Lista telefônica

Olhando a Maré - Jornal Cruzeiro do Vale

Por Herculano Domício

20/02/2017

DESVIO DE FUNÇÃO I
Para que serve a troca de governo? Para sanear, para diminuir vícios, para esclarecer distorções. Os oitos anos de governo o PT e de Pedro Celso Zuchi, criaram algumas anomalias difíceis de serem explicadas, mas fáceis de serem entendidas. Denunciadas, e após ouvir os envolvidos, a promotora que cuida da Moralidade Pública na Comarca de Gaspar, Chimelly Louise de Resenes Marcon recomendou ao atual prefeito Kleber Edson Wan Dall, PMDB, a imediata regularização da situação e o retorno dos servidores às suas funções de origem. O Sintraspug não se posicionou sobre esta anomalia. Aliás ficou quieto durante esse tempo todo. O PT, ensaia levar o caso a Justiça na proteção dos seus. E por que? Primeiro porque gostaria que os seus protegidos continuassem protegidos. Segundo, porque isso pode caracterizar no futuro mais um ato de improbidade administrativa contra Zuchi, então ir contestando desde já, é a melhor proteção. Quando fez e bancou o erro, não pensou dessa forma.

DESVIO DE FUNÇÃO II
Com a recomendação do Ministério Público, o PMDB e o PP, perante a comunidade e os servidores envolvidos, lavam as mãos. Estão, na verdade, cumprindo orientações, que se não cumpridas, podem tirar a culpa de Zuchi e transportar para Kleber. Mas que a recomendação tira um peso e tanto das costas dos novos mandatários, a isso tira. Alguns deles, em anos passados, já tinham até sido mencionados aqui. Vejam os casos e concluam. Juarez Conick, embora tenha sido nomeado como Diretor de Capacitação e Captação de Recursos, lotado na Secretaria de Educação, jamais exerceu tal função, não sabendo nem quais as atribuições inerentes ao referido cargo, sendo que a função exercida de fato, sempre foi de coordenador de manutenção elétrica e hidráulica; Dorimar Serafim Stiz, este foi nomeado primeiramente como Diretor de Controle e Manutenção de Dados (01.03.2013), lotado na Secretaria de Saúde, porém, de fato, as funções por ele exercidas sempre foram de Diretor-Geral de Assistência Farmacêutica, cargo para o qual foi formalmente nomeado somente em 05.02.2016; Merci Maria Hostin Werner, sempre exerceu a função de recepcionista do Centro de Acolhimento de Risco (CAR), embora nomeada como Encarregada do Setor de Transportes e Obras, afirmando que jamais laborou em tal cargo, tampouco tem conhecimento de suas atribuições.

DESVIO DE FUNÇÃO III
Andréa Zuchi, afirmou ao Ministério Público ter trabalhado no Município de Gaspar por 1 ano e 9 meses, sempre no setor de protocolo de planejamento, embora tenha sido nomeada como encarregada de transporte coletivo, função esta que jamais desempenhou, tampouco tem conhecimento de suas atribuições; já Luiz Carlos Soares Val, embora seja concursado da Autarquia SAMAE, foi cedido desde sua nomeação, em 2008, para o Município de Gaspar, especificamente para a Secretaria de Planejamento, onde exerce a função de Engenheiro Civil; e Cléia Boettger Scramm, servidora pública municipal, concursada como professora. Ela informou estar à disposição da Previdência Social, local onde realiza atendimento ao público, a pedido da ex-vice-Prefeita, Mariluci Deschamps;



TRANSPARÊNCIA ZERO I
A Câmara de Vereadores de Gaspar – como qualquer outra - está obrigada pela Lei, à transparência. E nela ainda inclui um mecanismo de interação com os eleitores, os contribuintes, a comunidade e a imprensa. E um desses canais é chamado de Ouvidoria. A transparência nunca foi o forte da Câmara de Gaspar. Nem dela, nem dos políticos, nem do poder de plantão. Causa urticárias, desconfianças e vinganças, apesar de todo dinheiro que rola lá ser dos pesados impostos do povo. É para ele que uma Câmara, funcionários e vereadores devem explicações. A promotora que cuida da Moralidade Pública na Comarca de Gaspar, Chimelly Louise de Resenes Marcon, a odiada pelos “poderosos” exatamente por tratar desses assuntos, teve que ir à Justiça e pedir o básico nesse tema.

TRANPARÊNCIA ZERO II
O juiz, em sentença, reconheceu a precariedade e o descaso. Deu um prazo com punições se não houvesse os ajustes requeridos e definidos em lei. O prazo já se expirou. Mas, quase nada mudou. Contratou-se empresas (e gastou-se mais uma vez) e se maquiou. Zombaria. Todos os ex-presidentes da Câmara como José Hilário Melato, PP (principalmente), Marcelo de Souza Brick, PSD e até Giovânio Borges, PSB (este em menor grau), nunca esconderam o desconforto com essa cobrança aqui, mas principalmente à interferência fiscal do MP. A Câmara com seus políticos e assessores iluminados consideram indevida de um poder no outro (Ministério Público é poder?). O atual presidente da Câmara, Ciro André Quintino, PMDB, foi mais longe. Resolveu debochar e testar o povo, imprensa, o MP e a Justiça.

TRANSPARÊNCIA ZERO III
Os vereadores Cícero Giovane Amaro e Wilson Luiz Lenfers, ambos do PSD, Dionísio Luiz Bertoldi, Mariluci Deschamps Rosa e Rui Carlos Deschamps, todos do PT e Roberto Procópio de Souza, PT. Protocolaram na Câmara um projeto. Ele se tornou o Projeto de Resolução 01/2017. É para alterar o Regimento Interno. Se alterado, as sessões que hoje são iniciadas as 15 horas vão ser às 17h. Justificativa: para que o “povo” possa ter mais acesso aos trabalhos dos edis. Já escrevi sobre isso aqui: a intenção é boa, sensata, mas é ao mesmo tempo oportunista. E por que? Porque o PT que encabeça o projeto, teve oito anos para fazer o que quer fazer agora e não o fez quando era governo, exatamente para não ver ninguém da oposição lá nas sessões da Câmara – incluindo os servidores que estão as 15h trabalhando - questionando as suas jogadas. E amanhã é o prazo máximo para as emendas ao PR.

TRANSPARÊNCIA ZERO IV
Mas onde está o tal Projeto de Resolução 01/2017 no site da Câmara para que os munícipes possam conhece-lo, avaliá-lo e opinar? Depois de procurar e escrever aqui, eu perguntei isso à Ouvidoria na segunda-feira passada. Sabe o que a Ouvidoria da Câmara fez até nesta segunda-feira quando encerro a edição da coluna? Mandou bananas. Tudo com o aval do presidente Ciro, da mesa diretora e da assessoria jurídica. Normal. Se mandam bananas para decisões judiciais, por que não fariam com que não é uma autoridade constituída? Todos zombando de todos, mas sendo remunerados com os nossos pesados impostos, dos quais não abdicam um tostão. Aliás Ciro foi na legislatura passada o que mais usou a verba de representação a que tem direito.

TRANSPARÊNCIA ZERO V
O site da Câmara de Gaspar é feito para complicar e não para explicar ou esclarecer. É proposital. Nele há uma aba chamada “Legislação”. E nela há dois links: “proposição” e “projeto”. E isso mostra como ele (o site), quem fez e a aba, são sacanas. Ora, Legislação é algo consolidado. Proposições e projetos estão longe disso. E no caso das proposições é muito difícil delas se tornarem uma legislação. Basta olhar o dicionário. E o que se inclui nessa área de proposição do site? Moções (de todos os tipos), indicações, requerimentos e resoluções da mesa diretora (o que é errado, pois as resoluções da mesa, como o nome bem diz, já não demandam mais discussões, são atos editados para serem cumpridos - e antigamente, acertadamente, elas não estavam misturadas nesta área). Na outra área, estão os projetos de lei para serem acompanhados durante a tramitação, como e quando eles são atualizados (por emendas, audiências e pareceres das comissões). E geralmente não são atualizados. É preciso ir “in loco”, pois pela “Ouvidoria” ou pela assessoria de comunicação, tudo fica ainda mais complicado. Dependem de autorizações “superiores”. Uma vergonha para algo que é público.

TRANSPARÊNCIA ZERO VI
E os tais projetos de resolução onde estão colocados no site da Câmara? Não aparecem nas listas da “proposição”, muito menos nas de “projeto”. Até o fechamento da coluna, havia na atual legislatura, listados e disponível apenas dois projetos de leis: o que institui gratificação por exercício de atividade especial na coordenadoria municipal de Defesa Civil Gaspar (que o PT está questionando – e recebeu a resposta - depois de fazer por oito anos da Defesa Civil um cabide de emprego para quem não tinha capacitação específica); e o outro PL que está lá, altera a regulamentação das carreiras dos cargos de provimento efetivo de assistente administrativo, agente administrativo, agente de comunicação e procurador jurídico junto ao quadro de servidores da Câmara de vereadores de Gaspar e dá outras providências. Ou seja, é um PL em benefício do inchaço da própria Câmara. E o PR 01/2017? Onde a Câmara escondeu? Se fez isso, mostra o quanto está empenhada na solução e na transparência. Pior mesmo, é ver os autores do Projeto de Resolução em silêncio sobre a falta de publicidade oficial das suas ideias. Acorda, Gaspar!

ILHOTA EM CHAMAS
O prefeito Érico de Oliveira, PMDB, está cercado de bons advogados: na procuradoria geral empregou o seu advogado de campanha Luiz Fernando Melcher e Maba e na Chefia de Gabinete, com o advogado Eduardo Oliveira, de Balneário Camboriu. Mas veja o que o prefeito publicou na sua rede social. Uma propaganda intencional, graficamente elaborada e de cunho personalíssima. Os nobres causídicos aprovaram isso? Por muito menos, teve gente foi destituída da autoridade e do poder. A propaganda é de governo ou da pessoa? Um prato feito para o Ministério Público, o que cuida da Moralidade Pública e os adversários, se tiverem coragem para tal.

SAMAE INUNDADO I
Sobre este título da coluna de sexta-feira, feita especialmente para a edição impressa do jornal Cruzeiro do Vale, o mais antigo e de maior circulação em Gaspar e Ilhota, devido exclusivamente à sua credibilidade, fui “inundado” durante o final de semana, com vários questionamentos e acusações. Entre elas, mais uma vez, a de ser um invejoso ou de ter interesses. É pouco. E porque é pouco? Porque nunca desejei ser encanador ou oficie-boy da autarquia – e recusaria como sempre afirmei há muitos anos se fosse sondado para tal -; nunca desejei participar de governo nenhum – seja de alguém próximo, causa ou que partido fosse e recusaria -; nunca me aproximei de políticos para ter ou obter vantagens de qualquer tipo que não fosse a venda de conhecimentos específicos profissionais quando solicitados– aliás, sofro no meu próprio bolso por não fazer acordo com eles quando pressionam e mandam recados. Não faria acordos porquê e principalmente, continua faltando o essencial ao que se diz ser um executivo de longa experiência, o político de carreira, seis vezes seguidas vereador José Hilário Melato, PP, escolhido por Kleber Edson Wan Dall, PMDB, e por Luiz Carlos Spengler Filho, PP, para comandar o Samae.

SAMAE INUNDADO II
O que é essencial para os clientes do Samae de Gaspar? Água tratada, Lixo recolhido, esgoto tratado! Quanto a água, antes não faltava nas torneiras de tantos locais daqui e com tanta frequência. Então, falta comando executivo, falta entender do assunto, falta liderar processos e pessoas, falta planejamento e faltam soluções para a população que paga e não recebe o produto. Nada mais. Volto a repetir o que escrevi e que é claro para todos: o Samae está aparelhado por oito anos de governo do PT. Isso é ruim? Se o aparelhamento for para sacanear ou boicotar a nova administração, sim. Afinal quem paga por essa vingança boba é a população. Mas, se for para ajudar na vigilância e na transparência dos maus intencionados e incompetentes, coisa que o PMDB e PP não fizeram na gestão do PT, essa vigilância é bem-vinda. E esta é, à primeira vista, o desconforto que me taxa de invejoso na falta de contra-argumentações.

SAMAE INUNDADO III
Os administradores políticos que se aboletaram no Samae querem saber, a qualquer custo, quem são os “meus” “dedos-duro”. Pois lhe afirmo: são dezenas de leitores e leitoras, cuja maioria nem conheço e até então não tinha travado qualquer contato. Esta dezena até já procurou o Samae para relatar o drama, pedir reação e parte dela nem foi atendida. Ai se socorre desse escrevinhador. Aliás, uma delas, só uma, repito, contou-me de que ao reclamar da falta de água, relatar o drama e pedir prazos na solução, do outro lado da linha escutou o atendente dizer: vá reclamar ao Herculano. E ela seguiu exatamente o conselho recebido. a falta de educação, respeito e atenção que como consumidora, minimamente, merecia do Samae. Então, estão no Samae procurando os “meus dedos duro” ao invés de primeiro fazer a lição de casa: entender o problema e dar água à população. Perda de tempo. Compreenderam, ou é preciso desenhar?

SAMAE INUNDADO IV
Contra qual tipo de “dedos-duro” a nova direção política do Samae, parte do governo de Kleber e Luiz Carlos, determinados vereadores e parte da imprensa está desconfiada, reclamando e querendo a cabeça? Os que estão boicotando ou os que trabalham pela transparência? É preciso esclarecer desde já. Afinal o Samae lida com água que pode purificar, mas chafurda com lixo – e vem ai mais uma negociação para recolher o reciclável onde muitos interesses estão em jogo entre amigos, religiosos, lobistas conhecidos de Blumenau e adversários. O Samae lida ainda com esgotos e que vergonhosamente nem saiu do papel por aqui. Então entre a pureza da água que falta por gestão temerária e o fedor do lixo e do esgoto, os dois últimos, contaminam muito mais e prometem fortes emoções. Os que lidam com esses assuntos entendem tudo como negócios. A população que paga e não recebe, reclama, e a razão, de tanta negligência bem à incompreensível prioridade que se dá à procura dos “dedos-duro”. Eu entendo, e sinceramente, não posso ter inveja de nada disso. Acorda, Gaspar!

A VIAGEM I
Esta pergunta ainda precisará de tempo para uma resposta diferente e terá que ser diferente, senão... E mais cedo do que podia se pressupor em que ela se apresenta, a resposta parece uma volta ao passado: em que a administração do PMDB e PP de Kleber Edson Wan Dall e Luiz Carlos Spengler Filho se diferencia da do petista Pedro Celso Zuchi? Por enquanto, nenhuma. E aí quando a conclusão óbvia é dita, todos da atual administração ficam tiriricas. Quer mais um exemplo? Keber foi a Brasília com dois secretários, o que governa Gaspar de verdade no lugar dele, Carlos Roberto Pereira, secretário da Fazenda (que ainda acumula a secretaria de Administração e Gestão e assim não deixar dúvidas dos superpoderes) e a que coordena a Educação, Zilma Sansão Benvenutti. Quando a cidade ficou sabendo da viagem de todos eles à Capital Federal? Na segunda-feira, dia em que estavam em vigem. Zuchi fazia exatamente o mesmo. Não divulgava nada antes: nem a viagem, nem a agenda, nem o resultado da viagem? Não se sabia ao certo o que Zuchi fazia lá em Brasília, motivo de vários comentários na época. Segundo um press release atualizado na sexta-feira na página oficial do site da prefeitura, a comitiva foi a vários ministérios, mas de concreto, nada. Com Zuchi era a mesma coisa.

A VIAGEM II
Para abafar o resultado pífio da viagem ou à forma pouco clara com que este assunto tratado nos padrões de transparência da atividade pública, colocaram na imprensa, uma foto da comitiva no plenário vazio da Câmara Federal. Ela estava ladeada com os deputados Rogério Peninha Mendonça, PMDB e Esperidião Amim Helou filho, PP. A foto chamava uma informação falsete: teria se conseguido R$1 milhão de verbas (R$500 mil para pavimentações e R$500 mil para Saúde). Primeiro: o PT fazia igualzinho. Se ou quando liberadas, pois são de emendas parlamentares, essas verbas nunca ou demoravam muito tempo para chegarem por aqui. Elas se perdiam na “tal burocracia” a desculpa de Zuchi e que Kleber j[a aprendeu a usá-la. Como no tempo do PT, PMDB e PP não especificaram claramente onde elas vão ser aplicadas e quando vão estar disponíveis. Segundo, sem precisar ir a Brasília e gastar passagens caras e diárias da prefeitura para três pessoas, a ex-vereadora Andreia Symone Zimmermann Nagel, anunciou R$150 mil vindos do senador Dalírio Beber, PSDB, para serem aplicados na Educação. Outro exemplo veio na semana passada da novata vereadora também tucana, Franciele Daiane Back. Sem ir a Brasília, anunciou R$100 mil para a Saúde trazidos pela deputada Giovânia de Sá, PSDB e que veio aqui em Gaspar trazer a novidade. Se essas duas verbas vão ser liberadas aí também é outra história. Então o que mudou? A dependência de Brasília diz que continuamos mendigos de gente esperta ou que não dá a mínima para o grotão.

A VIAGEM III
Voltando à foto da comitiva gasparense, feita para colocar no relatório de viagem e ter como troféu aos analfabetos, ignorantes e desinformados. O deputado Peninha, e que agora é referência, foi devidamente escondido durante a campanha eleitoral de Kleber por exatamente votar contra a cassação de Eduardo Cunha, PMDB RJ. Peninha não via ilícito ético algum que pudesse destitui-lo do mandato. O segundo parlamentar, Esperidião Amim, por duas vezes como relator da matéria na Câmara, não viu obrigação de se respeitar a responsabilidade fiscal, o dinheiro dos contribuintes, dos milhões de desempregados pela nefasta economia que o PP apoio no governo Dilma e tentou livrar os governadores das contrapartidas na ajuda Federal para sanear as contas públicas dos seus estados. Ele e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, DEM-RJ, agora estão obrigados a voltar atrás para diminuir o risco de falência do Rio de Janeiro e de outros estados. Ambos são as referências de Gaspar. Mais, Amim foi contra e está gravado na Câmara o uso do dinheiro de todos nós pelos partidos sem a devida prestação de contas com a punição dos responsáveis. Quanto muito pelos gestores, ou seja, laranjas não políticos com mandatos.

VIAGEM IV
Gente assim, que não respeita na cara dura o contribuinte – seus eleitores e eleitoras - que Gaspar tem disponível para assessorá-la em Brasília. E precisa gastar dinheiro do povo daqui para ir lá encontrar as suas excelências. E para não ir longe nesta pantomima em que se esconde uma viagem e apresenta fotos para registrar fatos incertos: custava ser claro com a sociedade gasparense? Quem faz a comunicação dessa gente? O Roberto? Ou ainda o pessoal do PT? Neste e outros quesitos, nada mudou. Era simples e fácil. Tudo tem a primeira vez. E é aceitável. Um comunicado antes da comitiva embarcar deveria dizer: “O prefeito Kleber fará a sua primeira viagem a Brasília. É para se inteirar e conhecer os caminhos, encontrar interlocutores confiáveis e formas para estreitar relacionamentos na busca das seguintes prioridades de governo... e assim tornar produtiva e acertiva à busca de soluções e recursos para os gasparenses”. Afinal, quais são mesmo as prioridades que a nova administração de Gaspar que precisará da fundamental ajuda de Brasília? Aí fica difícil. No que mesmo o PMDB e PP são diferentes do PT? Até agora, em nada! Nem na comunicação ou na atitude. Acorda, Gaspar!

O PPS DE GASPAR ESTÁ DISSOLVIDO I
A deputada Federal Carmen Zanotto, presidente estadual do PP dissolveu 35 diretórios e comissões provisórias. O de Gaspar, que foi fundado e depois abandonado pelo ex-prefeito Adilson Luiz Schmnitt, sem partido, é um deles. Ele ficou nas mãos do peemedebista de confiança de Adilson, mas que já não se sentam na mesma mesa, Vitório Marquetti. Nas últimas eleições, o PPS, surpreendeu, e resolveu se coligar com o PT de Pedro Celso Zuchi. Hoje, segundo a deputada há 63 diretórios ativos e sete comissões provisórias ativas. Muitos deles, desarrumados, com donos e sub-donos. Por isso, numa canetada só, Zanotto riscou 35 desses diretórios. Entraram na degola diretórios com colégios eleitorais importantes como Blumenau, Brusque, Chapecó, Florianópolis e São José.

O PPS DE GASPAR ESTÁ DISSOLVIDO II
Esta notícia pegou de surpresa e poderá acontecer com outros diretórios de outros partidos. É na verdade uma prevenção à forte reação popular da tentativa da Câmara de confrontar a Justiça Eleitoral por falta de dispositivo legal específico. A reação da sociedade cansada de sustentar partidos políticos e políticos e a repercussão da mídia, obrigou os deputados a recuarem. A proposta insana, estabelece que não será suspenso o registro do partido que tiver suas contas anuais julgadas como não prestadas. Define também que eventual punição a órgãos partidários – seja em relação à desaprovação de contas, omissão ou contas julgadas como não prestadas – não impedirá ou trará qualquer entrave ao regular funcionamento partidário. Ou seja, esta moleza e barbaridade ética com o dinheiro de todos nós, pode estar com os dias contados. Daí, preventivamente, a busca da sua regularização, porque o PPS é um dos partidos que podem sumir na reforma eleitoral. E se não tiver um número mínimo de diretórios em conformidade com a lei, tudo se complicará ainda mais.

O PPS DE GASPAR ESTÁ DISSOLVIDO III
Mesmo dissolvido, nos bastidores há uma disputa para se aproximar de Carmem Zanotto e dela se obter as graças e as desgraças e assim, as bençãos para a formação do novo diretório. Muita gente querendo ser dono de partido por aqui. Os políticos de Gaspar não se emendam. Se agarram a qualquer toco para fazer negócios, votos que é bom e que é a essência da existência e poder de um partido, nada. Acorda, Gaspar!

TRAPICHE


Aposta: por quanto tempo o PSD ficará no tal bloco Democrático, liderado pelo PT e PDT. Com um monte de desempregados e dependentes das boquinhas (até por falta de ocupação, profissão e experiência laborativa), com o PT e o PDT na oposição, eles não podem comprar, servir ou saciar os do PSD.

Ora, se no tempo do PT, o PSD de Marcelo de Souza Brick (e Giovânio Borges, hoje no PSB), arrumou os seus dentro da Câmara e da prefeitura do PT (por debaixo dos panos), agora com o PMDB e o PP no comando, não conseguirá fazer os arranjos nas tetas? Acorda, Gaspar!

Já é a segunda-vez em poucos dias que Brick vai oficialmente ao gabinete de Kleber “abrir” diálogo de trocas para os seus. Tudo com o apoio do vice de Kleber, Luiz Carlos Spengler Filho, PP, o cupido da história.

Quem não está satisfeito com essa história é o PT e o PDT, que estão por debaixo da carne seca, acostumados ao reinado.

Engana que eu gosto. Num dia (dois de fevereiro) a prefeitura de Gaspar faz um press release e dá entrevistas sobre supostas economias 27% nos comissionados. Isso com o tempo vai sendo esquecido e ninguém vigia. Se nomeia um aqui, outro acolá nos acertos e assim tudo volta como anos.

No outro dia, na sexta-feira passada anuncia que prédio alugado pela administração do PT junto a Igreja Católica terá mais quatro secretarias.

Perguntar não ofende: no press release não se fala nada de economia, mas de mordomias. Ora se quatro secretarias foram para lá, sobrou espaço em algum lugar, ainda mais se há menos comissionados.

Se sobrou espaço deveria se cortar despesas de ocupação, manutenção (luz, água, telefone), aluguel. Sobre isso nada se reportou. Outra. Na campanha eleitoral, um dos discursos do PMDB e PP era exatamente este: diminuir os custos de alugueis e manutenção. No segundo mês...

O vereador Francisco Solano Anhaia, PMDB, estreou na Câmara revelando os interesses de seus patrocinadores de campanha. Poderia ser mais discreto e dar mais tempo.

Sugeriu nos requerimentos que fez na primeira sessão pediu a compra de um terreno no Centro pela prefeitura e para se fazer um atracadouro de lanças na Margem Esquerda, sob o abrigo da ponte do Vale.

A ideia de Anhaia não é ruim, não. Mas como um ex-petista, ele ainda acha que o dinheiro de todos deve ser vir para o lazer de poucos, e principalmente dos que possuem dinheiro. Foi assim com a Arena Multiuso e que agora vai incomodar muita gente.

Um atracadouro de lanchas é uma atividade interessante. Mas, Anhaia deveria conversar com o seu prefeito e juntos lançar uma concorrência pública para alguém explorar essa atividade, livrando a maioria dos gasparenses de gastar os impostos com algo que vai ser usado por meia dúzia de abonados.

Na sessão de hoje Francisco Anhaia volta colocar a carroça na frente dos bois. Ele fez uma indicação para “a aquisição de um castrador móvel, para realizar a castração (esterilização) gratuita de cães e gatos em nosso município, bem como realizar parcerias com os professores e alunos dos Cursos de Veterinária da FURB e da UNIVALI para realizarem os procedimentos”.

Antes vereador, Gaspar precisa ter uma política municipal de zoonoses. É ela que vai decidir se isso é necessário, como e quando pode ser feito, quem pode ser feito e de onde vem o dinheiro para isso. Não tem nenhum veterinário na cidade que possa orientá-lo? Ou tem com interesses comerciais na venda do tal castrador?

Se a moda pega... O vereador Cícero Giovane Amaro, PSD, está pedindo na Câmara para a prefeitura verificar e notificar o proprietário do terreno localizado na esquina das ruas Arnoldo Koch e José Honorato Muller, no bairro Coloninha. Quer a liberação e a limpeza da “calçada” do terreno.

Um passo atrás. Um cidadão armou até um protesto contra a compra as 11 geladeiras para os gabinetes dos vereadores de Gaspar. Mas, até o momento, não se soube.

O PT acaba de completar 37 anos. O PT está “economizando”, sob ameaça de retenção do Fundo Partidário e pagando multas milionárias à Justiça Eleitoral (em 2015 foi aplicada uma de R$ 4,9 milhões).

Por outro lado, O PT já recebeu mais de R$ 14 milhões do Fundo Partidário este ano. Dinheiro que vai para os partidos e os políticos, mas que faltam à Saúde, Educação, Segurança, obras... É o partido que mais vai arrancar dinheiro do contribuinte para financiar suas atividades em 2017, ano que não tem eleição alguma.

Em outra ponta. Uma pesquisa mandada fazer pela CNT, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, PT, aparece como a estrela para voltar em 2018. Vá entender. Depois de quebrar o Brasil e os brasileiros, desempregar mais 12 milhões, elevar a inflação a dois dígitos... Wake up, Brazil!

 

Edição 1789

Comentários

Marcos
21/02/2017 07:46
falta água pela cidade, pois os encanadores que no mandato anterior tinham vida boa no Paço municipal e ganhavam altos salários agora que voltaram para o Samae e não querem trabalhar.
Sidnei Luis Reinert
21/02/2017 06:45
Publicado em 20 de fev de 2017

A primeira conferência da embaixadora para a ONU da administração sexista e anti-semita de Trump, no altar sagrado da "Nações Unidas".
"Embaixadora de Trump" puxa as orelhas à ONU

https://www.youtube.com/watch?v=Ldyd4KtRSaw&app=desktop
Herculano
21/02/2017 06:33
da série: vergonha. Políticos admitem que usam o foro privilegiado para suruba e assim driblar a Justiça nos crimes que cometem usando a representatividade popular paga com os pesados impostos dos contribuintes, quando estão no parlamento e na gestão pública

FORO NÃO PODE SER "SURUBA SELECIONADA", AFIRMA JUCÁ

Conteúdo do jornal Folha de S. Paulo. Texto de Ricardo Brito, com Daniel Wetermann e Beatriz Bulla, da sucursal de Brasília. Líderes da base e da oposição no Congresso ameaçam aprovar uma proposta de emenda à Constituição (PEC) para retirar o foro privilegiado de magistrados e integrantes do Ministério Público caso o Supremo Tribunal Federal (STF) leve adiante a proposta de restringir o foro de políticos somente para crimes cometidos no exercício do mandato eletivo.

"Se acabar o foro, é para todo mundo. Suruba é suruba. Aí é todo mundo na suruba, não uma suruba selecionada", afirmou o líder do governo no Congresso, senador Romero Jucá (PMDB-RR), ao Broadcast Político, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado.

A afirmação de Jucá ?" investigado na Lava Jato ?" foi uma reação à proposta em debate no STF de restringir o alcance da prerrogativa dos políticos ao mandato em exercício. "Uma regra para todo mundo (a restrição do foro privilegiado) para mim não tem problema", disse o senador peemedebista.

Pouco antes, Jucá fez no Senado um duro discurso contra a imprensa por ter sido criticado após apresentar e em seguida retirar uma proposta que impedia os presidentes da Câmara e do Senado serem investigados por fatos anteriores ao exercício do cargo, como já ocorre para quem ocupa a Presidência da República.

O senador ressaltou que o Supremo ainda vai decidir se caberia à própria Corte alterar a interpretação do foro ou apenas por meio de uma mudança na Constituição pelo Legislativo. "Não é coisa de curto prazo, para amanhã", disse.

A discussão sobre o alcance da prerrogativa ganhou corpo na semana passada após o ministro do STF Luís Roberto Barroso defender a limitação do foro a casos relacionados a acusações por crimes cometidos durante e em razão do exercício do cargo. Em um processo que discute compra de votos do prefeito de Cabo Frio, Marquinhos Mendes, na eleição de 2008, Barroso propôs uma nova interpretação para o chamado foro por prerrogativa de função. Ele quer que o plenário do STF discuta esse entendimento pessoal.

O relator da Lava Jato no Supremo, ministro Edson Fachin, também defendeu a revisão do foro. Por ora, a mudança proposta por Barroso não deve entrar na pauta do STF em março.

'No seu quadrado'. O líder do PR na Câmara, Aelton Freitas (MG), vai na mesma linha de Jucá e acredita que, caso o STF entenda ser possível restringir o foro, a medida teria de valer para todas as autoridades que possuem a prerrogativa. Contudo, segundo ele, caberia apenas ao Congresso promover essa mudança na Constituição para reduzir o alcance do foro. "Cada um no seu quadrado."

Em São Paulo, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu que mudanças deveriam passar pelo Legislativo e não por mera decisão do STF. "Eu acredito que tudo que passe por nova legislação é sempre mais adequado que passe pelo Congresso Nacional", disse Maia, em entrevista coletiva.

O líder do governo no Senado, Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), afirmou que o Supremo "não tem competência" para decidir sobre o assunto, embora considere uma "boa ideia" a restrição ao foro. O tucano classificou como "errada" a interpretação de Barroso, pois, segundo ele, a Constituição é "muito clara" sobre a prerrogativa.
Para o líder PMDB na Casa, Renan Calheiros (AL), é "mais legítimo" quando o Congresso decide sobre as autoridades que têm prerrogativa de foro. "Quando o Legislativo demonstra dificuldade em encaminhar uma solução, muitas vezes cabe ao STF fazê-la. Nesse caso, não", afirmou.

O líder do PT na Câmara, Carlos Zarattini (SP), disse que a atual legislação é clara sobre o foro especial e criticou o que chama de "exacerbação" do Poder Judiciário.

'Questão de honra'. Já o presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe), Roberto Veloso, considera que o STF pode interpretar a Constituição para restringir o uso do foro ?" sem que isso necessariamente passe por uma alteração legislativa.
De acordo com Veloso, virou "questão de honra" para o Supremo tratar do assunto. O Supremo vem sendo criticado pela demora nas investigações e julgamento de políticos. "O preço que o STF está pagando é alto ao não mexer nisso", disse Veloso. "O Supremo ou toma uma decisão a respeito disso ou vai ter que se adequar a ser uma corte voltada ao julgamento de crimes."
Segundo o presidente da Ajufe, o foro privilegiado "está transformando o Supremo numa corte criminal", sendo que a competência do tribunal é para julgamentos constitucionais.

Sem citar nomes, Veloso afirma que "o foro está sendo utilizado para proteção de quem pratica crimes" e que o instrumento é usado atualmente para fazer "chicana". Para ele, a Corte deve uma resposta à sociedade.
Há uma manifestação popular agendada por coletivo político a favor do governo Temer para o final de março a favor da Lava Jato e pelo fim do foro privilegiado.
Paulo Antonio Cerqueira
21/02/2017 06:28
Herculano

Não ligues para os ataques foi assim na outra administração, até invasão de sua aconteceu e ficou fora do ar.

Tudo verdade que falaste a superautarquia. Mas o senhor não em a metade do lá acontece.

O macaco veio, como por ai chamaram, está muito chateado, aos próximos confessa sua ira aos mais afastados diz que você não o atinge, que inveja mesmo.
"Há sim nos ares,mais que aviões de carreiras" ou "nas águas navios de carreira".

Te prepara que vem medidas judiciais por aí,patrocinada por escritório central.
Herculano
21/02/2017 06:11
O humor de José Simão

É HOJE! KINDER OVO NO SENADO!

Atenção! Faltam cinco dias inúteis pro Carnaval!

E hoje ainda acordei sem noção: ressaca do Baixo Augusta com horário de verão!

Todo mundo sem noção!

Que horas é hoje? Meio-dia pras quatro! O Frankstemer acordou eufórico: ganhou mais uma hora de mandato! ?" sofrência!

Rarará!

E essa: "Odebrecht pagou treinamento empresarial pro filho do Lula".

Eu quero esse curso: como ficar rico e famoso em um milésimo de segundo! E qual filho do Lula? Tanto faz!

O filho do Lula é o filho mais famoso do mundo.

E a Odebrecht parece Deus, onipresente!

Rarará!

E hoje é a sabatina do Kinder Ovo no Senado!

E os senadores vão receber o careca com uma marchinha de Carnaval: "A tua careca não nega, Moraes/ Pois tua careca é um horror/ Mas como a careca não nega, Moraes/ Eu quero um favor". O favor é "Me livra da cadeia!".

Rarará!

E os Acadêmicos da USP fizeram outra marchinha pro Moraes: "Olha a careca do Moraes/ Será que ele fez/ Será que ele fez/ PLÁGIO.

Rarará!

E os senadores só tem uma única pergunta pro Moraes: "O senhor vai livrar a nossa cara? Seremos absolvidos?". SIM!

Rarará!

E o Moraes de capa preta vai ficar parecendo o Tio Funéreo!

Rarará!

E domingo no bloco eu não gritei "Fora, Temer", gritei "Dá uma dentro, Temer".

Rarará!

É mole? É mole, mas sobe!

E os blocos?

Em Olinda, o bloco: Cumero Mãe! Agora Eu Tô Aqui. Mas essa é a história da humanidade!

Rarará!

E em Búzios uns coroas se juntaram e criaram o bloco Os Tremendo. Oba.

Vamo tremendo mesmo!

É Carnaval!

E no Rio um grupo de alpinistas criou o bloco Só o Cume Interessa.

Rarará!

Nóis sofre, mas nóis goza!

Que eu vou pingar o meu colírio alucinógeno!
Herculano
21/02/2017 06:06
SAÍDA PARA CRISE É GLEISI HOFFMANN NA FAZENDA, por Josias de Souza

A senadora Gleisi Hoffmann, líder do PT, escalou a tribuna para avisar que apenas o Carnaval separa o Brasil do seu reencontro com o caminho da prosperidade. Passados os festejos de momo, disse ela, o petismo lançará um conjunto de propostas para tirar o país do abismo econômico em que Dilma Rousseff o meteu.

Quando chefiava a Casa Civil da Presidência, sob Dilma, Gleisi não conseguiu evitar a ruína produzida pela companheira presidenta. Hoje, afastada do governo, a senadora passou a discursar sobre economia no Senado. E como qualquer outro político, quando não está no governo e sim discursando no Congresso, Gleisi passou a farejar respostas e soluções para todos os problemas.

Temer talvez devesse considerar a hipótese de convidar Gleisi para a pasta da Fazenda. Demitido, Henrique Meirelles passaria a escrever artigos para jornais. E logo farejaria uma forma de apressar a superação da crise. E bastaria a Temer fazer tudo o que o ex-ministro Meirelles escrevesse, em vez de seguir o receituário petista de Gleisi, que estaria de volta ao governo e, portanto, sem saber o que fazer.
Herculano
21/02/2017 05:58
VERDADES, MENTIRAS E FOFOCAS, por Hélio Schwartsman, no jornal Folha de S. Paulo

Por que acreditamos em "fake news", as notícias falsas que circulam na internet? O que os estudos no campo da psicologia da mentira ensinam é que a vantagem inicial é dos enganadores. Isso porque humanos tendemos a aceitar como corretas as informações que chegam até nós. O nome dessa predisposição é "viés de verdade".

Existem algumas explicações para seu surgimento. Em primeiro lugar, assumir como verdadeiro aquilo que nos é contado é, em termos heurísticos, o melhor chute que podemos dar, já que na vida diária recebemos mais informações corretas do que falsas de parentes, amigos etc.

No mais, o dano social de acreditar falsamente que alguém é um mentiroso ou de exigir que todos provem tudo o que falam tende a ser maior do que o de acreditar eventualmente numa falsidade. Muito ceticismo não é bom para a vida social.

É claro que esse é só o início do jogo. Se alguém mente para nós repetidas vezes, começamos não só a desconfiar desse indivíduo como também a espalhar que ele é um embusteiro. A fofoca, e o prejuízo que ela causa à reputação, opera como contrapeso ao viés de verdade. É um controle "a posteriori", mas funciona bem, especialmente em grupos pequenos, onde todos se conhecem.

O problema é que hoje vivemos numa comunidade virtual de bilhões de pessoas, a internet, que permite que garotos na Macedônia criem notícias falsas sobre as eleições americanas e as espalhem sem temer dano reputacional. Para piorar, sistemas populares de distribuição de notícias, como o Google e o Facebook, se valem de algoritmos que consideram apenas a taxa de leitura, sem ligar para a veracidade dos dados.

O que precisaríamos fazer seria introduzir na rede um análogo da fofoca, que distinga entre fontes confiáveis e mentirosas. Não é fácil, já que estamos falando de um ambiente cujos pontos altos são justamente a plena liberdade e o quase anonimato
Herculano
21/02/2017 05:54
DEFENSORIA ATUARÁ PELOS PRESOS. JÁ AS VÍTIMAS..., por Cláudio Humberto, na coluna que publicou hoje nos jornais brasileiros

A Defensoria Pública da União (DPU), que é paga pelo contribuinte vítima da criminalidade, deverá, de graça, mover ações indenizatórias em nome de 622.202 mil presidiários em todo o País, caso esses bandidos o desejem. Em Manaus, a DPU faz mutirão em atendimento a presidiários, inclusive para as indenizações. Questionada, a Defensoria não informou quantas ações já promoveu em defesa das vítimas.

ORA, AS VÍTIMAS
Indagada sobre ações em defesa de vítimas, a DPU respondeu: "não temos números consolidados sobre este tipo de atendimento".

SISTEMA CEGO
A DPU também informou que "o nosso sistema não possibilita levantamento de dados" sobre eventuais ações em defesa de vítimas.

INVERSÃO DE VALORES
O STF mandou indenizar presos na ação de um bandido condenado por matar para roubar. A família da vítima não teve qualquer direito.

PERGUNTA NO TRIBUNAL
Se os Estados não tiverem dinheiro para pagar todas as indenizações, os contribuintes serão presos por descumprimento de ordem judicial?

TEMER PODERÁ ANUNCIAR NOVO MINISTRO NESTA TERÇA
Até esta segunda-feira (20) às 19h36 o presidente Michel Temer ainda não havia batido o martelo na escolha do futuro ministro da Justiça. Mas ele promete anunciar o convidado tão logo a escolha Alexandre de Moraes para o Supremo Tribunal Federal seja referendada pelo Senado. Ele ficou ainda mais cuidadoso após a recusa do velho amigo Carlos Velloso, mesmo depois de deixar quase tudo acertado,

NOME CERTO
Temer se inclina pela escolha de jurista para o Ministério da Justiça. Ele também quer José Mariano Beltrami na Secretaria de Segurança.

DESAPONTAMENTO
Ficou também "com a cara no chão", com a negativa de Velloso, o senador tucano Aécio Neves, que o levou à conversa com o presidente.

PANCADARIA
Enquanto se decidia sobre o convite que deixara quase aceito, Velloso se assustou com o volume de notícias criticando fatos de sua trajetória.

A CAMINHO DO CÁRCERE
Acusado pela Polícia Federal pela prática do gravíssimo crime de obstruir a Justiça, o ex-presidente Lula continua utilizando a estratégia fajuta de tentar desqualificar quem o investiga, e alegar "perseguição".

N?"S PAGAMOS
O serviço público virou bom negócio: dos mais de 622 mil funcionários do governo federal, 15,4% ganham mais de R$13 mil mensais. Do total, 12,7% embolsam entre R$ 3.501 e R$ 4.500. Sem contar as regalias.

VERBA REDUZIDA
A Petrobras garante que vai gastar em propaganda R$220 milhões por ano, e não meio bilhão. O resultado da licitação para escolha de duas agência, que o mercado já conhece, será divulgado nesta quarta (22).

ELEGÂNCIA E JUÍZO
Na sabatina de Alexandre de Moraes, nesta terça (21), o presidente do DEM, Agripino Maia (RN), espera "elegância" dos cinco senadores do PT na comissão. Eles têm juízo, não xingariam quem os poderá julgar.

CARA E BOCA DURA
O ex-presidente do Senado, que chamava Alexandre de Moraes de "chefete de polícia", agora afirma que o indicado por Michel Temer para o Supremo Tribunal Federal tem "embocadura".

BERLINDA
A presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, marcou para 2 de março a retomada do julgamento que pode levar ao afastamento do governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT).

NORDESTE NO COMANDO
Um cearense de Novo Oriente, advogado José Coêlho, e o recifense Lúcio Mário de Barros Góes, general-de-exército, assumirão a presidência e vice do Superior Tribunal Militar (STM) no dia 16.

RESTAURADORES
O secretário de Comunicação, Paulo Fona, reuniu todos os assessores de comunicação de órgãos do governo do DF para cobrar união e empenho. O objetivo é reverter o desgaste da imagem do governo.

PENSANDO BEM...
...com ou sem ministro da Justiça, a Lava Jato continua a todo vapor.
Herculano
21/02/2017 05:46
OBESOS DEVEM PAGAR MAIS POR PLANO DE SAÚDE? NOS ESTADOS UNIDOS, ELES JÁ PAGAM, por Cláudia Collucci, no jornal Folha de S. Paulo

Empresas podem penalizar funcionários obesos? Planos de saúde devem cobrar mais de quem está fora do peso ou premiar quem está em paz com a balança?

Essas questões têm sido muito discutidas em vários países e começam a fazer parte também da agenda brasileira, já que metade dos usuários de planos de saúde está acima do peso.

Segundo uma pesquisa da consultoria Aon Hewitt, penalizar funcionários que não cuidam da saúde é uma tendência na maioria das empresas norte-americanas: seis em cada dez empregadores planejam essa medida.

A Michelin North America Inc. colocou-a em prática em 2014. Funcionários com pressão arterial elevada ou mais de 100 cm de cintura pagam até US$ 1 mil a mais por ano pelo seguro-saúde. Outras empresas, como a a varejista Walmart, adotaram penalidade parecida aos funcionários fumantes-que têm que pagar US$ 2.000 a mais pelo plano de saúde.

O gasto anual médio das empresas americanas com a saúde dos funcionários é US$ 12.136 por cabeça. Segundo reportagem do "Wall Street Journal", 20% dos funcionários de uma empresa são responsáveis por 80% dos custos com saúde. A maioria desses gastos é ligada a doenças causadas pela obesidade, sedentarismo e tabagismo.

Para entidades de defesa dos direitos trabalhistas, penalizar funcionários por excesso de peso ou tabagismo é uma medida discriminatória e injusta, já que muitas pessoas precisam de ajuda para a mudança de hábitos. Seria mais justo as companhias oferecerem, antes da cobrança, algum tipo de programa de promoção à saúde.

Já os executivos argumentam que os custos em saúde estão cada vez maiores e que não é possível reduzi-los sem que os empregados mudem seus hábitos nocivos. Citam ainda estudos que mostram que as pessoas se sentem mais estimuladas com uma penalidade em dinheiro (multa), do que com reconhecimento (prêmio).

Nos EUA, empresas têm autonomia para decidir o que quiserem em relação ao seguro-saúde. Atualmente, a legislação americana permite que elas cobrem até 30% a mais dos trabalhadores que não se enquadram nas exigências do plano de saúde.

No Brasil, as operadoras têm oferecido descontos na mensalidade e prêmios -como notebooks e viagens internacionais mais baratas- para incentivar usuários a perder peso, fazer exercícios e adotar hábitos saudáveis.

Para ganhar os benefícios, os clientes precisam ir a consultas, participar de palestras e, em alguns casos, se submeter a avaliações periódicas. Mas uma revisão de 34 estudos internacionais concluiu que, embora esses programas mudem comportamentos de saúde a curto prazo, os efeitos positivos tendem a desaparecer quando os benefícios são cortados.

O que isso tudo revela? Que medidas isoladas ou punitivas tendem a ter pouco impacto na redução de doenças tão complexas como a obesidade e o tabagismo. O país precisa sérias e urgentes políticas intersetoriais de promoção à saúde. Sem elas, o cenário já é bem conhecido: custos em saúde insustentáveis e população cada vez mais doente.
Herculano
21/02/2017 05:43
CAROS LEITORES E LEITORAS

A ÁREA DE COMENTÁRIOS DA COLUNA CONTINUA COM PROBLEMAS E PEÇO DESCULPAS.

INSERIDO O COMENTÁRIO E CLICADO NO "ENVIAR", AO INVÉS DA CONFIRMAÇÃO DE ENVIO DE PRAXE, COM O RESPECTIVO AGRADECIMENTO DE PARTICIPAÇÃO, ESTÁ-SE INFORMANDO QUE HOUVE UM ERRO.

APESAR DESSA ADVERTÊNCIA, AS PARTICIPAÇÕES DOS LEITORES E LEITORAS ESTÃO SENDO ENVIADAS E RECEBIDAS. NA MEDIDA DO POSSÍVEL, ESTÃO SENDO MODERADAS.
Herculano
21/02/2017 05:39
da série: como os políticos de um modo em geral e principalmente a esquerda do atraso trata os eleitores como analfabetos,ignorantes e desinformados. Afinal quem criou a recessão, os milhões de desempregados e não quer que esse quadro mude pois perderia o discurso? Para os políticos o povo deve ficar eternamente refém de esperanças e promessas nos discursos na busca de votos.

MELHOROU PARA QUEM? CERTAMENTE NÃO FOI PARA A MAIORIA DO POVO, por Vanessa Grazziotin, senadora do PCdoB-AM, no jornal Folha de S. Paulo.

É incrível! Mesmo em recessão, com queda do PIB e da arrecadação pública, fechamento de milhares de empresas e 13 milhões de desempregados, o discurso oficial dos governistas é de que o Brasil "segue firme no caminho da recuperação e que já começam a despontar os sinais de melhora".

Versão, aliás, bondosa e acriticamente replicada pela maioria dos meios de comunicação, em absoluto contraste com o tratamento dispensado ao governo Dilma.

A queda da inflação, por exemplo, tem sido apresentada como um feito desse governo. Além dos fundamentos já terem sido enfrentados anteriormente, é natural que, com a economia derretendo e o desemprego estratosférico, se caminhe até para a deflação.

Mas a generosidade midiática não se encerra nesse episódio. Como se vê, nem sempre os fatos merecem o mesmo tratamento dos meios de comunicação. Quando a aprovação de Dilma caiu a 10%, em uníssono foi decretada a inviabilidade de seu governo. Mas quando Temer fica abaixo de 10%, a notícia se transforma em nota de rodapé.

O que explica essa diferença de tratamento? É simples. A boa vontade da classe dominante em relação aos governos não está calcada na realidade dos fatos, e sim no quanto a política econômica e social daquele governo atende aos seus objetivos e expectativas.

Não por acaso, os números da pesquisa CNT/MDA, que revelam crescimento acentuado da rejeição a Michel Temer (62%) e destacada liderança do ex-presidente Lula em todas as simulações para 2018, foram solenemente ignorados pela maioria dos meios de comunicação.

Loteiam impunemente cargos, sem qualquer critério técnico, como revelou o ministro da Casa Civil, visando a garantir uma maioria acrítica que lhes permita aprovar a agenda neoliberal do golpe: parar a Lava Jato, entregar o patrimônio público aos estrangeiros e retirar direitos dos trabalhadores.

Sabemos, todavia, que a retomada do crescimento só será possível ampliando investimentos em infraestrutura e no social. Infelizmente, a atual política fiscal está na contramão dessa perspectiva, sobretudo quanto à política de inclusão e combate às desigualdades sociais e regionais.

A opção político-econômica adotada pelo governo agravará ainda mais a situação. Congelar gastos públicos no social e em infraestrutura, fazer reformas (Previdência e trabalhista) que suprimem direitos dos assalariados e dos mais humildes, flexibilizar políticas de conteúdo nacional e tentar vender terras na Amazônia a estrangeiros são uma agressão aberta ao povo e a nossa soberania.

Melhorou para quem? Certamente não foi para a maioria da nossa gente.
Serveró Ilhota
20/02/2017 22:09
Herculano,
Na Ilhota os universitários estão esperando os ônibus gratuitos sentados! Prefeito promete e não cumpre!
Mariazinha Beata
20/02/2017 20:12
Seu Herculano;

Antônio José Soares disse para esquecer "o pobre do Melato".
Se fosse competente ... e pobre é o povo que fica sem água.
Bye, bye!
Herculano
20/02/2017 18:47
PSDB E BOLSONARO UNIDOS AO PSOL CONTRA A PRIVATIZAÇÃO DA CEDAE: ONDE ESTÁ O DORIA CARIOCA?, por Rodrigo Constantino
Celebrei aqui a notícia de que a privatização da Cedae foi aprovada pela Alerj, mas descubro depois, com tristeza, que Flavio Bolsonaro votou contra, ao lado de tucanos e do PSOL. É lamentável. É verdade que o deputado tentou se justificar, alegando não ser contra a privatização em si, mas contra essa privatização, nesse formato etc e tal. Ele não quer dar um "cheque em branco" nas mãos dessa gestão sob suspeita, um argumento até legítimo. Mas parece coisa daqueles "isentões" que dizem que não são petistas, mas?

Sinto muito, mas não cola, Flavio. A alternativa de deixar a estatal nas mãos do governo é ainda pior! Qualquer liberal sabe disso. Você não fez o meu curso? Então faça! Você tem defendido bandeiras importantes, como o Escola Sem Partido, o direito de cada um escolher ter ou não uma arma, tem comprado as brigas certas, mas escorregou feio nessa. E não posso me calar, pois prezo minha independência, como você sabe. Por isso esse texto: para cobrar coerência de sua parte. Vai mesmo ficar ao lado do PSOL e da ala tucana do Rio, a pior do país?

Lucas Berlanza, que foi colaborador do Instituto Liberal, comentou: "Flávio Bolsonaro, para votar contra a privatização da CEDAE, assim como PSDB e PSOL, alegou que o modelo da venda está equivocado; porém disse no vídeo-justificativa que, fosse outra a situação, também pensaria duas vezes, porque a empresa é 'superavitária'. Bola foríssima esse raciocínio". Concordo com o Lucas: mesmo que a estatal dê lucro, isso não é motivo para mantê-la estatal. É preciso levar em conta o custo de oportunidade?

Gustavo Franco, que é ligado ao PSDB, não poupou críticas ao seu partido por essa mesma postura na privatização da Cedae:

Não é preciso entrar no mérito: enquanto isso, o prefeito do Rio de Janeiro está se escondendo ?" pois não se ouve falar dele, exceto acerca dos problemas para a nomeação do filho, tampouco de seus secretários. E a bancada do PSDB se posiciona contrariamente ao ajuste nas contas do Estado e também à privatização da CEDAE. É ridículo. São Paulo pode ser o túmulo do samba, mas, o Rio não é melhor quando se trata de política.
[?]
O Fantástico mostrou: o saneamento é a grande fronteira para o investimento em infraestrutura, com profundas implicações fiscais, ambientais e de saúde pública. As necessidades de investimento estão na casa de R$ 300 bilhões para o Brasil, e os estados e municípios não têm esse dinheiro. É simples assim.

É como a telefonia nos anos 1990: há um mundo para fazer e não há a menor condição de as companhias estatais (estaduais e municipais) existentes cumprirem esta agenda nas próximas 3 ou 4 décadas. Podemos encurtar o caminho com a privatização. E evitar muita doença, poluição, déficits e corrupção. O saneamento pode ser uma extraordinária fronteira de investimento na próxima década, se apenas trazemos o setor privado par o jogo. O que estamos esperando?

E a bancada do PSDB é contra! E repete esse discurso ridículo do "cheque em branco", como se agora fosse a hora de discutir o edital e o valor da empresa. É pior do que a objeção ideológica que, ao menos, é sincera. Estou envergonhado e decepcionado com o comportamento da bancada, acho que eles estão no partido errado.

O artigo do Fernando Fernando Schüler é muito bom. E chama a atenção para o assunto da saúde, ao falar da mortalidade infantil na Argentina. E a dengue, zika e coisas da espécie no Brasil? Quantas doenças, mortes, lesões permanentes poderíamos ter evitado se tivéssemos privatizado a CEDAE 20 anos atrás e acelerado os investimento nessa área?

Gustavo Franco e Lucas Berlanza estão certos. Não há como sustentar esse papo furado de "cheque em branco" quando a alternativa é manter a empresa sob o controle estatal, com tudo o que isso significa em termos de incompetência e corrupção. O saneamento básico é questão urgente! O povo pobre é quem mais sofre com a má gestão estatal. Até entregar a empresa de graça já valeria a pena!
Espero que Bolsonaro volte atrás nessa questão, reconhecendo o erro. Já quanto ao PSDB carioca tenho poucas esperanças. Essa turma raramente defende a coisa certa?
Herculano
20/02/2017 18:41
BANRISUL: POR QUE PRIVATIZAR A JOIA DO RS, por Maílson da Nóbrega, economista, ex-ministro da Fazenda, no seu blog

O Rio Grande do Sul vive o drama de uma família quebrada que, para se soerguer financeiramente, precisa vender uma joia, isto é, o Banrisul. Sem isso, pode caminhar para a completa insolvência e o colapso.

No passado, foi justificável criar bancos estaduais como o Banrisul. Tal qual em outros países, eles supriam falhas de mercado, a situação em que o setor privado não é capaz de prover bens e serviços essenciais à geração de bem-estar. A intervenção do Estado torna-se necessária até que

Empresas estatais surgiram no início do século XIX em países europeus emulados com a Revolução Industrial que enriquecia a Grã-Bretanha. Sem dispor das mesmas condições, construídas em séculos, optaram por criar empresas estatais em áreas como as de ferrovias e bancos. O Japão fez o mesmo. No pós-guerra, com a ascensão do Partido Trabalhista ao poder, a Grã-Bretanha estatizou empresas privadas, dessa vez por razões ideológicas.

À medida que a falha era corrigida, a presença do Estado tornou-se dispensável. Começando na Grã-Bretanha e apesar das resistências, quase todas as estatais europeias foram privatizadas na segunda metade do século XX. No Japão, isso ocorrera no início do mesmo século.

No Brasil, as primeiras estatais apareceram nos anos 1920 nas ferrovias. Foi também a época de alguns bancos estaduais, que depois se expandiram país afora. Entre os anos 1940 e 1950 surgiram a Vale do Rio Doce, a Cia Siderúrgica Nacional, a Petrobras, o BNDES e a Eletrobras. No regime militar, as estatais proliferaram em nível federal e estadual.

Nos anos 1980 e 1990, a crise do Estado e as ineficiências das estatais criaram o apoio à privatização. Foram preservados apenas os bancos federais, a Petrobras e subsidiárias da Eletrobrás. A calamidade na gestão dos bancos estaduais justificou a sua venda ou transformação em agência de fomento. Sobraram os pouquíssimos bem dirigidos, entre eles o Banrisul.

Hoje, inexistem falhas de mercado para justificar o Banrisul. Muitos, todavia, estão contra a privatização. Em 1998, as câmaras de vereadores de Erechim e de outras 133 cidades propuseram emendar a Constituição estadual, estabelecendo um plebiscito para a alienação do banco. A proposta passou por unanimidade na Assembleia Legislativa em 2002. Ficou difícil privatizar.

Tudo indica que a privatização será uma das contrapartidas para que a União ajude a resolver a crise nas finanças estaduais. Se for rejeitada, ocorrerá uma situação curiosa. Na crise que tolhe o investimento, dificulta o pagamento do pessoal e inibe a prestação de serviços essenciais, o estado seria forçado a manter a joia que o livraria da calamidade.

São Paulo privatizou seus bancos estatais, mas as empresas e as famílias não perderam o acesso ao crédito nem deixaram de explorar seu potencial. Será uma pena se os gaúchos, influenciados pelo populismo de políticos e pelo corporativismo de sindicados, votarem contra a privatização do Banrisul. O Estado e seu povo serão os grandes perdedores.
Herculano
20/02/2017 18:18
LEGIÃO QUE "PERSEGUE" LULA NÃO PARA DE CRESCER, por Josias de Souza

Cristiano Zanin Martins, advogado de Lula, alistou mais um personagem no pelotão dos "agentes públicos que perseguem Lula": o delegado Marlon Cajado, da Polícia Federal. Em nota oficial, Zanin escreveu que "é desprovida de qualquer fundamento jurídico" o relatório em que Cajado conclui que Lula e Dilma devem responder a inquérito pelo crime de "obstrução de Justiça". Para o advogado, não há dúvida de que o delegado faz "uso indevido da lei e dos procedimentos jurídicos" para hostilizar Lula.

O doutor Zanin e todo o petismo sustentam que Lula, por imaculado, é inimputável. Investigá-lo é quase um crime de lesa pátria. Asseguram que há um complô da Polícia Federal, de juízes federais de Curitiba e de Brasília, da imprensa nacional e de meia dúzia de delatores vagabundos contra o ex-presidente petista. O exército de detratores de Lula não para de crescer.

Embora seja inacreditável, a versão do complô é a que mais convém ao país. Lula já é protagonista de cinco processos judiciais. A essa altura, é mais reconfortante enxergá-lo como vítima de um complô de delegados, procuradores, juízes, jornalistas e delatores para converter um personagem modelo em político desonesto do que ter que admitir que tudo o que está na cara não pode ser uma conspiração da lei das probabilidades contra um sujeito inocente.
Herculano
20/02/2017 18:12
IDOSOS NO FACEBOOK DEIXAM MARKETING DO BEM COM LÁGRIMAS NOS OLHOS, por Luiz Felipe Pondé, filósofo, no jornal Folha de S. Paulo

O que vem a ser o marketing do bem? O marketing do bem é, antes de tudo, uma derivação da esquerda empacotada para o mundo corporativo. Vai bem em palestras caras e dá aos colaboradores a impressão de que podem fabricar armas e ainda assim salvarem o mundo investindo em árvores. Nesse mundo de Deus e do Diabo, tudo pode, contanto que paguemos a fatura do Visa.

Mas essa disciplina também se aplica aos comportamentos individuais. E são esses que mais me interessam como tendência contemporânea. Já disse outras vezes que estou seguro de que, num mundo vindouro, verão nossa época como uma das mais irrelevantes da história, justamente porque somos estragados pelo conforto.

O conforto como categoria (quase) universal produziu uma alienação profunda da realidade. A riqueza em larga escala (apesar do mimimi com a desigualdade social, que é em si um "mercado" à parte) garantiu a existência do maior número de seres humanos mimados que já habitou a face da Terra. O marketing do bem é a "ciência" de cabeceira desses mimados. Quando pensam, são inteligentinhos. Quando pensam em si mesmos, são bonzinhos. Quando se enfurecem, postam #repúdio!

A primeira marca do marketing do bem é a mentira como procedimento argumentativo. Jamais enuncie algo que comprometa o conforto moral ou psicológico de quem ouve você. Fazendo isso, você tem uma grande chance de sempre ter aquele que "te segue" como seu consumidor de ideias.

Um praticante desse tipo de marketing sempre investe na ideia de que as novas gerações são mais "evoluídas" e resolvem melhor os problemas clássicos da vida, descritos em ideias como os sete pecados capitais (que considero, ainda, uma das melhores formas de narrar os seres humanos em seus momentos mais difíceis).

Dizer que os mais jovens são mais evoluídos implica um autoelogio, porque os pais e professores desses mais jovens são, evidentemente, os responsáveis por eles serem mais evoluídos. Ao mesmo tempo, dizer isso garante que esses mais jovens permanecerão como consumidores do mercado daqueles que "creem nessa evolução" política e moral.

A substância primeira da moral pública sempre foi a hipocrisia, porque a mentira sustenta o cotidiano quase o tempo todo. É quase uma forma de boa educação em almoço de domingo em família. O marketing do bem nega esse fato (sabido por qualquer pessoa não mentirosa) afirmando que o bem pode ser um produto que acompanha o cheque especial ou uma linha especial de crédito num banco cor-de-rosa. Idosos com Face deixam o marketing do bem com lágrimas nos olhos.

Sendo ele, o marketing do bem, uma derivação do pecado capital da vaidade (ou orgulho, ou soberba), sua primeira intenção é obscurecer as dimensões contraditórias da realidade, por exemplo, que 7 bilhões de pessoas querendo ser felizes implicam, necessariamente, a insustentabilidade desse desejo em nível de massa.
Sabe-se há muito tempo que a esquerda é um fetiche do capitalismo. A verdade desse fato se encontra, antes de tudo, na publicidade dos bancos e na própria adesão dos publicitários ao discurso do bem social e político. Não se encontra qualquer contradição entre as formas mais "avançadas" de branding e a plataforma de qualquer populismo do bem. Negar o lucro como valor absoluto no mundo corporativo é uma das marcas mais "avançadas" do marketing do bem.

O selo dessa forma de marketing é reconhecível a léguas de distância. Mais recentemente, odiar Trump. Trazer flores nas mãos para manifestações. "Acreditar" num mundo sem guerras. Apoiar tudo que tenha a marca ONU. Afirmar-se sem preconceitos. Negar as diferenças que fazem diferença. Propor diálogo com terroristas. Negar o conflito entre modos de vida em lugares como a Europa Ocidental. Praticar qualquer forma de espiritualidade redutível a "energias" e a alimentação sem glúten ou lactose. Sonhar com um mundo matriarcal no qual não existem mães monstruosas. Defender valores "femininos" para pessoas que não querem ter filhos. Nas escolas, sonhar com um mundo de banheiros "livres e iguais" ?"#haja saco!
Herculano
20/02/2017 17:56
LEITORAS E LEITORES DA COLUNA

Devido a troca de servidores externos do portal Cruzeiro do Vale no final de semana, fui obrigado a interromper ou limitar às atualizações da coluna de sábado, domingo e segunda-feira, privando os meus eleitores. Desculpem-me. Não foi feriado para este escriba. Ao contrário: agonia. Algumas ferramentas ou facilidades de edição não estavam disponíveis nesta transição.

A troca de servidor se deu em decorrência a instabilidade que ocorria pelo volume de acessos em certos momentos no portal. Ele cresceu muito. É o mais acessado da nossa região. E isso se deve a sua atualidade e credibilidade, o melhor prêmio de todos.

Aos poucos vamos retomando à rotina. Para quem é leitor ou leitora e interage com comentários, pode aparecer na hora de enviar uma mensagem de erro após o clique de envio. É algo ainda não resolvido. Não há erro nenhum. Estou recebendo os seus comentários. Na medida do possível e dentro de um contexto de segurança, vou aprovando para deixá-los disponíveis para a leitura e contextualização.

Deixe seu comentário


Seu e-mail não será divulgado.

Seu telefone não será divulgado.