Lista telefônica

Temporada de verão pede precaução! - Jornal Cruzeiro do Vale

Temporada de verão pede precaução!

13/11/2018
Temporada de verão pede precaução!

O verão começa, oficialmente, no dia 21 de dezembro. Mas, com os dias cada vez mais quentes e a aproximação das férias, as praias e piscinas começam a ganhar uma movimentação maior. Pensando na segurança de todos, o Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina já lançou a ‘Operação Veraneio 2018/2019’, que tem como objetivo prevenir afogamentos por meio da conscientização dos banhistas e através do monitoramento dos locais de banho pelos Guarda-Vidas.

Mas, engana-se quem pensa que a ação abrange apenas cidades litorâneas. Na operação da temporada passada, os Bombeiros de Santa Catarina registraram 85 casos de afogamento, sendo que 29 pessoas chegaram ao óbito. Destes, 18 foram registrados em locais de água doce, como rios e cachoeiras. Em Gaspar, Corpo de Bombeiros atendeu nove ocorrências por afogamento.

Projeto Golfinho em Gaspar

Apesar disso, os números revelam uma queda de 32,5% no número de afogamentos em relação ao ano anterior. Isso se tornou possível graças à conscientização da população e ao trabalho que os Bombeiros e Guarda-Vidas desenvolvem, como é o caso do ‘Projeto Golfinho’, programa que já acontece há 19 anos em Itajaí e que, pela primeira vez, vai acontecer também na cidade Coração do Vale.

O projeto desenvolve atividades educativas sobre prevenção e conscientização dos perigos do mar, cidadania e meio ambiente com crianças e adolescentes com idade entre nove e treze anos. Aqui, o programa deve acontecer nas escolas do município em horário de aula e utilizando a estrutura dos próprios educandários. O início está previsto para o dia 26 de novembro.

Cuidado com as crianças na piscina

O Comandante do Corpo de Bombeiros de Gaspar, Douglas Machado, destaca algumas situações que podem prevenir acidentes em piscinas. “Nas piscinas, o maior risco está com os mais vulneráveis. Ou seja, as crianças. Quanto mais nova for, maior o risco de afogamento. Por essa razão, a supervisão dos pais é fundamental”, destaca o comandante, afirmando que a mesma orientação vale para banhos e rios e cachoeiras.

Ele ainda reforça a importância das piscinas de condomínios, clubes e parques aquáticos estarem regularizada perante o Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina. “Isso garante que sistemas como ralos anti sucção e botoeira de emergência estejam adequados. Muitas emergências já ocorreram, por exemplo, ao prender o cabelo devido ao ralo instalado de forma inadequada”.

Além disso, parques aquáticos devem ter guardiões de piscinas e nos condomínios deve haver uma barreira física. Ou seja: cercados e portões para evitar que crianças entrem na água desacompanhada de um responsável.

Na praia, preste atenção nas bandeiras

O comandante Machado ressalta que o mar possui características muito dinâmicas. Isso quer dizer que, uma mesma praia pode estar adequada para o banho um dia e no outro oferecer maior risco. “Além disso, ao longo de uma mesma praia existem locais bons para banho e locais de risco, sendo estes, principalmente, as correntes de retorno. Essas correntes funcionam como um ‘rio’ e, caso um banhista entre em uma delas, pode ser arrastado e ocasionar o afogamento”.

Por isso, todos os dias pela manhã os guarda-vidas verificam as condições do mar, sinalizando com bandeiras como está a condição de banho naquele dia:

Bandeira verde: bom para o banho

Bandeira amarela: cuidado, a praia pode oferecer riscos

Bandeira vermelha: não é recomendado o banho de mar neste dia

Os guarda-vidas também verificam onde estão as correntes de retorno e as sinalizando com uma bandeira triangular vermelha na faixa de areia. Neste caso, o comandante recomenda: “Procure nadar afastado dessas bandeiras. O melhor local para tomar banho de mar é próximo a um posto guarda-vidas, local em que tem maior cobertura em caso de emergência. E não esqueça: água no umbigo, sinal de perigo!”. 

Procedimentos em caso de afogamento:

1) Ligue para o 193 indicando o que aconteceu e o local

2) Caso seja viável, jogue um objeto flutuante para que a pessoa que está se afogando possa se segurar

3) Não tente socorrer a vítima de afogamento, pois você pode se tornar mais uma vítima

 

Edição: 1876

Comentários

Deixe seu comentário


Seu e-mail não será divulgado.

Seu telefone não será divulgado.