Lista telefônica

Por Herculano Domício - Jornal Cruzeiro do Vale

Por Herculano Domício

19/06/2017

SEM DIA, SEM HORA
Editorial Olhando a Maré. A coluna “Olhando a Maré”, líder de acessos e referência em Gaspar e Ilhota, ainda “tem” dia certo para ser publicada na internet: as terças-feiras, o antigo dia de circulação do jornal impresso Cruzeiro do Vale, e as sextas-feiras, o dia da atual circulação do mesmo jornal. Errado.

Pois, agora, no portal Cruzeiro do Vale, a coluna “Olhando a Maré” não terá mais dia e horário certos para ser publicada. Na internet, o único com horário certo é o relógio digital.

A coluna “Olhando a Maré” e seu “Trapiche” (o armazém de pequenas notas) não terão formatos (número de comentários ou notas). E por quê? Simples: porque os fatos não possuem dia e hora para acontecerem. E um portal eletrônico, no mundo de hoje, é algo vivo, sem minutos, hora e dia com os seus leitores e leitoras. O acesso é permanente aos que procuram por novidades e opinião, ou vasculham o passado e propagam o que interessa.

Você já viu, por exemplo, um acidente com hora marcada para acontecer? E para comunicá-lo aos clientes de um veículo que diz ser um meio de comunicação social? Não nos dias de hoje onde tudo é instantâneo (via as várias ferramentas) e num mundo digital.


Quem não entender o que está acontecendo, está excluído do seu próprio ser e viver. Saudade é algo apenas da poesia, de colecionador, historiador...

Este é um projeto antigo, necessário e evidente, que esperou à mudança gráfica da coluna e que não veio por razões técnicas, as quais não cabem aqui explicar.

A coluna “Olhando a Maré” não pode ficar a reboque de projetos, mas dos leitores e leitoras, os verdadeiros donos dela. É deles que ela depende na sua audiência e credibilidade. A coluna precisa estar integrada às possibilidades da tecnologia disponível.


Então é preciso mudar e olhar mais para o ensinamento básico de Charles Darwin: os mais adaptados (e que mais rapidamente fizerem isso) são os que sobreviverão. E há uma nova realidade na comunicação social e mais do que isso, não é definitiva. A revolução é permanente.

E em um mesmo dia, poderão haver mais de uma edição de comentários do “Olhando a Maré” no portal Cruzeiro do Vale, se os fatos assim exigirem. Nada ficará acumulado para longas colunas como hoje, correndo o risco de se envelhecer ou ser até “furado”.


Este espaço no portal Cruzeiro do Vale, será um local permanente de análise, opinião, debate, reflexão para os leitores e leitoras e pauta para os demais veículos, como já acontece atualmente.

Podem discordar, podem contestá-la ou até detestá-la, mas a coluna “Olhando a Maré”, depois de mais uma década, é no mínimo uma leitura, aos que são referência à comunidade.

A única coluna que terá dia e hora para ser publicada é a de sexta-feira que depende do jornal impresso, este sim, com dia e hora para “fechar” a edição e circulá-lo.

Obrigado leitores e leitoras pela comprovada liderança. O editor.

 

DÉCIMO TERCEIRO PELA METADE I
Quem é mesmo quem cuida da comunicação da administração de Kleber Edson Wan Dall, PMDB, em Gaspar? É uma atrás da outra. Os exemplos abundam. Prova-se todos os dias de que ela só possui fazedores de “press releases”, curiosos, amigos do poder de plantão e néscios mexendo nesse tipo de assunto e que sabotam a todo instante a imagem do prefeito recém-eleito. Não há um líder, uma estratégia, um comando, uma razão...

Querem mais um exemplo? Na sexta-feira, Kleber fez todos trabalharem. Fez bem. Ao contrário da Câmara, a Casa do Povo, sustentada pelo povo, que emendou. Kleber não inventou o tal feriadão dos funcionários públicos que nasceu no feriado católico de Corpus Christi da quinta-feira. Esta mudança, pelo jeito, não foi suficientemente comunicada para todos entenderem, principalmente os seus comissionados. E isso não é bom no exemplo.

DÉCIMO TERCEIRO PELA METADE II
O que aconteceu na sexta-feira? Um problema técnico, mas grave, na área de Recursos Humanos, que é tocada pelo secretário da Fazenda, Carlos Roberto Pereira, o que acumula a ainda secretaria de Administração e Gestão, o que faz o papel de fato de prefeito. Parte dos funcionários da prefeitura não estava tendo acesso à metade do 13º salário no saque e movimentação no banco. Depois do meio-dia, formou-se um bafafá nos corredores e no RH. Quando esta coluna deu o assunto que se sabia na cidade, nas redes sociais e se escondia na prefeitura, pautada, a imprensa foi lá cobrar, iniciou-se a solução que veio só ao fim do expediente.

Primeiro erro: o sistema só funciona se uma servidora que cuida do assunto estiver presente? E quando ela falta, como faltou, o servidor público paga a conta? Não é um sistema do poder público, mas de uma pessoa? Ou seja, a prefeitura está nas mãos de pessoas? É isso? Segundo, por que ela (a servidora) não veio trabalhar quando estava obrigada a isso como os demais? Por que ela pode ao feriadão e os demais não? E por fim a comunicação: um desastre. Falhou mais uma vez.

DÉCIMO TERCEIRO PELA METADE III
E falhou duas vezes ao mesmo tempo. A comunicação falhou internamente, pois deveria esclarecer, imediatamente, todos os funcionários e dar prazos certos para a solução. Não fez. Deixou o barraco se armar interna e externamente. Tanto que cresceu na “rádio peão” a desconfiança e a maldade com a informação de que faltava dinheiro no caixa da prefeitura para pagar a primeira parcela do 13º salário aos funcionários públicos de Gaspar. Não faltava.

O que faltou mesmo foi comunicação. E quem fez isso num comentário particular à coluna, depois de que tudo isso estava corrigido? O funcionário público, que nada tem a ver com comunicação e RH, Luiz César Henning, na área de comentários na coluna, a mais acessada no Paço.

Oficialmente, ninguém se explicou. Deu as costas ao servidor, aos gasparenses que sustentam a máquina pública. Kleber preferiu deixou rolar as dúvidas, crescer mais um desgaste, sem necessidade. Acorda, Gaspar!

SAMAE INUNDADO
Hoje a administração de Kleber Edson Wan Dall, PMDB, experimenta a sua primeira greve. E veja bem, de encanadores, do Samae Inundado, o que é administrado pelo mais executivo de todos, José Hilário Melato, PP, o mais longevo dos vereadores. Falta de diálogo é a base da greve e a que fundamenta. Os encanadores não vão sair para atender a comunidade até que um canal de diálogo seja criado entre eles e direção da autarquia. Estão cansados, dizem, de serem ignorados e serem orientados por quem não tem conhecimento técnico e não domina as propostas de soluções para a comunidade. “Fizeram das nossas chefias cabides de empregos para os seus”, alegam. Já o Sintraspug – Sindicato dos Trabalhadores Público de Gaspar – está apenas assistindo de longe essa movimentação. Bem estranho tudo isso. A direção do Samae diz que esse é um caso de rejeição política partidária, mas nestes seis meses não foi capaz de debelar, se for verdade, essa insatisfação profissional ou partidária. Acorda, Gaspar!


OS TUCANOS ARRUMAM O NINHO I
Em meio a uma enxurrada de denúncias que avançam contra políticos brasileiros, incluindo o próprio presidente licenciado do partido, o senador mineiro Aécio Neves, o PSDB de Gaspar resolveu agir. Fez no sábado à tarde, sob o comando da presidente local, Andréa Symone Zimmermann Nagel, um café na sede Recreativa do Samae. E reuniu quase cem pessoas, o que assustou seus adversários, como revelaram as redes sociais depois que a notícia foi postada.

Para Andréa, ex-vereadora e ex-candidata a prefeito, o partido precisa refletir e sair fortalecido dessa situação. No discurso que fez, o tema união foi o fundamento. “Precisamos estar forte por dentro, para sair às ruas e enfrentar a dura realidade”. O alinhamento do PSDB de Gaspar está mais próximo aos cabeças pretas do partido, constituído de jovens, do que os tais cabeças brancas, os históricos, que hesitam e ainda apoiam o governo de Michel Temer, PMDB, em nome de uma presumível estabilidade econômica.

OS TUCANOS ARRUMAM O NINHO II
Quem esteve lá também foi o senador Dalírio Beber, ele denunciado pelos delatores da Odebrechet. Sobre este assunto nada se falou. Mas, no seu discurso, Dalírio engrossou o tema reflexão e em um certo momento, chegou até, defender o parlamentarismo. Quem apareceu lá também, foram dois vereadores peemedebistas: o líder de Kleber Edson Wan Dall, Francisco Hostins Júnior e Evandro Carlos Andrietti, líder do PMDB na Câmara. Foram levados pela vereadora tucana Franciele Daiana Back. Sintomático.

Aliás, essa proximidade com o governo de Kleber tem deixado muitos tucanos de cabelo em pé. Essa aproximação não é institucional. O PSDB não tem nenhum cargo no governo de Kleber. Quem possui, é a vereadora tucana e que para isso dá a maioria apertada incondicional na Câmara para Kleber, seu amigo particular.

Além dos desgastes, os tucanos gasparenses entendem que essa proximidade impede o fortalecimento do partido em Gaspar. Ou seja, se ficar assim, o PMDB come os tucanos, se apertar, a única vereadora tucana corre para o PMDB, onde nasceu, como assessora parlamentar, pois é jornalista, do ex-vereador do seu Distrito do Belchior, Jaime Kirchner.

Como tucano gosta de um muro, em Gaspar, continua nele e se enfraquecendo, mais uma vez.

TRAPICHE


O primeiro acidente de consequências graves naquele entroncamento improvisado da ponte dos Sonhos, em Ilhota, com a BR 470, até demorou.

Aberta desde o dia 17 de agosto, só na madrugada deste dia 16 de junho é que houve o primeiro registro de acidentes entre veículos com feridos graves. Naquela curva em “U” de acesso do lado de Ilhota e que desafia a engenharia, vários já se espatifaram, sozinhos por não obedeceram à velocidade máxima.

Agora, resta saber, em quanto tempo, o idêntico entroncamento improvisado, e tão perigoso quanto o de Ilhota, da ponte do Vale com a BR 470 vai registrar o seu primeiro acidente grave. Acorda, Gaspar!

Triste Brasil. Os presidentes nacionais dos principais partidos brasileiros estão sendo processados por corrupção e até formação de quadrilha: Gleisi Hofmann, PT; Aécio Neves, PSDB, Romero Jucá, PMDB; Ciro Nogueira, PP, coincidentemente, todos parlamentares. Wake up, Brazil!

“Pior do que a corrupção institucionalizada no país, é ver brasileiros defenderem apaixonadamente corruptos, de qualquer partido. Degradação insuperável”, do jornalista Dony De Nuccio.

Os contratos de prestação dos laboratórios de análises clínicas de Gaspar estão sendo encerrados no dia oito de julho. Novo edital vai acontecer em até quatro meses. Até lá....

Em Gaspar agora, “somente será permitido Atestados Médicos pelo Sistema de Informação e Gestão dos Serviços de Saúde (SIGSS) consignado no Prontuário Eletrônico do Cidadão (PEC).

Em formulário, ele terá que ser próprio criado para essa finalidade. Outro não se aceita; só nos casos de falta de energia elétrica, ausência de internet e/ou outra situação que não se possa fazer uso do sistema de gestão eletrônico.

Espera-se agora que não nasça e prospere a indústria da queda de energia, falta de internet...

A saúde de Gaspar continua na UTI, mesmo assim, com as costas ao problema, o médico Silvio Cleffi continua insistindo na UTI.

O dr. Silvio continua afirmando que existe dinheiro nos governos estadual e federal para sustentar os leitos dessa UTI, os mesmos recursos que nunca chegam, apesar do direito e das promessas. Eles faltam para retirar o Hospital de Gaspar (e a maioria do país) desse poço sem fundo.

Ilhota em chamas I. De emergência em emergência; aditivos e aditivos, a coisa prospera.

Ilhota em chamas II. Estamos em junho e Ilhota acaba de estender o contrato que firmou com a empresa Sandrini & Botega para o “serviço de operação do sistema de abastecimento de água, esgoto e serviços comerciais”.

Ilhota em chamas III. O contrato que vencia no dia 19 de setembro já foi ampliado para o dia 15 de novembro. O valor também saltou de R$ 1.080.723,34 para R$ 1.082.723,32. Então...

Ilhota em chamas IV. E o “novo” Samae de Ilhota já tem o primeiro comissionado na nova máquina de empregos públicos: foi nomeada para diretora geral Mayra Miranda. Vem mais. A lista é comprida.

Ilhota em chamas V. O entra e sai de comissionados continua. Elizabete Cristina dos Santos, foi exonerada do cargo de Chefe de Divisão.

Ilhota em chamas VI. Sabe quanto a prefeitura de Ilhota vai gastar com Correios e que praticamente não entrega correspondências no município: R$7.800. É para mandar documentos a Brasília e Florianópolis, na era digital.

 

Edição 1806

Comentários

Herculano
20/06/2017 11:15
GOVERNADOR-GERAL DA REPÚBLICA, por Carlos Andreazza, editor de livros, no jornal O Globo

Janot trata formalmente o encontro, entre pessoas em pleno exercício de seus direitos políticos, como evidência de ameaça à ordem pública.

Aécio Neves é - ainda - um homem livre. Investigado, mas livre. Senador suspenso, mas cidadão livre.

Sim. É verdade. Nunca me enganou. Não me enganava quando, posando de vítima, acusava os petistas de abuso de poder econômico em campanha eleitoral. Não me enganará agora, abusador que também foi. Mas esse é juízo pessoal. Não há, porém, qualquer condenação a Aécio Neves - sujeito livre, portanto.

Escrevo isso, essa obviedade repetida, porque alarmado com as licenças que Rodrigo Janot se concede. O procurador-geral da República - que não raro subjuga o Supremo - é hoje a única autoridade que faz o que quer neste país. Ou haverá outra forma de compreender a ousadia, golpe nas liberdades individuais, de que reforce o pedido de prisão preventiva contra Aécio usando uma foto ?" divulgada pelo próprio senador ?" em que este aparece em reunião com integrantes de seu partido?

É isto mesmo: Janot trata formalmente o encontro ?" entre pessoas em pleno exercício de seus direitos políticos ?" como evidência de ameaça à ordem pública, exemplo de "uso espúrio do poder político". É escandaloso. Porque, ora, é possível - não serei eu a botar a mão no fogo por ele - que haja ações do senador para obstruir as investigações contra si; mas tais certamente não estarão representadas naquela imagem.

Note o leitor que, na investida de Janot, muito mais que um movimento contra Aécio Neves, vai explícita a criminalização da atividade política. É da ordem da barbárie difundir uma reunião entre políticos como conspiração contra a democracia. Mas essa generalização - que a todos iguala por baixo - serve a um projeto. A reabilitação do PT, especificamente a de Lula, só está em curso porque se enterrou a política na lama.

Escolhido por Dilma Rousseff e reconduzido ao cargo por ela, Janot é hoje - mérito consequente de muita determinação - o homem mais poderoso do Brasil, trabalhador incansável por fazer justiça, guerreiro cujo entusiasmo por acusar poderosos é outro desde que o PT saiu do Planalto.

Está aí um patriota a quem o impeachment liberou.

Senhor da agenda que pauta - e paralisa - a vida pública no país, há semanas tem o presidente sob a ameaça de uma denúncia ao Supremo, com cujo ritmo brinca como se fosse João Gilberto com o tempo de uma canção. Nesse período, diariamente, vaza-se à imprensa que talvez a cousa seja formalizada amanhã, mas que, bem, pode ser na semana que vem. Depende. Depende - digo eu ?" do momento. Do momento político. De um em que Michel Temer se encontre vulnerável.

Na luta purificadora contra a desgraça da política, causa que atualiza jacobinos em janotistas, Janot se permite desviar do timing da Justiça - que é o próprio compasso do estado de direito - para aplicar a estratégia do lutador que calcula os golpes round a round, toureando o adversário, à espera da brecha por meio da qual encaixar o soco. Uma hora ela aparece. O país aguarda em suspensão. É para nocautear o vampiro, afinal. Ninguém gosta dele. Logo, aplaude-se. Até o dia em que esses métodos se voltarem contra um dos nossos. Aí, será o quê? Estado policial?

Normal também se tornou que, como num folhetim, surjam - diariamente - novas supostas revelações contra o presidente, vendidas (e compradas) como comprometedoras antes mesmo de que se possa examiná-las. Não importa. Normalizou-se entre nós que se condene - a conta-gotas, numa narrativa cuja técnica única é a sobreposição de acusações ?" antes de se investigar.

Nesta fase raçuda, a Procuradoria-Geral da República - que se alçou a quarto poder - atua com paixão sem precedentes, razão pela qual recorre a expedientes que os legalistas, esses ultrapassados, consideram heterodoxos. Por exemplo: admitir e veicular como prova uma gravação não periciada. Qual é o problema?

Os detalhistas prejudicam o Brasil. Essa é a verdade. Não entendem que o mandato de Janot termina em setembro e que ele é o primeiro procurador-geral da República da história que quer deixar um legado. Qual é o problema?

Qual é o problema, aliás, no acordo firmado com os donos da JBS, tornados inimputáveis, se em troca o que falam puder derrubar o presidente? É aceitável - no justiçamento - improvisar e queimar etapas do processo legal, se há uma meta maior a ser alcançada. Se para incriminar Temer, por que se apegar a formalismos? Se for possível apeá-lo da Presidência, que mal haverá na licença poética que o faz bandido protagonista do conjunto corruptivo ?" de matriz e condução petista ?" que modelou o império dos Batista? Mesmo sabendo que o campeão nacional em que se anabolizou a JBS foi bombado durante os governos do PT, que gravidade haverá no recurso seletivo ficcional que põe Lula e Dilma (e o BNDES) numa nota de rodapé dessa trama?

Não sem aviso, chegamos ao momento em que um tipo como Joesley Batista diz que Temer é líder da "maior e mais perigosa organização criminosa deste país" - e fica tudo por isso mesmo. Ai, ai...

Os desconfiados - teóricos da conspiração - atrapalham o Brasil. Essa é a verdade.

Dificilmente, contudo, atrapalharão o movimento orgânico dos que militam para que Janot se candidate a senador em 2018, pelo Estado de Minas Gerais, na vaga a ser aberta por Aécio Neves. Mas pode ser a governador. Será pelo PT? Ou disfarçaremos numa linha auxiliar? Rede?
Platão
20/06/2017 09:42
Bom dia, Colunista!

PSDB se renovando?
Me perdoe os seus correligionários, mas se renovando aonde? A Este café tucano mais parece um café para a melhor idade: só tem aqueles militantes que falam falam falam, mas não executam nada, sempre a reboque.
Gostaria que o Amadeu Mitterstein explicasse os inúmeros cargos que o seu partido possui, sendo que ele afirmava aos quatro ventos que jamais aceitaria acordos com o PMDB.
Francielle Back vereadora PMDBista, só falta assinar a fixa.
Quem saiba nas próximas eleições o PSDB elitizado volte a ser o PSDB dos bons e velhos tempos....
Joana
20/06/2017 08:40
Tem cada um também que só fala besteira, esse Lucas é um exemplo. No samae como na prefeitura todos que fazem 160 HORAS de cursos na area num periodo de 3 anos tem direito a progressão. A diferença é que o samae ESTAVA cumprindo o que manda o estatuto do servidor, ja aqui na prefeitura só se cumpre a lei quando o servidor entra na justiça. Mas agora parece que o sr. Kleber mandou o Sr Melato descumprir a lei igual na prefeitura e vai obrigar os servidores a entrar na justiça pra poder receber o que é de direito. Agora é uma vergonha essa administração assim como a anterior quere beneficiar somente algumas categorias, pois na gestão anterior foram os operadores de retroescavadeiras e motoristas que quase dobraram os salarios e agora vem os escanadores fazer chantagem? Porque não convocam todos os servidores e cobrar um reajuste justo para todos? Só o trabalho deles é importante? Acredito que se o prefeito ceder só vai fazer aumentar as intrigas e gerar mais desunião, pois todos os servidores tem direito a igualdade, fazendo aquilo que se propôs a fazer quando prestou concurso publico.
Lucas
20/06/2017 08:02
Encanador do Samae querendo aumento ? menor salário do estado ? tá, mais não estão contando os vários complementos ao salário, é progressão horizontal, é 1/10 de comissão de quando ocuparam cargo de comissionado e assim por diante, tem encanador que mais que Diretor da prefeitura.

Na Prefeitura de Gaspar, só professor com vários cursos que ganha a tal progressão horizontal, no Samae, todos ganham, não precisa fazer 180 horas de curso.

o Paulo tem razão, que mamou 8 anos na Samae, agora que criar confusão.
Herculano
20/06/2017 07:06
DAQUI A POUCO, COLUNA INÉDITA OS LEITORES E LEITORAS DO PORTAL CRUZEIRO DO VALE
Incrédulos e antenados
20/06/2017 06:19
Bom dia , na Boa véi, tão reclamando do quê mesmo os encanadores? Do salário? Tudo bem, eles como qquer outro trabalhador têm direito de reivindicar um salário digno. Mas qto é mesmo o valor mensal desses trabalhadores? Porque não está no site qto os demais servidores? Transparência é nula no SAMAE... Gente vamos refletir um pouco, porque em dias de chuva, os encanadores e outros trabalhadores simplesmente não trabalham? Ficam lá jogando e de pernas p ar? Isso não tá certo. Não da p ir pra rua ? Arrumem algo pra fazer, desde que estejam trabalhando. Já pensou se qdo chovesse o povo resolvesse parar? Isso é no mínimo vergonhoso. Assim como o prefeito retirou os pontos facultativos, deveria rever essa questão também. Afinal de contas em nenhum edital de concurso está escrito q em dias de chuva não se pode trabalhar.
paulo
19/06/2017 20:40
Sobre o caso SAMAE- tambem sou funcionário público e quero dizer que se esse pessoal do SAMAE que não querem trabalhar, conseguir algum benéficio eu e mus colegas vamos erguer uma bandeira para ganhar tambem.pois se alguem que fala para todo mundo dentro de uma autarquia que vai prejuducar a atual adiministraçao ainda consegue sentar na janela e ganhar aumento salarial, porque nos e as outras categorias do SAMAE nao pode ganhar. o pessoal que sao motoristas ,ou op.de etas . ate mesmo os do escritorio e ajudantes geral tem o direito de procurar a diretoria e ameaçar greve para ganhar aumento..portanto vamos aguardar o que o diretor Melato decidir dai vamos procurar nossos direitos . acorda gente. esse pessoal que procura isso ficaram 8 anos mamando no SAMAE e nunca ajudaram o servidor ,agora querem ter o direito de querer ser oposiçao e ainda ganhar aumento . Gostaria que o Diretor atual do SAMAE fosse mais radical com coragem para colocar esse pessoal no lugar certo. mais vamos aguardar fui....
Mardição
19/06/2017 20:36
As festas juninas Brasil afora perderam a graça.
As maiores quadrilhas estão em Brasília. Bora lá pular a fogueira que é a maior fogueira da história.
João Júlio Ferreira
19/06/2017 20:04
Gostei do jornal, se puder nos enviar por email agradeço. Também sou radialista e escrevo como cooperador para alguns jornal de Fortaleza. Obg.
Sujiro Fuji
19/06/2017 20:04
SAMAE INUNDADO - coitado do macaco velho, quis dar uma de jacu rabudo numa área que não domina, tá pagando mico.
Herculano
19/06/2017 19:18
JANOT TENTA AGORA ADOÇAR BOCA DE POLÍTICOS E DEVE PROPOR DISTINGUIR CAIXA 2 DE CORRUPÇÃO, por Reinaldo Azevedo

Reportagem do Valor Econômico diz que o Procurador-geral da República, Rodrigo Janot, estuda uma saída judicial para distinguir os delitos investigados na Lava Jato entre os de Caixa 2 e os que envolvem corrupção, com contrapartida de favores e benefícios. A chamada "Lista de Fachin" tem 98 políticos com foro especial mencionados nas delações de Marcelo Odebrecht e de executivos da empreiteira dos quais cerca de a metade poderiam se enquadrar no exercício de Caixa 2.

Prevista em lei, a pena valeria para réus primários e quando a pena mínima a ser aplicada não for superior a um ano de prisão, podendo ser convertida em punição alternativa como multas ou serviços comunitários.

O objetivo do Ministério Público com isso é antecipar o cumprimento das penas de delitos mais brandos e desafogar o Judiciário e o MPF para as investigações dos casos mais graves de corrupção, em que se oferecem prometem favores e contratos em troca de apoio financeiro para campanhas eleitorais. Os beneficiados pela medida teriam ficha limpa e mais agilidade na tramitação do processo.
Atmar Bandeira
19/06/2017 13:02
Herculano

SAMAE INUNDADA

O executivo ta mostrando sua incompetência, toda semana falta água em algum ponto do município, já se acostumaram com a má gestão.
É feio dizer, mas chega a dar saudade de Andreone, Kuka, Lovidio e Elcio.
Melato, vai te especializar enquanto é tempo.
Herculano
19/06/2017 12:34
SAMAE INUNDADO

Desde sábado e até esta amanhã, quando tentou-se resolver, a região do Macucos está sem água

Desde sábado? E o Samae quieto, mais uma vez! Acorda, Gaspar!
Herculano
19/06/2017 11:42
O QUE O PT TEM A ENSINAR, editorial do jornal O Estado de S. Paulo

O governo faria melhor se viesse a público com a mesma determinação de seus tinhosos adversários petistas

O PT mente com tamanha determinação e energia que, mesmo sendo o principal responsável pela crise econômica, política e moral que o País hoje enfrenta, consegue aparecer, pasme o leitor, como a vanguarda da luta contra um governo em cuja testa pregou o estigma de "corrupto" e "inimigo do trabalhador". Se há algo que o governo de Michel Temer poderia aprender com os aguerridos petistas, é justamente o vigor com que eles se dedicam à tarefa de fazer prevalecer sua versão dos fatos, mesmo que esta, no caso petista, contrarie frontalmente a realidade. Tivesse metade dessa garra ao defender as reformas que encaminhou e ao denunciar o descalabro que herdou da trágica era lulopetista, certamente o presidente Temer estaria em melhor situação.

É certo que a mentira frequenta certos círculos políticos, mas, numa época em que, infelizmente, a verdade aparenta importar cada vez menos, o PT parece ter entendido muito bem o poder do discurso que seja apenas "lógico", isto é, que faça "sentido", embora não guarde relação nenhuma com a realidade. Se é de uma batalha que se trata, travada entre a realidade e a "pós-verdade" ?" termo que designa as circunstâncias em que as crenças pessoais são mais importantes do que os fatos objetivos ?", o PT está claramente muito mais bem preparado para ela do que seus adversários.

Para um partido que foi dado como praticamente aniquilado depois do impeachment da presidente Dilma Rousseff e da grande derrota nas eleições municipais de 2016, o PT ainda consegue atrapalhar, e muito, o necessário debate nacional. Basta que seu chefão, Lula da Silva, empunhe um microfone para que os grandes dilemas e desafios nacionais se reduzam a um confronto pueril entre o bem ?" representado pelos petistas, naturalmente ?" e o mal, encarnado no "resto", em especial nos "golpistas" alinhados a Temer, na mídia e nos empresários gananciosos.

É claro que, deflagrada nesses termos, tal batalha exige muito mais do lado de quem precisa governar, isto é, lidar com os fatos da vida real, do que daqueles que não têm nenhuma responsabilidade. Enquanto Lula da Silva grita por aí que "voltou a ter criança pedindo esmola" e que "nós sabemos como fazer a economia crescer, como criar emprego, como aumentar salário", o presidente Temer e sua competente equipe econômica precisam articular politicamente apoio a medidas de austeridade que são, por sua própria natureza, impopulares. Não é difícil imaginar quem sairá mais lanhado desse embate.

Queixar-se de que Lula está a desferir golpes abaixo da linha da cintura e tentar desmentir cada uma de suas patranhas, como se a verdade pudesse dessa maneira prevalecer, é justamente o que o demiurgo petista pretende. Os petistas em geral, e Lula em particular, têm certeza de que uma parte do eleitorado prefere acreditar nas suas mentiras delirantes, pois elas são um confortável refúgio ante o desafio de reconstruir o País à custa do sacrifício de todos. É perda de tempo, portanto, chamar os petistas à responsabilidade, porque eles nunca se dispuseram a colaborar efetivamente para a melhora da vida nacional, dado que estão preocupados apenas com seu projeto de poder, que está na gênese de toda essa crise.

O governo Temer faria melhor se viesse a público com a mesma determinação de seus tinhosos adversários petistas e defendesse de forma mais enfática as reformas econômicas de que o País tanto necessita. Também faria melhor se demonstrasse, ao mesmo tempo, o mal que o PT causou ao Brasil. Em situações normais não é elegante que um governante fique a justificar suas dificuldades citando a "herança maldita" de seu antecessor, mas definitivamente não vivemos tempos normais.

Nada garante que essa estratégia assegurará um triunfo completo sobre as mentiras de Lula e sua turma, mas pelo menos arregimentará, para o governo, um apoio mais vibrante do Brasil decente, que sabe muito bem o que o PT fez ao País e o que é preciso fazer para sair da crise.
Herculano
19/06/2017 11:41
JOESLEY, A OBRA PRIMA DE JANOT! PT É A MÃO QUE BALANÇA O BERÇO DO "HERóI DELATOR, por Reinaldo Azevedo, na Rede TV

"Ah, mas ele também faz acusações contra Lula...", cujo governo, diz, institucionalizou a corrupção. Ora, isso nem tipo penal é. A acusação só serve para "lavar" o objetivo da operação: derrubar Temer.

A patética entrevista concedida por Joesley Batista à revista "Época" tem o seu grande momento, o seu ápice moral, aquele instante que restará para a história como o sumo e a síntese de uma era e de seus protagonistas. Quando os pósteros quiserem saber quem mesmo foi Rodrigo Janot, terão de consultar este trecho da entrevista. Bem, impressiona-me que gente que se queira séria a leve a sério. Vamos lá.

ÉPOCA - E quem é o número dois?
Joesley - Era o Aécio, porque era a alternativa. Teve 48% dos votos dos brasileiros.E tinha entrado no governo Temer. eu preciso mostrar o que está acontecendo hoje, e não só o que aconteceu há três anos, na campanha de 2014. E como eu mostro. Preciso fazer uma ação que seja indiscutível para o entendimento da população e do MP. Vou registrar como se dão as conversas com o número 1 da República e com o número 2, que seria a alternativa ao 1. Se o Brasil não entendesse que o número dois era igual ao 1, o Brasil ia achar que a solução era substituir o 1 pelo 2. Mas, o 2 é do mesmo sistema. A gente não teria chance de entender que o problema é estrutural, pluripartidário.

Eis aí. Michel Temer está na Presidência da República há pouco mais de um ano. Aécio passou os 13 anteriores na oposição, e Joesley, o nosso herói sem nenhum caráter, o nosso Macunaíma que tinha o BNDES de Lula como o seu muiraquitã, não tem dúvida: o número 1 é Temer, e o 2, Aécio. E a ele, ora vejam!, coube a dura missão de revelar isto à nação.

Na nota em que respondeu às delinquências morais do açougueiro de instituições, lembrou o Palácio do Planalto:

"Em 2005, o Grupo JBS obteve seu primeiro financiamento no BNDES. Dois anos depois, alcançou um faturamento de R$ 4 bilhões. Em 2016, o faturamento das empresas da família Batista chegou a R$ 183 bilhões. Relação construída com governos do passado, muito antes que o presidente Michel Temer chegasse ao Palácio do Planalto."

Reportagem da Folha desta segunda demonstra que ele não sabe ao certo quando conheceu Michel Temer. Ora diz ter sido em 2010, ora em 2011. Sim, faz diferença; a diferença entre quem não é vice-presidente da República (2010) e quem é (2011).

Nos anos todos de relacionamento com Lula, Joesley nunca quis gravar nada. Teve essa ideia só agora, quando caiu nas malhas de Janot. Aí, meus caros, foi preciso delatar pesos-pesados. Aquele que confessou ser o maior criminoso do Brasil deixou-se tomar por impulsos patrióticos e tentou mandar para a fogueira os presidentes da República e do PSDB, principal adversário do PT.

"Ah, mas ele também faz acusações contra Lula?", cujo governo, diz, institucionalizou a corrupção. Ora, isso nem tipo penal é. A acusação só serve para "lavar" o objetivo da operação: derrubar Temer.

Bem, eu não queria, nesse caso, estar e ter estado cem por cento certo. E estava, não é?

Joesley é a obra-prima de Janot!

Joesley é o seu anjo vingador!

Joesley veio para provar que, se todos são iguais, então Lula é melhor, como escrevi em dias longínquos em coluna na Folha.

Tenho, sim, certa compaixão por quem caiu na conversa de Janot e dos salvacionistas e agora se pega em meio a uma grande, literalmente, roubada.

Ah, quantos insultos não tive de ouvir e de ler de vigaristas!

Ah, quantas não foram as vezes em que uma simples restrição técnica, publicada aqui, era tratada por vagabundos e pistoleiros como uma conspiração.

A verdade está começando a vir à luz. E acreditem: está só no começo.

O tempo, este grande corretor de rumos, está se encarregando de evidenciar quem é quem e quem quer o quê nessa peleja.

O meu norte sempre foi, é e continuará a ser o Estado de Direito.

Nem sempre foi fácil. Mas me orgulho até da dor. Ela não me fez perder o juízo.

Ah, não custa registrar: um dia ficará claro que a mão que balançou o berço do herói delator Joesley Batista tem uma sigla: PT!

Sim, sempre soube que o tempo me daria razão. Porque, afinal, eu estava certo. A verdade está começando a aparecer até antes da hora esperada. Como sabemos, bêbado de tanto poder, Janot cometeu alguns erros. E alguns de seus baba-ovos também se revelam.

Janot vai para o trono ou não vai?

Por tudo o que vemos aí, já foi!
Herculano
19/06/2017 11:25
SE DELINQUIR, DELATE, por Vinicius Mota, no jornal Folha de S. Paulo

O Brasil, que há pouco tempo entrou para o clube da delação premiada, logo descobriu o potencial dessa ferramenta para enfrentar esquemas de corrupção inseridos no funcionamento do governo. Avoluma-se, contudo, a sensação de que estamos nos lambuzando com o melado recém-descoberto.

Quando não há limites para delatar, o conjunto de incentivos que deveria levar ao bem maior para a sociedade entra em parafuso. A teoria recomenda restringir os prêmios ao primeiro a entregar os comparsas. Exige que os relatos sejam sustentados por sólidas provas factuais.

A afoiteza de procuradores e a esperteza de criminosos confessos, entretanto, vão alargando as fronteiras do instituto no Brasil. É difícil encontrar caso no mundo em que se foi tão longe com delações premiadas.

Agora se aceita, sem tempo para análise detalhada, um vasto lote de doações registradas na Justiça Eleitoral como evidência de múltiplos atos de suborno. Ou se demonstra, uma a uma, qual foi a contrapartida ilícita desses repasses, ou essas provas vão morrer, e os procuradores terão comprado gato por lebre.

A lentidão judicial dificulta a avaliação em tempo hábil do que foi exposto pelos delatores. Eles desfrutam dos benefícios à vista, mas a ameaça de perda do bônus por terem mentido quase inexiste de tão distante.

O sistema de adesões sucessivas favorece relatos que confirmem as teorias acusatórias da Procuradoria e desincentiva os que as contradigam.

Está aberta a via para um ciclo de delações interminável ?"e potencialmente infernal, porque composto de informações de difícil verificação.

Se delinquir, procure botar a culpa em alguém próximo. Se ainda não há grandes banqueiros na história, encontre algum em suas relações. Se ainda não há juízes do Supremo, envolva um. E que tal enlaçar um procurador de seu círculo? A guilhotina, afinal, não serviu apenas aos jacobinos. Serviu-se deles também.
Herculano
19/06/2017 11:10
BRASIL: PARTIDOS RECEBEM 60% MAIS QUE NA FRANÇA, por Cláudio Humberto, na coluna que publicou hoje nos jornais brasileiros.

O Fundo Partidário já distribuiu mais de R$ 2,1 bilhões aos 35 partidos brasileiros desde que os eleitos no pleito de 2014 tomaram posse. Em 2015, o valor distribuído aos partidos chegou a R$ 8,45 por voto obtido nas urnas ou 60% mais que os ? 1,42 (R$5,26) pagos na França, berço da democracia moderna. A principal diferença, porém, não é o valor, mas os requisitos de desempenho eleitoral para pôr a mão na grana.

LÁ...
Na França, os partidos precisam ter 1% dos votos em 50 circunscrições para receberem dinheiro e mais ? 37 mil/ano (R$137 mil) por deputado.

... E CÁ
Por aqui, antes mesmo de disputar uma eleição os partidos já recebem, mas a divisão é de acordo com a bancada na Câmara dos Deputados.

TRIO TERNURA
Campeões nas urnas, em 2014, PT, PSDB e PMDB embolsaram mais de R$ 636 milhões do Fundo, quase o orçamento do STF para 2017.

NOVATOS
Criados depois de 2014 e, portanto, sem eleger sequer um deputado, Rede, PMB e Novo receberam R$ 10,6 milhões desde a fundação.

DEPUTADOS ENCURTAM MAIS UMA SEMANA DE TRABALHO
Após o feriadão de Corpus Christi, dia 15, encurtar a semana passada à metade, deputados federais não pensam em voltar ao trabalho esta semana e já organizaram outra folga: dessa vez a desculpa são as festas juninas. Nesta segunda, a Câmara não vai cobrar presença dos parlamentares. Na terça, a sessão está marcada para começar 11h30, mas se não houver quórum até meio-dia, será dada por encerrada.

MEIO-EXPEDIENTE
Quarta-feira, o "expediente" da Câmara será até às 15h para dar tempo de deputados pegarem um voo mais cedo e aproveitarem a festança.

óRGÃO FANTASMA
Com o fim dos trabalhos previstos para a 4ª-feira, a Câmara já ficará às moscas 5ª e 6ª-feira porque, como na 2ª, não se cobrará o ponto.

NA NOSSA CONTA
Vale lembrar: sai do bolso do contribuinte o dinheiro para bancar as passagens aéreas e gastos acessórios do vai e vem de deputados.

ARTICULAÇÃO SIGILOSA
Parlamentares ?" enrolados e não-enrolados ?" se articulam nos bastidores para encontrar uma forma de suspender as ações penais contra eles, de olho na Lava Jato. A iniciativa, prevista no artigo 53 da Constituição, parágrafo 3º, exige somente aprovação da maioria.

O VALDEMAR DO PSDB
Se depender dele, Aécio Neves pode virar uma espécie de Valdemar Costa Neto do PSDB: sem mandato, enrolado na Justiça, e mandando no partido. Mas, ao contrario do PR, há tucanos resistindo a isso.

UM DÍGITO
A economia dá mostras de recuperação e a inflação cai, por isso, em julho, o Comitê de Política Monetária deve a reduzir a taxa Selic para abaixo dos 10% ao ano, pela primeira vez desde outubro de 2013.

NA PONTA DO LÁPIS
Com o tamanho da base na Câmara estimado por integrantes do alto escalão em 238 deputados, o governo Temer vai precisar de mais 70 novos amigos para atingir os 308 e aprovar a reforma da Previdência.

CARTÃO DE QUEM?
São 26.883 portadores 'Cartão de Pagamento do Governo Federal', os famosos cartões corporativos. Em média, os milhares de detentores de cartões gastam cerca de R$ 15 milhões por ano, desde 2002.

CUSTO DO CONGRESSO
O Congresso, que inclui apenas a Câmara dos Deputados e o Senado Federal, custam ao contribuinte brasileiro mais de R$ 9 bilhões por ano com a folha de pessoal e a previdência de servidores, segundo o Siafi.

CUSTO DO JUDICIÁRIO
Composto pelo Supremo Tribunal Federal, Superior Tribunal de Justiça, Justiça Federal, Militar, Eleitoral, do Trabalho do Distrito Federal e o Conselho Nacional de Justiça, a folha de pessoal do Judiciário custa mais de R$ 38,6 bilhões por ano ao contribuinte brasileiro.

SEQUESTRO INVISÍVEL
Enquanto a cobrança por bagagens despachadas é alvo de críticas, operadoras de turismo lucram na surdina com uma das mudanças da Anac. Cias. aéreas são obrigadas a reembolsar cancelamentos em até 7 dias às operadoras, que podem reter a grana do cliente por 3 meses.

PENSANDO BEM...
...para ser aceita a denúncia da Procuradoria-Geral contra Michel Temer, 342 deputados federais precisam finalmente concordar.
Herculano
19/06/2017 11:04
VATICANO INVESTIGA ORGANIZAÇÃO CATóLICA BRASILEIRA POR "PACTO COM SATÃ", por Nelson Sá, no jornal Folha de S. Paulo

Segundo o "vaticanista" Andrea Tornielli, do jornal italiano "La Stampa", em extensa cobertura que ecoa pelo americano "Daily Beast", pelo britânico "Daily Mail" e outros, o Vaticano investiga a sociedade católica brasileira ultraconservadora Arautos do Evangelho, uma dissidência da TFP (Tradição, Família e Propriedade).

Na descrição do "Beast", onde foi manchete ao longo do fim de semana, a investigação parte do "aparente pacto com Satã sobre a morte do papa Francisco".

A evidência é um vídeo que vazou. Segundo "Tonielli", o líder da organização, monsenhor João Scognamiglio Clá Dias, que protagoniza o vídeo, já renunciou.
Herculano
19/06/2017 10:56
CORAÇÃO DA TEOLOGIA SEMITA É RELAÇÃO ENTRE MAL, PERDÃO E MISERICóRDIA, por Luiz Felipe Pondé, filósofo, no jornal Folha de S. Paulo.

Basta de política, pelo menos por um breve momento.

Busco refúgio em algo superior, talvez mesmo improvável, busco refúgio hoje na teologia, essa minha paixão secreta. Pobre teologia, traída pelos seus.

Já chegamos ao dia em que Deus será sustentado por ateus, já que a maioria dos teólogos se entregaram à política, tentando justificar sua pobre louca da casa (a teologia) na ética e na justiça, esquecendo-se de que o coração da teologia semita é a misteriosa relação entre mal e misericórdia.

A teologia semita é aquela do patriarca Abraão, que reúne judaísmo, cristianismo e islamismo, três religiões irmãs.

A teologia mais barata é a pastoral, cada vez mais uma subdisciplina do marketing, mesmo quando aplicada aos "menos favorecidos". Nesse caso, torna-se irmã caçula do populismo.

Minha paixão secreta é pela teologia que fala ao fundo de nosso coração, ali onde batem todos os erros que cometemos ao longo da vida, como na confissão de medo de Fiódor Karamázov, o pai terrível dos irmãos Karamázov, de Dostoiévski.

Erros que muitas vezes destroem nossa vida e que, ao mesmo tempo, revelam o sofisticado encanto do perdão e da misericórdia, que brotam em nós da mesma raiz de nossa agonia, o mal. Encanto este que nos une às outras pessoas. Testemunhas, algozes e vítimas de nosso próprio enredo.

O fundo do coração, ali onde o "acaso é feito à nossa semelhança". Onde conhecemos nossa "paixão desinteressada pela mentira".

Essas são frases de Georges Bernanos (1888-1948), escritor francês conhecido como "le Dostoiévski français". Autores como ele, Dostoiévski e Lev Tolstói fazem melhor teologia do que muitos teólogos profissionais.

Frases como essas descrevem um dos núcleos da obra de Bernanos: a ideia de que existe em nós uma "mística inversa" (termo usado por Guillaume Louet e Sarah Lacoste no prefácio da edição conjunta de dois romances do escritor, "Un Crime" e "Un Mauvais Rêve", pela editora Le Castor Astral de 2016). Este último, "Um Sonho Ruim", foi traduzido no Brasil pela editora É Realizações.

Essa "mística inversa", presente em personagens como a famosa Mouchette (a "Mosquinha"), representa a hipótese de Bernanos segundo a qual existe em nós uma dolorida perversão profunda que no fundo do nosso coração nos abre a fonte da mais profunda mística da misericórdia.

Sob efeito do "sol de Satã" que derrete suas almas, essa "mística inversa" só nos é acessível se rompemos com o pietismo barato segundo o qual não há mal em nós, mas apenas nas estruturas do mundo que nos fazem ser mal.

Em Bernanos,"sofremos" o mal assim como "sofremos" a misericórdia. Somos seres visitados, e, nisso, nosso francês soa mesmo russo.

Na teologia russa, o homem é um ser visitado pelo sobrenatural, nas suas dimensões doce e sombria.

Em Bernanos, o sobrenatural caminha entre as pedras, como galinhas, cães e gatos. Escutamos seus passos à noite. Arquétipos de bem e mal que se relevam inseparáveis. Não há como amar alguém sem ver nele o mal. O mal nos leva às lágrimas.

Essa aparente contradição está presente no coração de livros bíblicos como os "Salmos" do rei Davi, onde vemos como o coração justo aquele mesmo torturado pelo mal.

A teologia semita nunca foi uma teologia do bem. Equívoco clássico da vaidade dos especialistas.

Ela sempre foi uma teologia em que a rota para a relação com Deus passa pelo reconhecimento do vazio em nós. Só o grito do miserável é ouvido por Deus. O hebraísmo antigo é uma teologia da santidade e todo santo é um especialista no mal.

Essa fina antropologia teológica também pode ser vista nas figuras bíblicas pintadas por El Greco (1541-1614): personagens que parecem surgir do fogo, arder nele e serem consumidos por ele.

Não há como separar miséria e amor na teologia semita.

Se nos é possível traçar uma "causa" do amor de Deus pela humanidade, ela é, justamente, essa nossa "paixão desinteressada pela mentira", essa nossa vocação à desordem que tanto encanta a Deus.

Fôssemos nós amantes da verdade, Deus seria um indiferente.
Herculano
19/06/2017 10:46
CONDENAÇÃO DE LULA DEVE EXPOR DIVISÕES DO PT, por Josias de Souza

Para a cúpula do PT, o destino penal de Lula deixou de ser um imprevisto. Todo o alto comando da legenda avalia que o líder máximo do petismo está prestes a se tornar o primeiro ex-presidente da história a amargar uma condenação criminal. Paradoxalmente, o partido não se preparou para o previsto. Um membro do diretório nacional do PT, estudioso das diferentes tendências que coabitam a agremiação, prevê que a sentença de Sergio Moro no caso do tríplex "abrirá as comportas da barragem partidária que impede as opiniões divergentes de escorrer."

Termina nesta terça-feira (20) o prazo para a defesa de Lula entregar a Sergio Moro a petição com as alegações finais dos advogados. O juiz da Lava Jato estará, então, liberado para preferir sua primeira sentença num caso envolvendo Lula. Confirmando-se a condenação, o pajé do PT iniciará uma corrida contra o relógio. Na hipótese de o tribunal federal da segunda instância (TRF-4) endossar o veredicto, Lula ficará inelegível para a disputa presidencial de 2018. E se tornará um candidato imbatível ao cumprimento imediato da pena que Moro vier a lhe impor ?"incluindo a prisão, se prevalecer a posição defendida pelo Ministério Público Federal.

O planejamento da reação do PT não ultrapassou a fase dos ataques a Moro e aos procuradores da força-tarefa de Curitiba. O PT tratará Lula como um perseguido político da infantaria da Lava Jato, não como um corrupto. No mais, não há consenso quanto à estratégia a ser adotada. Há divergências até mesmo entre os integrantes da tendência majoritária, à qual pertence Lula. Chama-se Construindo um Novo Brasil (CNB). Uma ala, por ora minoritária, defende que o PT se junte à caravana do presidenciável Ciro Gomes, do PDT. Outro grupo prefere uma candidatura própria, a ser alavancada pelo que resta de prestígio a Lula, primeiro colocado nas sondagens eleitorais.
Herculano
19/06/2017 10:44
LAVA JATO E EQUIPE ECONôMICA GOVERNAM O PAÍS, por Gustavo Patu, no jornal Folha de S.Paulo.

Não mais que duas entidades, nenhuma delas eleita pelo voto popular, dispõem hoje de conhecimento, liderança e respaldo bastantes para conduzir a agenda do país.

Uma é o consórcio de policiais, procuradores e juízes reunidos em torno da Lava Jato. A outra são os economistas e tecnocratas, do Executivo, da academia e do mercado, empenhados na formulação e defesa das reformas.

A primeira conta com amplo apoio da população e a licença para matar ?"reputações?" ao arrepio das garantias jurídicas dos suspeitos.

O poder da segunda emana da recessão devastadora, ainda por ser vencida. A ninguém agrada o programa de ajustes (nem mesmo ao empresariado que se abriga no BNDES), mas no fundo se sabe que sem a galinha dos ovos de ouro do mercado não há empregos nem receita tributária.

As duas forças se acham imbuídas de missões salvacionistas. A Lava Jato pretende libertar o país dos vícios de seu sistema político-eleitoral, fundado na promiscuidade de interesses de mandatários e financiadores de campanhas.

Já a assim chamada equipe econômica, que transcende a Fazenda e o Banco Central, busca purgar o poder público dos males da irracionalidade orçamentária, do corporativismo e da demagogia.

Os caminhos escolhidos, ou apenas impostos pelas circunstâncias, para atingir tais fins são, sem dúvida, radicais.

De um lado, estabeleceu-se um moto-contínuo de prisões preventivas, delações premiadas e inquéritos que manterá a elite partidária e parcela substantiva da empresarial sob investigação por anos.

De outro, inseriu-se na Constituição dita cidadã um dispositivo draconiano que freia a expansão do gasto federal por até duas décadas; na prática, almeja-se uma redução do peso do Estado no PIB sem precedentes no mundo.

Existem razões respeitáveis a amparar estas e aquelas medidas e condutas. Difícil imaginar, porém, que serão levadas a ferro e fogo por tanto tempo. Alguma distensão, mais ou menos virtuosa, tende a ser inevitável.

De todo modo, a derrocada econômica e política (nessa ordem) força uma revisão dos arranjos que sustentaram a redemocratização ?"assim como a recessão brutal do início dos anos 1980 apressou o fim do Estado tecnocrático e autoritário dos militares.

A leitura otimista é que o país tem conseguido conduzir esse processo doloroso de forma pragmática e, mais importante, sem ruptura institucional.

Não há nada que se assemelhe ao caos da Argentina em 2001 ou, em exemplo mais atual e extremo, ao colapso da Venezuela. Parece haver razoável entendimento, impelido pela crise, em torno das metas de sanear as práticas e as contas do governo.

Falta, deve-se lembrar, submeter tudo isso a voto
Miguel José Teixeira
19/06/2017 10:40
Senhores,

A mídia informa que lula foi rebaixado. Agora é apenas um "ladrãozinho de galinhas".
No Brasil atual, o bandido nº 1 é o Temer. E o nº 2, é o Aécio da Cunha, vulgo Neves.
Afirma-se que por aqui, "só vai em cana" "ladrão de galinhas".
Aí eu pergunto e perguntar não ofende: por quê o "ladrãozinho de galinhas" ainda não está em cana?

Deixe seu comentário


Seu e-mail não será divulgado.

Seu telefone não será divulgado.