Controle de Endemias alerta para criadouros do mosquito Aedes aegypti - Jornal Cruzeiro do Vale

Controle de Endemias alerta para criadouros do mosquito Aedes aegypti

13/05/2019
Controle de Endemias alerta para criadouros do mosquito Aedes aegypti

O setor de Controle de Endemias da Secretaria Municipal de Saúde de Gaspar é um dos responsáveis por orientar os moradores e garantir o controle de infestação do mosquito. Mas para que o combate ao mosquito seja mais efetivo é necessário que toda a população colabore. No dia 10 de maio de foi confirmado o 11º foco do mosquito Aedes aegypti no município, o que preocupa a Secretaria de Saúde. Focos do mosquito encontrados no município: 06 no Centro, 02 no Bela Vista, 01 no Belchior Alto, 01 no Belchior Baixo e 01 no Coloninha.

A dica principal para o combate ao mosquito é eliminar toda a água parada exposta. Segundo informações do setor de Controle de Endemias, uma simples tampinha, garrafa, copo de plástico ou caco de vidro nos muros das casas podem se tornar criadouros, também o descaso com o abandono de objetos e lixo em terrenos baldios torna a população vulnerável a contaminação que este mosquito pode provocar.

Todos contra o mosquito

As ações de combate a dengue realizadas em cada residência são de extrema importância para o controle do mosquito. É importante que o morador tire alguns minutos do seu tempo na semana para uma fiscalização e limpeza. Segundo informações da saúde, as casas ainda são onde o mosquito mais encontra locais para se reproduzir e é onde a Endemias tem mais dificuldades de chegar. Para isso, a população precisa dar atenção a atitudes simples que ajudam a diminuir a proliferação dos mosquitos.

O lixo das casas, quando não forem coletados precisam ser deixados em locais cobertos, pois com a chuva podem acumular água. As calhas dos telhados precisam estar sempre limpas, os bebedouros de animais de estimação devem ser lavados com espoja para que o possível criadouro seja destruído, pois os ovos do mosquito grudam na parede da vasilha e conseguem permanecer vivos até um ano sem água. Além disso, a população deve se atentar para restos de comida como cascas de ovos e folhas de palmeira nos quintais, pois também acumulam água.

 

 

Edição 1991
 

Comentários

Deixe seu comentário


Seu e-mail não será divulgado.

Seu telefone não será divulgado.