Lista telefônica

Editorial - Jornal Cruzeiro do Vale

Vem paralisação por aí

Após a reprovação da proposta de reajuste no auxílio alimentação, valor que segue sem aumento desde 2015, os servidores municipais, por meio do Sitraspug, estão pensando em realizar uma paralisação na próxima quinta-feira, 23 de março. A ideia não é promover discórdia e aglomeros, segundo Lucimara Rozanski da Silva, presidente do Sintraspug, mas sim entrar em um acordo com o Executivo no período que antecede o manifesto, para evitar transtornos.

A linha de pensamento de Lucimara é bastante positiva e não visa prejudicar a cidade, pelo contrário. O objetivo é uma negociação amigável. Portanto, é importante que o poder público leve em consideração as reivindicações daqueles que tanto fazem pelo município.

 

Edição 1792

Comentários

Deixe seu comentário


Seu e-mail não será divulgado.

Seu telefone não será divulgado.
 

Leia Mais

O poder público é constantemente criticado pela omissão com que encara - ou deixa de encarar - assuntos relacionados ao desenvolvimento da cidade.

A interminável espera por algum posicionamento do governo do Estado, das entidades do município e das lideranças regionais a respeito da execução ou não do Contorno de Gaspar, propostas alternativas começam a ser articuladas como forma de buscar investimentos menores, mas capazes de ao menos amenizar o caos do trânsito na região central de Gaspar enquanto o poder público não bate o martelo sobre a realização ou não do projeto do Contorno.

Uma parceria entre moradores, sociedade civil e entidades pode ajudar a viabilizar a implantação de três câmeras de videomonitoramento na região do Bela Vista. 

Após longas negociações com a Câmara de Vereadores e algumas exonerações de servidores comissionados, a Prefeitura de Gaspar implantou esta semana a famigerada reforma administrativa.

A decisão ímpar de rompimento da concessão do transporte coletivo em Blumenau abriu os olhos de muitas pessoas para os problemas e deficiências do serviço oferecido em todos os municípios.

A paralisação de obras executadas pelos governos de esferas municipal, estadual e federal é um mal que assola o Brasil há décadas e simboliza o atraso político, econômico e social do país.

Óbitos providos de acidentes de trabalho registrados em Gaspar e Ilhota causaram impacto na população das cidades devido à morte repentina das vítimas.

Segundo reportagem do jornal Cruzeiro do Vale, um estudo de tráfego para Gaspar elaborado por um especialista permanece parado na Diretoria de Trânsito, Ditran, desde maio de 2014.

Onde está a polícia? Essa, evidentemente, é a primeira pergunta que o cidadão amedrontado faz na primeira situação de insegurança, pois paga tributos para contar com segurança por parte do Estado. Investir em educação, em oportunidades de trabalho, em lazer e dignidade é o caminho para a construção de uma sociedade civilizada.