Lista telefônica

Casos de jovens adultos de 20 a 34 anos com HIV crescem 43% em SC - Jornal Cruzeiro do Vale

Casos de jovens adultos de 20 a 34 anos com HIV crescem 43% em SC

04/12/2017
Casos de jovens adultos de 20 a 34 anos com HIV crescem 43% em SC

O número de adultos jovens entre 20 e 34 anos infectados pelo vírus HIV em Santa Catarina cresceu 54%, segundo dados da Secretaria de Estado da Saúde (SES-SC). A quantidade passou de 757 em 2014 para 1.051 em 2015 e 1.080 em 2016. Esse aumento corresponde a 42,6%.

O grupo corresponde a 54% dos 1.974 casos registrados no estado no ano passado, conforme dados da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE), da SES-SC. O Dia Mundial de Luta contra a Aids é celebrado nesta sexta-feira, 1º de dezembro.

O segundo grupo com maior incidência de HIV em Santa Catarina é o de pessoas de 35 a 49 anos, (578 casos), seguido pelos grupos de 50 a 64 anos (192), 15 a 19 anos (92), 65 a 79 anos (30), e de 10 a 14 anos (2).

A região que teve a maior parte dos casos foi a Grande Florianópolis. Em segundo e terceiro lugares estão a região da Foz do Vale do Itajaí (407) e Médio Vale do Itajaí (231).

Em Santa Catarina, 12 municípios participam do acordo firmado entre os governos estadual e federal para priorizar ações de prevenção e maior acesso ao diagnóstico de HIV/Aids, por apresentarem as mais altas taxas de detecção de Aids no estado: Balneário Camboriú (63,2), Itajaí (61,9), São José (57,7), Florianópolis (53,7), Palhoça (49,4), Lages (44,1), Criciúma (39,6), Blumenau (39,5), Brusque (35,0), Joinville (30,6), Jaraguá do Sul (29,3) e Chapecó (29,2).

Para a pasta da Saúde estadual, apesar dos avanços em pesquisas e métodos, o uso de camisinha continua sendo a maneira mais simples e eficiente de proteção contra o HIV, assim como prevenção a outras 11 infecções sexualmente transmissíveis, como sífilis, hepatites virais e gonorreia.

A rede pública de saúde disponibiliza de forma gratuita preservativos masculino e feminino, e gel lubrificante. As unidades de saúde também oferecem o teste rápido para HIV. O tratamento da Aids é oferecido gratuitamente a todos os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS).

HIV e Aids

Nem todas as pessoas infectadas pelo HIV terão Aids a médio ou curto prazo, diz a SES-SC. Mas, mesmo sem desenvolver a doença, o portador do vírus HIV poderá transmiti-lo, e a doença pode demorar até dez anos para se manifestar.

Quanto mais cedo o diagnóstico do HIV, mais cedo será iniciado o tratamento contra a Aids.

 

 

Fonte G1

Comentários

Deixe seu comentário


Seu e-mail não será divulgado.

Seu telefone não será divulgado.