Lista telefônica

Homicídios tiram a vida de seis pessoas em Gaspar em 2018 - Jornal Cruzeiro do Vale

Homicídios tiram a vida de seis pessoas em Gaspar em 2018

11/01/2019

Sinônimo de ‘assassinato’, o termo ‘homicídio’ remete à destruição, voluntária ou involuntária, da vida de um ser humano. Um crime bárbaro, cruel e que assusta a população mundial. Apesar da divulgação das ocorrências do gênero ser maior nas metrópoles, esse mal assola também os pequenos municípios, inclusive Gaspar, que registrou, em 2018, seis casos. Destes, cinco vítimas foram homens e uma mulher.

As situações ocorreram em bairros distintos, afetaram pessoas de variadas idades e as causas das mortes também se diferem umas das outras. Conforme destaca Bruno Effori, delegado titular da Polícia Civil de Gaspar, não há uma razão criminal específica para essas ocorrências. “A motivação dos crimes foi bem diversa. Não preponderou, ao contrário do que aconteceu outras cidades. Em Blumenau, por exemplo, muitos homicídios decorreram de disputa por pontos de drogas entre integrantes de facções”.

O delegado detalha que os homicídios aconteceram por questões passionais e desavenças pontuais. “Isso não reflete no aumento da insegurança no município. Desafetos podem acontecer e, consequentemente, luta corporal ou outro tipo de violência que acaba culminando com a morte”. Essa realidade não indica que determinado bairro é mais violento que outro, já que, em geral, os homicídios não tiveram a ver com roubos, tráficos e pequenos furtos.

Nesse sentido, segundo o delegado, a questão dificulta o trabalho preventivo e repreensivo por parte da Polícia Civil. Portanto, as investigações ficam adstritas às provas testemunhas.







Adolescente mata o pai

Na madrugada do dia 31 de dezembro, um adolescente de 15 anos matou o pai, de 38 anos, para defender a madrasta. Ao que tudo indica, o crime aconteceu em legítima defesa. A vítima era dependente química e havia acabado de sair de uma clínica de reabilitação. Informações dão conta de que o homem partiu para cima da ex-mulher e o filhou entrou em luta corporal para defende-la.

Atenderam a ocorrência as polícias Militar e Civil de Gaspar, Samu e Instituto Geral de Perícias (IGP). O caso não está incluso no índice de assassinatos. “Não ficou caracterizado como homicídio, virou inquérito para apurar melhor os fatos. Aguardamos o laudo necroscópico”, conta o delegado Bruno. O jovem chegou a ser levado para a Central de polícia, mas liberado em seguida.

Outros crimes

A Polícia Civil de Gaspar prendeu, em 2018, quatro dos seis autores dos homicídios que aconteceram no município. Os outros dois, um cometeu suicídio logo após o crime e o outro segue sem identificação. Além disso, as autoridades cumpriram seis mandados de prisão preventiva a autores de homicídios ocorridos em outras comarcas e investigou três suicídios ocorridos em Gaspar.

Comentários

Deixe seu comentário


Seu e-mail não será divulgado.

Seu telefone não será divulgado.