Lista telefônica

Combatendo o estresse - Jornal Cruzeiro do Vale

Combatendo o estresse

02/10/2015
Combatendo o estresse

Problemas pessoais, familiares e profissionais estão cada vez mais à flor da pele na vida das pessoas. Preocupações passadas, presentes e futuras, em muitos casos, chegam a levar o cidadão à cama de um hospital.

Mas como combater esse tipo de nervosismo no viver cotidiano? Pequenos hábitos, como respiração e mudanças ajudam a controlar e evitar o desgaste, de acordo com o especialista em comportamento humano, Eduardo Shinyashiki. Segundo ele, atitudes simples podem oferecer mais qualidade de vida e melhorar os relacionamentos pessoais e profissionais. “Na era digital atual, desligar o celular e a televisão por um momento torna-se essencial, buscando uma respiração profunda. Ao chegar em casa, tirar o sapato, tomar um banho e focar em uma alimentação são ações recomendáveis no combate ao estresse”, orienta.
Para o especialista, é importante cuidar das amizades e relacionamentos familiares. “Não se deve ficar isolado no cansaço. É preciso aproveitar o tempo para ficar junto de quem você ama, cultivar o amor, sentimentos e amizades. Cuide do seu lado emocional e não fique apenas na intenção, busque e se dê aquilo você precisa”, observa.


Atividades físicas


Outras dicas são os exercícios físicos, de acordo com o especialista. Eles têm diversas características que se relacionam com o relaxamento de quem os pratica. Em primeiro lugar há a liberação de hormônios que otimizam o funcionamento do corpo, transmitindo bem-estar, sensação de prazer e melhora na qualidade do sono.

Além disso, existe um mecanismo que os especialistas chamam de senso de propósito. Quando fazemos algo com a convicção de que isso está contribuindo para a nossa saúde, damos para a nossa mente comandos do tipo "isso é bom para mim", que vai alimentando a nossa sensação interna de que merecemos algo bom. “Ter uma postura melhor também é benéfico. E a palavra "postura" aqui não significa apenas a forma como recebemos as informações, e sim com a maneira que posicionamos nosso corpo no dia a dia”, conta Eduardo.

O estresse prolongado, antes de tudo, funciona como uma agressão ao organismo. E dormir bem é uma das melhores formas do corpo se recuperar desse tipo de ataque. Quando há o descanso, tem uma maior clareza de pensamento e uma habilidade maior para reagir aos estímulos agressores. “Pessoas que dormem pouco tendem a ser mais irritadas e diversos estudos relacionam transtorno de humor com pessoas que trabalham com turnos trocados”, finaliza.

 

Edição 1718