Lista telefônica

Ilhota 60 anos: preservando a história, analisando o presente e projetando o futuro - Jornal Cruzeiro do Vale

Ilhota 60 anos: preservando a história, analisando o presente e projetando o futuro

21/06/2018

Início do desenvolvimento de Ilhota é marcado pela colonização belga

 

A história de Ilhota é marcada por muitas datas importantes. A começar por março de 1842, quando o engenheiro e pesquisador Charles Maximiliano Luiz Van Lede, natural da Bélgica, veio à região para explorar minérios. Membro da Compagne Belge-Brésiliense de Colonization, viu no território grande potencial. Ele não tinha intenção de estabelecer uma colônia agrícola, que era o que pessoas de outras nacionalidades faziam com frequência nas proximidades. Porém, foi isso que acabou acontecendo.

De acordo com o livro ‘Movidos pela Esperança: a história centenária de Ilhota’, escrito pelas historiadoras Viviane dos Santos e Elaine Cristina de Souza, Van Lede retornou ao seu país de origem para solucionar contratempos relacionados à firmação legal de sua empresa. Dois anos depois, no mês de novembro de 1844, voltou ao Brasil. Desta vez, ele veio acompanhado de 24 famílias, o que totalizava 114 imigrantes belgas. Eles passaram a viver nas terras de um latifundiário do Vale do Itajaí, que vendeu o espaço, e assim fundaram sua colônia.

Em meados de 1846, novos imigrantes chegaram à mesma região. Todos tinham o objetivo de encontrar trabalho, construir um lar e sustentar suas famílias. Porém, Van Lede, insatisfeito com o rumo que a história estava tomando, resolveu doar as terras ao hospital Bruges, da Bélgica. A instituição de saúde, porém, não conseguiu tomar posse da doação por conta da força das famílias já residentes no local. Portanto, a luta dos imigrantes prosseguiu baseada no trabalho praticado na agricultura e na pecuária.

Criação do Distrito de Ilhota

Um requerimento apresentado pelo deputado estadual Marcos Konder deu início à emancipação do território e à criação do Distrito de Ilhota. O título foi efetivamente instalado em 14 de fevereiro de 1931, através do decreto número 53. Naquela época, o distrito pertencia à Itajaí. Por um curto período, Ilhota também pertenceu à freguesia de São Pedro Apóstolo, em Gaspar. Passados 28 anos, mais precisamente em 21 de junho de 1958, Ilhota foi elevada oficialmente à categoria de município.

Conforme registrado no livro ‘Ilhota: o encanto dos belgas no vale do grande rio’, de autoria das escritoras Ana Luiza Mette e Elaine Cristina de Souza, assim que se estabeleceu uma estrutura administrativa, alguns suportes para o desenvolvimento de Ilhota foram formados. “A sede da Intendência, o Cartório e a Delegacia são elementos primários e essenciais para dar assistência ao distrito ao qual podemos constatar sua introdução através de documentos”, diz trecho do livro.

 

Casarão Belga vai preservar a história

 

Resgatar a cultura belga, reconhecer a história de uma cidade em visível crescimento e contribuir com a educação das novas gerações. Esses são os objetivos da revitalização do Casarão Belga, situado no Centro de Ilhota. As obras de reforma iniciaram no dia 18 de junho e a movimentação no local aguçou a curiosidade dos moradores, que há muito tempo pediam uma maior valorização do espaço.

A obra é uma iniciativa do prefeito Erico de Oliveira e está sendo executada com verbas de uma emenda parlamentar do deputado federal Peninha. O responsável por fiscalizar o andamento da reforma, porém, é o padre Idonizete Kruger. “Assim que o prefeito Dida foi eleito, pedi que ele desse uma atenção especial a esse patrimônio de Ilhota. Ele prometeu e agora está cumprindo”, afirma.

Segundo o padre, serão investidos aproximadamente R$400 mil na reforma do casarão e a previsão é de que a obra fique pronta em, no máximo, quatro meses. “Através de articulações políticas, foram garantidos R$300 mil. O restante vem de uma contrapartida do município. Todo o dinheiro já está na conta. Faço questão de fiscalizar os trabalhos e acompanhar tudo junto com a equipe de engenharia. Vou cuidar com carinho do Casarão Belga. Se preservamos, garantimos a continuidade da história”.

Utilização do espaço

Ainda não está definido o que será feito com o Casarão Belga após o fim das obras. A princípio, o espaço será destinado para fins culturais. “São muitas ideias. Todas incríveis e que acrescentam muito à nossa querida Ilhota. Estamos planejando montar um museu. Já conversamos, inclusive, com alguns historiadores da cidade e eles estão contentes em poder resgatar a história da colonização belga”, conta o padre. 

Além disso, a prefeitura cogita reabrir a Fundação Cultural de Ilhota e instalar uma escola de música e artes manuais, paralelo às atividades do museu. Segundo Idonizete, essa é uma forma de oportunizar à população o desenvolvimento de habilidades nessas áreas. “Têm muitas crianças talentosas na cidade. Vejo que jovens, adultos e idosos também possuem aptidão para trabalhos artísticos”.

 

Renovação e transparência na Câmara

 

“Sempre tive compromisso com Ilhota. Faço questão de dizer que, antes de levantar a bandeira de um partido, levanto a bandeira da cidade. Que o melhor seja feito, independentemente da posição política de cada um”. A frase é do vereador e presidente da Câmara de Ilhota, Jonatas de Oliveira Jacó, e representa o seu posicionamento e a forma com que os trabalhos parlamentares vêm sendo colocados em prática no município.

Eleito pelo Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) com 509 votos, Jonatas afirma que se candidatou com um propósito muito claro: renovar, palavra de ordem que é levada muito a sério. Assim que assumiu a presidência da Casa de Leis no início deste ano, o político fez questão de efetivar seus objetivos. “Hoje, a Câmara está mais dinâmica. Estamos modernizando nossa estrutura para oferecer suporte aos vereadores e, consequentemente, à comunidade”.

Um dos pontos que marcam a modernização da política na cidade, segundo Jonatas, é a transmissão online das sessões ordinárias. “Todos podem acompanhar ao vivo as discussões realizadas pelos vereadores. Isso é de grande valia, tendo em vista que foi o povo que nos elegeu. Eles precisam dessa transparência. E, nós políticos precisamos respeitá-los. É um momento único na cidade”.

Jonatas parabeniza Ilhota e enfatiza a importância de fazer jus àquilo que se comprometeu. “Feliz aniversário, minha cidade. Desejo a todos os munícipes muita felicidade. Que essa nova fase seja de sucesso ao nosso povo trabalhador, guerreiro e honesto. Além disso, que Ilhota permaneça se desenvolvendo e obtendo resultados positivos com políticos competentes”.

 

Prefeito de Ilhota fala sobre obras em andamento e deixa mensagem ao povo

 

Depois de um ano e meio à frente da administração de Ilhota, como o senhor avalia a situação da cidade?

Hoje, Ilhota está em franco desenvolvimento, se revitalizando e se preparando para um futuro radiante. A tarefa não é e não será fácil. Mas, hoje,vejo Ilhota e seus moradores pensando em união. Em juntar forças. As questões políticas estão sendo deixadas de lado. Apesar de toda a crise, o comércio continua crescendo e as obras e melhorias estão por toda a parte. Então, se eu fosse descrever, diria que estamos vestindo uma nova roupa para um novo e promissor recomeço.

As comemorações dos aniversários de Ilhota sempre reuniram grande público e o município chega aos 60 anos sem uma programação festiva. O que levou a decisão de não organizar uma programação especial para a data?

É verdade. Também acho que Ilhota merece uma grande festa. Afinal, são 60 anos. Foi difícil tomar a decisão de destinar os recursos disponíveis para revitalizar a área central e não para comemorar. O local onde seria realizada a festa está em obras e, no momento, fica inviável grande movimentação. Mas essa foi a maneira que encontrei de comemorar com Ilhota: melhorando a praça central, que é um dos nossos cartões de visita; e oferecendo à comunidade um local que sirva tanto para a prática de esportes quanto para lazer e recreação.

Quais as maiores preocupações para administrar Ilhota?

Como todo governo, o maior empecilho são os recursos escassos e, mais precisamente em nosso município, a grande área que precia receber melhorias. Pavimentar uma área tão grande como Ilhota requer mais e mais recursos. Mas, graças a Deus temos o apoio dos líderes de governo e também da bancada dos deputados, que têm Ilhota no coração e sempre destinam emendas parlamentares para nossa cidade.

Como estão as finanças do município?

Como na maioria dos municípios, estão escassas, mas administradas. Acreditamos que vamos passar pelo temporal que atingiu a economia do país com alguns arranhões, mas vamos sobreviver.

Há algum projeto para revitalizar a principal rua de Ilhota?

A revitalização do Corredor da Moda em Ilhota é um compromisso assumido que estamos trabalhando. Já tivemos, por parte do Governo Estadual, um sinal positivo para realizar a obra. Agora, as questão entram no plano burocrático em função da região ser de domínio do município e não do estado. O trecho, por tanto, não entra diretamente na revitalização da SC-412, mas receberá também atenção.

Como está a revitalização da praça?

Esta é outra obra que consideramos fundamental para o município. Isso porque se trata de um cartão postal para nossa cidade e também pelo fato de que devemos investir em um espaço mais seguro para a comunidade, especialmente no que diz respeito ao lazer e a pratica esportiva. Como mencionei anteriormente, a obra está iniciada e é um dos motivos pelo qual não teremos comemorações em homenagem aos 60 anos de Ilhota.

É de extrema importância para um município que sua história seja resgatada. Como está a revitalização do Casarão Belga?

Este é um espaço que considero fundamental, pois faz parte da história de Ilhota e é um local que serviu por muito tempo como sede da Prefeitura e da Câmara Municipal. A construção tem, em sua arquitetura, algumas referencias à cultura belga e, com a reforma, vamos recuperar e fazer dele não apenas o arquivo histórico municipal, mas também biblioteca e espaço para fomentar o turismo e a cultura em nosso município.

Como está a construção da Capela Mortuária?

Esta é uma das obras onde a união da Administração Pública e o Poder Legislativo foi fundamental. Ela está sendo finalizada graças às economias e aos recursos vindo da Câmara de Vereadores. Um esforço conjunto que vai entregar à comunidade um local adequado para que possamos homenagear os entes que partem.

Deixe uma mensagem aos ilhotenses:

Ilhota completa 60 anos e poder falar aos ilhotenses é motivo de muito orgulho. Quiçá pudesse abraçar fraternalmente a cada um e levar uma palavra de união. Acredito em Ilhota e no potencial do seu povo e sei que, com muito trabalho, vamos construir um futuro melhor e termos ainda mais motivos para sentir orgulho de nossa querida cidade. Ilhota despontará cada dia mais radiante, para orgulho de seu povo ordeiro e trabalhador. Um povo de fé, que acredita, como eu, em dias melhores. Parabéns a todos que trabalham por Ilhota. Parabéns, Ilhota, pelos 60 anos!

 

Nome em homenagem a ilha

 

Se as enchentes de 1890 e 1911 não tivessem destruído, aos poucos, uma pequena ilha localizada no rio Itajaí-Açu, Ilhota teria hoje o símbolo que deu origem ao seu nome. A ilha ficava no meio do rio, em frente à Igreja São Pio X e, segundo informações do livro ‘Movidos pela esperança - A história centenária de Ilhota’, o nome foi dado muito antes dos Belgas chegarem ao Vale do Itajaí. Ao que tudo indica, Ilhota foi o nome escolhido no período em que os indígenas habitavam estas terras.

Bandeira e os símbolos

Escudo: formado por uma coroa nas cores marrom e preta, representa a união do povo e a força do município
Faixa azul clara: representa o rio Itajaí-Açu
Faixas vermelha, amarela e preta: recordam a origem Belga
Raio branco: representa a Sociedade Termo Elétrica de Capivari AS
Montanha verde: representa o Morro do Baú
Ramos: representam o arroz e a cana de açúcar, maiores produções agrícolas do município
Faixa vermelha: contendo os dizeres ‘Ilhota o encanto do Vale’, tem abaixo a data de fundação e a data de instalação
Retângulo: na cor branca, representa a paz entre munícipes e a administração
Losango: na cor azul, simboliza as belezas do rio e do céu

 

Ilhota em números

 

Extensão territorial

Ilhota, o pequeno município pertencente à mesorregião do Vale do Itajaí, possui uma extensão territorial de pouco mais de 250 quilômetros quadrados, fazendo limite com as cidades de Luiz Alves, Navegantes, Itajaí e Gaspar. A cidade é cortada pelo Rio Itajaí Açu, pela BR-470 e pela SC-412, mais conhecida como Rodovia Jorge Lacerda. 

Bairros

Os moradores são divididos em 19 bairros: Alto Baú; Alto Braço do Baú; Baú Baixo; Baú Central; Baú Seco; Boa Vista; Braço do Baú; Barra de Luis Alves; Tabuleiro; Centro; Ilhotinha; Minas; Missões; Pedra de Amolar; São João; Vila Nova; Barranco Alto; Pocinho e Laranjeiras. 

Habitantes

Ilhota possui uma população de quase 14 mil habitantes 

Comércios associados à CDL e Associação Comercial

A nível nacional, Ilhota vem ganhando grande destaque por ser uma das grandes produtoras de moda praia e íntima do país. De acordo com levantamento da Câmara de Dirigentes Lojistas e da Associação Comercial Empresarial de Ilhota, o município possui cerca de 100 estabelecimentos associados às entidades. Ainda segundo levantamento, aproximadamente 80 desses lojistas atuam no ramo de moda praia, íntima e fitness. 

Creches

Já na educação infantil, que contempla crianças entre zero e cinco anos, Ilhota possui seis Centros de Educação Infantil (CEI). São eles: Vovô Juca, localizado no Centro; Chapeuzinho Vermelho, no bairro Pocinho; Tia Loli, na Pedra de Amolar; Tia Flor, no Baú Baixo; Vó Rosa, em Ilhotinha; e Centro de Educação Infantil Maria Terezinha Hammes Schmitz, que fica no bairro Braço do Baú. 

Escolas

Quatro escolas municipais e duas estaduais são responsáveis pela formação dos alunos de Ilhota. Na rede municipal, os educandários são Domingos José Machado, no bairro Ilhotinha; José Elias de Oliveira; nas Minas; Alberto Schmitt, no Baú Central; e Pedro Teixeira de Melo, no Alto Baú. Já na rede estadual, a cidade possui a Escola Marcos Konder, no Centro; e a Valério Gomes, na Pedra de Amolar. 

Postos de Saúde

A saúde ainda é um dos grandes desafios do município, que não possui hospital e conta com atendimento em seis Unidades de Saúde, que atendem das 8h às 16h. Os bairros que possuem posto são o Centro, Minas, Boa Vista, Pedra de Amolar, Baú Central, Braço do Baú e Alto Baú. 

Quantidade de alunos

Nas turmas de 0 a 3 anos, as creches possuem 625 crianças. No pré-escolar, são 393 alunos. Já no ensino fundamental são 679 estudantes e no ensino fundamental final são 525. Ilhota possui ainda uma unidade do Centro Integrado de Educação Especial Esperança, a Apae, que atualmente atende 70 alunos.

 

 
Edição comemorativa

Comentários

Deixe seu comentário


Seu e-mail não será divulgado.

Seu telefone não será divulgado.