Lista telefônica

Maio vermelho para a Rodovia Jorge Lacerda - Jornal Cruzeiro do Vale

Maio vermelho para a Rodovia Jorge Lacerda

02/06/2017
Maio vermelho para a Rodovia Jorge Lacerda

Por Geraldo Genovez

Do primeiro ao último dia do mês de maio, todas as ações foram voltadas à segurança no trânsito. Através do Maio Amarelo, a comunidade se uniu para uma maior conscientização dos motoristas de hoje e de amanhã. Porém, em meio à diversas movimentações, maio encerrou de forma negativa para a Rodovia Jorge Lacerda. Justamente no período de maior concentração de forças para a divulgação da conscientização ao volante, a rodovia registrou três acidentes com óbitos em um intervalo de uma semana.

No dia 10 de maio, a Rodovia Jorge Lacerda estava há 297 dias sem mortes. Faltavam poucos dias para alcançar o recorde de 390 dias sem morte quando, no final do dia, um motociclista perdeu a vida em frente a sua casa. A colisão aconteceu nas proximidades da Ponte de Ilhota e tirou a vida de Alvacir Paiano, de 46 anos.

Seis dias depois, em 16 de maio, outro acidente fatal fez com que a vida de outro motociclista fosse interrompida. O acidente aconteceu no km 0,500, em Itajaí, e envolveu uma mobilete, pilotada por um menor; e um motociclista, que foi arremessado e, em seguida, atropelado por um terceiro veículo.

No dia seguinte, outro motociclista perdeu a vida em acidente de trânsito. A colisão carro e moto aconteceu em frente à Bunge Alimentos por volta das 21h30 do dia 17 de maio. A vítima chegou a ser encaminhada ao Hospital de Gaspar, porém não resistiu aos ferimentos e entrou na estatística de mortes na Rodovia Jorge Lacerda em maio de 2017.

“Crianças são as motoristas de amanhã”

Para o comandante do Posto 2 da Polícia Rodoviária Estadual, sargento Marcelo Vieira Ramos, diversos itens fazem com que um acidente ocorra. Mas, os principais são falta de atenção por parte do motorista e falta de distância do veículo que segue à frente. “Essas imprudências são culturais. Acredito que é mais fácil ensinarmos às crianças o que é certo e errado no trânsito, tendo em mente que elas são os motoristas de amanhã; do que tentarmos mudar um motorista que possui carteira há tempo. A maioria das pessoas, quando autuadas por qualquer tipo de infração, está mais preocupada com o valor da multa que vai pagar do que com a gravidade da infração que acabou de cometer”.

Sobre as crianças serem os motoristas de amanhã, o sargento acredita, ainda, que deveria existir um plano de educação onde a segurança no trânsito é debatida dentro da escola. “Esse tema é tão importante quanto ensino religioso e Proerd, por exemplo. Sempre bato nesta tecla porque acho que ela é fundamental”, diz o sargento.

Durante todo o mês de maio, a Polícia Rodoviária Estadual atendeu a 14 acidentes de trânsito na Rodovia Jorge Lacerda. Entre os envolvidos, três morreram e nove ficaram feridos. Foram 23 veículos acidentados, sendo 12 em pista seca e um em pista molhada. Dois acidentes aconteceram em curva aberta, um em curva fechada e 10 em locais de retas. “Não podemos ser imediatistas. As ações do Maio Amarelo são muito positivas, mas a longo prazo. Nas bliz educativas, por exemplo, acredito que os maiores resultados são os das próprias crianças que realizaram a blitz do que os adultos, que foram parados nelas”, diz o sargento Vieira Ramos.

111 ocorrências em maio

Conforme relatório do Corpo de Bombeiros de Gaspar, a guarnição atendeu, em 2017, 562 ocorrências, sendo que 111 aconteceram no mês de maio. No mesmo período no ano passado, foram atendidas 525 ocorrências, sendo 109 em maio.

O comandante do Corpo de Bombeiros de Gaspar, tenente Jefferson Luiz Machado, tem a mesma opinião do sargento Marcelo Vieira Ramos: a redução dos índices de acidentes de trânsito está relacionada com a educação. “É necessária uma mudança postural e cultural dos condutores e pedestres. Contudo, ela só terá êxito com o envolvimento de todos”, afirma o comandante. Para ele, o papel das instituições de segurança, além da fiscalização, é orientar o cidadão e contribuir para o aumento da sua percepção de risco. “Porém, são os próprios cidadãos os responsáveis por essa mudança, por meio das ações preventivas com a finalidade de reduzir e evitar a ocorrência dos acidentes”.

Organizadores comemoram ações do Maio Amarelo

O agente de trânsito Pedro Silva, peça chave na organização da campanha Maio Amarelo em Gaspar, afirma que o resultado das ações foram muito positivas. “Nossa programação foi extensa e se destacou no Vale. Promovemos ações que reuniram centenas de pessoas. O prefeito de Gaspar montou uma comissão só para a efetivação dos eventos do Maio Amarelo. Ele levantou a bandeira conosco. Então, não podia ser diferente, a campanha foi incrível”.

Para o sargento Pires, da Polícia Militar de Gaspar, as ações que melhor se desenvolveram foram as voltadas para as crianças. “Nós apresentamos às escolas o projeto ‘Transitolândia’, uma espécie de simulação de trânsito. Ficamos surpresos com tamanha receptividade das diretorias e também com o interesse dos estudantes”, revela. O projeto, segundo Pires, visa englobar o trânsito como um todo: motoristas e pedestres. “As crianças não dirigem, mas atravessam ruas, pegam ônibus, andam de bicicleta. Estão no trânsito diariamente e são os nossos futuros condutores de veículos”.

 

Edição 1803

Comentários

Deixe seu comentário


Seu e-mail não será divulgado.

Seu telefone não será divulgado.