Lista telefônica

Artigos - Jornal Cruzeiro do Vale

Globalização, política e desenvolvimento

A globalização é um fenômeno econômico, comercial e cultural que envolve as populações de todo o globo terrestre e que tem como objetivo proporcionar o que for considerado bom a todos, em todos os cantos do mundo, independente das culturas, crenças, valores e necessidades dos povos envolvidos no processo em curso, seja ele qual for.

Um dos fatos mais marcantes, intrigantes e detestáveis desse fenômeno é a ocorrência de a economia internacional estar fundamentada no dólar americano que é um fator de desestabilização mundial constante uma vez que todos os eventos internacionais são financiados e sustentados por essa moeda.

A globalização tem a finalidade de conduzir a força do capitalismo para onde ele possa se fortalecer ainda mais, para produzir mais, servindo- se de países onde não há legislação trabalhista que ampare trabalhadores expostos a toda a sorte de fragilidades.

Como sabemos, a Política é a arte de tornar possível o que é necessário. Para tornar possível o que é necessário não é, objetivamente, obrigar que as pessoas estejam vinculadas a uma agremiação partidária como muitas que existem no Brasil sem a expressividade necessária. Fazer política é, acima de tudo, defender uma causa, procurar conscientizar pessoas de que determinados propósitos são necessários para o bem de todos. Por exemplo, quando o cantor Roberto Carlos fez as músicas Amazônia e As baleias, estava fazendo política. Há muitos anos quando o nosso glorioso Pelé fez o seu milésimo gol ele disse: “Vamos pensar nas crianças pobres” Pelé transformou aquele ato em momento político. Portanto, todos podemos trabalhar politicamente em nossas comunidades sem, necessariamente, defendermos uma bandeira partidária!

Quanto a desenvolvimento, vivemos em um mundo muito dinâmico em que as atividades se alteram com uma velocidade estonteante, a aprendizagem deve ser constante, consistente a fim de que seja possível se manter em uma atividade que promova o bem-estar de toda uma população.

Hoje o momento é delicado posto que para se atingir o desenvolvimento este passa por uma escolarização, de base, muito sólida, uma vez que os métodos operativos estão cada vez mais associados à inteligência artificial de máquinas que trabalham constantemente e sem a regência de uma legislação trabalhista que imponha normas humanas para as suas ações, podendo produzir incessantemente.

 

Edição 1866

Comentários

Deixe seu comentário


Seu e-mail não será divulgado.

Seu telefone não será divulgado.
 

Artigos

A título ilustrativo de razão para que seja implantada no país a pena de morte ou de prisão perpétua, leiam abaixo, e tirem as suas conclusões, a notícia de jornal abordando monstruoso crime ocorrido no Conjunto de Maioba, município de Paço do Lumiar, no Maranhão.

O Dia das Nações Unidas ou Dia da ONU, comemorado em 24 de outubro, surgiu com a entrada em vigor da Carta das Nações Unidas, acordo iniciado com a proposta de promover a cooperação internacional entre os países.

É fato repetitivo o questionamento sobre a qualidade do voto popular. O eleitor é em geral despreparado politicamente para exercer esse direito cívico.

Tudo indica que a Economia brasileira começa a se movimentar com mais fluidez e dinamismo depois de um período de forte contração, uma vez que os consumidores haviam passado um grande período selecionando muito intensamente os seus consumos e gastos pessoais. 

Ouvir o outro. Perceber suas necessidades e angústias. Reconhecer suas contribuições e corresponder. É essa atenção capaz de diferenciar qualquer relação e que se torna ainda mais eficiente quando pensamos no atendimento às pessoas.

De forma repetitivamente disruptiva o mundo vive ciclos que continuarão a se aperfeiçoar na medida que eles circulam e avançam na história. Uns mais curtos, outros mais longos, mas o que não podemos negar, é que eles vêm e vão.

Pesquisadores da Universidade Estadual da Pensilvânia realizaram uma pesquisa buscando avaliar o relacionamento entre mãe e filhos considerando a religiosidade.

Venho através deste texto reforçar as palavras do Marcelo Tiago Marques, publicado neste mesmo jornal – edição 1817, página 15. Parabenizo o Marcelo pelo ótimo artigo mas gostaria de complementar o que ele escreveu, representando a maioria esmagadora das “pessoas do bem” dizendo, BASTA.

O país passa por uma grande crise política, econômica e de desconfiança dos serviços prestados pelo Governo Federal e empresas privadas.