Lista telefônica

Gasparense é encontrado morto em Palmas, no Tocantins - Jornal Cruzeiro do Vale

Corpo de jovem que morreu em Tocantins chega a Gaspar

10/10/2017
Corpo de jovem que morreu em Tocantins chega a Gaspar

Matéria postada em 10/10, às 17h10:

O corpo do gasparense Jean Marcel da Silva, de 31 anos, encontrado morto em Palmas, no Tocantins, já está sendo velado em Gaspar. O velório teve início às 17h desta terça-feira, dia 10, e acontece na Capela Mortuária Bom Pastor, no bairro Santa Terezinha.

A vontade de Jean de ser cremado será respeitada pela família. Às 9h de quarta-feira, dia 11, haverá uma celebração de corpo presente na Capela Mortuária. Em seguida, o corpo será levado para o Crematório São José, em Blumenau.

Jean foi encontrado morto em Palmas, no Tocantins, na tarde de sábado, dia 7 de outubro. As causas da morte ainda são investigadas. Porém, informações preliminares dão conta de que ele faleceu de causas naturais. Segundo o pai José Henrique da Silva, o jovem foi encontrado caído na estrada com todos os pertences pessoais. A família elimina a possibilidade de assalto e acredita que ele tenha sofrido uma insolação.

O jovem gasparense estava em Tocantins a trabalho. No momento em que tudo aconteceu, ele seguia de carro para o aeroporto. Após o veículo ficar atolado em um banco de areia, Jean decidiu procurar por ajuda a pé. Seu carro foi encontrado apenas no domingo, a uma distância de 22km de onde o corpo estava.

 

Edição 1821

------------------------------------------------------

Matéria postada em 09/10, às 9h:

Corpo de jovem encontrado morto em Tocantins chega em Gaspar na terça-feira

O corpo do de gasparense Jean Marcel da Silva, de 31 anos, encontrado morto em Palmas, no Tocantins, chega em Gaspar na terça-feira, dia 10. Segundo informações do pai José Henrique da Silva, o corpo seria trasladado ainda na manhã desta segunda, porém a falta de um laudo médico fez com que o corpo não fosse liberado. 

A difícil missão de fazer o reconhecimento do corpo em Tocantins ficou para a esposa Patrícia Poffo e o sogro, Flávio. Eles viajaram ainda no domingo e realizaram todo o processo para que o corpo de Jean fosse liberado. Na manhã desta segunda, eles chegaram a pegar um avião de volta para Brasília. Porém, chegando ao aeroporto, receberam a informação de que o corpo não havia sido trasladado. Eles voltaram para Tocantins, onde vão aguardar a liberação. 

Com a demora no procedimento para liberação do laudo médico, o corpo de Jean deve chegar em Gaspar somente na terça-feira, em horário incerto.

De acordo com o pai de Jean, as causas da morte continuam sendo investigadas pela perícia. Porém, existe a suspeita de que o jovem tenha sofrido uma insolação, por ter andado cerca de 22km a pé. Essa distância equivale a aproximadamente seis horas de caminhada.

A morte

O gasparense Jean Marcel da Silva foi encontrado morto em Palmas, no Tocantins, no final da tarde de sábado, dia 7 de outubro. Segundo informações da família, o carro de Jean ficou atolado em um banco de areia e todos acreditam que ele tenha saído para pedir ajuda. Após andar quase 22km a pé, o jovem não aguentou e foi encontrado caído na estrada por um morador, que voltou com ajuda e encontrou Jean já sem vida.
O carro de Jean foi localizado apenas na manhã de domingo. O veículo estava trancado, como Jean havia deixado, e com todos os pertences dentro.

No momento em que tudo aconteceu, Jean estava indo até o aeroporto para pegar o avião de volta para casa. Ele trabalhava em uma empresa blumenauense que atua na área de TI e viajava o Brasil inteiro como técnico de informática.

O velório de Jean será realizado na Capela Mortuária Bom Pastor, no bairro Santa Terezinha, em Gaspar. Ele deve iniciar ainda na noite desta segunda, quando o corpo chegar em Gaspar. A família ainda não decidiu sobre o sepultamento.

 

Edição 1821

------------------------------------------------------

Matéria postada em 09/10, às 9h:

Gasparense é encontrado morto em Palmas, no Tocantins

O gasparense Jean Marcel da Silva, de 31 anos, faleceu de forma trágica no sábado, dia 7 de outubro. Ele estava em Palmas, no Tocantins, a trabalho e foi encontrado morto após ter seu carro atolado em um banco de areias.

Tudo aconteceu por volta das 18h. Segundo informações da família, quando notou que o carro estava atolado, Jean saiu do veículo para pedir ajuda. Pouco tempo depois ele foi encontrado caído na estrada por um morador. Neste momento, Jean ainda estava com vida. Quando o morador voltou com ajuda, o gasparense já estava sem os sinais vitais.

As causas da fatalidade ainda estão sendo averiguadas. A família acredita que Jean tenha falecido de causas naturais, pois quando foi encontrado ele estava com todos os documentos e pertences pessoais.

Seu corpo será transferido para Gaspar e deve chegar na noite de segunda-feira, dia 9, ou na manhã de terça. O local do velório ainda será decidido pela família.

Segundo o pai de Jean, José Henrique da Silva, mais conhecido como Zé, o filho sempre falou que, caso o pior acontecesse, sua vontade era que fosse cremado e tivesse as cinzas jogadas no mar.

Tristeza

Gaspar amanhece de luto neste domingo. Quem conhecia Jean perde um grande amigo. Uma pessoa com um coração enorme, que sempre ajudou a todos. Patrícia perde um marido dedicado e o pequeno Gustavo, de sete anos, não terá mais a presença física de alguém para chamar de papai. Já aqueles que não tiveram a oportunidade de conhecê-lo sentem a dor pelos pais José Henrique da Silva e Zenita da Silva de Oliveira e pela irmã, Gabriela.

A partida de Jean foi inesperada. Ainda jovem e com um futuro promissor pela frente, ele tinha muitos planos. Inclusive uma pesaria com os amigos estava marcada para o final de outubro. Mas sua passagem na terra foi interrompida por uma fatalidade. Agora, as festas em família não terão mais sua presença. A esposa Patrícia e o filho Gustavo terão um vazio enorme em seus corações e em casa. Com os pais e a irmã, fica um sentimento inexplicável. Nos amigos, fica a sensação de não poder tê-lo salvado.

Ao lado do pai Zezinho, que é conhecido por ajudar muito em feijoada e eventos beneficentes, Jean sempre foi envolvido em boas causas. Ele cumpriu sua missão na terra e parte deixando tristeza no coração de todos. Mas, com o tempo, toda a dor deste momento difícil será amenizada e ficará na memória apenas os momentos de alegria proporcionados por Jean.

Aos familiares e amigos, a equipe do Cruzeiro do Vale deseja muita força neste momento difícil.

 

Edição 1821

 
  

Comentários

Deixe seu comentário


Seu e-mail não será divulgado.

Seu telefone não será divulgado.