Lista telefônica

João Pizzolatti é denunciado por tentativa de homicídio qualificado - Jornal Cruzeiro do Vale

João Pizzolatti é denunciado por tentativa de homicídio qualificado

21/02/2018
João Pizzolatti é denunciado por tentativa de homicídio qualificado

O ex-deputado federal por Santa Catarina, João Pizzolatti, foi denunciado pelo Ministério Público (MPSC) pelos crimes de tentativa de homicídio qualificado com dolo eventual (assumindo o risco de matar) e embriaguez ao volante. Alcoolizado, ele provocou um acidente no dia 20 de dezembro de 2017, na SC-421, em Blumenau, no Vale do Itajaí, deixando um jovem gravemente ferido. Caso a Justiça aceite a denúncia, ele poderá ir a júri popular. 

O inquérito do caso foi concluído em janeiro e a denúncia foi oferecida no dia 19 de fevereiro, pela Promotoria de Justiça de Blumenau. O MPSC acusa o ex-deputado, que é auditor fiscal do estado, de ter agido de forma irresponsável ao dirigir depois de ter ingerido bebida alcoólica, colocando em risco a vida das demais pessoas que trafegavam na mesma estrada.

O carro que Pizzolatti dirigia invadiu a pista contrária e bateu em dois veículos. Um deles pegou fogo, ferindo com gravidade Paulo Marcelo Santos, de 23 anos, que estava dentro do automóvel. Ele teve fraturas e queimaduras de 2º e 3º graus nas pernas, e deverá ficar internado pelos próximos meses.

“Enquanto inúmeras pessoas agiram rapidamente para salvar a vítima da morte, apagando o incêndio e chamando socorro médico, João Alberto saiu do veíc ulo exalando forte odor etílico, cambaleando, falando coisas sem sentido e ainda tentando urinar diante das pessoas em plena via pública enquanto agarrava-se numa cerca ali existente, demonstrando com isso seu descaso com a vida alheia e pouco se importando com os resultados de sua conduta", diz trecho da denúncia.

O servidor público estava com a carteira de habilitação vencida desde agosto de 2017. Entre 2014 e o ano passado, ele somou 222 pontos na CNH. A família afirma que ele tem problemas com alcoolismo e chegou a dizer que ele se internou para tratar a dependência dois dias depois do acidente. O G1 não conseguiu confirmar se Pizzolatti continua o tratamento.

Polêmica

Após a batida, enquanto era feito o resgate, o ex-deputado saiu do carro sozinho. Minutos depois, a polícia chegou e ele foi colocado no porta-malas da viatura. Entretanto, na sequência, o irmão dele, Paulo Pizzolatti, ex-prefeito de Pomerode, foi ao local, tirou-o do veículo e colocou numa ambulância.

João Pizzolatti foi levado ao hospital sem escolta da polícia. Ao chegar, recusou atendimento e foi embora. Na ocasião, a PMRv (Polícia Militar Rodoviária) disse que os policiais não acompanharam o ex-deputado porque naquele momento a prioridade era a segurança viária do local da batida.

 

Fonte: G1 Santa Catarina

Comentários

Dionei
21/02/2018 14:45
Se fosse o contrário o rapaz já estaria preso e a chave tinha da cela tinha sido jogada fora. Agora como foi com o "NOBRE" político, a defesa alega que ele não estava embriagado e sim doente, brincadeira dinheiro pode tudo no Brasil.

Deixe seu comentário


Seu e-mail não será divulgado.

Seu telefone não será divulgado.