Lista telefônica

Alunos de Ilhota começam o ano letivo sem transporte para as universidades - Jornal Cruzeiro do Vale

Alunos de Ilhota começam o ano letivo sem transporte para as universidades

24/02/2017

As universidades da região já deram início ao ano letivo e um problema veio à tona na cidade de Ilhota: o transporte dos alunos às universidades. O município, que sempre incentivou a sua população a frequentar o ensino superior, agora segue sem o serviço e, com isso, os universitários têm acrescido às despesas com mensalidade, material didático e alimentação o transporte para chegar à faculdade.

Esse é o caso da estudante Jéssica Mendes Macan Francisco, moradora no bairro Baú Baixo, em Ilhota. Ela estuda Moda na Universidade Regional de Blumenau e afirma que o transporte dos universitários não está sendo realizado neste início de ano letivo. “O problema é que as aulas já começaram faz um tempo e o prazo dado para a volta do transporte, em fevereiro, foi para março”. Ainda de acordo com a aluna, o município se comprometeu a dar início em uma nova licitação para o serviço até a metade de março. Porém, todos seguem na incerteza do assunto.

Segundo Jéssica, os alunos entraram em contato com a prefeitura para marcar uma reunião e, a notícia, que haveria mudanças no transporte, foi dada no dia 2 de fevereiro. Para piorar a situação da universitária, que reside em um bairro distante da área central, não há transporte público no horário que precisa ir à faculdade. “Nem pagando eu consigo”, desabafa.

Sem resposta

A reportagem do jornal Cruzeiro do Vale tentou contato com o prefeito de Ilhota, Erico de Oliveira, durante toda a semana, mas ele não atendeu as ligações e não retornou as chamadas. Na manhã de quinta-feira, dia 23, o celular do prefeito foi atendido por outra pessoa, que afirmou que Dida estava em reunião.

Em Gaspar

Quando vereador, o prefeito de Gaspar, Kleber Wan-Dall encaminhou um requerimento à Câmara de Vereadores pedindo que o transporte dos universitários fosse custeado pela prefeitura. Agora, à frente do executivo, ele analisa a situação. “O transporte gratuito é fundamental para incentivar os gasparenses a construírem um futuro melhor. Mas é uma questão de viabilidade financeira, que no momento não temos.Precisamos agir na legalidade. As condições não estão favoráveis, mas estamos dispostos a receber as comissões de universitários para conversar”.

 

Edição 1789

Comentários

Deixe seu comentário


Seu e-mail não será divulgado.

Seu telefone não será divulgado.