Lista telefônica

Lentes de contato: no verão, todo cuidado é pouco - Jornal Cruzeiro do Vale

Lentes de contato: no verão, todo cuidado é pouco

22/01/2016
Lentes de contato: no verão, todo cuidado é pouco

Depois das férias e feriados prolongados, aumentam casos de infecções oculares provocados pelas lentes de contato. De acordo com o oftalmologista Renato Neves, diretor-presidente do Eye Care Hospital de Olhos, o principal problema relacionado ao mau uso ou à falta de higiene apropriada das lentes de contato é a ceratite microbiana. “Trata-se de uma infecção grave que pode ser evitada. Mesmo assim, tem ocorrido com muita frequência. Em casos extremos, o paciente pode inclusive perder a visão”, avisa.

O especialista diz que os pacientes com menos de 25 anos são os que mais sofrem as consequências do mau uso das lentes de contato, principalmente quando o problema é o uso prolongado ou mesmo alguns descuidos com a limpeza, o que se transforma numa porta de entrada para as bactérias. “Durante as férias, as pessoas costumam relaxar e acabam se descuidando de alguns detalhes importantes.  Dormir frequentemente de lentes é um hábito nocivo que deve ser evitado. Outro descuido que não deveria acontecer é lavar as lentes com água corrente, tanto da torneira quanto do chuveiro. Isso acaba expondo as lentes a microrganismos que se desenvolvem em ambientes quentes e úmidos, provocando infecção na superfície dos olhos”, informa.

Mais cuidados

Outros descuidos perigosos incluem deixar a solução de limpeza sob o sol, ou ainda demorar a trocar o soro que acomoda as lentes no estojo. “Se a pessoa já sabe que vai descansar e tentar se ‘desligar’ de tudo o que é obrigação, é melhor optar pelo uso dos óculos de grau nas férias do que correr o risco de contrair uma infecção”, diz Neves.

O médico comenta, ainda, que alguns pacientes desenvolvem úlceras ao permanecer com as lentes durante passeios na praia – já que grãos de areia podem se interpor entre a lente e a córnea, provocando ferimentos na superfície do olho. Também o banho de mar ou de piscina representam riscos para aqueles que se esquecem de tirar as lentes. Por isso, durante as férias é bom dar um tempo sem usar as lentes de contato.

Confira quatro dicas para quem usa lente

Jamais durma com lentes de contato: por mais cansada que a pessoa esteja, é preciso garantir um mínimo de asseio antes de ir para a cama. Durante o sono, o nível de lubrificação dos olhos diminui bastante e as lentes podem ressecar junto com o globo ocular, desencadeando uma série de problemas.
 
Antes de entrar no mar ou na piscina, retire as lentes: excesso de cloro, sujeira e piscinas lotadas oferecem grande risco de contaminação. Da mesma forma, o ambiente de praia – com excesso de vento, maresia, oleosidade e suor – não oferece a mínima segurança para os olhos.
 
Respeite as instruções do fabricante: Todo fabricante de lentes de contato recomenda os produtos ideais para a limpeza do material e indica a frequência com que elas devem ser tratadas. Sendo assim, é importante ler com atenção essas recomendações e seguir uma rotina que garanta uma visão saudável.
 
Preste atenção às condições das lentes: Verifique sempre se não há resíduos sólidos ou sinais de irregularidades nas lentes. Mesmo sujeiras quase imperceptíveis podem resultar no desenvolvimento de fungos, levando à inutilização do produto e podendo desencadear infecções.

 

Edição 1733