Lista telefônica

Editorial - Jornal Cruzeiro do Vale

Até onde vai o poder da farda?

13/01/2017 08:55

Esta pergunta se tornou comum na última semana em Gaspar, quando Carlos Russi, de 58 anos, morreu durante uma abordagem policial no bairro Bela Vista. Com mais de uma versão sobre o caso, familiares, amigos e até mesmo quem não conhecia Carlos espera uma resposta. Para resolver a situação, a Polícia Militar abriu um inquérito e a Polícia Civil espera o laudo do Instituto Médico Legal, IML, para dar procedimento à investigação.

A família de Carlos acusa um policial militar de abuso de autoridade. Eles dizem que sofrem, há tempo, pelo poder que o homem de farda tem.

Infelizmente, casos de abuso de autoridade são mais comuns do que se imagina. Ao assistir ao noticiário ou ler um jornal de grande circulação, é comum nos depararmos com esse tipo de notícia. Mas, o que parecia distante da realidade gasparense, pode estar mais perto do que se imagina. Histórias como essa assustam a população. Afinal, quem era para proteger, agora, está causando mais insegurança. Mas, vale lembrar que, como em todas as profissões, não se deve julgar todos que vestem a mesma roupa pela atitude de uma única pessoa.

Carlos Russi faleceu vítima de infarto. Mas, o motivo que o levou a tal situação será investigado pela Polícia Civil e, em breve, esclarecido para a família. Se o policial acusado de abuso de autoridade for culpado pela situação, que ele seja punido. A comunidade gasparense espera uma resposta. Os amigos esperam uma resposta. A família espera uma resposta.

 
Edição 1783

Comentários

Deixe seu comentário


Seu e-mail não será divulgado.

Seu telefone não será divulgado.
 

Leia Mais

Onde está a polícia? Essa, evidentemente, é a primeira pergunta que o cidadão amedrontado faz na primeira situação de insegurança, pois paga tributos para contar com segurança por parte do Estado. Investir em educação, em oportunidades de trabalho, em lazer e dignidade é o caminho para a construção de uma sociedade civilizada.

Após passarem por um ano de morosidade na Câmara de Vereadores, os projetos de lei que propõem reforma administrativa encaminhados pelo Executivo no final do ano passado foram alvo de uma nova investida do governo.

A instalação da 4ª vara da Comarca de Gaspar, que será responsável pelos casos de Família, Infância, Juventude, Idoso, Órfãos e Sucessões, dá mostra de que a Justiça está cada vez menos cega para suas próprias estatísticas, disposta a jogar luz sobre os índices de lentidão do andamento de processos.

Reportagem propositiva publicada pelo Jornal Cruzeiro nesta edição mostra os vieses daqueles que estão envolvidos na retirada da primeira habilitação de motorista e de como os condutores estão sendo formados pelos Centros de Formação de Condutores, CFC.

É notória a precariedade das estradas brasileiras, o que apenas se confirma com uma simples andada em avenidas e rodovias.

A localidade Jardim Primavera, que por tantos anos passou esquecida pela comunidade gasparenses, lembrada apenas pelos casos ligados à criminalidade, recebeu esta semana a entrega de um residencial para 70 famílias.

A reportagem especial desta edição, intitulada “Como é ser deficiente visual em Gaspar?”, trouxe à tona o quanto Gaspar precisa avançar no que diz respeito a acessibilidade. Mobilidade nas calçadas, semáforo e acesso a cursos de braile e informática são obstáculos apontados pelos cidadãos que necessitam de melhor atenção.

A excelente notícia da liberação de R$ 6 milhões para o pagamento e a retomada das obras de Ilhota automaticamente aumenta as expectativas também para uma definição sobre o caso da Ponte do Vale.

Gaspar, Ilhota e região voltaram a sofrer com a preocupação de um novo risco de enchente a partir dessa quinta-feira, dia 22.

Dez meses após a liminar que forçou o município de Gaspar oferecer ajuda aos três ou quatro abnegados que mantêm em suas propriedades dezenas de cães abandonados por cidadãos irresponsáveis e inconsequentes, as ações do poder público para fazer seu papel nesse assunto agora é que começam a se desenhar.