Você, consumidor - Jornal Cruzeiro do Vale

Golpe da lista telefônica

07/08/2020

Você, consumidor, já ouviu falar do famoso golpe da lista telefônica? Muitos consumidores têm reclamado de contratações indevidas do serviço de figuração, publicidade ou publicação em lista de anunciante “online”.

Um fato interessante é que na maioria das vezes o consumidor se trata de uma pessoa jurídica, geralmente uma loja pertencente ao comércio local. Em um determinado caso quem “literalmente” caiu no golpe foi um funcionário, que sequer teria legitimidade para contratar em nome da loja, mas estava “pagando a conta” por vergonha e por medo de sofrer uma demissão.

O estilo de atuação destas empresas é agressivo, o atendente não mede esforços na hora de contatar (captar) o consumidor para fisgá-lo. E até parece um “encanto”, pois o consumidor fica envolvido na teia do trapaceiro, que deixa a vítima embriagada, acabando por baixar a guarda.

Dentro das vantagens da contratação, que são destacadas no telefonema, está a promessa do serviço ser gratuito ou já estar sendo pago na conta do telefone. Outra promessa é inclusão/manutenção do nome da empresa em sites de busca, como o “Google” – por exemplo.

Assim, o consumidor induzido ao erro acaba por aceitar o serviço, em seguida o atendente da empresa envia o contrato para assinatura, na verdade costuma chamar de: “um formulário apenas para cadastro da empresa”.

Em seguida começam as cobranças pelo serviço e, ao consumidor, resta questionar aquilo que não contratou, ao menos não daquela forma. O conflito está instaurado, o fornecedor armado com um contrato assinado e o consumidor refém da situação.

O serviço até pode ser considerado legítimo, mas a contratação não é (da forma como foi feita), tanto que, faz parte do rol de direitos básicos do consumidor o acesso as informações de forma correta, clara, precisa, além da proteção as praticas abusivas e o total descumprimento à oferta.

O consumidor deve ficar atento frente a este tipo de abordagem, todo cuidado é sempre bem-vindo.

 

Edição 1963

Comentários

Deixe seu comentário


Seu e-mail não será divulgado.

Seu telefone não será divulgado.