado ao governador do Amazonas, José Melo (Pros), o jornalista Clayton Pascarelli foi demitido da Rede Amazônica, afiliada da TV Globo em boa parte da região Norte do país. A frase foi ao ar durante a edição de terça-feira, 3, do 'Bom Dia Amazônia'. Na manhã de quarta, 4, já sem apresentar o noticiário que comandava desde janeiro de 2013, o comunicador recebeu a notícia de que estava fora dos planos da emissora.

Horas depois de ser comunicado de que não era mais funcionário da empresa de comunicação, Pascarelli usou a fan page que administra para comentar a oportunidade de trabalho que durou 11 anos, com ele começando como estagiário e passando pelas funções de produtor e repórter antes de se tornar um dos âncoras do canal. Em seu post, o jornalista pontua que sempre teve a emissora com a sua casa e fez questão de agradecer aos fundadores da emissora: Milton Cordeiro e Phelippe Daou, que morreram em 2016. "Agradeço imensamente [?] pela isenção, credibilidade e liberdade que me deram".

Em seu posicionamento a respeito da saída da Rede Amazônica, o jornalista não cita a possibilidade de a demissão ter algum tipo de ligação com o comentário feito ao vivo. A relação da frase dita na terça com a dispensa foi levantada primeiramente pelo site Parintins 24 horas, que chegou a repercutir que o público usou as redes sociais para demonstrar apoio ao profissional que perdeu o emprego ?" o nome do comunicador chegou a ocupar os trending topics, lista dos termos mais comentados no Twitter.

Funcionários da empresa manauara ouvidos pelo Portal Comunique-se reforçam a ideia de que a decisão de demitir Pascarelli tem a ver com a frase soltada durante o 'Bom Dia Amazônia'. Os profissionais que conversaram com a reportagem ?" e que por razões óbvias pediram para que seus nomes não fossem divulgados ?" relataram que o diretor e um dos sócios da Rede Amazônica, Aluísio Daou, chegou à redação gritando que seu telefone não parava de tocar "por causa do comentário do apresentador", disse uma das fontes que garante ter presenciado a cena.

Com a história, a reportagem do Portal Comunique-se tentou falar com o diretor de jornalismo da Rede Amazônica, Luís Augusto Pires Batista, mas foi avisado que ele está de férias. Por e-mail, a gerente de jornalismo do canal, Ercilene Oliveira, informou que a empresa ainda "irá se pronunciar oficialmente sobre o assunto". No contato eletrônico, a reportagem questiona os motivos que levaram a emissora a demitir o jornalista e se tal decisão tem a ver com o comentário disparado contra o governo amazonense.
Herculano
06/01/2017 12:49
PARA RELEMBRAR AOS ANALFABETOS, IGNORANTES, DESINFORMADOS E FANÁTICOS

PT ficou 14 anos no governo, contingenciou gastos com presídios, abandonou fronteiras e quer que atual governo leve mesmo grau de culpa. Dai". Felipe Moura Brasil, na Veja
Herculano
06/01/2017 12:46
O PENITENCIARÃO

Conteúdo de O Antagonista.Vamos desenhar para quem ainda não entendeu: as chacinas entre presos começam a revelar a existência de um grande esquema entre políticos e empresas criadas para "administrar" penitenciárias.

É o penitenciarão.
Herculano
06/01/2017 12:38
A LEI E A PENA DOS BANDIDOS SÃO CRUÉIS. A LEI DOS CIDADÃOS, OS SISTEMA PERMITE O CONTRADIT?"RIO E QUE A ESQUERDA ACHA DURA, TARDIO E INJUSTO. MAS, QUAL A RAZÃO PARA O SILÊNCIO SOBRE A CRUELDADE DOS SEUS PROTEGIDOS?

O conteúdo do jornal O globo. Segundo o governo estadual, 30 dos 33 detentos foram decapitados. Alguns deles tiveram o coração arrancado. Familiares dos presos se concentram na porta do presídio em busca de informações.

Herculano
06/01/2017 11:48
ANTES DO ROMPIMENTO,PCC TENTOU "INTERMEDIAR A PAZ ENTRE FACÇÕES DO RIO DE JANEIRO

Conteúdo do jornal O Estado de S. Paulo. Texto de Fábio Serapião e Fausto Macedo. Uma denúncia do Ministério Público de São Paulo, de 2012, revela as tratativas entre integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC) para tentar "intermediar a paz, a fim de fortalecer o crime" entre as facções cariocas Comando Vermelho (CV) e Amigos dos Amigos ADA). A tentativa foi entre os anos de 2010 e 2011. Atualmente, a facção paulista se aliou à ADA e está em disputa com o CV. A guerra entre as facções é apontada como um dos principais motivos para a morte dos 56 detentos no Complexo Penitenciário Anísio Jobim, o Compaj, em Manaus. A Família do Norte, do Amazonas, é aliado ao CV.

Durante a investigação do MP paulista, os investigadores interceptaram uma conversa entre duas lideranças do PCC ?" Roberto Soriano e Abel Pacheco Andrade. Na conversa, Soriano pergunta se o traficante conversou com "os caras do CV". Pacheco diz que não, mas que mandou outro integrante da facção falar com as lideranças da facção carioca. Segundo Soriano, o recado a ser dado é que o PCC não teria "inimizades com vocês(CV), nem com o Terceiro (Comando), nem com o ADA. É guerra de vocês, se vocês quiserem intermediar uma paz estamos aí, porque o crime fortalece o crime, mas estamos com as cadeias de portas abertas pra vocês, a situação de negócios".

Em outra conversa, Soriano fala com Daniel Vinicius Canônico, outra liderança do PCC, sobre a relação entre os criminosos paulistas e cariocas. Segundo o traficante, o PCC nunca foi inimigo da ADA e "tinham uma ligação com o Vermelho (Comando Vermelho)", mas que foi quebrada "em cima da arrogância dos caras". Entretanto, Soriano sugere na conversa que "o intuito de tudo é estarem se unindo, se fortalecendo e um ajudar o outro". "Nós também temos 65 favelas aqui (São Paulo), se precisarem passar uma temporada, vai ser bem recebido e a gente está aí não pra dividir o crime e sim para tentar unir e se fortalecer cada vez mais, porque imagina eles (ADA) com um braço em São Paulo, eles (PCC) com um braço no Rio".

Desde 2012, a relação entre o PCC e CV foi encerrada e a facção paulista se aliou à ADA no comando do tráfico na favela da Rocinha. Nas conversas interceptadas na investigação do MP-SP, os promotores já haviam flagrados negociações entre as lideranças do PCC e Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem da Rocinha, principal liderança da ADA.

No dia 24 de setembro de 2010, em uma conferência por telefone, pelo PCC falam Soriano e Rogério Jeremias de Simone, o Gegê do Mangue, com Nem da Rocinha. Após ser chamado por um interlocutor, o traficante carioca entra na conversa: "pode falar, que é eu que estou falando". Soriano conta que até 2005, o PCC manteve uma aliança com o Comando vermelho e "por causa de uma divergência de ideias aí entres os integrantes daí com os daqui e tiveram que quebrar a corrente."

Por sua vez, Gegê do Mangue pergunta a Nem como está a situação com o CV. Nem fala que não tem problema nenhum com eles e que "de vez em quando fala com eles". Por fim, os traficante paulistas informam Nem que irão mandar um "irmão" de confiança para ir até o Rio de Janeiro "trocar umas ideias". Para os investigadores, esse foi o início da relação entre o PCC e ADA que resultou na divisão do comando do tráfico de drogas na favela da Rocinha
Herculano
06/01/2017 11:41
POSITIVO OU QUESTIONÁVEL? SEIS ANÁLISES SOBRE O INTRIGANTE REAJUSTE DA PETROBRÁS (E O NÃO-AUMENTO DA GASOLINA) 6 análises sobre o intrigante reajuste da Petrobras

Conteúdo da Infomoney. Surpresa. Essa foi a reação da maior parte dos analistas do mercado sobre o reajuste de combustíveis da Petrobras (PETR3;PETR4). Ou melhor, do combustível. Apenas o diesel sofreu aumento, de 6,1%, o que gerou muitas especulações no mercado, uma vez que havia uma grande expectativa de alta também da gasolina (o que foi inclusive um dos motivos para impulsionar a alta dos papéis durante a semana), dado o desconto ante a paridade internacional.

"O fato de que não houve mudança no preço da gasolina poderia levantar algumas perguntas sobre a racional dos ajustes e será um ponto a ser monitorado", afirma o Itaú BBA. Conforme apontam os analistas do banco, o desconto da gasolina ante a paridade das importações permaneceu estável em relação ao último aumento de preços implementado em 6 de dezembro e abre espaço para novos aumentos de preços. "O preço do diesel está agora com um prêmio de 10% em relação à paridade das importações, enquanto o preço da gasolina está com um desconto de 5%, assumindo custos de importação de US$ 12 o barril", avaliam.

Em nota, a Petrobras explicou o porque do reajuste: segundo a petroleira, a decisão é explicada por três motivos: i) pelo efeito da continuada, embora mais discreta, elevação dos preços do petróleo nos mercados internacionais, ii) pela valorização do real desde a última revisão de preços e iii) por ajustes na competitividade da Petrobras no mercado interno de gasolina e diesel.

De acordo com os analistas do Bradesco BBI, poderiam argumentar que a Petrobras não aumentou o preço da gasolina para conter a inflação. Porém, o Bradesco BBI discorda de tal argumento, dado que a empresa tem uma política de preço (não fórmula) que considera uma margem não revelada de riscos associados à operação.

Outra leitura é quanto ao preço da gasolina internacional usado pela Petrobras para comparação. "Nossa estimativa de aumento de 8% da gasolina considera a referência GoM, que subiu 7% desde o último ajuste de preço em 5 de dezembro. No entanto, se considerarmos a referência europeia (que poderia ser uma referência para importações de combustível por razões logísticas), o preço teve um aumento menor, de 4%", avaliam os analistas. Após a mudança, Bradesco BBI calcula que o diesel tenha prêmio de 9,1% sobre referência internacional e gasolina, desconto de 3,8%.

Assim como o Bradesco BBI, a XP Investimentos também aponta que esperava um reajuste da gasolina, de pouco mais de 3%. Eles também apontam não acreditar que não houve aumento de preços de gasolina para tentar inibir maiores impactos na inflação, pois a cada 10% de reajuste na gasolina, o impacto no IPCA é de 0,3 ponto percentual.

Por que o diesel?
Os analistas buscaram uma explicação sobre por que o diesel foi elevado. Segundo destaca a LCA, pelos acompanhamentos dos preços internos e externos destes derivados não haveria necessidade do reajuste do diesel. Porém, "provavelmente, foi relevante nesta decisão a perspectiva de alta sazonal do consumo e, portanto, do preço do diesel nos EUA durante o inverno", apontam os analistas da consultoria. O Santander também mostrou otimismo com a decisão da estatal, ressaltando que não houve reajuste na gasolina por fator sazonaltambém destacando que a demanda por gasolina no Hemisfério Norte tende a ser menor no inverno e a do diesel, maior. "A quarta mudança de preço consecutiva, e a segunda com aumento, reforça o pragmatismo da companhia", avalia.

O BTG também aponta outra questão que deve ter sido considerada pela Petrobras: o diesel representa dois terços dos produtos de refinaria. Logo, a decisão é mais representativa do que se os preços da gasolina fossem alterados e os do diesel, não. "A nova política é relativamente nova para o mercado e para a Petrobras. As constantes mudanças de preço e prêmio acrescentam riscos para aqueles que querem importar e lucrar com a diferença de preços", ressalta o banco.

Segundo o banco, o reajuste deve afetar negativamente empresas do setor sucroenergético como Cosan (CSAN3) e São Martinho (SMTO3) uma vez que o diesel representa de 8% a 10% dos custos. Pelos cálculos dos analistas do banco, o impacto sobre o Ebtida ara o ano da Cosan deve ser de -0,4% e de -0,6% sobre o da São Martinho.

Já o Goldman Sachs destaca o impacto para a própria Petrobras: segundo o banco, a alta do diesel pode afetar a participação de mercado da companhia, com o nível do prêmio podendo potencialmente aumentar a importação de diesel de terceiras partes. O Goldman vê baixa previsibilidade do prêmio alvo a ser mantido pela Petrobras dado que não há conexão aparente entre referências qualitativas fornecidas e ajustes anteriores de preço de combustíveis. Caso o nível de prêmio de US$ 14 por barril implícito no anúncio seja consistente no futuro, o Ebitda estimado de 2017 de R$ 101,8 bilhões pode ter potencial impacto negativo de 2,3% ou neutro, afirmam os analistas.

Impacto na inflação
Apesar da alta do diesel, a expectativa é de pouco impacto na inflação e na política monetária a ser adotada pelo Banco Central. Segundo estimativa feita para a Bloomberg por Jessica Strasburg, economista da CM Capital Markets, o aumento no preço do diesel tem efeito estimado em 0,005 ponto percentual para o IPCA de janeiro e tem efeito marginal e sem implicação para o Copom. Ela aponta que a decisão sobre combustíveis é um elemento muito pontual e Copom deve levar em conta a inflação como um todo, além do fiscal e cenário internacional. "Não mudamos nossa previsão de corte de 0,5 ponto percentual da Selic em janeiro, ainda que o mercado possa migrar para queda de 0,75 ponto percentual diante da desaceleração da inflação. O diesel tem peso de 0,14% no IPCA e a gasolina, de 3,91%. A LCA também destaca que o efeito indireto na inflação é desprezível. Contudo, os efeitos indiretos deste reajuste levaram a LCA a elevar a projeção do IPCA de 5,32% para 5,4% neste ano.
Herculano
06/01/2017 11:34
ALGUMA COISA ESTÁ ERRADA. E VAI DAR ZEBRA. MAIS 33 PRESSOS SÃO ASSASSINADOS EM RORAIMA COM AVISO DE QUE ISSO IRIA ACONTECER

Conteúdo do Uol (Folha de S. Paulo).Pelo menos 33 presos foram encontrados mortos na manhã desta sexta-feira (6) na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, na zona rural de Boa Vista. De acordo com o governo de Roraima, que administra a unidade, o caso foi registrado por volta das 2h30 (4h30 no horário de Brasília). A penitenciária é a maior do Estado.

Conforme a assessoria do governo, que negou ter havido uma rebelião ou mesmo fuga, os próprios detentos teriam provocado as mortes durante uma briga de facções. Ainda segundo o órgão, o caso envolveu presos do Comando Vermelho e do PCC (Primeiro Comando da Capital), facção mais numerosa na penitenciária.

As mortes em Roraima ocorrem quatro dias após rebeliões em Manaus terminarem com 56 mortos --a pior matança de presos desde o massacre do Carandiru, em São Paulo, quando 111 presos foram assassinados em outubro de 1992 por ação da Polícia Militar. Segundo as autoridades do Amazonas, o massacre foi realizado pela facção Família do Norte, ligada ao Comando Vermelho, contra integrantes do PCC.

Segundo o secretário de Justiça e Cidadania de Roraima, Uziel de Castro Júnior, as informações preliminares dão conta que membros do PCC "possivelmente tenham cometido esses crimes".
Sidnei Luis Reinert
06/01/2017 09:20
Herculano, frei betto( só se for frei do capeta pois conheço nenhum ex-excomungado) quer implantar a cultura marxcista nos presos, pois os mesmos sempre dizem que os bandidos são vítimas da sociedade.

CANALHAS!!
Herculano
06/01/2017 08:20
DALRYMPLE DERRUBA MITO DE QUE PRISÃO EXISTE PARA A RESSOCIALIZAÇÃO DO MARGINAL, por Rodrigo Constantino, do Instituto Liberal

Em artigo publicado hoje no GLOBO, o comunista Frei Betto defende uma visão "humanitária" da prisão, que teria como principal meta ressocializar o marginal, colocá-lo novamente e o mais rápido possível de volta à sociedade, para ser um cidadão decente (talvez um militante do PT, pela ótica do camarada do falecido tirano Fidel Castro). São muitos os que aderem a essa visão romantizada das prisões e dos bandidos. Diz Betto:

Sou a favor da parceria público-privada em outros termos. Transformar cada penitenciária em oficina-escola. Tirar os detentos da ociosidade. Em convênio com empresas, fazer funcionar ali dentro oficinas de fabricação de brinquedos, bicicletas e velocípedes, material esportivo, artesanato etc., mediante remuneração salarial. E aulas de ensinos fundamental e médio, idiomas, culinária, teatro, dança etc. E, de acordo com a lei, regressão da pena a cada etapa vencida.

Muitos ingressariam nessas atividades movidos, inicialmente, pelo interesse de encurtar o tempo entre as grades. Porém, oficinas e cursos haveriam de mudar-lhes o modo de pensar e agir, recuperando-os ao convívio social.

Utopia? Não, experiência. Basta analisar o índice de reincidência criminal daqueles que, em Presidente Venceslau, passaram pelo curso de ensino médio e as oficinas de pintura, teatro e estudos bíblicos. Todos administrados por nós, meia-dúzia de presos políticos, inseridos na massa carcerária.

Mas os conservadores e muitos liberais enxergam a coisa por ângulo bem diferente. Para eles, a maldade existe sem origens facilmente definidas, assim como o livre-arbítrio, ou seja, a marginalidade é uma escolha individual. Claro, essa escolha pode sofrer a influência do ambiente. Isso é inegável. Mas daí a culpar a "sociedade" pelos crimes, o "sistema", ou qualquer outra abstração, eximindo de responsabilidade o próprio criminoso, vai uma longa distância.

E é exatamente o que faz a esquerda: transforma o bandido em "vítima da sociedade". Verissimo, em sua coluna de hoje no mesmo jornal, fez exatamente isso. Ele gostaria de mais "empatia" pelos bandidos, e procura diluir a culpa deles por toda a sociedade, o que representa o maior convite ao crime que existe.

O Greenpeace, ícone esquerdista, chegou a estampar numa notícia que "O Brasil é o país que mais mata?". Sim: não bastassem caminhões assassinos, facas assassinas, pistolas assassinas, eis que agora temos países assassinos! E quem fica de fora desses crimes monstruosos é justamente o sujeito, o indivíduo que pratica tais crimes.

Theodore Dalrymple, psiquiatra britânico que atuou por 14 anos em prisões, oferece um ponto de vista bem diferente, alternativo a essa ilusão "progressista". Sua experiência com marginais lhe mostrou que eles estão bem cientes do que fazem, e que são escolhas pessoais mesmo
Herculano
06/01/2017 08:12
OS BANDIDOS ESTÃO DENTRO OU FORA DAS CADEIAS? PERITOS DO AMAZONAS PROMETEM PARA O IML POR TEMPO INDETERMINADO

Categoria responsável por reconhecer corpos de vítimas de massacre reivindica reestruturação da carreira, melhorias nas unidades e destituição de diretores

Conteúdo do jornal O Estado de S. Paulo. Texto de Felipe Resk, para o jornal O Estado de S. Paulo.Peritos criminais do Amazonas prometem interromper o trabalho no Instituto Médico Legal (IML), responsável por reconhecer os corpos de presos mortos no massacre do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em Manaus, a partir da manhã desta sexta-feira, 6. "Nós vamos fazer uma paralisação por tempo indeterminado, com indicativo de greve", afirmou ao Estado André Segundo, presidente em exercício do Sindicato dos Peritos Oficiais do Estado do Amazonas (Sinpoem). Procurada, a Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM) não se pronunciou sobre o assunto.

De acordo com Segundo, a paralisação vai ser iniciada às 9h em Manaus, ou 11h, no horário de Brasília, e será votado o indicativo de greve no Estado pelos peritos criminais. A categoria reivindica reunião com o governador José Melo (PROS) para discutir a reestruturação da carreira, além de melhorias nas unidades de trabalho e a destituição de diretores dos Institutos e do Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC) do Amazonas. "Em dias normais, muitas vezes é o perito que adquire o próprio material de trabalho. Isso só muda quando em casos de repercussão, e por pouco tempo."

"Hoje, com o mutirão, há colegas trabalhando o dia inteiro para reconhecer os corpos", disse o presidente do Sinpoem. "No Estado, são 180 perito, mas o número reduz a cada ano. Deveriam ser entre 500 e 600 para fazer um trabalho de qualidade."

O IML de Manaus liberou mais 16 corpos de presos assassinados no massacre nesta quinta, 5, segundo a SSP-AM. Ao todo, 34 das 56 vítimas foram liberadas, e 46 reconhecidas. Em nota, a secretaria afirma que o reconhecimento dos corpos segue padrões internacionais de identificação de vítimas. "Dentre as metodologias cientificamente reconhecidas estão: papiloscopia forense (identificação por impressão digital), odontologia legal e Exame de Genética Forense (DNA). Apenas um corpo ainda não passou por exame de DNA, de acordo com a pasta.

Em coletiva, o diretor do DPTC do Amazonas, Jefferson Mendes, defendeu os trabalhos realizados até o momento. "Essa é uma das melhores equipes do País e temos insumos necessários para identificação de todos", afirmou. "A equipe tem se dedicado bastante nessa missão."

Cerca 60 peritos já haviam participado de uma manifestação em frente ao Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) nesta quinta, onde a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Carmen Lúcia, se reuniu com representantes do Judiciário e do governo do Amazonas.
Herculano
06/01/2017 08:04
IGUAL AQUI

Esta nota é de Ancelmo Góis, no jornal O Globo. Mas, bem que poderia...

'Alô, é o Pele Vermelha'

Era só uma questão de tempo. A cúpula de Crivella já tem o primeiro racha. É que um dos secretários está sendo acusado de vazar informações logo após as reuniões. Aliás, o tal secretário ganhou até um apelido dos colegas: pele vermelha. O motivo é... sei não.
Herculano
06/01/2017 07:38
MANCHETE DA EDIÇÃO DESTA SEXTA-FEIRA DO CORREIO BRAZILIENSE

SERVIDOR APOSENTADO CUSTA 13 VEZES MAIS QUE COLEGA CELETISTA

E é esta minoria de 11 milhões que os deputados, senadores (eleitos com os votos de 143 milhões de eleitores) e com as centrais sindicais estão dispostos a defender com unhas e dentes, colocando todos num mesmo balaio só para manter os privilégios dos servidores e que os trabalhadores comuns nunca tiveram e nunca poderão tê-los, mas há décadas pagam a pesada conta e que está levando o Brasil e os aposentados comuns a não terem este direito irrisório e mínimo no futuro.
Herculano
06/01/2017 07:23
A METRALHADORA DO NIGÉRIA

Conteúdo de O Antagonista. O Globo publicou um relatório preparado pelo governo do Amazonas 24 horas antes do "acidente pavoroso".

O relatório diz que os presos do Compaj preparavam uma fuga e que dispunham até de uma metralhadora:

"O interno Francis Olumuyiwa Olufunwa Ou Adekunle - vulgo 'Nigéria' - estaria em posse de 01 (uma) metralhadora (calibre desconhecido) e 02 (duas) pistolas (calibres desconhecidos)".

Além da metralhadora e das duas pistolas de Nigéria, as autoridades foram informadas também de que os criminosos receberam "pelo menos 08 (oito) armas de fogo na semana que antecedeu o Natal, através de visitantes, com apoio de Agentes de Socialização, que já foram identificados. Tais armas seriam utilizadas como suporte durante a fuga".

E mais:

"O documento foi produzido na manhã do dia 31 de dezembro, último dia do ano, e cita a presença de apenas seis agentes no complexo penitenciário para cuidar de 1,1 mil detentos".

Até agora, as autoridades do Amazonas foram acusadas de negligência e irresponsabilidade. Diante desse relatório, porém, é preciso investigar se houve também cumplicidade.
Herculano
06/01/2017 07:17
HOMEM SAI DO RIO GRANDE DO SUL PARA ENCONTRAR VEÍCULO CLONADO EM BLUMENAU

Conteúdo da Rádio Nereu Ramos, Blumenau. Um homem de 31 anos, morador do Rio Grande do Sul, conseguiu encontrar em Blumenau o clone do carro dele. Segundo informações da Polícia Militar, um jovem de 21 anos estava com um veículo idêntico ao do real proprietário. Mesmo resistindo a prisão e tentando causar confusão, o rapaz foi preso em flagrante e levado à Central de Polícia.

De acordo com a PM, o morador de São Borja, no Rio Grande do Sul, estava desconfiado que o veículo dele estava clonado e estava na cidade de Blumenau. Após investigar, ele veio até a cidade no Vale do Itajaí e conseguiu um jeito de marcar com o dono do veículo idêntico ao dele.

Após confirmar a suspeita, ele acionou a polícia, que atendeu a ocorrência. Os dois automóveis ?"nix, tinham cor, ano, placa e chassi idênticos. A polícia só conseguiu diferenciá-los graças a nota fiscal da compra. Ao ser flagrado, o jovem de 21 anos tentou agredir o homem de 31, e ainda resistiu a prisão, tendo que ser detido à força pelos policiais.
Herculano
06/01/2017 07:14
ROUANET: CPI COBRA EXPLICAÇÃO DE R$94 MILHÕES, por Cláudio Humberto, na coluna que publicou hoje nos jornais brasileiros

O presidente da CPI da Lei Rouanet, deputado Alberto Fraga (DEM-DF), determinou prazo de dez dias para que empresas que apoiaram projetos culturais do Grupo Bellini enviem todos os documentos dos patrocínios para a comissão. O grupo Bellini, alvo da Polícia Federal no âmbito da Operação Boca Livre, recebeu R$ 94,76 milhões de diversas empresas investigadas pela comissão parlamentar de inquérito.

BOCA LIVRE
A Boca Livre, cujo inquérito foi aberto em 2014, investiga fraudes do Grupo Bellini com recursos captados sob o amparo da Lei Rouanet.

PAÍS RICO
Só a Scania Latin America repassou ao grupo R$ 13,38 milhões. Mas a CPI pede esclarecimento de mais de 30 patrocinadores.

NÃO APROVADO
O requerimento pedindo os dados das empresas é do deputado Izalci (PSDB-DF), mas não foi aprovado pela comissão da Câmara.

CONTRA O REGIMENTO
O problema, segundo as empresas investigadas, é que o presidente da CPI não poderia fazer a solicitação sem aprovação do requerimento.

CONTRA TEMER, PT APOIARÁ CANDIDATO DE RENAN
Aliados desde a formação do governo Lula até o impeachment de Dilma, o PT concorda apoiar um nome escolhido por Renan Calheiros para disputar a presidência do Senado, em fevereiro. A ideia seria garantir que um senador peemedebista concorresse contra o atual líder da bancada, Eunício Oliveira (CE), o favorito para substituir Renan. A repetição da dobradinha Renan-PT não agrada toda a bancada petista.

SUBTERRÂNEO POLÍTICO
Renan Calheiros não apoia publicamente nome para substitui-lo. Nem o faria. Só vai declarar apoio quando tiver certeza de quem vai vencer.

PT RACHADO
Discute-se no PT até lançar um candidato próprio, apesar de haver divisão dentro da própria bancada de senadores.

CANDIDATO PARA ENFRAQUECER
Com um candidato na disputa, o PT tenta enfraquecer Eunício e aposta numa "terceira via" no Senado, que pode atrapalhar o governo Temer.

CULPADOS TÊM NOME
Habituada a passar a mão na cabeça de bandido, a hipocrisia nacional aponta "a sociedade" ou "o sistema prisional falido" como culpados pelo "massacre" de Manaus. Mas os responsáveis têm nome e sobrenome: sete criminosos que decidiram cortar as cabeças de bandidos rivais.

FALTA INTERESSE
O vice-prefeito de Manaus, Marcos Rotta (PMDB), defende uma reforma política. No entanto, segundo ele, ninguém no meio político está interessado na reforma. "Não sabemos onde vamos parar", diz.

RECORDAR É VIVER
Levantamento do Sindicato dos Auditores Fiscais revela defasagem de 83% na tabela do Imposto de Renda. Dilma vetou a correção de 6,5% em 2015, igual à inflação, e em 2016 a correção foi a metade do índice.

ATÉ EM TERRA SANTA TEM LADRÃO
Condenado a 6 anos de prisão por desviar recursos públicos e foragido há mais de 30 dias, Carlinhos Bentes (PSDB), ex-prefeito de Terra Santa (PA), tentou obter habeas corpus, mas o ministro Joel Paciornik, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), negou.

DISPUTA NA FUNAI
Carlos Marun (MS) tenta levar Paulo Rios Júnior, um ex-assessor, ao comando da Funai no Estado, mas o senador Pedro Chaves (PSC-MS) pede cautela na indicação, que cabe ao PSC e não ao PMDB de Marun

IPVA FALSO
Como as autoridades se mostram incapazes de impedir o crime, voltou com força o golpe do IPVA falso, principalmente em São Paulo. O falso boleto parece autêntico, mas quem o pagar perderá o dinheiro.

DITADURA DA BUROCRACIA
Inventores da nossa torturante burocracia, os portugueses ainda impõem a turistas estrangeiros longas filas para carimbar passaporte, no aeroporto. Quem reclama, por temer perder o voo, é expulso da fila.

NAS ALTURAS
Em outubro, o deputado Rogério Rosso (PSD-DF) pediu o reembolso de R$ 12.375,95 com passagens aéreas, mesmo morando em Brasília. Rosso voou seis vezes para São Paulo e duas para Belo Horizonte.

RESPONDA RÁPIDO
Quantos dos cinco presídios federais anunciados serão construídos por empreiteiras enroladas em esquemas de corrupção?
Herculano
06/01/2017 07:01
O exemplo. A esquerda do atraso que infesta as redações, faz de um erro indefensável e corrupção entre políticos, judiciário, iniciativa privada e criminosos, uma bandeira para estatizar até o ato de respirar

DELEGAR CADEIAS AO SETOR PRIVADO ESTÁ EM REFLUXO, Fábio Zanini, para o jornal Folha de S. Paulo

2016 foi ruim para muita gente, mas ótimo para os defensores das privatizações. O discurso do Estado enxuto e da gestão ajudou a remover uma presidente e eleger uma batelada de prefeitos, destaque para João Doria (PSDB).

Desponta 2017 e a privatização voltou a ser malhada como há anos não ocorria, dessa vez após a chacina de Manaus. A começar pelo presidente Michel Temer, o mesmo que, no documento "Uma Ponte para o Futuro", espécie de seu programa de governo informal, pregava "uma política de desenvolvimento centrada na iniciativa privada", que incluísse concessões e "parcerias para complementar a oferta de serviços públicos".

A "parceria" com o setor privado no sistema penitenciário de Manaus agora é um conveniente bode expiatório para Temer e seu ministro da Justiça, Alexandre de Moraes.

"O presídio era terceirizado e privatizado e, portanto, não houve uma responsabilidade objetiva, clara e definida dos agentes estatais", afirmou Temer. "De cara, houve falha da empresa [terceirizada]", ecoou seu ministro.

No laboratório de soluções mágicas para a questão prisional, delegar cadeias ao setor privado está em refluxo. Em agosto de 2016, o Departamento de Justiça dos EUA recomendou o fim do experimento em penitenciárias federais. A justificativa é que cadeias privatizadas "não oferecem o mesmo nível de serviços correcionais, programas e recursos, não representam economia substancial e não mantêm os mesmos patamares de segurança" das tradicionais.

Por aqui, presídios privatizados já frequentaram o discurso de presidenciáveis, especialmente os tucanos. Aécio Neves, em 2013, saudou a construção de uma prisão nesses moldes em Ribeirão das Neves (MG) como "exemplo de eficiência, planejamento e ousadia". No mesmo ano, o governo Alckmin anunciou plano para penitenciárias privadas.

Manaus agora talvez obrigue a uma nova recalibragem do discurso.
Herculano
06/01/2017 06:56
O MIMIMI METONÍMICO DOS PETISTAS,por Felipe Moura Brasil, de Veja

Descreve-se mais um comportamento-padrão da militância

Ninguém acusou o PT de cortar cabeças

Mas superdimensionar (até o limite da caricatura) parcelas de responsabilidade política, moral ou prática do suposto partido sobre qualquer cadeia de eventos ou engrenagem criminosa para posá-lo como vítima de acusações infundadas é uma estratégia petista comum.

Você mostra que o PT sempre foi aliado do mesmo grupo de traficantes de armas e drogas que abastecia direta ou indiretamente bandidos brasileiros (inclusive da Família do Norte, a julgar por denúncia do Ministério Público Federal), e os petistas cinicamente já reclamam de o PT ser "o" culpado de tudo (tudo mesmo) para fazerem de coitadinho o suposto partido.

É o mimimi metonímico. Trocam a parte pelo todo e batem o pezinho.

Nota da coluna. Para entender melhor o comentário acima, que não leu, vá a coluna desta terça-feira, e leia na área de comentários, o artigo de Felipe Moura Brasil sobre a relação do PT com as Farc, as que alimentam o tráfico no norte do país.

Abaixo, a nota oficial do PT sobre aquele artigo.

A Bancada do PT na Câmara manifesta a sua indignação diante do texto irresponsável e criminoso do blogueiro Felipe Moura Brasil que tenta associar o Partido dos Trabalhadores ao crime organizado.

Embora não seja de surpreender, dada a recorrência e a virulência dos ataques desonestos do referido blogueiro da revista Veja, o texto "Facção que matou 60 presos compra armas de grupo aliado do PT" ultrapassa todos os limites da crítica política e usa, para criminalizar o PT, uma técnica amplamente conhecida para a manipulação de informações: juntam-se informações desconexas e fora de contexto a ilações políticas, muito convenientes a quem usa a mídia como instrumento de militância partidária não assumida.

O autor do texto responderá à Justiça sobre as suas declarações inconsequentes.

Brasília, DF, 5 de janeiro de 2017.

Deputado Carlos Zarattini (PT-SP) Líder do PT na Câmara dos Deputados
Herculano
06/01/2017 06:40
da série: não exatamente no Brasil onde o judiciário rompe, desbalanceia ou desfavorece contratos por questões humanitárias, sociais e ou que ele julga que o mais forte na relação deve ser penalizado por essa questão econômica ou de status.

JUDICIÁRIO PODE AJUDAR O PAÍS A CRESCER, por João Manoel Pinho de Mello, economista, no jornal Folha de S. Paulo

O Judiciário brasileiro deu contribuições valiosas para o país no combate à corrupção e na garantia de direitos individuais. Na economia, sua atuação também pode ajudar.

O Banco Mundial calcula desde 1996 o índice de "primado das leis" em mais de 190 países. Segundo o banco, o índice "captura o grau de confiança dos indivíduos nas regras da sociedade e no seu cumprimento, em particular a confiança na qualidade da execução dos contratos, nos direitos de propriedade, na polícia e nos tribunais".

Usando técnicas estatísticas, é possível comparar as rendas per capita de países com diferentes níveis de "primado das leis", mantendo constantes características como desigualdade de renda e origem jurídica (e.g., anglo-saxã ou latina), entre outras.

Há uma relação bastante robusta entre renda per capita e índice de "primado da lei". A renda é maior onde a primazia das leis é mais forte. Essa associação não implica causação, mas é sugestiva.

O Brasil está no meio do pelotão no ranking do "primado das leis": melhor do que quase 50% dos países. Não surpreendentemente, nossa renda per capita está apenas um pouco à frente do pelotão do meio (maior do que 60% dos países).

O Chile está à frente de 87% dos países no "primado da lei". Sua renda per capita é maior do que 73% dos países. Interpretando como causação a relação entre "primado da lei" e renda per capita, o Brasil seria duas vezes mais rico se a lei primasse como no Chile.

De que forma o "primado da lei" produz mais riqueza, ou, talvez mais ilustrativamente, como a "debilidade da lei" atrapalha o crescimento econômico?

A Lei de Recuperação Judicial (LRJ) é um exemplo. Ela estipula regras para mediar a relação entre acionistas e credores de empresas em dificuldades. É um manual para separar o joio do trigo.

O trigo: preservar negócios que param de pé, mas enfrentam problemas contornáveis. Ou seja, evitar que uma corrida desordenada de credores para receber o que lhes é devido destrua um bom negócio.

O joio: empresas cujo negócio não para de pé, ou pelo menos não sob o controle dos que a levaram à situação pré-falimentar.

No papel, a LRJ é um excelente manual. Na prática, a aplicação da lei pode melhorar. O objetivo nobre de preservar o emprego acaba por fazer a balança pender em favor do acionista controlador.

Não é incomum que os processos se arrastem além do prazo legalmente estabelecido para que credores e acionistas cheguem a um acordo. No caso do joio, é preciso distinguir o negócio de seu controlador, pois só assim preservam-se verdadeiramente os empregos.

O resultado: segundo Goldberg e Lisboa, os credores perdem em média 84% do valor emprestado quando a empresa entra em recupera- ção judicial. Os credores antecipam essas perdas e cobram taxas de juros mais altas. As taxas de juros mais altas inviabilizam negócios que seriam rentáveis caso a LRJ fosse mais frequentemente executada de forma balanceada. Menos negócios produtivos, menos crescimento econômico.

No caso da LRJ, a execução defeituosa do contrato entre credores e acionistas ?"um dos itens do índice de "primado das leis"?" atrapalha o crescimento econômico. Por isso não é absurdo interpretar como causação a relação entre o índice de "primado da lei" e a renda per capita dos países. A boa notícia é que há espaço para o Judiciário brasileiro contribuir ainda mais para o país.
Quem é a pessoa por tras do candidato?
05/01/2017 23:01
O prefeito de Ilhota falava em sua campanha que iria cortar os gastos. Cortaria os aluguéis. Mas acabou de alugar um imóvel no centro do município para ser a secretaria de Assistência Social. Chamava a prefeitura de incompetente em seu discurso, mas manteve os mesmos funcionários taxados de incompetentes na prefeitura, que inclusive estão tomando frente no seu governo. Falava que sabia de toda a situação financeira da prefeitura, pois seu cunhado já era contador. Mas agora está dizendo que precisa de 15 dias para saber a real situação. Falou na imprensa que o aeroporto é um sonho que nunca iria acontecer, mas em outra mídia seu advogado falou que vão buscar os meios para viabilizar a construção. Tudo o que ele falou, é verdade ou mentira? Aos poucos estamos conhecendo a verdadeira pessoa por trás do candidato Dida Oliveira!
Ilhota em Chamas
05/01/2017 21:49
A pergunta que não quer calar. Por que o prefeito de Ilhota não divulgou o nome na imprensa do seu secretário de indústria e comércio? O honesto Paulo Drun? Divulgou todos, exceto esse, será que esqueceu? Coincidência? Acaso?
Herculano
05/01/2017 20:29
UMA LEITURA PARA A SECRETÁRIA DE SAÚDE DE GASPAR QUE NÃO SABE COMO RESOLVER O DILEMA QUE CRIOU ENTRE ATENDER OS MÉDICOS OU OS POBRES DOENTES.

ESTA NÃO É UMA SOLUÇÃO APROPRIADA PARA GASPAR, MAS MOSTRA UM CAMINHO DIFERENTE DO QUE SE FAZ HÁ 50 ANOS E DESGASTOU A RODA DA MESMICE. O QUE ELA E KLEBER ESTÃO FAZENDO É O MESMO QUE O PT APLICOU E NÃO DEU CERTO. TANTO QUE NÃO DEU QUE AUMENTO ASSUSTADORAMENTE A DÍVIDA DO HOSPITAL E ELE PERDEU AS ELEIÇÕES.

O PMDB E O PP DE GASPAR NÃO ENTENDEU AINDA O RESULTADO DAS URNAS OU NÃO TINHA PLANOS DIFERENTES DO PT E ESCONDEU ISSO DOS ELEITORES

"CORUJÃO" DE DORIA PARA ZERAR FILA DE EXAMES COMEÇA EM HOSPITAIS FILANTROPICOS.

Conteúdo do G1. Texto de Lívia Machado, de São Paulo. Agendamentos são foram feitos desde segunda (2) e serviço começa na próxima terça (10). Hospitais Albert Einstein, HCor, Sírio-Libanês e Oswaldo Cruz são quatro dos participantes.

O programa Corujão da Saúde, criado pelo do prefeito João Doria (PSDB) na tentativa de zerar a fila de espera para realizar exames em São Paulo, começa na próxima terça-feira (10) em hospitais filantrópicos conveniados à secretaria municipal de Saúde, dentre eles o Albert Einstein, Hospital do Coração (HCor), Hospital Sírio-Libanês e Hospital Alemão Oswaldo Cruz.
A gestão municipal não revela o total de parcerias já firmadas e afirma que fará, nas próximas semanas, um chamamento público para atrair um número maior de hospitais e clínicas.

Durante a campanha, Doria chegou a dizer que a Santa Casa seria parceira. Ao G1, a irmandade afirmou que, neste momento, "não está em negociação com a Prefeitura de São Paulo sobre quaisquer programas de saúde da nova gestão, incluindo o Corujão da Saúde", mas garante ter interesse em participar.

Na proposta, a Prefeitura repassa recursos e as intuições fornecem equipamentos e funcionários no período entre 20h e 8h. De acordo com a pasta, o Corujão está em vigor desde segunda-feira (2), quando os exames começaram a ser agendados, e passarão a ser realizados a partir do dia 10.

A Secretaria Municipal da Saúde afirma que há 550 mil pessoas na fila de espera. Desse montante, metade terá que passar por uma nova reavaliação nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) para confirmar a necessidade do pedido, para posteriormente realizar o exame.

O programa atenderá, de imediato, pacientes que esperam de um a seis meses para realizarem os exames. A maior demanda reprimida, de acordo com a pasta, é de pedidos para ultrassonografia: 210 mil pacientes aguardam a vez.

Promessa da nova gestão durante a disputa eleitoral, o programa terá duração de 90 dias, prazo que a Prefeitura avalia ser suficiente para liquidar a fila. A expectativa é que, após tal período, os pacientes consigam ser atendidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em até 30 dias.
Herculano
05/01/2017 19:50
ALEXANDRE JOSÉ VOLTA AO RÁDIO NA SEGUNDA-FEIRA. JÁ À TEVÊ...

O radialista e comunicador Alexandre José se prepara para voltar, segundo Alexandre Gonçalves, no seu "Informe Blumenau.

"Seis meses longe de sua profissão, o comunicador Alexandre José volta para a rádio Guararema FM nesta segunda-feira, 9, comandando o Jornal da Guararema. Alexandre se afastou da rádio e da RICTV Record por conta da legislação eleitoral. Como todos lembram, ele foi candidato a vice-prefeito pelo PRB, na chapa liderada por Jean Kuhlmann (PSD).

Pessoalmente todos conhecem o meu conceito sobre este assunto: religiosos, jornalistas, comunicadores, radialistas, artistas e outros não deveriam se misturar à política na busca de votos para si. Penso que Alexandre José comprometeu a sua "neutralidade". Uma pena. Mas...

A volta para a apresentação do Jornal do Meio Dia, na Ric Record, de Blumenau, ainda não tem volta marcada, se voltar.
Herculano
05/01/2017 19:44
BLOGUEIRO TENTA NEGAR ALIANÇA COM JOAQUIM BARBOSA E DEIXA ESCAPAR QUE MARINA SILVA É ALTERNATIVA DO PT

Conteúdo do Jornal Livre.O blogueiro petista Esmael Moraes cometeu um gravíssimo ato falho e deixou escapar mais detalhes da estratégia do PT que vazou no final de semana: utilizar Marina Silva [Rede] como "ouro de tolo" de parte da direita para conquistar adeptos para a narrativa das "novas eleições", que visam unicamente ajudar o PT e o projeto socialista.

Esmael se atrapalhou ao tentar negar uma aliança do PT com Joaquim Barbosa. Ele disse: "É mais fácil um camelo passar pela agulha de que o ex-presidente Lula apoiar o algoz do PT Joaquim Barbosa em 2018, como divagou neste domingo (18) o colunista da Folha Elio Gaspari."

Na verdade Joaquim Barbosa ?" conhecido por não ter condenado Lula à prisão no escândalo do Mensalão, abrindo brechas para que o Petrolão pudesse ocorrer ?" é ligadíssimo aos movimentos de extrema-esquerda. Tem adotado todas as narrativas do PT e de seus sicários.

Mas o que importa aqui é outro detalhe. Esmael assim conclui: "Caso Lula seja banido da disputa eleitoral, seria mais crível nomes como o de Ciro Gomes (PDT), Roberto Requião (PMDB) e até Marina Silva (Rede). Jamais alguém que esteve a serviço da Casa Grande e da Globo. Portanto, nem Joaquim Barbosa nem Sérgio Moro."

Oficialmente, o PT se recusa a admitir que Marina Silva é alternativa do partido para a retomada do poder totalitário. Mas as palavras de Esmael não deixam margem às dúvidas. Marina também tem emitido narrativas de "novas eleições", que foram arquitetadas pelo PT desde que o impeachment de Dilma adquiriu musculatura, ainda no fim de 2015.

Deixe seu comentário


Seu e-mail não será divulgado.

Seu telefone não será divulgado.