Lista telefônica

Campanha do Cruzeiro do Vale entrega terceira casa - Jornal Cruzeiro do Vale

Campanha do Cruzeiro do Vale entrega terceira casa

04/08/2010 08:37

 

fotopg6reatrancacolorMD.jpgAs lágrimas correram levemente pela face de Jorge André Schramm ao pisar pela primeira vez dentro de sua nova casa, construída em forma de mutirão e inaugurada neste sábado, 24 de julho, dois dias antes do gasparense completar 41 anos de vida. ?Este é o melhor presente de aniversário que eu poderia ganhar em minha vida?, disse Jorge ao olhar para o novo lar.

MAIS FOTOS AQUI

A pequena morada fica em um agradável e amplo terreno no bairro Macuco, onde a família de Jorge reside. Parte do material de construção foi comprado por Jorge, o restante foram doações e a obra foi erguida, de forma voluntária, por amigos e familiares. Todo o trabalho foi coordenado pelo por Gilberto Schmitt, proprietário do Jornal Cruzeiro do Vale, que em sua trajetória de 20 anos já construiu três casas para pessoas carentes da comunidade gasparense. ?O Jornal Cruzeiro sempre se envolve em campanhas pela comunidade, e desta vez coordenamos os trabalhos para que mais uma pessoa de bem pudesse ter um lugar aconchegante para morar?, declarou Gilberto Schmitt na festa de entrega da moradia.

De volta ao lar

 


fotopg7p4colorMD.jpgAo entrar na nova morada, as lembranças de uma vida marcada por momentos de angústia e dor vieram à memória de Jorge.

O homem de 40 anos saiu de casa ainda jovem, morou sozinho em Blumenau, onde trabalhava e se sustentava. Depois de muitos anos longe da família, Jorge sofreu um acidente e além de quebrar os braços e pernas descobriu que estava sofrendo sequelas de uma meningite, sofrida ainda na infância. Com o apoio de amigos, foi para Florianópolis trabalhar. Lá, além das dores que sentia por causa das sequelas da meningite, a doença desgastou a cartilagem do quadril, Jorge foi assaltado três vezes e perdeu tudo o que tinha. Doente e sem um lugar para morar, ele foi resgatado por um amigo e voltou para Blumenau. Debilitado, o gasparense precisou se aposentar por invalidez, pois a doença o impedia de trabalhar, e decidiu voltar para casa e o aconchego de sua família.

?A história de Jorge nos lembra da história bíblica sobre o filho pródigo. Ele esteve longe e agora volta para perto de sua família. Estamos muito contentes em poder recebê-lo e saber que a ajuda de todos contribuiu para que ele encontrasse um lugar seguro para viver?, afirma Gilberto Schmitt.

O amigo que trouxe Jorge de Florianópolis, Elmir Arnold, ficou surpreso ao ver a casa construída para o gasparense. ?Fico muito feliz em ver esta nova etapa da vida dele. Amigos são para isso, para compartilhar momentos de dor e também de alegria e agora comemoro com ele este momento tão alegre?, afirma.

Rosalina dos Santos Schramm, mãe de Jorge, também ficou emocionada ao pisar pela primeira vez na casa do filho. Lágrimas de emoção correram pela face da forte senhora, mãe de 15 filhos. ?Não tem como a gente não se emocionar. Estou muito feliz em tê-lo de volta perto de nós?, comemora a mãe.

 

Obra foi erguida com a ajuda e doação de mais de 40 pessoas



fotopg6abrecolorMD.jpgAo todo, mais de 40 pessoas ajudaram a construir a casa de Jorge Schramm. As obras tiveram início no dia 6 de fevereiro, debaixo de muito calor, e terminaram na noite desta sexta-feira, 23, algumas horas antes da entrega oficial, realizada com uma festa na manhã deste sábado, 24.

Entre os voluntários estavam homens, mulheres, adultos, adolescentes e até crianças. Todos quiseram dar sua contribuição para que a casa fosse construída em tempo e Jorge pudesse voltar a morar próximo de sua família, no bairro Macuco.


Os trabalhos aconteceram quase todos os finais de semana, embaixo de chuva e de sol.

A casa possui uma sala, cozinha, um quarto, uma varanda e um banheiro e foi erguida em um amplo terreno, com lagoas e espaço para ser ampliada.

Parte do material para a construção foi adquirido por Jorge e também através de doações, para ver seu sonho se transformar em realidade.

A mão-de-obra, que segundo o coordenador da construção, Gilberto Schmitt, é a parte mais cara de uma obra, foi toda voluntária.

Eduardo Schmitt, que soube da campanha também  decidiu ajudar. ?Fiquei muito honrado em ser convidado para participar da entrega das chaves. A casa ficou muito bonita. Fiquei honrado em poder ajudar?, declara.

 

Eles contribuiram com a obra



fotopg6tiocolorMD.jpg?Eu já havia trabalhado como pedreiro, mas desta vez trabalhei de forma voluntária. Me sinto muito realizado ao ver a casa pronta e saber que pude contribuir para ajudar quem precisa?.
Sebastião dos Reis, 44 anos

 

 

 

 

 

 

 

fotopg6teodorocolorMD.jpg?Fui o responsável pela obra pois sou pedreiro, me intitularam de mestre de obras, mas trabalhei voluntariamente ajudando todos os finais de semana. Estou muito alegre por poder participar junto nesta ação?.
Teodoro  Francisco Schmitt, 46 anos

 

 

 

 

fotopg6franciscocolorMD.jpg?Eu ajudei mais na parte do reboco e do acabamento da casa. Ficou uma obra muito bonita, uma boa morada?.
Francisco Gelazio Zancanella, 52 anos

 

 

 

 

 

 

 

 

fotopg6gilbertinhocolorMD.jpg?Ajudei desde o fundamento até os retoques finais. Já havia ajudado a construir outras casas das campanhas do Cruzeiro. Achei muito legal, gostei mais de ajudar na pintura da casa. Me sinto feliz em ajudar e saber que o Jorge terá um lugar para morar e ainda com espaço para pescar e convidar seus amigos?.
Gilberto Schmitt Filho, 16 anos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

fotopg7p3colorMD.jpg

Inauguração com churrasco e chope

 

fotopg7p5colorMD.jpg

Jorge abre as portas do novo lar

 

 

 

edição 1215

Comentários

Deixe seu comentário


Seu e-mail não será divulgado.

Seu telefone não será divulgado.