Lista telefônica

Dia de movimentação nos cemitérios - Jornal Cruzeiro do Vale

Dia de movimentação nos cemitérios

02/11/2018
Dia de movimentação nos cemitérios

Orações e homenagens destinadas àqueles que já se foram. Nesta sexta-feira, 2 de novembro, é celebrado o Dia de Finados, data consolidada ao redor do mundo para visitar, limpar e enfeitar as sepulturas de entes queridos. Além disso, as pessoas costumam rezar pelas almas dos falecidos e relembrar bons momentos vividos em conjunto. No Brasil, o costume é muito forte e carrega um grande significado, que vai além das crenças de cada cidadão.

Apesar disso, o pároco da Igreja Matriz São Pedro Apóstolo, frei Paulo Moura, explica que a tradição é predominantemente católica. “Há um fundamento histórico e bíblico. A igreja aproveita esse momento para fazer memória a todos os santos, especialmente aqueles que não chegaram a ser canonizados. Há tantas pessoas que deram suas vidas pelos irmãos e reino de Deus. Diante disso, convido os gasparenses para participar das celebrações que ocorrem na cidade”.

Nessa época do ano, o movimento nos cemitérios aumenta consideravelmente. Osnildo Moreira, diretor dos cemitérios municipais de Gaspar, localizados nos bairros Santa Terezinha e Barracão, afirma que a previsão é de que pelo menos duas mil pessoas façam visitas às sepulturas nessa sexta-feira. “São muitos túmulos. Para organizar a vinda das famílias e auxiliar a comunidade, uma equipe estará de plantão no dia”.

Ele reitera que a Secretaria de Obras e Serviços Urbanos é responsável pela limpeza e manutenção das vias dos dois cemitérios, mas cabe aos parentes e arrendatários o maior cuidado com os túmulos. “A gente está aqui para atender a todos com qualidade. Funcionamos 24h e estamos sempre dispostos a dar o nosso melhor. Mas os familiares que acabam dando os retoques maiores”, conta o diretor.

Exemplo disso é o gasparense Altair Solano Testoni, que, na véspera da data, aproveitou para limpar e pintar o jazigo de seus pais e também esposa. “Todo ano eu dou uma ajeitada maior. Mas acaba que nos fins de semana também passo aqui para trocar as flores, ver se está tudo certinho. É minha família, vou cuidar sempre que puder para manter as sepulturas limpas e organizadas. Cada um precisa fazer a sua parte e ajudar a deixa o cemitério mais bonito”, destaca o aposentado.

Quem também esteve no cemitério municipal foi a trabalhadora Rosane Olga de Borba Mondini. “Eu e meu esposo viemos dar uma limpadinha no túmulo da minha sogra. A gente passou pano para tirar o grosso, também demos uma geral na poeira e tudo mais. É importante cuidar, manter florido, limpo... Enquanto família, temos essa responsabilidade, até por uma questão de respeito com a falecida”.

 

Edição: 1875

Comentários

Deixe seu comentário


Seu e-mail não será divulgado.

Seu telefone não será divulgado.