Lista telefônica

Editorial - Jornal Cruzeiro do Vale

Em Ilhota

No início de 2017, o prefeito de Ilhota, Erico de Oliveira, afirmou que manteria o transporte aos universitários, apesar de mudar a maneira com que o serviço vinha sendo ofertado. Os ônibus do município deixariam de ser usados e haveria uma licitação para resolver o problema, contratando uma empresa terceirizada. Porém, até então nada foi feito. As faculdades da região já deram início às aulas e os ilhotenses que frequentam o ensino superior precisam acrescentar os gastos com o transporte, a matrícula do curso, materiais didáticos e alimentação fora de casa.

A comunidade sente na pele o aumento expressivo, uma vez que o município sempre custeou parcial ou totalmente o transporte. O que preocupa os acadêmicos no momento é a prorrogação da data da licitação, que inicialmente aconteceria no início de fevereiro, para evitar que as aulas começassem em meio à situação. Agora, segundo os alunos, a data foi retardada para a metade de março, um mês após o início das aulas. A informação não foi confirmada oficialmente pelo chefe do Executivo, que não atendeu e não retornou as ligações da reportagem do Jornal Cruzeiro do Vale.

Enquanto isso, os estudantes de Gaspar tem esperanças de conseguirem transporte gratuíto para as universidades. O prefeito Kleber Wan-Dall foi prestativo ao falar do assunto, que já foi sua prioridade enquanto vereador, há quatro anos. Hoje, representando a prefeitura, ele afirmou que por uma questão de viabilidade financeira o município não suportaria oferecer o auxílio no momento, mas o assunto não está fora de cogitação futuramente. Wan-Dall reconhece a necessidade e promete trabalhar em torno disso recebendo comissões de acadêmicos, que desejam a ajuda, para conversar a respeito.

 

Edição 1789

Comentários

Deixe seu comentário


Seu e-mail não será divulgado.

Seu telefone não será divulgado.
 

Leia Mais

Após longas negociações com a Câmara de Vereadores e algumas exonerações de servidores comissionados, a Prefeitura de Gaspar implantou esta semana a famigerada reforma administrativa.

A decisão ímpar de rompimento da concessão do transporte coletivo em Blumenau abriu os olhos de muitas pessoas para os problemas e deficiências do serviço oferecido em todos os municípios.

A paralisação de obras executadas pelos governos de esferas municipal, estadual e federal é um mal que assola o Brasil há décadas e simboliza o atraso político, econômico e social do país.

Óbitos providos de acidentes de trabalho registrados em Gaspar e Ilhota causaram impacto na população das cidades devido à morte repentina das vítimas.

Segundo reportagem do jornal Cruzeiro do Vale, um estudo de tráfego para Gaspar elaborado por um especialista permanece parado na Diretoria de Trânsito, Ditran, desde maio de 2014.

Onde está a polícia? Essa, evidentemente, é a primeira pergunta que o cidadão amedrontado faz na primeira situação de insegurança, pois paga tributos para contar com segurança por parte do Estado. Investir em educação, em oportunidades de trabalho, em lazer e dignidade é o caminho para a construção de uma sociedade civilizada.

Após passarem por um ano de morosidade na Câmara de Vereadores, os projetos de lei que propõem reforma administrativa encaminhados pelo Executivo no final do ano passado foram alvo de uma nova investida do governo.

A instalação da 4ª vara da Comarca de Gaspar, que será responsável pelos casos de Família, Infância, Juventude, Idoso, Órfãos e Sucessões, dá mostra de que a Justiça está cada vez menos cega para suas próprias estatísticas, disposta a jogar luz sobre os índices de lentidão do andamento de processos.

Reportagem propositiva publicada pelo Jornal Cruzeiro nesta edição mostra os vieses daqueles que estão envolvidos na retirada da primeira habilitação de motorista e de como os condutores estão sendo formados pelos Centros de Formação de Condutores, CFC.