Lista telefônica

Editorial - Jornal Cruzeiro do Vale

Área Azul: como funciona?

17/02/2017 14:38

Gaspar opta pela prestação do serviço de Área Azul para que as vagas centrais da cidade tenham mais rotatividade. A missão resolve o problema de muitos, já que na correria do dia a dia é importante que a população encontre espaço para estacionar e, assim, poder solucionar pendências. Aqui, anualmente, a Ditran arrecada aproximadamente R$ 147 mil, sendo que 80% desse valor são destinados a manutenções no âmbito do trânsito. 

No centro de Gaspar há 11 ruas onde se aplica a regra da Área Azul. Portanto, há um grande número de vagas disponíveis, fazendo com que o serviço se torne eficaz. Porém, em três dias de procura, a reportagem do Cruzeiro do Vale não encontrou nenhum agente responsável pela fiscalização do estacionamento rotativo. Além disso, o número de pessoas que descumprem as regras da Área Azul é bastante significativa, uma vez que a maioria dos condutores não colocam o cartão.

Nesta edição, conversamos com o Diretor-Geral de Trânsito de Gaspar, José Marildo de Azevedo, para esclarecer a funcionalidade da Área Azul, bem como sistema de notificações, cobranças, pontos de estacionamento rotativo e de compra do talão. Além disso, destacamos as punições para quem não cumpre com a lei, estacionando em desacordo com a sinalização.

 

Edição 1788

Comentários

Deixe seu comentário


Seu e-mail não será divulgado.

Seu telefone não será divulgado.
 

Leia Mais

Gaspar opta pela prestação do serviço de Área Azul para que as vagas centrais da cidade tenham mais rotatividade.

O cenário político nacional, estabelecido há alguns anos, agora reflete na situação do mercado imobiliário das pequenas e médias cidades.

03/02/2017

Ponte x MP

Uma recomendação do Ministério Público de Santa Catarina, na pessoa da promotora Chimelly Louise de Resenes Marcon, enviado à Prefeitura de Gaspar no início da semana, está gerando muitos comentários na cidade.

27/01/2017

Aposentadoria

A ordem da vida é constituída, basicamente, de quatro etapas. As pessoas nascem, estudam, trabalham e morrem. Nesse meio tempo, todos passam por momentos bons e ruins, paralelo a cada período.

20/01/2017

Fatalidade?

Fatalidade. A palavra define bem o que aconteceu com as moradoras de Gaspar, Caroline Trescher, de 22 anos; e Marilete Inês Ribeiro de Barros, de 35, na BR-470 na tarde de terça-feira, 17 de janeiro.

Esta pergunta se tornou comum na última semana em Gaspar, quando Carlos Russi, de 58 anos, morreu durante uma abordagem policial no bairro Bela Vista.

Prestes a ser inaugurada oficialmente, a Ponte Prefeito Dorval Rodolfo Pamplona pode não ser entregue ao povo gasparense como deveria.

Pelo que parece, as reivindicações dos moradores da rua Albertina Maba, no bairro Margem Esquerda, foram tratadas com descaso pelo Executivo.

Na semana passada, a equipe do Cruzeiro do Vale deu início a uma matéria especial que fala de sonhos a serem realizados antes da morte.

25/11/2016

Justiça

Na quinta-feira, a comunidade parou para acompanhar o veredito final do caso do assassinato de Marli de Lima, a diarista gasparense que teve sua cabeça cortada e jogada no rio.