Lista telefônica

Morte de homem no bairro Bela Vista causa revolta em familiares e amigos - Jornal Cruzeiro do Vale

PM de Gaspar emite Nota de Esclarecimento sobre morte em abordagem no Bela Vista

10/01/2017
PM de Gaspar emite Nota de Esclarecimento sobre morte em abordagem no Bela Vista
Postagem: 09/01/2016 - 19h30


Três dias após a morte de um homem durante uma abordagem policial no bairro Bela Vista, em Gaspar, o comandante da Polícia Militar de Gaspar, capitão Heintje Heerdt, emitiu uma Nota de Esclarecimento sobre os fatos.

A abordagem que tirou a vida de Carlos Russi, de 58 anos, aconteceu por volta das 22h de sexta-feira, 6 de janeiro, na rua Goiás.Desde o acontecido, familiares e amigos da vítima mostram sua revolta, pois acreditam que a morte é resultado de um abuso de autoridade vindo de um vizinho de Carlos, que é policial militar.

A notícia foi dada em primeira mão pela equipe do Cruzeiro do Vale e gerou diversos comentários e acessos. O conteúdo já teve mais de 30 mil visualizações e é tido pela família como uma forma de pedir justiça e punição ao culpado.

No dia em que a notícia foi postada, a redação do Cruzeiro do Vale entrou em contato com o capitão da PM, que afirmou que a viatura teria ido até o Bela Vita após ser acionada para uma ocorrência.

Confira abaixo a Nota de Esclarecimento emitida pela PM de Gaspar:

“Nota de Esclarecimento

Sobre os fatos envolvendo uma abordagem policial, onde o senhor Carlos Russi veio a falecer, informamos:

Por volta das 21hr50min do dia 06 de Janeiro de 2017, uma guarnição policial militar realizava rondas no bairro Bela Vista, quando teve sua frente cortada por um Gm/Meriva que deslocava em velocidade incompatível com a via pública. A guarnição então acompanhou o veículo suspeito, tentando abordar com o uso de avisos sonoros e luminosos, através de sirene e giroflex. O condutor não obedeceu as diversas ordens de parada, bem como tentou fechar a viatura, quase colidindo com o veículo de emergência. O condutor veio a ser abordado na rua Santo Amaro, onde o mesmo tentou entrar numa residência de um conhecido, momento em que foi imobilizado e constatado que o condutor possuía indícios de ingestão de bebida alcoólica.

Durante a abordagem do condutor, diversos familiares e amigos do condutor estiveram no local, hostilizando a atuação da guarnição policial. Em razão da aglomeração de pessoas e da tentativa de fuga do condutor, o mesmo foi algemado e colocado no compartimento traseiro da viatura, para segurança do mesmo, da guarnição e terceiros. Os policiais militares também solicitaram reforço para dar prosseguimento nas demais etapas do procedimento.

Durante este período, o condutor pediu ajuda aos policiais militares, informando que estava passando mal. Os policiais prontamente ligaram para o Corpo de Bombeiros e Samu, solicitando socorro para o abordado. Enquanto aguardavam a chegada da guarnição dos bombeiros, os policiais militares realizaram os procedimentos para reanimar o condutor, porém o mesmo não resistiu, vindo a óbito. Informações preliminares dão conta de que o motorista teria sofrido um ataque cardíaco fulminante.

Em razão do falecimento ter ocorrido durante atendimento policial, foram acionadas a Polícia Civil e o Instituto Geral de Perícias para irem ao local. O Instituto Geral de Perícias efetuou a coleta de sangue para a realização do exame toxicológico do sangue do motorista abordado. Além disto, o Comando do 18º Batalhão de Polícia Militar determinou a instauração de um Inquérito Policial Militar para apurar os fatos.

Finalmente, a Polícia Militar de Gaspar gostaria de prestar suas condolências aos familiares e amigos de Carlos Alvino Russi pela fatalidade”.

Confira abaixo a matéria completa sobre o caso:

----------------------

Postagem: 07/01/2016 - 19h30

Morte de homem no bairro Bela Vista causa revolta em familiares e amigos

A morte de um homem na noite de sexta-feira, 6 de janeiro, após uma abordagem policial no bairro Bela Vista, em Gaspar, está causando revolta em familiares e amigos da vítima. A abordagem aconteceu por volta das 22h, na rua Goiás, e resultou na morte de Carlos Russi, de 58 anos, que teve um infarto durante o contato com a Polícia Militar.

O Corpo de Bombeiros de Gaspar chegou a ser acionado para atender a ocorrência. Porém, de acordo com o relatório à imprensa, a guarnição chegou ao local e encontrou Russi já sem vida.

Revolta

O infarto que tirou a vida de Carlos Russi durante a abordagem policial poderia ser considerada normal, já que a vítima possuía histórico de hipertensão e cardiopatia, segundo relatório dos bombeiros. Porém, o caso é interpretado por familiares e amigos como o resultado de um abuso de autoridade vindo de um policial militar de Gaspar.

Uma amiga da família, que prefere não se identificar, conta que Carlos morava ao lado da casa de um policial militar e há cerca de cinco anos tem desentendimentos com o vizinho, que estaria trabalhando na viatura que realizou a abordagem. “A família de Carlos tem vários boletins de ocorrência registrados contra o policial por abuso de autoridade, perturbação, invasão e perseguição”, afirma.

Segundo a amiga da família, na noite em que tudo aconteceu Carlos havia saído de casa para jogar futebol e, depois de ir para casa, foi até uma lanchonete comprar um lanche. A perseguição policial teria iniciado na volta da lanchonete e Carlos parou o carro apenas quando chegou na frente da casa de parentes. Foi então que, segundo informações, o policial teria atravessado a viatura em frente ao carro de Carlos, algemando o homem e o jogado no camburão.

Neste momento, Carlos começou a passar mal e pediu seus remédios, que estavam dentro do carro. Os policiais, segundo informações, teriam ignorado o pedido e Carlos sofreu um infarto.

Ainda segundo informações, a ação foi presenciada por populares. Carlos chegou a receber os primeiros atendimentos de demais policiais que foram acionados para a ocorrência, mas não resistiu e faleceu no local.

A revolta dos amigos e da família, segundo relato da amiga de Carlos, é em relação ao abuso de autoridade sofrido pela família da vítima, que há anos tem desentendimentos com o policial. “O policial ia intimidar seu Carlos no portão da casa dele. De farda, com autoridade. Parece coisa de filme, mas é verdade. Só quem conhece a história sabe o que eles passaram e ainda vão passar. Mas o policial é autoridade, e nós não somos ninguém. Isso não podia acabar assim. O Carlos era uma pessoa muito calma e querida por todos”, desabafa.

O que diz a PM

A reportagem do Cruzeiro do Vale entrou em contato com o comandante da Polícia Militar de Gaspar, capitão Heintje Heerdt. Ele afirmou que, na noite de sexta-feira, uma viatura policial foi acionada para atender a uma ocorrência no bairro Bela Vista. Porém, como não encontraram o local do chamado, iniciaram rondas pela região para localizar a ocorrência. “Nestas buscas, um veículo cortou a frente da viatura. Diante dos fatos, a guarnição iniciou o acompanhamento do carro suspeito. O veículo realizou diversas manobras perigosas e foi abordado na rua Goiás, momento em que o condutor saiu do veículo e tentou entrar em uma residência”. Ainda segundo Heintje, os policiais algemaram Carlos ao verificar que ele tentava fugir e estava em visível estado de embriagues. “Algemamos para preservar a segurança do mesmo e impedir sua fuga. Neste momento, o condutor começou a entrar em convulsão alcoólica, vindo a sofrer um infarto”.

O capitão da PM de Gaspar afirma ainda que o caso foi encaminhado ao Comando Regional para análise de instauração de procedimento para apuração dos fatos.

Comentários

Suelen
11/01/2017 10:24
Engraçado que a PM nao conta a surra que deu nele, deixaram ele todo roxo! e por que??? o que ele fez pra merecer apanhar? so falta o Bonin dizer que foi legitima defesa.. JUSTIÇA POR FAVOR!!!! VAMOS CONTAR A VERDADE!CHEGA DE PROTEGER ESTE INUTIL!
marcos Brasil
10/01/2017 20:41
Conhecia muito bem o Senhor Carlos, jogou futebol comigo, pessoa generosa, amigo leal, pessoa tranquila, Infelizmente não acreditei quando soube....
Não sei o que aconteceu, mas não justifica algemar um pessoa de bem...REQUER UMA INVESTIGAÇÃO PROFUNDA.
NÃO PRECISAVA ALGEMAR, ELE NÃO É BANDIDO....tantos bandidos soutos por aí....Essa é a nossa policia que pagamos para proteger...e digo mais...Mesmo que tenha bebido uma cerveja a mais, era uma pessoa que não precisava um fim desses....Amigo, vá em paz.
Fernanda Ferreira
10/01/2017 14:59
Não me venham com essa de esclarecimento pois o que vimos aqui na frente de casa foi claramente ABUSO DE AUTORIDADE da parte do Policial Bonin! Que subiu como se fosse um animal em cima de um senhor de idade que estava implorando pra que o deixassem... Tenho certeza que nem todas as abordagens policiais são tão violentas como a que vi aqui.
Sem contar que quando o tiraram de dentro do carro ele já estava desacordado, provavelmente já sem vida!

NOTA DE ESCLARECIMENTO FURADA!
NÃO PODE FICAR ASSIM!
Fernanda Ferreira
10/01/2017 14:42
Alguém pode me explicar então por que o Bonin parecia possuído em cima daquele coitado? Tudo se passou na frente da minha casa! PERSEGUIÇÃO SIM, ABUSO DE AUTORIDADE SIM!Isso não vai ficar assim de jeito nenhum!
juliano de oliveira
09/01/2017 21:18
Sim temos que ter medo da policia principalmente do Bonin que abusa a autoridade e ameaça todo mundo.Josiane não minta pra sua filha a Pm assusta.
willian
09/01/2017 20:36
Nota de esclarecimento? Isso me parece uma grande mentira feita para acobertar um policial incapaz de exercer a profissão! Este policial que há anos vem perseguindo o Carlos, que mora na frente da casa dele, será mesmo que ele estava apenas seguindo o carro? É óbvio que ele conhecia o carro e quem estava no carro, Espero que a corporação não passe a mão na cabeça desse assassino! Infelizmente nosso amigo se foi, porém esperamos que esse assassino seja punido! Que Deus abençoe a família.
Michel macelsi
09/01/2017 19:44
Eu morei do lado do policial na frente da vítima.
Havia mesmo desentendimento entre os dois , principalmente com o filho da vítima, que é um folgado, subia é descia a rua num porrete com uma moto barulhenta, a rua além de ser estreita é morro, da rua até o portão da vítima dá uns cinco metros ,ninguém na rua se preocupava se alguém fizece a volta na frente de casa mais a vítima atravessava blocos de concreto na frente da entrada pra ninguém fazer, uma vez eu mesmo presenciei um caminhão do materiais de construção fazendo a volta na frente dessa entrada e o filho da vítima veio no portão xingar os caras depois veio a viuna da vitima xingou baixou as calças e mostrou a bunda aos trabalhadores, tinha rocha sim entre eles , não defendo os policiais, mais a vítima nem a família eram bons vizinhos.
Gabriela
09/01/2017 16:54
Muito REVOLTANTE o fato ocorrido porque já este indíviduo que se diz policial vinha á muito tempo perseguindo este Senhor que somente quem conhece a história sabe e ainda dizer que estava embriagado mentira, foi realmente uma perseguição... ENGRAÇADO o Senhor trabalhou o dia todo, foi no futebol e passou para pegar um lanche e quando pegou seu carro já estava sendo perseguido pelo mesmo vizinho que se diz policial(conscidência)... O mais chocante foi ver as cenas na hora que aconteceu, muito triste como a pessoa é tratada igual cachorro sem saber a quem recorrer nesta hora, pois o senhor estava todo machucado e todos viram , MEU DEUS que cena horrível... Esperamos JUSTIÇA mesmo sabendo que pessoas desse tipo são acobertadas sim, mas ele que não esqueça nunca que de algum jeito ele vai pagar e a justiça DIVINA é JUSTA...
josiane
09/01/2017 13:10
Lamentável, ainda mais quando conhecemos os dois, é triste usar-se de sua profissão para prejudicar o próximo é agir de má fé, penso que um policial é para proteger e não agredir uma pessoa sem passagens policias ou "embreagado". Hoje me sinto muito triste por perder um amigo que foi morto e outro que se usou do poder, pois como mãe falo todos os dias para minha filhinha: "não tenha medo do policial, pois ele está aqui para nos proteger", mas agora me pergunto, será?
Suelen
09/01/2017 11:50
Eu conheço esta historia, este policial vivia ameaçando matar este senhor e o filho dele, a família viveu a anos essa tortura, esperamos que a justiça seja feita, e que este individuo não seja acobertado
Anon
08/01/2017 15:04
Se ele pediu os remédios e foram negados pelos policiais, então é homicídio. Quem o matou foram os policiais. Espero que paguem pelo crime que cometeram. assassinos
Salete
08/01/2017 12:14
Pois é, uma vida q se foi; desentendimentos... Coincidência de ser o tal vizinho!
Adiana
08/01/2017 10:07
Agora fica a palavra de amigos contra a dos policiais.Acho muito estranho o próprio policial que ja tinha desavenças com este senhor, estar envolvido no caso.Na minha opinião houve abuso de autoridade sim.
Luzia
08/01/2017 00:06
Mto triste e revoltante a Polícia usar seu poder só Pq estao usando uma farda...e esquecer q estao tratando com um homem d bem e não um criminoso um ladrão ...Mto menos usava armas...nem conseguiu se defenderrr... Se ponhao no lugar da família hoje chorando triste a perda do esposo do pai ....Diante d Deus...vc vai pagar não tem jeito....pq vc agiu com raiva no seu coração...pronto falei...Td isso q a vizinha falou é verdade...
Renato
07/01/2017 22:55
Aparentemente parece perseguição, afinal o dito "oficial juramentado" parece ter mais força que populares.

Espero que apurem os fatos e que a polícia não acoberte pela "amizade".

Parece falta de preparo, vemos tanto na TV abordabordagens assim.

Alguém me explica como um senhor de 58 anos oferece risco a policiais armados, jovens, fardados, "preparados" e que a vítima tem uma série de boletins de ocorrência contra o que fez a abordagem?

Fica as perguntas...

Casualidade?
Vingança?
Abuso de autoridade?
Falta de preparo do policial?
Falta de competência do Estado?

Deixe seu comentário


Seu e-mail não será divulgado.

Seu telefone não será divulgado.