Lista telefônica

Modelo de dieta ideal - Jornal Cruzeiro do Vale

Modelo de dieta ideal

05/02/2016
Modelo de dieta ideal

Uma pesquisa em andamento mostra que micróbios intestinais podem ter relação com alimentação e que as pessoas têm picos de açúcar com alimentos distintos entre si. Alimentos que fazem algumas pessoas ganharem peso têm poucos efeitos em outras, e os motivos estão sendo investigados em uma pesquisa sendo feita em Israel.

O Weizmann Institute of Science, de Israel, está monitorando mil pessoas para ver exatamente como seus corpos reagem à comida, e os primeiros resultados estão reescrevendo as regras da relação com a alimentação.

Os alimentos foram classificados tradicionalmente pela sua capacidade de causar um pico de açúcar no sangue, alimentos com alto valor glicêmico seriam ruins, e baixos seriam bons. 

Outros fatores, como nível de estresse, exercício e sono podem afetar a reação de glicose. Contudo, o mais importante foi que, como a pesquisa inicial deles sugeria que pessoas diferentes apresentavam reações diferentes ao mesmo tipo de alimentação, há sim grau de variação, pois aparentemente, não existem alimentos com "alto" e baixo" nível glicêmico, e depende totalmente do próprio corpo de cada um.

Variações

Todas as pessoas têm milhares de bactérias diferentes, vírus e fungos nos intestinos, que não apenas ajudam na decomposição dos alimentos como produzem compostos que nossos corpos absorvem e que podem influenciar em quase todos os aspectos da vidas, do sistema imunológico e do metabolismo a neurotransmissores.

Ao comparar os micróbios do intestino dos centenas de voluntários do estudo a sua resposta de açúcar, foi descoberto que os micróbios podem ser a chave para descobrir por que os picos de açúcar no sangue são tão individuais. Os químicos que eles produzem, aparentemente, controlam nossos corpos até aí.

O que é animador é que, ao contrário dos genes, é possível mudar os micróbios, pois a variedade de tipos de bactéria é limitada e não é a ideal. Pessoas mais saudáveis, aparentemente, têm uma diversidade maior.

Os pesquisadores do Weismann Institute estão prosseguindo com seu trabalho com um grande estudo de um ano de duração sobre como as pessoas podem melhorar seus micróbios intestinais. Segundo eles, a obesidade difundida e epidemia de diabetes mostram que as atitudes que estão tomando pode mudar a relação com a comida.

 

Edição 1735